A incrível história de Nek Chand e seu Jardim da Rocha

Eis uma história incrível (e uma atração imperdível) que você pode ainda não conhecer: a do Jardim da Rocha de Chandigarh, Índia. O Jardim da Rocha é um parque de 40 hectares repleto de praças, cachoeiras e milhares de peças únicas feitas de materiais reciclados.

É uma visão realmente impressionante. Quem criou tudo isso – durante quatro décadas e mais anos em segredo – foi Nek Chand.

Em 1958, Nek Chand era inspetor rodoviário do Departamento de Obras Públicas, e estava fazendo jangadas e barcos a vela para navegação no recém-criado lago Sukhna. Porém, as autoridades logo colocaram barcos disponíveis para aluguel no local, e seu talento foi proibido.

Assim, Nek pode dedicar mais tempo de sua vida à sua paixão por rochas e pedras, e começou a juntá-las próximo a colina Shivalik e os rios Cho Sukhna, Rao Patiala e Ghaggar.

Na mesma época, o arquiteto suíço Le Corbusier foi convidado para projetar a cidade de Chandigarh, a primeira cidade planejada da Índia, e as pequenas aldeias em torno da área foram demolidas. Isso proporcionou a Nek Chand uma abundância de material que aumentou sua coleção de rochas.

Em 1965, depois de reunir uma impressionante coleção de resíduos das aldeias destruídas, Nek Chand começou a sonhar com uma criação própria. Ele havia criado uma cidade utópica de Chandigarh, e logo se perguntou se não poderia criar um mundo próprio.

Encontrou um desfiladeiro isolado, na floresta próxima à cidade, e decidiu que ali construiria seu reino mágico. No final de cada dia, Nek tinha medo que esse sonho lhe custasse o emprego, já que era um projeto ilegal.

Mas isso não o impediu de expandir o Jardim da Rocha. Fragmentos de vasos e garrafas quebrados e pedaços de tijolos e pedras naturais foram os principais ingredientes usados para criar esse mundo único, habitado por criaturas maravilhosas.

Eventualmente, Nek criou coragem para visitar M. N. Sharma, o arquiteto-chefe de Chandigarh. Não sem relutar, o arquiteto concordou em dar uma olhada no projeto de Nek. O correto para a situação seria demolir o parque, mas Sharma disse mais tarde que a admiração por aquele trabalho incrível e seu potencial criativo foi muito mais forte do que seu dever como arquiteto-chefe.

Sharma aconselhou Nek a continuar seu trabalho em segredo, até que ele pudesse convencer o mundo de que, apesar de ilegal e não autorizado, o Jardim da Rocha era uma obra que deveria ser preservada.

Demorou um ano para Sharma convencer as autoridades indianas, mas seus esforços foram recompensados. O Jardim ganhou o reconhecimento que merecia. Nek Chand recebeu autorização para ampliar seu projeto em mais 25 hectares, e o parque foi aberto ao público em 1976.

Nek trabalhou sob ameaça de prisão e demolição por 18 anos. A reciclagem era parte importante do projeto, e se tornou ainda mais depois que ele foi finalmente autorizado. Nek recolheu resíduos em hospitais, hotéis, restaurantes e continuou trabalhando no parque até poucos anos atrás.

Hoje, cerca de 5.000 pessoas de todos os cantos visitam o local a cada dia. Praticamente ele deixou de ser uma fantasia, um segredo não autorizado, para se tornar a segunda principal atração turística da Índia, depois do Taj Mahal. Se Nek acha que valeu a pena? Com certeza.

[OddityCentral]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

32 respostas para “A incrível história de Nek Chand e seu Jardim da Rocha”

  1. É incrível a persistência e o talento desse artista. Quando você acredita no seu sonho e o coloca em prática, inevitavelmente será uma realidade.

  2. Grandioso!

    Apesar dos “contra”, já é uma obra consagrada e eterna.

    Lembra a perseverança de Neemias e seus soldados na reconstrução dos muros derrubados de Jerusalém: com um braço jogavam reboco, argila e recolocavam os portais; e com o outro braço empunhavam a espada para afastar os guerreiros do “contra”!

  3. Como escreveu um amigo meu,e autor desta frase. Nem todos trilham o caminho da Arte, mas a Arte pode mudar o caminho de todos! frase de “Mario Marinho” Pois é isso ai, antes tarde do que nunca! é um espetáculo, o cara deixou para sempre escrito, a historia da Arte em sua vida , é exemplo do que se pode ser feito com criatividade,imaginação e perseverança, ele é uma figura importante pelos seus feitos e jamais será esquecido.
    Maravilhoso!

  4. Fantástico.

    O Hipescience sempre nos apresenta fotos maravilhosas.

    Se você gosta de apreciar detalhes em zoom, visite o site:
    http://magnifier.sourceforge.net/
    e baixe o software livre “Virtual Magnifying Glass”.
    Uma lupa configurável que pode abranger toda a tela do PC. Girando o mouse, você aumenta ou diminui o zoom.
    Assim, poderá curtir detalhes preciosos das belíssimas fotos aqui apresentadas (e de qualquer imagem do PC, da Net ou textos).
    Vale a pena têlo no computador.
    O programa é totalmente free e pesa apenas 2.5 mb.
    Depois, diga o que achou.

  5. O cara num tinha o que fazer mesmo ein… ¬¬ brincadeira pessoal, realmente impressionante a gente poder ver um sonho de uma pessoa se transformar em realidade e consequentemente incluir outras pessoas nele.

  6. Desperdício de pedra, concreto, cola, destruição da natureza e perpetuação ao culto do lixo. A única coisa que teve alguma sutileza estética, porém inútil, foram os ‘Quase mosaicos’ das paredes.

  7. Deus meu é um trabalho gigantesco!!! De uma força criativa impressionante! Será que ele teve ajuda? Fisicamente falando um trabalho como esse se assemelha aos 12 trabalhos Hércules.
    Parece impossivel ter sido feito por um só homem… mesmo que ele levasse 40 anos para realizar a obra.

  8. EXPETACULAR,MAGNIFICO,e mais, muito criativo alem das pedras ,o que o povao deixava por lá reciclava com a maior criatividade e ainda assim o fazia as escondidas mundo esquizito esse.
    portinari? ou outro GRANNNNNDE que sao nos dias de hoje cultuados como os melhores? esse senhor nao deixa nada absolutamente nada a dever perante ao grandes escultores e pintores.Belo mesmo muiito belo…Delicado,e perfeito.

Deixe uma resposta