Arco-íris quaternário é fotografado pela primeira vez

Publicado em 6.12.2011

Esqueça o duplo arco-íris. Este ano, o arco-íris quádruplo é a última moda. A fotografia mostra a primeira evidência de um arco-íris de quarta ordem.

O espetáculo na imagem se parece com um duplo arco-íris, porque ele mostra apenas o de terceira ordem (a esquerda), acompanhado do quaternário (a direita). Eles só podem se formar no mesmo lado do céu que o sol, ao contrário do arco-íris primário e secundário. Por isso, os arco-íris de primeira e de segunda ordem não aparecem na foto.

Algumas pessoas já afirmaram ter visto até três arco-íris no céu de uma vez. Mas os relatórios científicos desse fenômeno eram tão raros – apenas cinco foram registrados em 250 anos – que até agora muitos cientistas acreditavam que eles eram tão reais quanto um pote de ouro no final do arco-íris.

Estas lendárias raridades ópticas, causada por três reflexões de cada raio de luz dentro de uma gota de chuva, foram finalmente confirmadas, graças à perseverança fotográfica e um modelo meteorológico novo que fornece os fundamentos científicos para encontrá-los.

Embora incrivelmente raros, os arco-íris terciários e quaternários são produtos naturais da combinação de dispersão, refração e reflexão dentro de gotas de chuva. Estes são os mesmos processos que criam todos os arco-íris, mas eles são levados a seus extremos para produzir estas variantes. Refração é quando a luz solar “dobra” por mudar de meio, passando, por exemplo, do ar para a água e vice-versa. As gotas de água refratam cada uma das cores da luz solar em um ângulo ligeiramente diferente. Isso é chamado de dispersão, que separa as cores para criar um arco-íris.

A maioria dessas luzes multicoloridas atravessa a gota de chuva, mas algumas se refletem. As curvas esféricas de um pingo concentram as reflexões a 138 graus do sol. Essa luz concentrada é brilhante o suficiente para criar um visível arco-íris primário.

Um duplo arco-íris ocorre porque nem toda a luz sai da gota de chuva. Parte é refletida de volta para o pingo de chuva e passa por todo o processo novamente. Embora esta luz seja mais fraca, por vezes, é também brilhante o suficiente para produzir um arco-íris secundário, do lado de fora do primeiro.

A terceira série de reflexões cria um arco-íris terciário. É ainda mais apagado do que o arco-íris secundário e muito mais difícil de encontrar, porque ao invés de formar longe do sol, um arco-íris terciário aparece em torno do sol. Para vê-lo, os observadores têm de olhar para todo o brilho emanado dele.

Pode ser por isso que apenas cinco observadores cientificamente informados haviam descrito o arco-íris terciário durante os últimos 250 anos.

Raymond Lee foi atrás das cinco descrições e encontrou elementos comuns. Todos os arco-íris descritos como terciários apareceram por alguns segundos, contra um fundo de nuvens escuras a cerca de 40 graus de um sol intensamente brilhante.

O pesquisador utilizou um modelo matemático para prever o que pode produzir condições para ver os terciários. Primeiro, eles precisavam de nuvens escuras e também de uma chuva pesada ou com gotas de tamanho quase uniforme. Sob essas condições, se o sol romper as nuvens, ele pode projetar um arco-íris terciário.

Quando Lee apresentou suas descobertas, provocou uma discussão acalorada. Alguns cientistas insistiram que as descrições do passado estavam erradas e que os terciários são muito fracos para serem vistos no brilho do sol.

Desde então, Michael Grossman e Michael Theusner têm tirado fotos de arco-íris terciários e uma foto de um arco-íris quaternário. Ambas as imagens sofreram apenas um mínimo de processamento de imagem para melhorar o contraste sob estas condições desafiadoras.

No dia que Grossman fotografou o arco-íris terciário, ele primeiro lembra de ter visto um arco-íris secundário. Quando a chuva se intensificou, ele sabia que tinha que virar para o sol.

A olho nu é muito difícil de dizer que é visível. Mas a caça ao tesouro, com uma máquina fotográfica, valeu a pena. [LiveScience]

Autor: Patricia Herman

é aspirante a jornalista, tem 21 anos e adora ler, principalmente poemas e a filosofia alemã do século XIX. Tem um único grande vício: música.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

29 Comentários

  1. tá parecendo mais q houve borrifação de produto químico. aterrorizante. se tem um sol vamos dizer q até arco iris duplo é possível em se refletindo luz em algum contraponto. mas arco iris quadruplo em um descampado?

    Thumb up 0
  2. Caramba!!!! Eu sempre disse que aquele monte de arco-iris encavalado que vi no céu lá de Goiás em 2008 era uma coisa absurda, mas ninguém dava atenção.

    Bom, agora eu sei que vi algo singular… Que bom!
    Espero que tenha algum significado simbolico além de simplesmente uma curiosidade cientifica.

    Thumb up 3
    • e, pelo amor de deus, estou falando de “simbolismo” e não de religião, tá?! Antes que isso vire polemica.

      Thumb up 0
  3. Ja cheguei a ver esse terciario.. Mas não sabia q eram tão hard assim… Pena q eu estava sem camera… Senão eu fotografaria… Eh mt foda… E ja cheguei a ver umas 3 vezes… Em pirenópolis-GO… E como disseram ai, eu me lembrei… Foi justamente com nuvens muito escuras atraz q eu vi…

    Thumb up 1
    • Cara!!! Eu tb estava em Goiás quando vi. Estava em Goiás Velho pra ser mais precisa…

      Não me lembro de ter visto algo assim em Sampa.

      Thumb up 1
  4. E já agora, para as pessoas que ignoram uma coisa tão simples como a formação de um arco-íris, a formação deste tem a ver com a reflexão da luz sobre as gotas de água, formando deste modo os espectros de cor visível. É apenas uma explicação simplista para o entendimento das mentes mais débeis, o resto estudem que aprendem.
    Esse espectro também tem a designação técnica de Riscas de Fraunhofer.
    Vitor Rafael Sousa (Arqueólogo)

    Thumb up 0
  5. Respeitem as crenças e a ciência.
    Cada um escolhe a crença que lhe faz bem e lhe traga paz, a ciência devemos respeitá-la e o mais importante estudá-la ao invés de ficar trocando picuinhas nos comentários.

    Thumb up 1
    • Olá Suzy
      Este blog é de ciência e não de religião. Como cientista eu não entro em blogues religiosos tentando subverter a mente dos crentes (ou dos crédulos, dependendo do grau de dependência). Não é uma questão “picuinhas”, como voce falou, mas sim uma questão de respeito, em ciência discute-se ciência. A religião discute-se nos blogues e nos locais próprios. Já basta os anos de mau ensino e obscurantismo que o Brasil sofreu e a quantidade de milhares de pessoas não informadas para que num blogue de informação científica venham fanáticos religiosos tentando subverter pessoas que querem aprender ciência. Aprenda também.

      Thumb up 5
  6. Para a Rachel que publicou uma história tão fantasiosa como a de Noé num blog científico. O dilúvio “universal” nunca existiu, tanto a Arqueologia como a Geologia já o comprovaram e se vc quiser saber qual a origem dessa linda história por favor veja a Epopeia de Gilgamesh. Ela é uma lenda da Suméria, muito anterior à chamada “época dos patriarcas búblicos” (ou seja lá o que isso fôr) e estava escrita em tabuinhas cuneiformes.
    Antes de fantasiar por favor se informe. Ciência é um assunto sério.
    Vitor Rafael Sousa (Arqueólogo)

    Thumb up 1
    • Onde se lê búblico por favor se leia bíblico. Obrigado.

      Thumb up 0
    • Prezado Vitor.
      Você já me é simpático por ter o nome de um dos meus filhos: Víctor. Admiro seus estudos, sua formação. E os esclarecimentos científicos. Sou graduada e exerço minha profissão há mais de 27 anos. Respeito a ciência e os estudiosos. E tanto, que me cadastrei nesse site. Quanto ao aspecto religioso, vai mais além a questão: não se trata de religião,mas de simples constatação.Tudo na vida é questão de opções. Fui criada com as bases cristãs. Porém, qdo jovem, me afastei da ‘religião de meus pais’.Muito estudei. Sou estudiosa e pesquisadora até hoje. E, foi exatamente do saber que,já adulta, compreendi que Deus criou todas as coisas, de uma forma precisa, exata e magnífica. Os homens estudam Deus colocou a infinitude no conhecimento “para que não viessem a conhecer toda a sabedoria que só pertence a Ele’, diz a sua Palavra inspirada. Destacável tb, que a ‘fé não seria propriedade de todos’. Tampouco, obrigatória.

      Thumb up 2
  7. CESAR.e A QUEM INTERESSAR-SE.
    A origem do arco-iris, do ponto de vista bíblico é a seguinte:

    GÊNESIS CAPÍTULO 9, VERSÍCULO 13 (9:13)
    APÓS O DILÚVIO, JEOVÁ DEUS FEZ UM PACTO COM A HUMANIDADE POR TEMPO INDEFINIDO:
    8 E Deus prosseguiu, dizendo a Noé e aos seus filhos com ele: 9 “E quanto a mim, eis que estabeleço o meu pacto convosco e com a vossa descendência depois de vós, 10 e com toda alma vivente que está convosco, dentre as aves, dentre os animais e dentre todas as criaturas viventes da terra convosco, de todos os que saem da arca até toda criatura vivente da terra. 11 Sim, deveras estabeleço o meu pacto convosco: Não mais será toda a carne decepada pelas águas dum dilúvio e não mais virá a haver dilúvio para arruinar a terra.” 12 E Deus acrescentou: “Este é o sinal do pacto que dou entre mim e vós, e toda alma vivente que está convosco, para as gerações por tempo indefinido. 13 Dou deveras o meu arco-íris na nuvem, e ele terá de servir de sinal do pacto entre mim e a terra. 14 E acontecerá que, quando eu trouxer uma nuvem sobre a terra, então é que aparecerá o arco-íris na nuvem. 15 E hei de lembrar-me do meu pacto entre mim e vós, e toda alma vivente dentre toda a carne; e as águas não se tornarão mais um dilúvio para arruinar toda a carne. 16 E terá de vir a haver o arco-íris na nuvem, e eu certamente o verei para me lembrar do pacto por tempo indefinido entre Deus e toda alma vivente dentre toda a carne que há na terra.”

    DEUS NOS PRESENTEOU COM O ARCO-IRIS. O MAIS BONITO É QUE, QUANDO O ARCO-ÍRIS APARECE, JEOVÁ DEUS ‘LEMBRA’ DO PACTO DE NÃO DESTRUIR GLOBALMENTE A TERRA COM DILÚVIO. POR QUE FEZ ISSO NAQUELA ÉPOCA? PORQUE OS HOMENS (A HUMANIDADE DA ÉPOCA) ERAM VIOLENTOS, SOBERBOS, CRUÉIS E BLASFEMADORES. E RIAM-SE DAS COISAS DE DEUS.

    CRISTO QUANDO ESTEVE NA TERRA LEMBROU QUE NA SEGUNDA VINDA DELE A HUMANIDADE ESTARIA FAZENDO AS MESMAS COISAS (LER, SE TIVER INTERESSE, LUCAS 17:26 ATÉ 30 e a primeira carta de PEDRO 3:20.

    17 E Deus repetiu a Noé: “Este é o sinal do pacto que deveras estabeleço entre mim e toda a carne que há na terra.”

    CENTENAS DE ANOS DEPOIS, DOIS ESCRITORES DA BÍBLIA,APÓSTOLOS DE CRISTO,SALIENTARAM SOB INSPIRAÇÃO DO ESPÍRITO SANTO: APOCALIPSE 4:3 – DEUS SENTADO NO SEU TRONO
    2 Depois destas coisas vim a estar imediatamente no [poder do] espírito: e eis que havia um trono na sua posição no céu, e havia alguém sentado no trono. 3 E o sentado é, em aparência, semelhante à pedra de jaspe e a uma pedra preciosa de cor vermelha, e ao redor do trono [há] um arco-íris, em aparência semelhante à esmeralda.
    APOCALIPSE 10:1

    Thumb up 3
    • Pobreza de espírito e falta de conhecimentos num blogue científico, tentando subverter as pessoas que querem aprender ciência. Infelizmente, como cientista, tenho de lidar muitas vezes com estas “jumentices” (desculpem a expressão).
      Como já falei anteriormente, eu não entro em bloques religiosos tentando “desconverter” os crédulos, seria falta de respeito. Como tal, por favor respeitem a ciência.

      Thumb up 2
    • Pobreza de espírito? Falta de conhecimento? Como assim, se a Bíblia é utilizada por CIENTISTAS SÉRIOS como referência em descobertas arqueológicas e históricas? Como pode ser ‘pobreza de espírito’ difundir ensinamentos de conteúdo inclusive espiritualizado? Se a própria ciência utiliza como referência, então a ciência também aprende com a Bíblia!
      Com qual respeito devemos tratar a ciência? Com o medo aterrorizante das vítimas de bombas atômicas? Com admiração do poderio de armas químicas e biológicas a nos atacar?
      Ao invés de reclamações e palavras baixas, como voce nos brindou a todos aqui a ler, gostaria de propor as mentes interessadas em ciência e baseado na postagem da colega: ‘se’ somos apenas um ‘pedaço de carne’, oq seria a alma, cientificamente?

      Thumb up 2
  8. O autor da foto deveria ter feito uma panorâmica de pelo menos 180º, aí apareceriam os quatro arco-íris na mesma foto…

    Thumb up 9
  9. sobre este fato sobrenatual do arco-iris vem de muita decada
    quando DEUS fez uma aliança com Nóe quando ele disse que não iria mais destruir á terra com o diluvio então fez uma aliança com o homem mostrando no céu este maravilhoso arco-iris de cores para o homem se-lembra da aliança que ele fez.

    para sua reflexeção amigo

    Thumb up 9
    • Qual é a necessidade de se abordar esse assunto em um site científico?Respeito a sua crença mas seu comentário não contribuiu de forma alguma.

      Thumb up 18
    • Não respeito as crenças, respeito as pessoas, mas apenas quando elas me respeitam. O Rui obviamente não respeita sequer o bom-senso vindo comentar uma bobagem destas aqui.

      Thumb up 6
    • Arco-íris não tem nada de sobrenatural. É um fenômeno óptico. E arco-íris existem desde antes do homem existir, desde antes da Terra existir, em qualquer planeta que tenha chuva e tenha uma estrela iluminando o céu.

      Thumb up 19
    • Parabéns a vc. CESAR, pela boa educação.E prática explicação.
      Avaliação do relato de Gênesis – Gerald Schroeder, ex-professor de física nuclear, escreveu: “ Em 31 versículos, usando algumas centenas de palavras, a Bíblia descreve acontecimentos abrangendo 16 bilhões de anos, ao passo que os cientistas escreveram literalmente milhões de palavras a respeito dos mesmos acontecimentos. A Bíblia usa apenas oito sentenças para resumir o desenvolvimento completo da vida animal. Levando-se em conta a brevidade da narrativa bíblica, é notável como as declarações e a seqüência de eventos apresentados no primeiro capítulo de Gênesis se harmonizam com as descobertas da ciência moderna. Isto se dá especialmente quando nos damos conta de que toda a interpretação bíblica foi registrada há séculos, até mesmo milênios no passado, não sofrendo, portanto, nenhuma influência da ciência moderna. Foi a ciência moderna que se harmonizou com o relato bíblico da nossa gênese. ”
      — THE SCIENCE OF GOD—THE CONVERGENCE OF SCIENTIFIC AND BIBLICAL WISDOM (A CIÊNCIA DE DEUS — A CONVERGÊNCIA ENTRE A SABEDORIA BÍBLICA E A CIENTÍFICA).

      Thumb up 0
    • Para a Rachel: vc está muito mal informada ou quem a ensinou a enganou. O Génesis é um mito Sumério que nada tem a ver com a realidade do surgimento da vida e nem com a ciência dos séculos XX – XXI. Como cientista e estudando as versões dos Génesis (plural), nem eu nem outros cientistas europeus, nunca verificámos qualquer similaridade entre o Génesis e os conhecimentos científicos atuais. Portanto Rachel, vc está a interpretar um mito como sendo realidade. Onde foi buscar essa ideia, a algum pseudo-cientista de uma pseudo-universidade americana? Assim parece. Como nota final convém que saiba que a Evolução das Espécies, no mundo desenvolvido, já deixou de ser uma teoria há várias décadas, sendo agora um fato comprovado a 100%. Mas não deixo de ficar curioso onde foi buscar uma ideia tão absurda.

      Thumb up 0
    • Ignorância religiosa, a gente vê por aqui.

      Thumb up 7
  10. Uau!!! Quatro arco-íris juntos que maneiro,e olha que isso só foi visto 5 vezes em 250 anos irado !!!
    Tchau

    Thumb up 3
    • Pois é, só estou enxergando 2. Os outros dois não seriam apenas nuvens?!

      Thumb up 6
    • Tem um nome pra isso, é daltonismo..

      Thumb up 1
    • Você está vendo só dois mesmo. Estes dois aí estão no lado oposto ao dos arco-íris normais. Lembra-se?

      Thumb up 0
    • Olá Xico, beleza ?
      No texto diz que os outros dois arco-íris não aparecem na foto.
      Abração

      Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
5ec6ced542a441ee7c424d5e06fb9fd8
Mamutes podem retornar em cinco anos

Cientistas vêm tenta...

Fechar