10 coisas que você não sabia sobre samurais

Publicado em 7.08.2013

Se você acredita que os samurais eram, em sua maioria, homens altos que lutavam apenas usando espadas e abriam mão de prazeres sexuais em nome do dever, vai se surpreender com algumas evidências históricas a respeito desses famosos guerreiros do Japão.

10. Existiam “samurais” mulheres

10
Na classe guerreira da qual vieram os samurais, havia mulheres que também eram treinadas em artes marciais e em estratégias de guerra – as onna-bugeishas. Elas participavam de batalhas ao lado de homens, e geralmente lutavam usando naginatas (lanças com uma lâmina curvada na ponta).

Embora textos históricos contenham poucas referências às onna-bugeishas, é possível que elas tenham sido mais numerosas do que se imagina: análises feitas no local onde ocorreu a batalha de Senbon Matsubaru (1580) mostraram que, de 105 corpos encontrados, 35 eram de mulheres, um resultado similar aos de outros estudos.

9. Suas armaduras protegiam sem comprometer a mobilidade

9
Placas de couro ou metal cobriam o corpo do guerreiro e, ao mesmo tempo, preservavam sua liberdade de movimento. O capacete típico (que serviu de inspiração para o de Darth Vader) garantia que o pescoço estivesse devidamente protegido contra flechas e ataques de espada vindos de vários ângulos. A máscara, que podia ter uma aparência demoníaca, servia não apenas para proteger o rosto, mas também para assustar os inimigos.

8. A homossexualidade era aceita (e até mesmo incentivada) entre eles

8
Contrariando a imagem “machões” (ou mesmo de “guerreiros que não ligavam para sexo”) criada por livros, filmes e desenhos, os samurais tinham a “mente aberta” no que dizia respeito a homossexualidade (da mesma forma que soldados espartanos), encorajada entre guerreiros experientes e jovens em treinamento (prática conhecida como wakashudo, ou “o caminho da mocidade”).

7. Existiram samurais estrangeiros

7
Pelo menos quatro homens do ocidente se tornaram samurais: os aventureiros William Adams e Jan Joosten van Lodensteijn, o oficial da Marinha Eugene Collache e o comerciante de armas Edward Schenell.

Curiosamente, os dois homens que serviram de inspiração para o protagonista de O Último Samurai (Frederick Townsend Ward e Jules Brunet), um ocidental que se tornou guerreiro, não chegaram a receber essa honra.

6. Eles eram muitos

6
Quando estavam em seu auge, os samurais correspondiam a cerca de 10% da população do país, e, ao longo da história, eles foram tão numerosos que, supostamente, cada cidadão japonês tem pelo menos um pouco de “sangue samurai”.

5. Suas roupas eram elegantes, mas práticas

5
Da mesma forma que suas armaduras, as vestes de um samurai deviam impor respeito e ao mesmo tempo facilitar combates. As calças (hakamas) largas davam mobilidade e evitavam que o oponente visse a posição das pernas do guerreiro. A veste (kimono) era normalmente feita de seda, um tecido leve e maleável.

4. Eles carregavam diversos tipos de armas

4
Embora a espada fosse um dos elementos mais característicos dos samurais, eles também podiam usar arcos, lanças e, depois do desenvolvimento da pólvora, até mesmo rifles, dependendo da necessidade.

3. Eles estudavam diversas artes

educ-e1375404117135
Seguindo o código do Bushido (“caminho do guerreiro”), a maioria dos samurais estudava temas que não tinham relação direta com o combate, como caligrafia, matemática, literatura, poesia, pintura e arranjo de flores.

2. Muitos eram “baixinhos”

2
Diversos registros históricos apontam que os samurais do século 16 tinham, em média, entre 1,60m e 1,65m de altura, enquanto cavaleiros europeus tinham estatura média de 1,80m a 1,96m. Além disso, há indícios de que muitos descendiam do grupo étnico ainu, que tinha mais pelos no corpo e pele mais clara do que a maioria da população japonesa.

1. O ritual de suicídio podia durar horas

1
Para um samurai, o suicídio poderia ser a única maneira de recuperar a própria honra. Esse ritual, chamado seppuku ou hara-kiri, tinha uma versão “informal” (em que o guerreiro cortava a própria barriga com a espada e era decapitado por um companheiro ou amigo, para diminuir o sofrimento) e uma versão “formal” (em que o guerreiro se vestia com roupas brancas, comia uma última refeição e escrevia um poema antes de se matar). [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

Guilherme de Souza

É jornalista empenhado e ilustrador em treinamento. Curte ciência, cultura japonesa, literatura, seriados, jogos de videogame e outras nerdices. Tem alergia a música sertaneja e acha uma pena que a Disco Music tenha caído no esquecimento.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

34 Comentários

    • Sua visão sobre os ninjas está completamente estereotipada. Ninjas de fato foram empregados em espionagem e sabotagem, mas a favor de si.

  1. Boa matéria, tem um filme chamado “O Samurai do Entardecer” que desmistifica muito o universo dessa classe social de Guerreiros.

  2. Interessante.
    Em Asia ainda usam calças largas e o homossexualismo só passou a ser perseguido após a colonização europeia cristã no Próximo Oriente que influenciou o wahabismo dos Sauds. O Islam não é contra a homossexualidade, parece que o deus muçulmano tinha mais o que pensar quando criou a sociedade islâmica não fez distinção de sexo e gênero.

    Alcorão afirma que Deus criou a humanidade (an-Nisan) sem distinção, e não a mulher tomou uma costela do homem, nem estabelece categorias de validade entre os seres humanos para a sua identidade: “A única coisa que diferencia um muçulmano outro é o seu nível de piedade “. O próprio conceito de divindade no Islam não está definido a este respeito, uma vez que não tem sexo ou gênero.

    • O Deus muçulmano é o mesmo dos judeus e cristãos, logo tbm acreditam no genesis, além de sempre terem sido ultra-machistas.

    • Na verdade, da ideia ou sensação de ideologia (“ismo”); mas como é sexualidade e não ideologia, o menos pior é o homossexualidade.

  3. Estamos em 2013 e ainda há palavras como “automobilismo”, “cristianismo”, “romantismo”, “ativismo”, “ateísmo”, “terrorismo” e milhares de outros exemplos que eu poderia citar…
    Homossexualidade: sentimento de desejo e atração pelo mesmo sexo.
    Homossexualismo: prática homossexual.
    Sufixo ismo: define prática ou ação de um grupo.

    • Sufixo -ismo refere-se SOMENTE a OPÇÕES e DOENÇAS. Homossexualidade é uma CONDIÇÃO médica.

  4. O 1 eu já sabia e o 8 eu tinha minhas dúvidas, já que um dos mais conhecidos daimyo’s do Japão Feudal, Oda Nobunaga, tinha tanto sua esposa Nouhime, quanto tinha o seu forte (registros dizem que ele era realmente forte) e leal guerreiro Ranmaru Mori com quem pradicava o shudo, ambos inclusive cometeram seppuku juntos.

  5. Estamos em 2013 e ainda há a palavra “homossexualismo”.
    O que me surpreende é lê-la aqui.

    • O que me surpreende é que em um texto com tanta informação, a única palabra que tenha te chamado a atenção foi “homossexualismo”.

    • Lorena você namoraria um bissexual?

    • Para quem não entendeu, “ismo” é um sufixo designado para doenças. O correto seria usar “Homossexualidade”…

    • COMO DEVEMOS ENTÃO lORENNA NOS REFERIR A PESSOAS COMO VC ? PQ A PALAVRA HOMOSSEXUALISMO OFENDE ? EU NÃO CONSIGO ENTENDER VCS RSRSRSRS

  6. Além de serem mais conhecidos como guerreiros; eles eram coletores de impostos, militares, arqueiros e servidores do império.
    A palavra samurai quer dizer “aquele que serve”.
    O dia 24 de abril é o dia do samurai em São Paulo, digo a capital paulista.
    É isso.

  7. (OFF)

    “O capacete típico (que serviu de inspiração para o de Darth Vader)…”

    Nem mesmo sou fão da franquia “Star Wars”; mas sempre soube que o capacete de Darth Vader foi inspirado pelos capacetes dos soldados nazis; vejam: https://www.google.com.br/search?biw=800&bih=432&q=nazis+helmet&bav=on.2,or.r_qf.&bvm=bv.50310824,d.dmg,pv.xjs.s.en_US.I9e44VIvEiw.O&um=1&ie=UTF-8&hl=pt-BR&tbm=isch&source=og&sa=N&tab=wi&ei=YuoCUp_aNI-r4APd9oD4DQ#bav=on.2,or.r_qf.&fp=b0a94b9216ba6816&hl=pt-BR&q=%27+nazist+helmet+%27&sa=1&tbm=isch&um=1

  8. eu adoro a cultura japonesa… em especial a dos samurais… belíssimo post… já li tanta coisa sobre eles e nem conhecia tudo o que foi postado na matéria… valeu!!!

  9. Uma nota interessante, os guerreiros islâmicos também tinham por costume estudar música, poesia e outras coisas. Dos cavaleiros andantes europeus eu não tenho certeza, mas parece que eram até mesmo analfabetos na sua maioria (exceto, talvez, os que pertenciam à realeza).

    • Cesar G., na verdade, houve pelo menos uma excessão conhecida. A Ordem dos Cavaleiros Templários. Os Templários eram, além de exímios guerreiros medievais, bastante cultos nas diversas disciplinas que lhes eram práticas como: astronomia, geografia, línguas, finanças, entre muitas outras. Talvez fosse raro um único cavaleiros deter todos estes conhecimentos mas ao menos a Ordem possuia membros para cobrir a maior parte das áreas do conhecimento humano.

    • Para ser cavaleiro não era necessário ser nobre à partida? Não tenho a certeza mas creio que sim.

    • CORRETÍSSIMO A MAIORIA DOS CAVALEIROS EUROPEUS ERAM ANALFABETOS

    • Os templários foram um das poucas exceções em relação a isso, junto com as demais ordens cruzadas, mas infelizmente foram caçados e exterminados por capricho de um monarca…

    • Não exatamente. O analfabetismo europeu ocorre a partir da queda de Roma, mas começa a mudar do século XI em diante

    • No período pelo qual os samurais são mais conhecidos (sengoku), o analfabetismo era bem menor. O próprio Dante Alighieri foi um cavaleiro

Envie um comentário