10 Inacreditáveis histórias de reencontros familiares

Publicado em 5.10.2010

Quando você reencontra seu amigo que você não vê há meses, o sentimento de felicidade é ótimo, não é mesmo? Imagine como seria matar a saudade de alguém após mais de 60 anos? Ou conhecer algum parente que você não sabia que existia? A vida muitas vezes separa as pessoas, mas trata de juntá-las novamente, ao acaso ou não. Confira 10 histórias de reencontro incríveis.

1) O homem que procurou sua mãe biológica e descobriu que ela era a Mulher Barbada

Richard foi adotado aos sete anos. Com 33, depois de se casar, resolveu procurar por sua mãe biológica. Sua pesquisa começou quando ele entrou com um pedido no Departamento Social e Serviços de Reabilitação do Kansas, EUA, para encontrar seus pais biológicos. Seis semanas depois, ele recebeu uma carta do departamento revelando a identidade de sua mãe: Vivian Wheeler, 62 anos. Ele soube que sua mãe e sua avó materna tinham hipertricose, conhecida como síndrome do lobisomem. Elas tinham pelo facial desde crianças. A carta ainda afirmava que sua mãe nasceu hermafrodita, mas sua avó queria uma filha, e os médicos foram orientados a retirar as partes masculinas de sua mãe, que começou a trabalhar em espetáculos desde pequena. Vivian parou de raspar a barba totalmente em 1990, logo após a morte de sua mãe. Desde então, sua barba cresceu até 27,94 centímetros de comprimento. Nessa época, ela apareceu em programas e no livro dos recordes, o Guinness. Os médicos achavam que seria impossível que ela tivesse filhos, mas ela ficou grávida e o Richard nasceu por cesariana, em 1977. Vivian conta que o pai de Richard, um operador de brinquedos de parque de diversão que ela havia conhecido em Nebraska, levou o bebê embora logo após o nascimento. Um teste de DNA provou que Richard era de fato filho do casal.

2) Os gêmeos que foram separados no nascimento, se reencontraram aos 40 anos e descobriram que tinham “vidas idênticas”

Jim Lewis e Jim Springer são gêmeos idênticos nascidos em Ohio. Eles se encontraram pela primeira vez aos 40 anos. Eles haviam crescido completamente inconscientes da existência um do outro. A mãe dos irmãos colocou-os para adoção logo após o parto. Quando os dois se conheceram, as coincidências não pararam: para começar, ambos tinham o mesmo nome. Eles eram fisicamente idênticos (obviamente). Os dois tiveram na infância cães chamados Toy. Ambos tinham mania de roer a unha e tinham sono agitado. Ambos tinham enxaqueca. Os dois se casaram duas vezes: os dois com uma primeira mulher chamada Linda, e uma segunda esposa chamada Betty (embora não sejam as mesmas esposas, que fique claro). Lewis nomeou seu primeiro filho James Allen, enquanto Springer nomeou o seu James Alan. Durante anos, ambos tinham tirado férias na mesma praia da Flórida. Os dois bebiam Miller Lite e fumavam cigarros Salem, gostavam de corridas de stock car e não gostavam de beisebol, deixavam bilhetes de amor regulares para suas esposas, fabricavam mobília para bonecas em seus porões, e tinham acrescentado bancadas brancas circulares ao redor das árvores de seus quintais. Seus QIs, hábitos, expressões faciais, ondas cerebrais, batimentos cardíacos e caligrafia eram praticamente idênticos. Os gêmeos Jim viveram separados, mas morreram no mesmo dia, da mesma doença.

3) A avó e o neto que se encontraram, se apaixonaram, e agora esperam um filho

Pearl Carter ficou grávida de Lynette aos 18 anos. A criança foi concebida fora do seu matrimônio, e por isso ela foi forçada a dar sua filha para adoção. Lynette teve Phil Bailey. Quatro anos depois da morte de Lynette, Phil, com 26 anos, resolveu procurar sua avó, Pearl, com 72. Pearl disse que procurou por sua filha perdida por muitos anos quando Phil conseguiu rastreá-la e a escreveu. Ela também afirma que desde então seu único pensamento era que homem bonito e sexy Phil era. Ela respondeu imediatamente a carta e mandou seu número de telefone. Phil disse que também sentiu atração instantânea pela sua avó. Na primeira semana que se conheceram, ela decidiu que não iria mais esconder seus sentimentos por seu neto. Chamou-o no seu quarto, e beijou-o. Ela esperava rejeição, mas ao invés disso ele a beijou de volta. Em 2009, o casal decidiu ter um filho e procurou por uma mãe de aluguel de mente aberta. Eles estão acompanhando sua gravidez. O casal afirma sofrer preconceito, e pode enfrentar prisão por incesto.

4) Os filhos de um sobrevivente de um campo de concentração nazista que se encontraram porque ambos pesquisavam a história do pai

Peter Beschorner, 67 anos, foi buscar informações sobre seu pai judeu, Hans, um ex-prisioneiro do campo de concentração nazista de Dachau. Ele não tinha ideia que tinha um irmão, Klaus Mueller, 76 anos, que também estava fazendo o mesmo. Os dois entraram em contato com o Serviço Internacional de Buscas na Suíça e perceberam que compartilhavam o pai. Os irmãos foram contatados por funcionários e se encontraram em Berlim. O pai dos irmãos nasceu em 1911 e cresceu na Alemanha Oriental. Com 22 anos teve um caso com Alfreda Wensel, que ficou grávida de Klaus Mueller. A relação foi proibida e Alfreda teve Klaus sozinha. Mais tarde, como Hans era judeu, foi capturado pelos alemães e jogado no campo de concentração. Em 1939 se tornou um dos 40.000 judeus alemães a ser deportado para a Grã-Bretanha antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial. Em 1941, ele se casou com uma britânica, Joan Soan, que deu à luz a Peter naquele ano.

5) Os irmãos há muito separados que descobriram que eram vizinhos

Tommy Larkin, 30 anos, e seu irmão, Stephen Goosney, 29 anos, foram adotados como filhos de famílias separadas. Larkin cresceu em uma família em Corner Brook, Newfoundland. Goosney cresceu a poucas centenas de quilômetros ao sul, em Woody Point. Ambos estavam à procura de sua família biológica, e receberam ajuda da agência de adoção de Newfoundland. Mal sabiam eles: por mais de dois anos, eles viveram na mesma rua. Eles passaram os últimos sete meses vivendo quase em frente ao outro, inclusive. Apesar de viver tão perto, eles não se lembravam de já terem se visto. Os irmãos disseram que tiveram uma conexão imediata, facilitada pelo fato de que eles têm muito em comum. Ambos foram criados por famílias que os informaram que eles eram adotados desde criança e ambos têm uma irmã adotiva mais nova.

6) O casal que reatou o romance depois de que ela descobriu uma carta de amor escrita 10 anos atrás

Steve Smith e Carmen Ruiz-Perez se apaixonaram e ficaram noivos nos seus vinte e pouco anos, após Carmen mudar para a Inglaterra para estudar. O casal se separou quando ela teve que voltar para a França. Alguns anos mais tarde, Steve escreveu uma carta a ela, em uma tentativa de reacender o romance, mas a mãe de Carmen colocou a carta na lareira e ela escorregou para baixo da chaminé. Dez anos depois, quando a lareira foi retirada para reforma, Carmen leu a carta em que Steve tinha escrito: “Eu espero que você esteja bem. Eu só estou escrevendo para perguntar se você se casou e se você ainda pensa em mim. Seria ótimo ouvir notícias suas, por favor, entre em contato, se puder”. Carmen diz que inicialmente ficou muito nervosa, mas criou coragem e os dois combinaram de se encontrar. Eles se encontraram em Paris, e se casaram – 17 anos depois de terem se apaixonado pela primeira vez.

7) A mãe que encontrou pelo Facebook seu filho sequestrado muitos anos depois

Avril Grube viu pela última vez seu flho Gavin Paros quando o pai o levou para um passeio ao Jardim Zoológico. Em vez de ir ao zoológico, no entanto, o pai levou o menino para Budapeste, desafiando uma ordem de tribunal. Avril nunca mais soube do seu filho. Mais de 25 anos depois, sua irmã digitou o nome Gavin Paros no Google e encontrou um link de alguém com esse nome no site de redes sociais Facebook. Várias semanas depois, Gavin encontrou a mensagem de sua tia. Mãe e filho se reencontraram, e conseguiram se comunicar, embora Gavin tenha esquecido como falar inglês e Avril não falasse húngaro. Avril espera que seu filho, a esposa dele e seus três filhos, decidam se mudar para a Grã-Bretanha e morar parte dela.

8 ) O homem que encontrou seu cachorro perdido há cinco anos graças a um chip

Michael Neary perdeu seu cachorro Jack em uma visita à Irlanda, e ficou arrasado. Depois de um ano, ele decidiu comprar outro cão da mesma raça, dos mesmos pais, e deu-lhe o mesmo nome de Jack. Cinco anos mais tarde, porém, ele recebeu uma ligação dizendo que Jack Primeiro estava vivo e encontrava-se em um abrigo de animais. Ele foi encontrado na Irlanda e enviado para a Inglaterra. A equipe que o resgatou descobriu que ele estava com o número de microchip que possuia o telefone e o endereço de Michael.

9) O casal que se reencontrou por acaso, 60 anos depois de terem sido separados

Boris e Anna Kozlov se casaram e passaram três dias juntos antes dele ser recrutado pelo Exército Comunista. Quando ele voltou, Anna e sua família tinham sido exiladas na Sibéria pelo governo de Stalin. 60 anos depois, eles se encontraram por acaso. Nem puderam acreditar. Anna soube que era Boris na hora; ele tinha voltado para visitar o túmulo de seus pais. Boris viu Anna na frente de sua antiga casa, onde viveram durante os poucos dias após o casamento. Ele correu até ela e disse: “Minha querida, eu estive esperando por você por tanto tempo. Minha esposa, minha vida… “. O tempo não conseguiu apagar o romance.

10) A velhinha que encontrou um irmão que não sabia que tinha depois de 78 anos separados

Irene Adkins, 79 anos, foi abandonada por seus pais em 1932 junto com outras três crianças, ao lado de uma estrada. Irene tinha apenas dez meses de idade na época, e ela e seus irmãos foram levados para orfanatos. Ela foi adotada, e cresceu completamente inconsciente de que tivesse qualquer irmão ou irmã. Depois que ela foi abandonada, os pais biológicos de Irene tiveram mais três filhos. Um deles, Terry Spriggs, ficou sabendo que tinha uma irmã aos 14 anos, mas nunca conseguiu encontrá-la. Após uma busca infrutífera de décadas, sua sobrinha finalmente conseguiu rastrear Irene depois de fazer uma árvore genealógica. Irene disse que ficou surpresa quando Terry, com 73 anos, apareceu. Eles descobriram que passavam as férias nos mesmos lugares, e poderiam até já terem se cruzado sem perceber. Irene tem seis filhos, onze netos e 13 bisnetos. Terry teve cinco filhos, 12 netos e um bisneto. [Oddee]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

26 Comentários

  1. É eu sou a moda antiga e não aprovo incesto.Mas oque eu tenho haver com a vida alheia né?!

    Intão ferro na véia meu filo!

    Thumb up 1
  2. achei esquisito vo e neto se encontrarem e ter um filho mas e lindo essa historia quase chorei de emoçao

    Thumb up 1
    • lindo esperam que essas pessoas sejam felizes e que deus abençoes cada uma delas parabens e felicidadeees

      Thumb up 1
  3. Hum… eee Verdade histórias incriveis todas com um final feliz, pena que a Minha não teve um final feliz eu toou completamente perdida resumindo desesperada, não sei mais o que fazer,quando eu nasci minha mãe me entregou pra minha vó,e minha mãe nunca disse o nome do meeu pai, minha mãe morreu muito nova, e não revelou o nome do meu pai, meu maior sonho e conhecer ele, eu tenho apenas 20 anos e minha irmã 18 ja não sei mais o que faço, queria uma ajuda sei la , um site que pudesse me ajudar nisso , eu dependo dele pra ser feliz , eu preciso conhecer meu pai

    Thumb up 8
  4. Todas estas histórias são bastante bonitas… especialmente a de Steve e Carmen, a do Boris e da Anna (mal posso acreditar, viveram 60 anos separados e continuavam apaixonados, achei muito bonito) e a de Irene que encontrou o irmão depois de tanto tempo (79 anos, uma vida inteira)

    Thumb up 5
  5. O casal que reatou o romance depois de que ela descobriu uma carta de amor escrita 10 anos atrás, o casal que se encontrou depois de 60 anos,os irmãos de 78 anos,a mão que encontrou o filho pelo facebook amei quase chorei

    Thumb up 9

Envie um comentário

Leia o post anterior:
vagalume
“Célula de vaga-lumes” pode restaurar corações

A era das cirurgias ...

Fechar