A física não é nada para estas 5 substâncias

Essas substâncias, criadas por seres humanos, parecem feitiçaria, mas são apenas fascinantes exemplos de física e química (o que é exatamente o que uma bruxa diria sobre uma criação sua, mas tudo bem). Confira:

5. Gotas de vidro mais fortes do que o aço… até que explodem


Se você pegar um copo e manter uma chama sobre ele, o vidro vai derreter. Deixei um pouco desse material cair em um copo de água, ele vai esfriar e se solidificar instantaneamente, formando uma gota de vidro em formato de lágrima. Essa gota, a parte grossa do vidro, é uma das substâncias mais fortes conhecidas pelo homem. Você pode martelá-la repetidamente, e ela permanecerá lá, inteira, silenciosamente zombando de você:

Então, por que nossas casas e tudo o mais não são feitos dessa substância incrível? Porque ela tem uma grande fraqueza: sua cauda. Se você tocar a parte mais fina da gota, mesmo que seja com seus dedos, ela simplesmente explodirá.

A “gota do príncipe Rupert” ou “lágrima holandesa” possui uma força explosiva reprimida, devido ao processo de resfriamento. O vidro fundido encolhe quando esfria, mas quando mergulhado em água, a camada externa solidifica primeiro. O núcleo interno então tenta encolher, mas não consegue. Logo, fica bloqueado em um estado perpétuo de tensão. Você não pode quebrar a parte mais “gorda” da gota porque está apenas aplicando força na direção em que ela já está “empurrando”.

Aplicar força em seu ponto fraco, entretanto, vai desencadear uma reação em cadeia que fará com que ela se vaporize em uma fração de segundo, liberando instantaneamente todas as forças que foram reprimidas desde a sua criação. E você vai precisar de proteção para os olhos:

4. A substância mais escura que existe


Em 2014, os cientistas criaram a coisa mais negra conhecida pela humanidade. É tão preta que olhar para uma foto dela lhe dá apenas um pequeno gosto de sua escuridão – é preciso vê-la pessoalmente para obter o efeito total, porque as telas não tem como transmitir um pretume deste nível.

Vantablack é um material tão escuro que, se você brilhar uma luz sobre ele, vai apenas engoli-la:

Fabricada a partir de nanotubos de carbono, a substância tem uma absorção de luz de 0,035%, o que significa que tudo o que você revestir com esse material vai parecer uma silhueta que você cortou no Photoshop. É tão preto que os seus contornos são totalmente invisíveis:

A Surrey NanoSystems na Inglaterra, que criou essa tecnologia, explica que a escuridão do material não é sua característica mais importante (você não pode fazer um traje ninja com ele, por exemplo, porque o material é tão preto que se destaca das sombras). O que é realmente interessante é que é dez vezes mais forte do que o aço e um melhor absorvente de calor do que qualquer outro material conhecido.

3. Metal hidrofóbico


Substâncias hidrofóbicas são materiais que não se molham. Você pode jogar um balde de água sobre eles e tudo vai simplesmente saltar como bolas de gude no chão. Tais substâncias geralmente assumem a forma de pulverizadores usados para tratar tecidos, mas o problema é que tendem a desaparecer pouco depois de sua aplicação, tornando-os úteis para vídeos legais no YouTube, e basicamente nada mais.

Até que os cientistas da Universidade de Rochester criaram isso:

Esse metal é superhidrofóbico, o que significa que repele gotas de água e nunca se desgasta. Eles chegaram a esse resultado usando lasers com poder para cortar pequenos sulcos na superfície do metal em um padrão particular, conhecido apenas pelos feiticeiros da ciência. Eles nem precisaram descobrir essa feitiçaria por tentativa e erro – basicamente copiaram as folhas das plantas de lótus, que têm as mesmas propriedades.

Há muitas aplicações diárias para esse material, como um para-brisas que não se abala com a chuva. Ou um banheiro hidrófobo no qual seus resíduos mais líquidos (não estamos falando apenas de xixi, mas daqueles momentos de diarreia que ninguém gosta de mencionar) apenas saltariam sem deixar marcas de arrependimento. Não estamos sendo nojentos de propósito – foram os pesquisadores que mencionaram esse uso para o material. Um vaso sanitário com essas propriedades precisaria de pouca ou nenhuma água, o que é bom para o meio ambiente. Eita ciência!

2. Hidrogel superforte e superfino


Os hidrogéis de polímeros são substâncias principalmente compostas de água (até 90%), mas com borracha suficiente para torná-las elásticas.

Esses materiais são bons, mas não muito bem cotados no departamento de resistência ao estresse – a menos que você esteja falando do hidrogel superforte inventado por Zhigang Suo e seus colegas da Universidade de Harvard, nos EUA.

O que você está vendo acima é uma grande e sólida bola de metal balançando no que é praticamente uma bolha de sabão.

De acordo com os engenheiros químicos que sintetizaram a substância, ela é o resultado de uma combinação específica de poliacrilamida e alginato, que são duas palavras que não fazem sentido para mim. Você pode esticar até 20 vezes seu comprimento original sem quebrá-la. Apesar de ser tão fina que é quase invisível, é tão resistente que você não pode rasgá-la com as mãos.

Os cientistas admitem que os hidrogéis “têm poucas aplicações práticas no momento”, mas eles preveem que esse material possa ser usado em isolamento acústico, em telas de TVs e smartphones, ou para fazer aparelhos estéreos bizarros.

1. Vidro à prova de bala só por fora


O vidro à prova de balas regular é fabricado a partir de vidro normal com uma camada termoplástica de policarbonato. Logo, ainda que seja alvejado, ele permanece intacto e não deixa a bala acertar quem está dentro do veículo.

O alvo fica seguro dentro do carro, mas se for do tipo proativo e quiser atirar de volta, ele não pode.

Ou não podia. Uma empresa de segurança chamada Armor Group inventou o RhinoGLASS, um tipo de vidro que bloqueia balas do lado de fora, mas permite que balas disparadas de dentro passem mais ou menos sem resistência pelo vidro.

Basicamente, por fora, ele é revestido de uma camada rígida de termoplástico. Uma bala disparada do exterior atinge essa camada rígida primeiro, e uma camada macia atua como amortecedora. A bala se fratura e retarda, ou para completamente. Mas se você atirar de dentro, a bala atravessa primeiro a seção mais macia, perfurando-a, e depois acerta a camada rígida que não tem nada a reforçando do outro lado, de forma que a bala pode passar por ela.

Desde que não seja atingido exatamente no mesmo ponto repetidamente, o vidro pode ser usado mais de uma vez e ainda funcionar. Por algum tempo, de qualquer forma. [Cracked]

Por: Marcelo RibeiroEm: 14.06.2017 | Em Mistérios, Super listas  | Tags: ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (8 votos, média: 4,88 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta