Compostos da maconha podem ter efeitos contrários no cérebro

Dois componentes da maconha têm efeitos opostos em algumas regiões do cérebro. Um produto químico, chamado tetraidrocanabinol (THC), aumenta os processos cerebrais que podem levar a sintomas de psicose – como alucinações ou delírios. Enquanto isso, outro composto, chamado canabidiol (CBD), pode “negar” esses sintomas, como indica um novo estudo.

Os resultados do novo estudo realizado em Londres são os primeiros a usar imagens cerebrais para demonstrar a razão pela qual sintomas de psicose surgem em usuários de maconha. De acordo com pesquisadores, o principal motivo disso acontecer pode ser o THC, que interfere na capacidade cerebral de distinguir quais são os estímulos importantes – o que os pesquisadores chamam de uma anormal atribuição de relevância.

Pesquisas anteriores descobriram que o THC pode induzir sintomas de psicose em pessoas saudáveis e piorar os sintomas em pessoas que já tem problemas psiquiátricos. O novo estudo ainda indica que, a longo prazo, o consumo de maconha pode estar associado ao aumento do risco de esquizofrenia.

O estudo mostrou que homens que ingerem THC apresentam aumento da atividade cerebral na região chamada de córtex pré-frontal, mas menor atividade na região do corpo estriado. É possível que essas mudanças aconteçam porque os níveis de THC alteram o neurotransmissor dopamina.

Essas alterações parecem ser decisivas nas características fisiopatológicas da psicose, segundo os pesquisadores. Isso é consistente com evidências de que o corpo estriado e o córtex pré-frontal são alterados durante o processamento de pacientes com psicose, indivíduos com risco altíssimo de psicose e pessoas em estado psicótico induzido por drogas.

Por outro lado, os efeitos que o CBD ocasionava no cérebro sugerem o oposto sobre os sintomas psicóticos. De acordo com outros estudos, os resultados sugerem que o composto pode ter potencial para ser um antipsicótico, influenciando a circulação sanguínea no cérebro. [LiveScience]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

19 respostas para “Compostos da maconha podem ter efeitos contrários no cérebro”

  1. Ainda tem gente afirmando que a maconha tem efeitos medicinais pura propaganda do vício, e estão tentando colocar a maconha no comércio como uma droga para a saúde. O governo do Uruguai está financiando a maconha e colocando no mercado interno. Estão querendo acabar com o povo.

  2. Para que haja um estudo mais aprofundado de tudo o que está sendo disponibilizando para nosso conhecimento, é necessário que os analisadores em questão, saibam diferenciar que o ser humano possui personalidades e personalidades, ninguém tem o mesmo pensamento ou se quer a mesma vida que a do outro, logo, julgo terem atenção para que o estudo seja direcionado não somente para uma faixa etária de idade, nem somente para uma classe social e sim para as varias faixas etárias de nossa sociedade e também para ambas as classes sociais, que fazem do uso da maconha, assim teríamos mais amplitude para a divergência de opiniões, tenho certeza absoluta, que cada um irá apresentar um resultado, e o resultado que todos esperaram é que a história da MACONHA seja posta a limpo e tenha uma realidade que não seja encoberta pelo sensacionalismo dos nossos primórdios, aonde por motivos comerciais a maconha foi taxada como droga, logo, em alguns países mais desenvolvidos, presenciamos algumas atitudes que são dignas de “parabéns”, pois eles desenvolvem o uso correto da planta e a valorização comercial que “ajuda os governos” ,em vez de criarem despesas, contra a luta ao trafico de uma planta que pode sim ajudar a humanidade, pois dela pode ser criado e desenvolvido vários elementos .
    FICA A DICA
    Para quem gosta, o documentário cortina de fumaça, lhes trará boas esplicações.

    Um abraço a todos

    • É muito interessante a matéria do HScience e também seu comentário está de acordo.
      Vamos considerar que a maconha passe a ser livre para o consumo e o comércio. Enquanto isso, o tabagismo está sendo criminalizado com duras penas e persiguições sociais. O alcoolismo festá ficando ainda na corda bamba com remediável consideração.

      – SE BEBER, NÃO DIRIJA; SE DIRIGIR, NÃO BEBA. MAS SENÃO FIZER PORR… NENHUMA PODE ENCHER A CARA, BATER NA MULHER, NOS FILHOS, TROPEÇAR NAS PRATELEIRAS DOS MERCADOS, XINGAR O GUARDA E MANDAR TODO MUNDO TOMAR “CAFÉ”…
      – SE FUMAR MACONHA, FAÇA O QUE TU QUERES, POIS TUDO É DA LEI, DA LEI.
      – FUMAR! NÃO, NUNCA. EM LUGAR NENHUM QUE TENHA ALGUM NÃO FUMANTE POR PERTO.

      Não sei o que poderemos mais esperar desta sociedade perversa, hipócrita e incompreensível que vive invertendo valores.

  3. Ao se estudar a origem da proibição da maconha, vamos notar que essa proibição está muito mais ligada ao preconceito e questões mercantis do que ao suposto mal que ela poderia causar.
    A proibição sim, causa grandes males: o tráfico e com ele a violência, o crime organizado…
    É preciso que a sociedade olhe para esse assunto de forma mais arejada.
    Geralmente os conservadores tendem a querer proibir para todos tudo aquilo que eles não fazem uso.
    Eu por exemplo não ando de carro, só de moto, nem por isso eu milito contra os carros na rua.
    Acho que cada um tem o direito de contemplar seus gostos como quiser, DESDE QUE NÃO PREJUDIQUE A TERCEIROS.

    • Chico, eu tb pensava assim, sobre a relação maconha X tráfico…
      Porém, vendo um debate de um político no plenário, em q este esclarecia as razões pela qual não seria viável a liberação da droga, me fiz entender que realmente a liberação da maconha não seria uma saída para acabar com o tráfico e a violência no RJ…
      Muitos falam que a liberação traria uma resolução que determinaria a venda regular da droga. Mas, mesmo assim, o tráfico continuaria a emergir com a venda da maconha… contraditório???
      Talvez sim. Mas o certo é que os usuários poderiam continuar a comprar a maconha junto aos traficantes unicamente pq a venda nas mãos destes marginais seria bem mais em conta, do que a compra dessa droga em uma farmácia, por exemplo…
      E é claro, com isso o tráfico não seria inibido. Visto que ainda existem outras drogas, mais pesadas e mais lucrativas até…
      Penso eu que, aos usuários que quiserem dar akela tragadinha ao ar livre, deveriam ter ao menos uma receita médica… caso fossem parados por alguma autoridade…

      Quanto à matéria, achei meio confusa essa pesquisa… afinal, um composto inibe o outro, é isso?…
      Desculpem a minha ignorância… mas garanto que não é efeito da erva…… kkkkkkkkkkkk……

  4. Ao se estudar a origem da proibição da maconha, vamos ver que essa proibição está muito mais ligada ao preconceito e as questões mercantilistas do que com o suposto “mal” que ela poderia trazer, se é que ela faz algum mal…

  5. O grande mal que a maconha traz: a violência, o tráfico… está ligado á sua proibição. – O dia que o governo descriminalizar a maconha como na Holanda, Portugal, California… acaba com as pernas do tráfico e com a violência que a proibição traz.

    • tadinho do glouco aposto como ele fuma maconha, para com isso não destrui seu neurônios, não contamine esse corpo maravilhoso que DEUS te deus com tanto amor

    • Este estudo é inverídico. Eu fumo há 20 anos todos os dias e não sou viciado…

    • Você por acaso já viu alguem matar porque estava “chapado” de maconha?
      A verdade é que o alcool que é uma droga liberada faz mais mal que o THC.
      No entanto ela não é isenta de substâncias que são nocivas a saúde.

    • alexandro quer ficar calmo nada melhor doq ue fazer yoga, te deixa calmo e não destroi os neuronios do que adianta ficar calmo e retardado, esquecendo de tudo e de todos isso é babaquise para quem fuma maconha, para todos os maconeiros ( sem palavras)

    • o negocio eo seguinte usa droga e bom larga mão de maconha vamo todo mundo pra colombia cheira cocaina de 1° ecclusive a mina crente ai shausshausshausshayus legalize as drogas ja maconha crack pra nois fuma um melado shausshausshaus ouuuuuuu favelaaxD

Deixe uma resposta