6 Dicas para mães que trabalham fora

Com 40 horas semanais de trabalho, cuidando dos filhos pequenos, roupas para lavar, uma casa e uma vida pessoal para cuidar, as mães modernas chegam aos limites para lidar com todas as suas responsabilidades sem perder a cabeça.

Apesar de difícil, a tarefa não é impossível e milhares de mulheres provam isso diariamente. Porém, algumas estratégias facilitam a vida dessas mulheres trabalhadoras: “Quando você é uma mãe trabalhadora, tem que descobrir jeitos criativos para lidar com tudo”, afirma Michelle LaRowe, diretora da Associação Internacional de Babás e autora de “Working Mom 411” (“Informações para a mãe trabalhadora”, em tradução livre, sem edição em português). Confira algumas das dicas da autora para as mães trabalhadoras:

6. Aceite a sua escolha

Mulheres constantemente ficam divididas entre ir ao trabalho e ficar em casa com os filhos pequenos. Uma pesquisa realizada em 2009 revelou que tanto homens quanto mulheres concordam que mulheres que trabalham em tempo integral não são a melhor escolha para as crianças pequenas. Mais de 50% das mães acreditam que um emprego em meio período pudesse ser melhor para os filhos.

Esta sensação pode levar à culpa quando a mulher trabalha em tempo integral, afirma LaRowe. “Só porque ela se sente culpada não quer dizer que é culpada de alguma coisa”, diz. De acordo com a autora, a melhor escolha para as mães é aceitar a sua escolha de trabalhar e cuidar da família: “Se você sabe que fez a melhor escolha para a sua família, isso é tudo que importa”.

5. Reúna ajuda

“Encontre pessoas, lugares e coisas na sua comunidade que ajudem e que possam facilitar a sua vida, para que você possa ter mais tempo livre durante o dia”, sugere LaRowe. Entretanto, é importante que essas pessoas sejam de confiança e não sejam em grande número. De acordo com o psicólogo Russell Matthews, a dica pode se virar contra a mãe trabalhadora: “Quanto maior é a sua rede social, mais pessoas podem contar com a sua ajuda também”, diz.

4. Consiga pessoas para ajudar no cuidado das crianças

De acordo com LaRowe, babás e creches não são as únicas opções para cuidar dos pequenos. É possível dividir os cuidados com os filhos, com outra mãe, ou ter a ajuda de amigos ou familiares enquanto o filho não está na creche. Como mostramos nesta reportagem, é comum que as mães não peçam ajuda aos parceiros, mas dividir o tempo usado para cuidar dos filhos com o marido ou parceiro é o modo mais confiável para cuidar das crianças.

3. Cuide-se

“Quando você se envolve demais com o trabalho ou a família, a primeira coisa que você faz é parar de tirar tempo para se cuidar”, afirma Matthews. O psicólogo recomenda que as mães arranjem tempo para fazer um hobby, atividade física ou cursos que dêem prazer e sejam relaxantes. Entretanto, o especialista admite que arranjar tempo para isso é difícil. Segundo ele, é nesta hora que deve entrar a ajuda para a mãe: pedindo para um amigo ou familiar buscar o filho na escola já ajuda a dar um tempo para a mãe relaxar.

2. Crie limites flexíveis

Muitas vezes quando um filho está doente, a mãe tem menos tempo para o trabalho, e quando há muito trabalho, tem menos tempo para a família. Embora esse jogo funcione bem, Matthews não recomenda que os limites entre trabalho e família sejam quebrados, e sim flexibilizados. “Minha recomendação é se concentrar em uma coisa”, diz o psicólogo. Isso não significa, entretanto, que a mãe tenha que colocar uma parede entre a família e o trabalho.

Para mães que têm escritórios em casa, por exemplo, é bom explicar à família que naquele momento ela estará ocupada e não poderá ficar disponível para resolver qualquer problema. Do mesmo modo, mães que trabalham fora de casa devem ter pulso firme e explicar aos chefes que, embora possa ficar até mais tarde no trabalho em alguns dias, em outros tem que ter tempo para buscar os filhos na escola, por exemplo.

1. Coloque as crianças para dormir cedo

LaRowe sugere que as crianças durmam até, no máximo, oito da noite. Além de dar tempo suficiente para uma noite de sono saudável, o horário permite que os pais tenham tempo sozinhos. [Live Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Curta no Facebook:

12 respostas para “6 Dicas para mães que trabalham fora”

  1. Adorei a postagem pois tenho filho e as dicas são muito coerentes, sou estudante de psicologia e pretendo me especializar nos pequenos. Sobre a republicação de artigos deste site em meu blog, com os devidos créditos é claro, preciso de alguma autorização.

  2. Ola meu namorado trabalha fora e so sabado e domingo esta comigo e com o nosso filho de 6 meses gostaria de trabalhar e tenho uma grande experiencia em shopping !!! Isso poderia atrapalhar no desenvolvimento do meu filho?

  3. Bom, sou mãe de ”primeira viagem”, comecei a trabalhar meu filho estava com 5 meses, me sinto culpada por ter começado a trabalhar tão cedo, e por não poder parar pois necessito do trabalho. Deixo ele com a minha mãe que me ajuda bastante, e me sinto aliviada por ter deixado com uma pessoa de confiança; mas realmente é bastante complicado conciliar, família, casa e trabalho.

  4. Como muitas mães, eu também vivo dessa maneira.
    Tenho 3 filhos ainda pequenos, o mais velho com 11 anos e ainda trabalho fora, chegando a somar mais de 10 horas diárias e isso acaba comigo, não por me sentir culpada, mas por não poder mesmo está mais presente na vidinha deles.
    Meu marido também trabalha e ajuda e um pouco, mas nada como se fosse a super-heroina (mãe).
    Acredito que nós as mamães temos que ter muito jogo de cintura para podermos conciliarmos essa vida dupla. Mas uma coisa eu afirmo: É MUITO DIFÍCIL.

  5. Tenho dois filhos um menino de 7 anos e uma menina de 4. Na escolinha onde ficam, tem a opção do periodo integral, mas nunca é como em casa que podem descançar, dormir e ficar a vontade. Acho que o dia todo sem a mãe faz muita diferença, pois estão em fase de aprendizado e formação de carater.

  6. Não me sinto culpada em trabalhar fora,pois fiquei com o meu filho até ele completar 3 anos de idade,faz pouco tempo que comecei a trabalhar,mas não deixo ele na creche pois não de certo ele fica em casa sempre com alguem da familia.
    Meu serviço no e facil trabalho num mercado pois não tenho feriado,nem final de semana mas como trabalho perto de casa e meus patroes sabem do meu filho não se importam de ele ir aos feriados e final de semanas com o pai e ficar um pouco lá comigo.
    Mas quando tenho folga levo na praçinha,no shopping ou em outros lugares divertidos.

  7. Eu vivo isso todo dia. Hoje mesmo é um daqueles dias que eu me sinto culpada entre outras coisas por não poder ir nas reuniões de escola das minhas filhas e não posso contar com meu marido pra isso pois por motivos que eu não sei quais são eles se nega a participar de eventos escolares.Otrabalho do meu marido é mais flexível que o mei e ele pode ficar eme casa com elas trabalhando mas não quer asumir compromissos como balé ,judô. Alguém ai tem um conselho bom sobre isso?

    • Querida, desculpe, mas seu marido realmente parece ser um caso sério, meu marido adora participar dos eventos da vida da nossa filha de 1 ano ele fica maravilhado e triste por trabalhar demais e não poder participar da vida dela como queria eu estou em um dilema grande pois depois que ganhei ela sai do serviço por ser muito agora quero trabalhar mas meu coração está apertado por ela, mas me sinto muito triste por não estar trabalhando.

  8. Estou passando por esse dilema, tenho um bebê de 1ano e estou grávida de 4 meses. Se já é difícil deixar o Gugu em casa com a babá imagine quando estiverem os dois.Estou pensando em sair do meu emprego(que é público)para tomar conta dos meus filhos. Na família não tenho pessoas disponíveis e as babás não são muito confiáveis.

Deixe uma resposta