A incrível história das gêmeas siamesas que podem dividir pensamentos

Publicado em 7.11.2010

Os nomes destas meninas de olhos azuis são Tatiana e Krista Hogan e, atualmente, elas representam um grande mistério da medicina.

Primeiro, como você pode ver, elas são gêmeas siamesas e nasceram com as cabeças “grudadas”. As suas chances de sobreviver à gravidez eram muito próximas a zero e, recentemente, elas completaram seus quatro anos de idade. Mas, mais incrível que isso, é que as duas apresentam personalidades distintas, mas a parte sensorial de seus cérebros está ligada, fazendo com que, apesar de serem duas pessoas com pensamentos e desejos próprios, elas sejam capazes de “sentir” o pensamento da irmã.

Elas são como duas crianças normais – jogam videogame, brigam por brinquedos e por doces. Mas elas dividem os pensamentos e os sentidos. Por exemplo, quando uma delas pega um brinquedo, mesmo que a outra não esteja olhando para o brinquedo, ela sabe qual foi o brinquedo escolhido pela irmã.

Segundo a avó, se uma das gêmeas tem um pensamento que irrita a outra, elas começam a se estapear, mesmo que nada tenha sido dito em voz alta.

Pesquisadores já testaram a capacidade cognitiva das gêmeas e descobriram que elas realmente dividem pensamentos e os sentidos.

Como elas ainda não desenvolveram completamente a sua habilidade verbal, não é possível compreender exatamente como elas se sentem. Apesar de todas as complicações, a mãe das meninas diz estar feliz por tê-las e que há algum motivo “maior” para elas terem nascido dessa forma. [Gizmodo]

ATUALIZAÇÃO (em inglês):

Autor: Luciana Galastri

é jornalista. Viciada em livros, lê desde publicações sobre física a romances de menininha do estilo "Crepúsculo". Toca piano desde os oito anos de idade e seu estilo de música preferido é o metal.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

55 Comentários

  1. Ter dois cérebros compartilhando informações diretamente… UAU!
    Vocês tem noção do que pode acontecer? Vai ser incrível acompanhar a vida dessas meninas.

    Do nada as duas começam a se estapear… porque brigaram pelo pensamento.ahuhua muito interessante.
    Agora só não aceito que sintam pena delas. Elas foram privilegiadas isso sim.

    Thumb up 30
    • Não sei se fico mais triste pelo comentário, ou pelos 13 likes. Não há privilégio nenhum em nascer com um defeito congênito grave, que gera todo tipo de dificuldade não só pra essas meninas, mas também para os seus familiares.

      Esse é o tipo de comentário estúpido que só pode ter surgido de uma mente anestesiada por religião.

      Thumb up 46
    • ô meu querido, você deve ser o tipo que só vê o lado ruim das coisas.
      O Stephen Hawking tem a suas deformidades e nem por isso deixa de ser incrível seu bestão.
      Admiro um cara que gosta de ciência dizer que não há privilégio.

      Preconceito é coisa de gente ignorante, já chega né… eu não fico insultando ateus, então, exijo RESPEITO.

      Thumb up 10
    • E tem outra, você é um cara cheio de preconceitos, incluindo as gêmeas. Porque julga ser uma coisa de extrema dificuldade…se fossem minhas filhas iria amar como amaria uma criança normal, já você…

      E então a gente volta para aquela questão, que o Brasil não segue, por causa de pessoas como você, que não aceitam as diferenças.

      Thumb up 14
    • Pedro, descordo de sua posição. Primeiramente o que pude entender do comentário da Mariana é que ela não se refere ao privilégio de uma má formação congênita, mas ao privilégio de sobreviverem e viverem a uma situação na qual em muitos casos o destino é a morte ou uma grande tristeza.
      No entanto, mente anestesiada por religião pega pesado, embora exista casos, mas só quando as pessoas se apegam demais a dogmas e preceitos e desprezam tudo que não seguir a linha do seu pensamento religioso, especificamente a ciência, e esse não parece ser o caso.

      Thumb up 32
    • Talvez não o fez ainda por alguma possível complicação médica de uma das duas ou até ambas!

      Thumb up 15
    • É, isso mesmo, vamos cortar o cérebro no meio, bem simples.

      Thumb up 12
  2. nossa tuso na nossa vida tem uma rasao entao ouve uma rasao para ela nacerem assim elas seram separadas se deus permitir se ele quiser mas eu to pensando como e que elas vao a escola com e que elas vao se divertir
    tipo uma situaçao elas cresem e vao namorar
    ex o namorado de uma delas quer levar ela para um lugar e o namo da outra que ir prar outo lugar o que vcs acham ?
    mas deus nao fez isso por acaso tudo tem m motivo

    Thumb up 2
    • Na vida só não tem uma razão pra você escrever rasao.

      E você iria se surpreender com o poder de compreensão das dificuldades dos outros quando uma pessoa ama outra. Eu aposto que se essas meninas um dia encontrarem dois homens (ou mulheres) que as realmente ame, nenhuma dificuldade será empecilho para o relacionamento delas.

      Thumb up 1
  3. uau……….estou impressionada com a história dessas meninas imagina se uma pensar mal da outra vai haver muitas brigas elas poderão saber do que a outra tem medo do que gosta ou não gosta………impressionante…………

    Thumb up 14
  4. ***sweetgirl***
    Uma separação de gemêos siameses é muito perigosa pelo fato que que muitas vezes eles estão ligados por algum orgão tbm, no caso das dua pelo cerebro então creio eu que seja umpossivel a separação das duas…

    Thumb up 16
  5. Que coisa! eu sempre achei que os gêmeos xifópagos eram separados ao nascer por uma cirurgia! por que não fizeram com essas meninas?????
    eu sei que o risco é grande, mas viver desse jeito deve ser horrível!!!!!
    e ainda por cima não tem nem privacidade de pensamento!!!!

    Thumb up 11
    • não tem privacidade de pensamento pois elas tem parte do cérebro compartilhado, por isso a separação delas é impossível ou muito arriscada, que deixaria sequelas irreversíveis ou a morte a uma ou ambas… vc arriscaria se fossem suas filhas???

      Thumb up 8

Envie um comentário

Leia o post anterior:
cancercell
Cientistas descobrem uma célula do corpo que “ajuda” o câncer

Pesquisadores conseg...

Fechar