10 hipnotistas que colocavam as vítimas de seus crimes em transe

Durante séculos, houve um debate intenso a respeito da hipnose – um estado alterado de consciência que envolve relaxamento, foco aumentado e sugestibilidade. O nome deriva da palavra grega húpnos, que tem a ver com sono. No entanto, a prática é mais semelhante a sonhar acordado. A Hipnoterapia tem se mostrado eficaz no tratamento da ansiedade, distúrbios alimentares e dependências. O governo dos EUA investigou o assunto até mesmo para aplicações militares. Infelizmente, os criminosos também já aprenderam a se aproveitar do poder da hipnose. Nos últimos anos, ladrões e predadores sexuais têm empregado hipnotismo com frequência crescente para praticar seus crimes. Abaixo, 10 vezes em que a hipnose foi usada para estes propósitos:

10 – Assalto Hipnótico

Em 11 de setembro de 2014, imagens de câmeras de segurança capturaram um hipnotizador colocando um lojista de Londres em transe antes de roubá-lo. O proprietário da Hops & Pops, uma loja de vinhos, ficou chocado ao descobrir que ele tinha sido roubado em várias centenas de libras em dinheiro. A filmagem acima revela um homem da Europa Oriental passando por Heider antes de bater suavemente no seu braço. Momentos mais tarde, o suspeito faz um movimento de esfaqueamento, o que coloca o comerciante em transe. Ele então alcança os bolsos de Heider e sai com os ganhos do dia.

Hipnose pode fazer bem à saúde: conheça o método hoje respeitado

O mágico Damien O’Brien sugere que Heider pode ter sido previamente hipnotizado e tido implantado em si um “gatilho”. O especialista diz que “você nunca pode hipnotizar alguém no primeiro passo”. O suspeito deve ter feito um trabalho “sugestivo” em uma visita anterior. Esta é a primeira vez que um crime por hipnose foi capturado em câmeras de segurança no Reino Unido.

9 – Estupro hipnótico

Em novembro de 2016, um advogado de divórcios de Ohio, nos EUA, se declarou culpado de hipnotizar seis clientes do sexo feminino para conseguir sexo. O crime de Michael Fine foi revelado em 2014, quando uma vítima registrou secretamente uma de suas sessões. Suas suspeitas foram despertadas depois de ter uma sensação de tempo perdido após suas reuniões. Os seus relatos iniciais à polícia foram desacreditados. Eles sugeriram que ela contratasse um novo advogado. No entanto, sua gravação secreta mudou as coisas.

Na gravação, Fine, de 59 anos, coloca sua cliente em transe e então começa uma discussão altamente “sexualmente carregada”. Fine pode ser ouvido garantindo que a mulher teria um “orgasmo maciço” e que ela estava “sendo amada pelo maior amante do mundo”. Outras vítimas se apresentaram, inclusive uma menor. Fine foi indiciado por vários relatos de estupro, sequestro, agressão sexual e pornografia infantil. A maioria das acusações foi retirada em troca de um fundamento de culpa. Ele foi condenado a 12 anos.

8 – Hipnose em Jacarta

Em junho do ano passado, a polícia de Jacarta, na Indonésia, prendeu cinco pessoas que usaram a hipnose para roubar vítimas. De acordo com os investigadores, os ladrões se aproximavam de indivíduos sozinhos e pediam orientações. As vítimas, então, seriam hipnotizadas e convencidas a desistir de suas posses. No momento em que o estado de transe passava, os ladrões tinham desaparecido há muito tempo. Este grupo de ilusionistas maliciosos supostamente conseguiu roubar laptops, celulares e dinheiro.

Os suspeitos confessaram ter cometido mais de 100 roubos com hipnose em torno de Jacarta. O objetivo era usar os itens roubados e dinheiro para comprar uma propriedade em Bogor, outra cidade indonésia. Os suspeitos foram acusados ​​e enfrentam cinco anos de prisão. A polícia na Indonésia está bem familiarizada com ladrões hipnotizadores. Um aeroporto indonésio ainda tem banners de advertência desta classe de criminosos. O porta-voz da polícia nacional, Ronny Sompie, indicou que os ladrões hipnotizadores visam “aqueles que parecem vulneráveis, com muita bagagem ou que pedem ajuda quando chegam”.

7 – Kapow

Em 2015, um homem britânico recebeu uma sentença de 10 anos por usar a hipnose para assediar sexualmente uma cliente. Gary Naraido, de 52 anos, convenceu a vítima de 22 anos de que poderia curar seu transtorno alimentar. Ao entrar em transe, a vítima foi informada de que ela iria ter um orgasmo cada vez que ele pronunciasse a palavra “kapow”. A vítima hipnotizada estava incapaz de se mover enquanto Naraido acariciou-a e colocou a mão em sua virilha. Ao voltar para casa, a vítima sentiu-se exausta e confusa.

Hipnose pode gerar alucinações verdadeiras e automáticas

De acordo com os investigadores, Naraido aprendeu hipnose no YouTube. Ele também procurou por “hipnoterapia para orgasmo” e “Harry o hipnotizador excitado.” Naraido também se declarou culpado de uma agressão sexual separada em uma menina de 14 anos e da posse de 25 imagens pornográficas extremas. Naraido estará no registro nacional de agressores sexuais da Inglaterra por toda a vida. A esposa dele pediu o divórcio, e ele é proibido de ter contato com seu filho de 12 anos de idade.

6 – Ladras russas

Em 2014, a polícia alemã começou a caçar um par de hipnotizadoras russas, acusadas ​​de hipnotizar as vítimas antes de roubá-las. De acordo com Sarah Alexeveya, 66, duas mulheres russas se aproximaram dela na frente de uma mercearia de Aldi em Elmshorn, Schleswig-Holstein, na Alemanha. A dupla se ofereceu para ler sua sorte. Alexeveya acordou em sua poltrona, e todas suas joias e objetos de valor haviam sumido. A vítima, que também é russa, não tinha ideia do que havia acontecido entre a mercearia e seu apartamento.

Houve outros incidentes semelhantes na Alemanha, quase todos envolvendo mulheres estrangeiras como vítimas. De acordo com testemunhas, a dupla de ladras é formada por uma mulher de cerca de 35 anos e sua cúmplice, uma mulher muito maior, com cerca de 55 anos. Os investigadores acreditam que mulheres estrangeiras são alvos mais fáceis, porque se sentem menos seguras e podem estar mais abertas aos apelos espirituais das criminosas.

5 – Sem vontade própria

Em 2013, um hipnotizador britânico foi preso por 18 meses depois de convencer uma cliente de que ela era sua “escrava sexual”. Timothy Porter, de 40 anos, persuadiu sua vítima a acreditar que ele poderia tratar sua ansiedade e facilitar a perda de peso. No entanto, ela acordou de um transe, o encontrou com suas calças abaixadas e alertou as autoridades.

Porter teve múltiplas sessões com a vítima antes de aparecer sem ser convidado em sua casa em 2 de dezembro de 2012, quando o marido dela estava ausente. Porter repetia: “Nenhum pensamento, nenhuma vontade própria”. Ele então declarou que era “seu mestre” e que ela era sua “escrava sexual”. Ele a convenceu a se expor e a permitir que ele acariciasse seus seios enquanto ele se masturbava. Porter estará no registro dos criminosos sexuais até 2023.

4 – O Bandido Hipnotizador

Em junho de 2014, as autoridades apreenderam o “Bandido Hipnotizador”. De acordo com testemunhas, o ladrão olha fixamente nos olhos dos caixas, entrega uma nota com exigências e depois se recusa a desviar o olhar. Manuel José Hernandez, 28, foi pego roubando um banco em Ventura, nos EUA, em um prédio que abriga escritórios do FBI no segundo andar. Depois de entregar mais de 1.700 dólares ao criminoso, o caixa apertou o alarme silencioso. Agentes perseguiram o suspeito, que estava fugindo da cena com um saco de nylon preto.

Novas descobertas sobre o funcionamento da hipnose

Hernandez revelou que estava desesperado por dinheiro e estava orgulhoso do fato de que “não usou qualquer força nos roubos.” De acordo com a queixa criminal, os assaltos de Hernández a quatro bancos na região de Los Angeles renderam de cerca de 16.300 dólares. A natureza exata da “mágica” do Bandido Hipnotizador permanece um mistério.

3 – Liberdades indecentes

Em 2014, um hipnotizador do Estado de Washington convenceu uma mulher que ela era cega antes de violá-la. Kevin Geyer, de 25 anos, se declarou inocente de uma acusação de “liberdades indecentes”. Em 4 de junho, os promotores alegam que o hipnotizador amador colocou a vítima em estado de transe, bloqueando todos os seus sentidos, menos a audição. Quando ela acordou, estava completamente vestida e confusa. No entanto, as lembranças de Geyer a atacando sexualmente começaram a voltar, e ela alertou as autoridades.

Segundo relatos da polícia, Geyer pediu desculpas por mensagem de texto depois que sua vítima o confrontou. Quando a polícia entrou em contato com o hipnotizador, ele admitiu acariciá-la e expressou remorso. Na esteira do caso Geyer, um famoso mentalista de Nova York conhecido como “O Incrível Kreskin” ofereceu 100 mil dólares a qualquer pessoa que pudesse colocar alguém em estado de transe. Segundo Kreskin, “as chances da pessoa não ser capaz de resistir é menor do que zero”. Ele afirma que a hipnose funciona conscientemente pela atração dos indivíduos através da “sugestão”.

2 – Cartel Hipnotizador

Em 2012, a polícia de Boston, nos EUA, informou que uma mulher foi hipnotizada e entregou suas economias de vida para ladras. Três mulheres de língua cantonesa se aproximaram da vítima de 57 anos de idade, no bairro Chinatown, em 16 de abril. As mulheres começam a fazer perguntas sobre sua família. Sua próxima memória era estar enchendo um saco com 160.000 dólares, joias e seu passaporte, antes de entregar tudo ao trio. A vítima insiste que ela foi colocada em estado de transe pelas golpistas.

Em junho de 2012, seis mulheres foram presas no Aeroporto Internacional de São Francisco por supostamente enganar e roubar mais de 800 mil dólares em dinheiro e objetos de valor de dezenas de mulheres chinesas. Elas prometeram livrar as vítimas dos maus espíritos. A polícia de Boston acredita que este golpe está relacionado com o roubo de hipnose em Chinatown. De acordo com o vice-diretor da Associação Progressiva Chinesa de Boston, os idosos são particularmente vulneráveis ​​aos golpes de hipnotismo. A polícia de Boston diz que este é o primeiro roubo conhecido por hipnose da cidade.

1 – Abusador amador

Em julho de 2010, a polícia descobriu um vídeo de um hipnotizador britânico abusando sexualmente de uma cliente de 19 anos. A vítima denunciou Philip Sherwin, 47 anos, depois que ele disse para ela remover seu top durante uma sessão. Ela indicou que se sentia confortável com Sherwin e não tinha ideia de que estava sendo abusada ou filmada. Junto com o vídeo, a polícia descobriu fotos da vítima em suas roupas íntimas, juntamente com 40.000 imagens de pornografia infantil.

12 malucas terapias pseudocientíficas

Sherwin cobrava 95 libras por uma sessão de uma hora. No entanto, suas credenciais equivaliam a nada mais do que um curso de uma semana e um seminário de duas horas. Ele estava tratando a vítima para ansiedade, e tinha a hipnotizado múltiplas vezes. Segundo os promotores, Sherwin “pré-condicionou” a vítima. Ele explicou que ela deveria ignorar os sentimentos de excitação sexual, que eram suscetíveis de ocorrer. Depois de admitir seus crimes, Sherwin foi sentenciado a 18 meses e será listado no registro de criminosos sexuais por 10 anos. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,40 de 5)
Curta no Facebook:

Uma resposta para “10 hipnotistas que colocavam as vítimas de seus crimes em transe”

Deixe uma resposta