Cientistas descobrem evidência da existência do continente Mauritia

Pesquisadores dizem ter evidências da existência do continente perdido, Mauritia. Eles são geólogos de universidades na Alemanha, África do Sul e Noruega, e tiveram seu artigo publicado na revista Nature Communications no dia 31 de janeiro de 2017.

A equipe encontrou rochas nas Ilhas Maurício, no Oceano Índico, com cristais de zircônia que tinham quase 2 bilhões de anos, ou seja, muito mais velhos que a própria ilha – que existe há 9 milhões de anos. Isso forneceu um indício da existência de uma camada continental abaixo do oceano. Os cristais provavelmente foram carregados para a superfície com a ajuda de magma vulcânico.

Os pesquisadores não sabem muito mais sobre Mauritia além de sua localização. Além disso, eles sabem que os cristais têm idade semelhante aos encontrados em Madagascar, sugerindo que a ilha pode ter sido conectada ao continente no passado distante. É possível que Mauritia possa ter se transformado no que é hoje quando o supercontinente Gondwana se separou. Ele incluía a maior parte das terras firmes que hoje formam a América do Sul, África, Antártica, Austrália, Nova Zelândia e Índia.

Continuar pesquisando sobre este continente submerso apresenta obstáculos, já que Mauritia provavelmente está espalhado em pedaços no fundo do oceano. Mesmo se o estudo parar por aqui, ele já é importante por mostrar que a separação dos continentes aconteceu em um processo muito mais complexo do que se acreditava inicialmente. [Engadget, Nature Communication]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,25 de 5)
Curta no Facebook:

2 respostas para “Cientistas descobrem evidência da existência do continente Mauritia”

    • Não, Atlântida não era um continente, mas uma cidade no Mediterrâneo, se não me falha a memória, nas costas do que hoje é a Espanha.

Deixe uma resposta