10 Razões para fazer mais sexo

Publicado em 12.01.2010

fazer mais sexo

Ninguém duvida que sexo é uma atividade prazerosa, mas cada vez mais evidências aparecem para mostrar que o sexo pode ser benéfico para a saúde. Pesquisas apontam que pessoas que fazem sexo freqüentemente tendem a viver mais, têm menos problemas cardíacos e menor probabilidade de desenvolver certos tipos de câncer. Além disso, estudos mostram que homens que têm vidas sexuais ativas têm esperma mais saudável, e as mulheres que fazer sexo regularmente sofrem menos sintomas da menopausa.

Agora, mais uma pesquisa se soma a estas descobertas: um estudo realizado na Escócia revisou décadas de pesquisas sobre saúde sexual e conclui que o sexo vaginal tradicional é o que resulta em mais benefícios à saúde. De acordo com Stuart Brody, que realizou o estudo, a explicação para isso é simples. “A evolução recompensa comportamentos que aumentar as chances de propagação dos genes, e apenas este ato sexual é potencialmente reprodutivo”, afirma o pesquisador.

Apesar das descobertas evolutivas de Brody, outras pesquisas apontam que atividades sexuais diferentes também trazem benefícios à saúde humana. A pesquisadora Beverly Whipple, entretanto, afirma que não é possível estabelecer se o sexo faz com que as pessoas sejam mais saudáveis, ou se pessoas mais saudáveis tendem a fazer mais sexo. “Não podemos dizer com certeza que existe uma relação de causa e efeito entre o sexo e uma saúde melhor”, diz.

Embora os motivos por trás dos benefícios trazidos pelo sexo ainda sejam desconhecidos, confira uma pequena lista de melhoras na saúde que as pessoas que fazem sexo freqüentemente têm.

1. Uma vida mais longa

Um estudo realizado no Reino Unido descobriu que homens que fazem sexo ao menos duas vezes por semana vivem mais que aqueles que fazem sexo menos de uma vez por mês. Um estudo feito nos Estados Unidos fez descobertas semelhantes, enquanto um estudo sueco que examinou a vida sexual de homens com mais de 70 anos descobriu que aqueles que morreram antes de completar 75 anos tinham parado a vida sexual ainda jovens. Nas mulheres, não foram encontrados resultados semelhantes, mas a pesquisa estadunidense descobriu que aquelas que afirmavam ter prazer durante o sexo viviam mais do que as que não gostavam do ato sexual.

2. Um coração mais saudável

Um estudo britânico descobriu que pessoas que fazem sexo duas vezes por semana ou mais freqüentemente têm menores chances de sofrer com ataques cardíacos e outros problemas cardíacos fatais. As pessoas que fazem sexo apenas uma vez por mês têm o dobro de chances de terem este tipo de problema, quando comparados com as com maior freqüência sexual.

3. Pressão sanguínea mais baixa

Pessoas que fazem sexo com mais freqüência geralmente têm a pressão sanguínea mais baixa, de acordo com alguns estudos. Além disso, Stuart Brody descobriu que pessoas que têm uma vida sexual ativa têm menores picos de pressão sanguínea durante situações estressantes.

4. Riscos menores de desenvolver câncer de mama

Um estudo francês descobriu que mulheres que fazem sexo vaginal com pouca freqüência têm três vezes mais chances de ter câncer de mama, quando comparadas com mulheres com a vida sexual mais ativa.

5. Menores riscos de ter câncer de próstata

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos aponta que homens que fizeram sexo mais de três mil vezes durante a vida têm 50% menos chances de desenvolver câncer de próstata que aqueles que têm menor freqüência sexual. Ainda não se sabe por que isso acontece, mas estudos mostram que homens que fazem mais sexo têm um melhor funcionamento da próstata, além de eliminar mais resíduos no sêmen, o que pode ter impacto sobre os riscos deste tipo de câncer.

6. Menos dor

Várias pesquisas mostram que o sexo ajuda a aliviar dores na coluna, além de melhorar enxaquecas.

7. Corpo mais magro

Um estudo feito na Alemanha descobriu que adultos que fazem sexo mais freqüentemente tendem a ser mais magros. O sexo queima cerca de 60 calorias, o que soma aproximadamente 700 calorias durante um mês inteiro de sexo três vezes por semana. Que tal adicionar isso à sua rotina de exercícios?

8. Melhores níveis de testosterona

Um grupo de homens recebendo tratamento para disfunção erétil tiveram melhoras nos níveis de testosterona quando passaram a fazer sexo mais freqüentemente. Aqueles que tiveram uma atividade sexual oito vezes por mês tiveram um aumento maior do hormônio do que aqueles que tiveram uma freqüência sexual menor.

9. Diminuição dos sintomas da menopausa

Mulheres nigerianas que estavam entrando na menopausa sentiram menos ondas de calor quando faziam sexo mais freqüentemente. De acordo com Brody, isso acontece porque o sexo ajuda a regular os níveis hormonais do corpo, o que pode ajudar a amenizar os efeitos da menopausa nas mulheres.

10. Sêmen mais saudável

Três estudos mostram que homens que fazem sexo regularmente têm um maior volume de sêmen, uma maior contagem de espermatozóides e um esperma mais saudável.

[Fonte: CNN]

Autor: Cezar Ribas

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

66 Comentários

Envie um comentário

Leia o post anterior:
comer demais-g
Os mistérios da alimentação: por que comemos demais?

Pesquisadores afirma...

Fechar