Como escolher o sexo do bebê?

Publicado em 23.04.2012

Um anúncio em um jornal canadense de uma clínica de fertilidade que oferece seleção sexual (escolher o sexo do seu bebê antes de tê-lo) causou polêmica e reacendeu a discussão sobre o “pré-conceito de gênero”.

A clínica afirma realizar biópsias de embriões antes da fertilização in vitro, usando DNA para determinar o sexo e, em seguida, implantando somente embriões do sexo masculino no útero da mãe.

Essa capacidade de testar embriões para saber o sexo foi originalmente desenvolvida para detectar doenças genéticas. Mas, das pessoas que se aproximaram da clínica que desenvolveu o processo anos atrás, mais da metade eram pais que tiveram uma filha e queriam um filho.

“Muitas vezes, as meninas têm que lutar por suas vidas antes mesmo de nascer”, disse Sabrina Atwal, diretora de projetos da Associação de Mulheres Indos-Canadenses.

Uma pesquisa do grupo Gallup no ano passado revelou que os americanos preferem meninos. No Brasil, enquetes informais com quase 2 mil votos mostram que as pessoas também preferem filhos homens a mulheres (embora a diferença seja pequena, de 37% contra 32% dos votos).

Dos 1.020 entrevistados da Gallup, 40% disseram que, se pudessem escolher, iam querer um menino, contra 28% que escolheriam uma menina. O resto não tem uma preferência.

Antes dessa técnica das clínicas de fertilidade, somente a ultrassonografia iria indicar se você tem um menino ou uma menina no ventre, mas isso só ocorreria cerca de 18 semanas depois da gravidez.

Além do ultrassom, um kit caseiro de teste de gênero de uma empresa da Nova Zelândia criou uma super controvérsia em 2009, já que algumas pessoas afirmaram que os pais saberem o sexo de um feto logo no início da gravidez poderia estimulá-los a procurar um aborto.

O aborto em si já é muito polêmico e divide opiniões em tópicos como assassinato e direito de escolha. A seleção de sexo aumenta a discussão com o preconceito de gênero e gera reflexões como: o que será do mundo se todos começarem a querer apenas meninos? As mulheres voltariam a ser (ou continuaram a ser) inferiorizadas? O desequilíbrio vai afetar a reprodução humana? Existem consequências físicas ou psicológicas?

Por enquanto, nos resta apenas bater: escolher o sexo do bebê é uma coisa normal ou antiética?[LiveScience]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

8 Comentários

  1. Se hoje podemos escolher o sexo, em pouco tempo viram outras características (cor dos olhos/pele/cabelo, doenças de origem genéticas, bio tipo,…) vejam o filme “GATTACA” acho q isso é inevitável, adoraria poder ter um filho(a) que seja a melhor combinação genética entre minha mulher e eu. Imaginem o quanto mais rápido seria a evolução do ser humano, isso sem falar em quando possamos não apenas escolher a melhor combinação mas tbm adicionar características que nem o pai nem a mãe poderia passar… O futuro é lindo !!!

    Thumb up 0
  2. Isso! Isso! Isso! Tenham machos, por favor! *-*
    Assim, nós – as fêmeas – teremos um leque de opções muito maior. ó/
    Já pensou? Nasce uma fêmea e tem feeeeeesta na “comunidade”!
    Quando os machos quiserem copular vai ter festival de exibição de qualidades afetivas – ou competição de flexão de pinto (Vide filme “Tenacious D”). Vão dar valor as fêmeas! Vão se empenhar em ser homens melhores, ou matar uns aos outros mas, isso só na pior das hipóteses. auihauhauihauihauihauihuiahuiahiuahiuhaiuhaihaiuahia

    [ESTE COMENTÁRIO NÃO REFLETE A REAL OPINIÃO DA AUTORA - É APENAS UMA "PIADA"]

    Thumb up 12
  3. Acho isso maravilhoso na minha opinião não estará comprometido não, ao contrario de alguns países como o japão que quase não tem mulheres, os outros países saberão equilibrar, muitas pessoas querem filhas, e a ideia de você escolher é maravilhosa para algumas mães, outras nem se importaram com isso, e o desejo de mãe será ainda maior e mais feliz, mas daqui alguns anos a taxa de natalidade diminuirá, isso é evidente algumas mulheres não querem filhos por causa da educação economia e etc… que hoje está indo de mau a pior, mas ainda muitas pessoas não conseguem controlar que é a classe baixa mesmo com informação pirolas e etc… elas não conseguem se dar ao luxo de comprar, mas é um outro quadro que está mudando, qualquer mudança é bem vindo para um futuro melhor como o ser humano é resistente a mudança creio que terá as pessoas contras, mas isso fará sim bem para muitas pessoas!

    Thumb up 1
    • Eu acho que tudo que nos dá liberdade de escolha é excelente, uma pessoa pode escolher uma coisa ou outra e até mesmo escolher não escolher, agora tem que ser muito ditador/retardado/anti-progressista para ser contra a liberdade de escolha do q quer q seja, por mais polemico que seja o tema lembre-se a sua liberdade (de escolha) termina aonde começa a minha e vice versa.

      Todo aquele que é contra o direito de escolha de outro, deveria ser privado do seu direito de .
      “pimenta no … dos outros é refresco”

      Thumb up 0
  4. Acho que, EM ALGUNS CASOS, não seria interessante haver a escolha do sexo do bebê.

    Um exemplo: nos países da região do oriente médio ter uma criança do sexo feminino é algo quase inaceitável (isso é o que escuto falar)… Nesses países, a taxa de natalidade de meninas iria cair absurdamente, o que poderia causar o desequilíbrio nos números entre homem e mulher e dentro de algumas décadas haver problemas com a reprodução humana na região.

    Há casos em que é bem interessante ter acesso à essa tecnologia, por exemplo, para algumas famílias, que já têm uma criança de um determinado sexo, será muito bom poder escolher o sexo da outra criança, e se desejarem ter um casal, realizarão seu desejo.

    Sem dúvidas há muitos prós e muitos contras esse tipo de manipulação da vida humana.

    Thumb up 3
    • Tudo é questão de oferta e procura, se um pais é contra as mulheres, e todos tiverem filhos homens, adivinha: quem tiver uma filha mulher vai ser muito valorizada.
      Alias te dou um outro exemplo, imagine-se em um pais no futuro, aonde a maioria da população é de homens, e vc vai ter um bebe. Só que sua condição economica/fisica/psicologica/genetico/… seja desfavoravel e por esse fato caso vc opte por um filho ele não tera muitas chances de conseguir uma mulher, já se vc tiver uma filha ela não só tera chance de achar um Homem, mas vai ter direito a escolha, e essa escolha pode trazer beneficios a vc (seja qual for o beneficio). Te pergunto vc teria um filho ou uma filha ? Agora imagine isso em escala Global vai ficar mais complexo doq economia internacional, logo haveria um equilibrio, talvez seja criadas castas de ricos com filhos e pobres com filhas, e uma classe media mesclada…
      “Que se yo”

      Thumb up 2

Envie um comentário

Leia o post anterior:
xlarge
Menina sem mãos ganha prêmio nacional de caligrafia

O feito é de Annie C...

Fechar