Cinco superpoderes de histórias em quadrinhos que realmente existem em animais

A evolução tem decorrido há bilhões de anos, produzindo organismos perfeitamente adaptados aos seus ambientes. E isso inclui habilidades que normalmente consideramos superpotências se os humanos as tivessem. Mas esses poderes realmente existem no reino animal.

1. Ecolocalização

No universo dos super-heróis, Matt Murdock, que foi cegado por resíduos radioativos quando criança, desenvolveu uma habilidade sobre-humana de sentir o uso de ondas sonoras e se tornou o super-herói Daredevil. Isso lhe dá um campo de visão de 360 graus que permite localizar objetos ou pessoas com precisão em todas as direções, uma vantagem óbvia em relação à visão normal.

Os morcegos, apesar de serem animais noturnos, não podem enxergar no escuro. Em vez disso, eles desenvolveram uma habilidade similar conhecida como ecolocalização para se locomover e identificar presas durante a noite. O morcego emite um som de alta freqüência e escuta o eco que rebota os objetos. A diferença de tempo entre a emissão do som e a audição do eco permite ao morcego construir uma “imagem” mental do seu ambiente. Os sons que levam mais tempo para retornar indicam que os ambientes e fronteiras atingidas estão mais distantes.

A habilidade de Matt Murdock pode não estar muito longe da realidade, pois os seres humanos também podem aprender a usar a ecolocalização. Ao fazer barulhos de estalos ou pisar os pés, algumas pessoas com deficiência visual são capazes de “visualizar” com precisão os limites ao seu redor.

2. Sensor magnético

Magneto, o arquivilão dos X-Men, pode sentir e manipular campos magnéticos com sua mente. E alguns animais têm um senso magnético semelhante conhecido como “magnetocepção”, que eles usam para navegar e se orientar. Por exemplo, os pombos-comuns, ou pombos-domésticos, são capazes de navegar de volta para os pombais onde vivem quando faltam pistas visuais, mas não pode fazer isso quando há ímãs próximos. Isso sugere que eles possam usar o campo magnético da Terra em seus deslocamentos.

Embora não entendamos exatamente como eles fazem isso, descobriu-se que os pombos possuem uma substância chamada magnetita em seus bicos, que se torna magnetizada quando exposta a campos imantados. Então, eles podem seguir o seu nariz, por assim dizer.

Claro, os poderes de Magneto podem produzir uma gama muito maior de efeitos, desde levantar e manipular objetos metálicos até reorganizar a matéria (uma potência definitivamente não presente nos animais). No entanto, sua filha Polaris tem a capacidade de perceber o mundo como padrões de energia magnética, que na verdade não é muito diferente dos poderes existentes no reino animal.

3. Shapeshifting, ou mudança de forma

A capacidade de deslocar configurações e imitar a forma dos outros é um poder formidável para um super-herói ou vilão – e tem sido usada pela Mística, personagem de X-Men, em muitas ocasiões para atrair e manipular seus inimigos. Alguns animais raros são capazes de mudar sua forma e tamanho no mundo real, mais notavelmente o polvo mímico, também conhecido como polvo imitador.

Esse animal pode alterar sua cor, comportamento, forma e textura para imitar uma variedade diversificada de espécies, com pelo menos 13 exemplos registrados até agora incluindo cobras marinhas, águas-vivas e anêmonas do mar. A maioria das espécies personificadas são venenosas, e assim a camuflagem ajuda o polvo a evitar predadores. Mas este metamorfo também é capaz de imitar sua presa, possivelmente na tentativa de atraí-los mais perto antes de se alimentar delas.

4. Absorção de superpoderes

A habilidade de roubar os superpoderes de outro indivíduo é certamente a habilidade mais suprema, permitindo ao impostor possuir algum poder. Outra personagem de X-Men, a Vampira, tem a incrível capacidade de absorver os poderes de qualquer pessoa que ela toca – e também a possui as aves Pitohui da Nova Guiné (bem, quase). As penas e a pele da Pitohui contêm uma substância nociva, tornando-a possivelmente o único pássaro venenoso do mundo e dando-lhes defesa contra predadores. Mas os pássaros não parecem ser capazes de produzir a substância tóxica diretamente. Em vez disso, eles a adquirem ao se alimentar de besouros Choresine.

Além disso, os cientistas acham que essa toxicidade pode até mesmo ser transmitida aos ovos e crias dos pássaros, tornando-os tóxicos para os predadores também, mesmo que nunca tenham se alimentado de nenhum besouro Choresine. Então, os pequenos pássaros absorvem essencialmente a superpotência de seus pais da mesma forma que a Vampira absorve poderes quando encosta em outras pessoas.

5. Armas químicas

Uma habilidade do reino animal ainda vai além do que foi imaginado por ficção de super-heróis. Os besouros Bombardier são conhecidos por seu mecanismo de defesa exclusivo que lhes permite produzir bombas de gás ácido para dissuadir predadores, como formigas. Em casos extremos, eles podem bombardear predadores com uma dose letal dessas bombas químicas que acaba por matá-los. As bombas ácidas consistem em dois compostos químicos armazenados separadamente no abdômen do besouro. Quando ameaçados, esses animais combinam os dois compostos, resultando na produção de uma mistura fervente que explode pela extremidade do seu abdômen direcional em forma de gás.

Qualquer um poderia pensar que essa “arma” notável seria certamente o precursor de um superpoder. E os super-heróis Anarquistas e Zeitgeist (membros da X Force) têm poderes de produção de ácido. O anarquista expele um suor ácido, enquanto Zeitgeist despeja o vômito ácido. Mas estas são armas formidáveis mais restritas. Talvez seja hora de alguns super-heróis se apropriarem do incrível conjunto de poderes que já evoluíram no reino animal. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (9 votos, média: 4,78 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta