Os benefícios de um banho quente são os mesmos de exercícios físicos

Essa é provavelmente a melhor notícia que você vai ler hoje: um estudo da Universidade de Loughborough, na Inglaterra, descobriu que um banho quente pode ter os mesmos benefícios de saúde que exercícios físicos.

O estudo

Os pesquisadores analisaram o efeito de um banho quente no controle de açúcar no sangue (uma medida importante de aptidão metabólica) e na energia gasta (número de calorias queimadas).

14 homens participaram do estudo. Ou eles fizeram uma hora de imersão em um banho quente (40° C), ou uma hora de ciclismo. Ambas as atividades foram concebidas para causar um aumento de 1° C na temperatura corporal central.

O ciclismo resultou em mais calorias sendo queimadas em comparação com um banho quente, mas o banho resultou na mesma quantidade de calorias queimadas que uma caminhada de meia hora (cerca de 140).

A resposta global do açúcar no sangue a ambas as condições foi semelhante, mas o pico de açúcar no sangue após o consumo de alimentos foi cerca de 10% menor quando os participantes tomaram um banho quente, em comparação com quando se exercitaram. Os participantes do banho quente também mostraram alterações na resposta inflamatória semelhantes às que seguem a atividade física.

Banho quente contra diabetes

A resposta anti-inflamatória ao exercício é importante, pois ajuda a proteger o corpo contra infecção e doenças.

Esse resultado sugere que o aquecimento passivo repetido (como o de um banho quente de banheira) pode contribuir para reduzir a inflamação crônica, presente em doenças de longo prazo, tais como diabetes tipo 2.

Outras pesquisas

Resultados semelhantes surgiram em outros estudos ao longo dos últimos anos. Uma pesquisa feita na Finlândia, publicada em 2015, sugeriu que saunas frequentes podem reduzir o risco de um ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, pelo menos em homens.

A ideia de que o aquecimento passivo pode melhorar a função cardiovascular recebeu mais apoio quando a Universidade do Oregon, nos EUA, publicou um estudo no ano seguinte mostrando que banhos quentes regulares podem baixar a pressão arterial.

Benefícios cardíacos

Em um segundo estudo, o mesmo grupo examinou o mecanismo responsável por essas melhorias.

Eles descobriram que o aquecimento passivo aumentou os níveis de óxido nítrico, uma molécula que dilata os vasos sanguíneos e reduz a pressão arterial. Isto tem implicações para tratar a pressão arterial elevada e melhorar a circulação periférica em pessoas com diabetes tipo 2.

A fim de estabelecer o efeito do aumento da temperatura corporal passivamente, em oposição ao esforço físico, outro estudo combinou a intensidade de aquecimento da imersão de água com o aquecimento de correr em uma esteira. A imersão em água resultou em um maior aumento da temperatura corporal em comparação com o exercício, bem como uma maior redução na pressão arterial média.

Isto é importante, uma vez que a redução da pressão arterial está estreitamente associada a um risco reduzido de desenvolver doença cardíaca. Este estudo sugere que alguns dos efeitos cardiovasculares do aquecimento passivo podem ser comparáveis com os de exercícios físicos.

Benefícios metabólicos

Assim como os efeitos cardiovasculares do aquecimento passivo, há evidências que sugerem que pode haver efeitos metabólicos benéficos também, como um melhor controle do açúcar no sangue.

Um estudo conduzido por Philip Hooper do McKee Medical Center, no estado americano do Colorado, em 1999, investigou o efeito de três semanas de terapia de banheira quente em pacientes diagnosticados com diabetes tipo 2. Os resultados mostraram melhorias no peso corporal, controle de açúcar no sangue e uma redução da dependência da insulina.

Hooper pensou que esses efeitos resultavam de mudanças no fluxo sanguíneo como resultado do aquecimento, mas foi incapaz de identificar um mecanismo específico pelo qual sua intervenção levou a esses benefícios.

Mais informações

Desde esta investigação inicial, poucos estudos têm investigado o potencial do aquecimento passivo para melhorar o controle de açúcar no sangue em seres humanos.

Estudos com animais, no entanto, dão boas dicas de como o aquecimento afeta a saúde. Estes estudos sugerem que um dos principais reguladores do controle do açúcar no sangue pode ser as proteínas de choque térmico.

As proteínas de choque térmico são moléculas feitas por todas as células do corpo humano em resposta a tensões. Seus níveis sobem após o exercício e o aquecimento passivo. A longo prazo, níveis elevados dessas proteínas podem melhorar a função da insulina e o controle do açúcar no sangue. Elas existem em menor número em pessoas com diabetes.

Logo, parece que as atividades que aumentam as proteínas de choque térmico podem ajudar a melhorar o controle do açúcar no sangue.

Conclusão

No geral, atividades como tomar um banho quente ou fazer uma sauna podem ter benefícios de saúde, especialmente para as pessoas incapazes de realizar atividade física. [IFLS]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (5 votos, média: 4,80 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta