5 formas bizarras de ficar bêbado que não deveriam funcionar (mas funcionam)

Publicado em 16.03.2016

Às vezes parece que o nosso corpo está contra nós no quesito bebida. Ele pode nos enganar para que pensemos que estamos mais embriagados do que estamos e até produzir o próprio álcool. Veja cinco situações em que isso acontece:

5. Seu corpo produz o próprio álcool

bebado 5
No último Ano Novo uma motorista de Hamburg, Nova York, foi parada em uma blitz e por causa de seus olhos vermelhos e fala enrolada precisou fazer o teste do bafômetro. O número que apareceu na maquininha era quatro vezes maior que o limite para dirigir no estado americano. Ela ficou muito confusa, por um simples motivo: ela não havia bebido naquele dia.

Levada para o hospital pelos policiais, ela foi examinada por médicos, que a diagnosticaram com uma doença chamada de síndrome de fermentação intestinal. Esse problema é raro, e acontece quando há presença excessiva do fungo Saccharomyces cerevisiae, que transforma açúcares em álcool no intestino.

Esse fungo transforma todo açúcar ingerido em etanol. O tratamento é feito com remédios que combatem fungos e uma dieta que restringe a ingestão de açúcares e carboidratos.

Para quem está pensando que esta é uma ótima forma de economizar dinheiro nas bebidas alcoólicas, é melhor pensar de novo: quem tem essa síndrome sente os incômodos da ressaca o tempo todo, assim como tontura e fadiga.

4. Se o álcool estiver “disfarçado”, como na gelatina, você pode ficar mais bêbado

bebado 4
Você já reparou que quando ingere gelatina atômica (com vodca), parece que fica bêbado mais rápido? De acordo com uma pesquisa, seu cérebro pode te deixar mais embriagado quando é pego de surpresa pelo álcool.

Esse fenômeno é chamado de tolerância específica situacional, e sua explicação é simples: quando você está em um bar, vendo pessoas consumirem cerveja e sentindo o cheiro de bebidas alcoólicas, seu cérebro se prepara para a ingestão do álcool, pois ele já está condicionado ao ambiente.

Quando você pega o seu cérebro de surpresa, porém, você fica menos tolerante aos efeitos do álcool. Comer gelatina atômica em uma festinha na casa de um amigo, por exemplo, te deixa mais intolerante.

3. Beber com colegas de trabalho te deixa mais bêbado

bebado 3

Você pode pensar que fica mais embriagado quando vai naquele happy hour da empresa porque bebeu mais, mas repare se este realmente é o caso. Apenas três cervejas com os colegas podem fazer o serviço de oito ingeridas quando está com os amigos que não são do trabalho ou com a família.

Isso acontece porque seu cérebro fica muito confuso com a situação. Ele está acostumado a se comportar de uma forma quando está em um ambiente de trabalho, e quando você começa a beber, ele tenta analisar as dicas sociais que te indicariam como se comportar naquela situação, e começa a ter as seguintes dúvidas: “Eu estou em um lugar em que deveria estar bebendo?”, “Eu deveria estar bebendo com essas pessoas?”.

2. Ficar bêbado ao colocar os pés em uma bacia de vodca

bebado 2
Isso na verdade é um mito. Uma pesquisa mostrou que colocar os pés em uma bacia com vodca não altera o nível de álcool no sangue. Mesmo assim, os participantes deste estudo ficaram mais tagarelas e autoconfiantes com o passar do tempo, como se realmente estivessem ficando bêbados.

O que aconteceu foi que o cérebro produziu este estado apenas porque os participantes quiseram. Lembre-se disso quando sair com os amigos e não quiser gastar muito com bebidas. O poder está todo na sua mente.

1. Você pode ficar bêbado com água

young woman with glass of mineral water
Assim como o estudo anterior, neste os participantes também ficaram embriagados sem ingerir uma gota de álcool. Em 2015, os pesquisadores de Nova Zelândia que queriam saber mais sobre o efeito do álcool na memória espalharam rumores de que iriam conduzir um experimento relacionado com bebidas alcoólicas.

Em seguida, convidaram voluntários a participar. Quando uma horda de estudantes alegres apareceu para o estudo, dois grupos foram formados: um que receberia tônica com vodca, e outro que receberia apenas tônica e suco de limão. A pegadinha aconteceu quando o grupo que teoricamente tinha recebido um drink alcoólico na verdade ganhou apenas a tônica com limão.

Os voluntários desse grupo, porém, exibiram os mesmos comportamentos que uma pessoa embriagada mostraria. Até a formação de memória ficou alterada, com relatos de períodos inteiros que não foram registrados. [Latinos Health, Cracked, Psychology Today]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Juliana Blume

É jornalista porque quer saber de tudo um pouco e adora dividir o que descobriu com os outros. É boa em contar histórias mirabolantes para os amigos, mas não consegue contar piadas porque cai no riso antes de terminar.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

Envie um comentário