7 bizarros conceitos da física que todos devem conhecer

No dia-a-dia, conceitos básicos de física (como força, aceleração e pressão) não causam tanto espanto, nem soam absurdos. Quando mudamos para outros cenários, porém, as regras mudam: no mundo subatômico, por exemplo, partículas podem estar em dois lugares ao mesmo tempo, e só o fato de observá-las já altera seu estado; buracos negros podem conter a massa de uma estrela condensada em um único ponto; e para um objeto viajando à velocidade da luz, o tempo passa mais devagar.

Confira a seguir estas e outras ideias que fogem do que nós consideramos “normal” – mas que não causam tanto espanto em cientistas da área.

Bizarros conceitos da física

1 – Relatividade

O termo se refere a duas das mais famosas teorias da física, ambas propostas por Albert Einstein. Na primeira, divulgada em 1906, o físico demonstrou, por meio de uma série de cálculos, que a velocidade da luz é a maior que pode ser atingida por um corpo. Outra ideia defendida por Einstein foi a de que o tempo pode passar mais devagar (ou mais rápido) conforme a velocidade do observador.

Em 1916, ele publicou uma versão expandida dessas ideias, chamada de Teoria Geral da Relatividade. Desta vez, ele abordou também a questão da gravidade, que, segundo ele, seria uma distorção do espaço-tempo causada por objetos massivos. Essa teoria também prevê a existência dos estranhos buracos negros e ajuda a compreender a distorção sofrida pela luz ao atravessar galáxias (causada pela grande força gravitacional desses objetos).

2 – Mecânica Quântica

Átomos, todo mundo sabe, são extremamente pequenos. Partículas como prótons e elétrons, por sua vez, são ainda menores, tão pequenas que, em seu “mundo”, prevalece a Mecânica Quântica – proposta no começo do século 20.

Na escala subatômica, as partículas podem se comportar como ondas e podem estar em mais de um lugar ao mesmo tempo. É na Mecânica Quântica que estão outros conceitos curiosos, como “emaranhamento” e o “Princípio da Incerteza”.

3 – Teoria das Cordas

Essa teoria (que, por sinal, é estudada pelo personagem Sheldon Cooper, do seriado The Big Bang Theory) sugere que partículas não são pequenos pontos, mas dobras em objetos unidimensionais similares a cordas. A diferença entre as partículas seria a frequência com que as cordas vibram.

A Teoria das Cordas é uma tentativa de conciliar a Física Quântica e a Teoria Geral da Relatividade, além de uma possível base para a hipotética “Teoria do Tudo”, que, supostamente, será capaz de unir todos os conceitos físicos e explicar o universo.

4 – Singularidade

Na física, o termo se refere a um ponto em que tempo e espaço estão infinitamente curvados. Acredita-se que existem singularidades no centro de buracos negros (dentro dos quais, por exemplo, a massa de uma estrela pode estar condensada em uma região minúscula, ou mesmo em um único ponto) e, ainda, que o próprio Big Bang teria começado a partir de uma.

5 – Princípio da Incerteza

Formulado em 1927 pelo físico alemão Werner Heisenberg, o princípio seria uma das consequências da Mecânica Quântica e se refere à precisão máxima em que seria possível medir a localização e a velocidade de uma partícula subatômica.

Há dois fatores por trás da incerteza apontada pelo princípio: o primeiro é o de que a simples medição de algo (no caso, uma partícula) já afeta este objeto; o segundo é o fato de que o mundo quântico não é “concreto”, mas baseado em probabilidades, dificultando a medição do estado de uma partícula.

6 – Gato de Schrödinger

Esse termo se refere a uma experiência teórica imaginada pelo físico austríaco Erwin Schrödinger em 1935, que demonstraria o quão estranha era a incerteza por trás da Mecânica Quântica.

Schrödinger propôs que se imaginasse um gato, preso em uma caixa junto com material radioativo. No experimento, haveria 50% de chance de que o material se deteriorasse, emitindo radiação e matando o gato, e 50% de chance de que o material não emitisse radiação e que o gato sobrevivesse.

De acordo com a física clássica, um desses cenários obrigatoriamente se tornaria realidade e poderia ser observado quando alguém abrisse a caixa. De acordo com a Mecânica Quântica, contudo, o gato não estaria nem vivo nem morto até que alguém abrisse a caixa e observasse (medindo e, portanto, afetando a situação).

7 – Emaranhamento

É um dos fenômenos mais conhecidos da Mecânica Quântica, no qual duas partículas, mesmo quando separadas por uma enorme distância, são afetadas mutuamente – ou seja, se uma se move, a outra se move na mesma direção.

O conceito perturbou o próprio Albert Einstein, que o chamou de “assombrosa ação a distância”. O emaranhamento já foi induzido em experimentos e cientistas esperam, algum dia, poder aproveitá-lo para criar computadores supervelozes.[LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)
Curta no Facebook:

38 respostas para “7 bizarros conceitos da física que todos devem conhecer”

  1. eu acho engraçado como em todas as discussões sobre ciencias as pessoas se perdem ao diferenciar hipotese e teoria e nessa muita gente acaba trocando bolas
    hipotese é uma afirmação provisoria que ainda tem que ser experimentada em caso de falha é necessario elaborar outra teoria e testa-la, se a hipotese se confirmar torna-se teoria
    Teoria é uma explicação que ja foi testada e experimenta e pode ser substituida se uma outra teoria explicar melhor, foi assim com a teoria de newton sobre gravitação, que foi substituida pela teoria da relatividade (mais uma vez para ficar claro ela foi testada e passou) mas mesmo assim a teoria de Newton ainda é valida para explicar fenomenos simples como a gravidade na terra, mas para explicar fenomenos cosmicos como buracos negros ou a orbita de mercurio a teoria da relatividade é melhor

    • O que nos leva a um ponto: Se toda teoria é uma hipótese pré testada e aprovada e portanto correta, não deveria ser substituída por outra. O que ocorre, é que toda teoria, é na verdade apenas uma hipótese mais plausível que as demais, o que n a torna verdade absoluta. Com certeza, um dia, todas as teorias conhecidas e aceitas hoje, serão nada mais nada menos, que meras hipóteses errôneas, que terão sido substituídas por novas idéias e teorias, que tb serão obsoletas algum dia. Assim é a ciência.

  2. Ao meu ver a teoria do gato de Schrodinger é ridiculememte mal pensada e coloca a observação humana como a única fonte de realidade. Ora, as coisas extremamente opostas ou são uma ou outra. É a mesma história da questão de se a arvore faz barulho se cair num bosque e não tiver ninguém para ouvir. É claro que faz barulho, uma vez que o barulho é causado pelo impacto de 2 objetos ou mais… esse tipo de pensamento, tanto do gato quanto da arvore superestima as percepções humanas. O universo já era universo antes de sugirmos e continuará depois que nos formos… nossa percepção através de nossos sentidos nao alteram em nada a realidade.

    • Você não entendeu nada (assim como eu entendi muito pouco rs), mas é o seguinte: seu exemplo é totalmente inválido, afinal você ja observou as ações referente aos objetos citados, o intuíto dessa teoria é demonstrar como o observador altera o que vê (em termos quânticos). No caso não é possível determinar se o gato está vivo nem morto se você não consegue ver pois a matéria radioativa não possui um estado distinto. No mundo quântico um átomo radioativo pode existir em dois estados superpostos, o estado de superposição cessa imediatamente quando há observação. É a isso que se refere a teoria, da incerteza de saber que o material matou o não o gato. O universo não era universo antes de observarmos isso, uma árvore faz barulho porque você ja observou isso. Enfim, mais ou menos isso que o Schrodinger deixou de legado para os problemas quânticos, acredito eu pois “só sei que nada sei” rsrs.

    • O gato de Schrödinger é apenas um comparativo, onde o mundo desse gato, reina a mecânica quântica. No mundo quântico, ele teria sim esse comportamento, e essa árvore na qual você se referiu, estaria caindo e em pé ao mesmo tempo, emitindo barulho ou não. É só você observar o experimento da dupla fenda, relata exatamente isso. Como uma bola de futebol pode ter um comportamento de onde se ela é uma partícula? No mundo quântico ela tem.

    • Olha cara, na minha opinião ela pode explicar sim. O objeto observado sofre a consequência independente da interferência, por exemplo: o gato de Schrödinger pode estar vivo, e se eu olhar não irá afetar o resultado, como o contrário também, mas só vou saber isso se eu observar. A diferença é que ele estará nestes estados justamente porque estamos observando esses mesmos, mas não implica que ele não teria nenhum dos dois. No caso ele teria “os dois estados ao mesmo tempo, antes da observação.”
      A mesma coisa aconteceria com o Universo. O universo existe independente da nossa observação, ou um observador primário. Porém a gente sabe que ele existe porque o observamos, e justamente por isso. Mas se nenhum de nós estivéssemos aqui ou se não tivéssemos um consciência o universo existira da mesma forma, só que a gente não saberia disso.

    • é tudo muito simples. A definição de “vida”, e “morte” foi inventada por nós. E até mesmo essa teoria bizarra “gato de Schrödinger”, ela só ajuda a percorrer o caminho para nos conhecermos melhor.

    • Oi Felipe,
      Ao meu ver, o espírito não deve ser considerado como uma coisa ‘à parte de nós’. Nós não ‘temos’ um espírito. Nós ‘somos’ um espírito. Há, porém, níveis em nosso estado de ser. Uma pessoa pode estar mais espiritualizada (consciente) ou mais instintiva ou orgânica (inconsciente). Níveis de ser não podem ser observados, mas nós sempre observamos o mundo, e até nós mesmos, a partir de algum nível de ser. A evolução, se isso for possível para nós, se dará de um nível menos consciente para um nível mais consciente. De um nível mais instintivo para um nível menos instintivo. Muda-se o estado de ser e, consequentemente, muda-se o ponto de vista a partir do qual experimentamos, vivenciamos e interpretamos a vida e tudo o mais.
      Mas este é apenas um ponto de vista…
      Continue questionando. Sempre. Este é o caminho.
      E lembre-se; ” Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”.
      Um abraço afetuoso e amigo
      Luiz Antonio

  3. COmeçou interessante, bem conceituado e objetivando espiritismo… Assim como boa teoria, sem provas e viajante… SÓ QUERO UMA COISA, me ensina a flutuar e eu acredito nisso kkkkkkl [SÉRIO, ou então não fale e nem ouça gente que escreve em livros em uma linguagem bonita falar que é assim ou assado que faz e acontece ;), OK]

  4. o conceito do item 6 está errado em um ponto: “[…]o gato não estaria nem vivo nem morto[…]” na verdade o gato estaria vivo e morto ao mesmo tempo. Não podemos dizer que o gato não estaria em “estado” algum. Ele tem que estar em algum estado, pois nós o colocamos dentro da caixa.

    • se você pensa assim, tudo bem, agora só precisa convencer o resto da população e sua ideia irá prevalecer.

    • se você pensa assim, tudo bem, agora só precisa convencer o resto da população e sua ideia irá prevalecer.

  5. Sou adepto da teoria das cordas. Só consigo ver o universo sob múltiplas dimensões.
    A energia primária do universo flui no que chamamos de cordas formando o espaço. Quando estas cordas se cruzam, os pontos de cruzamento são as partículas, que podem surgir ou desaparecer no espaço conforme cruzam ou descruzam. As partículas, ou pontos de cruzamentos das cordas se unem no nível sub atômico (quântico) para formar os átomos, os quais se organizam no nível sub molecular (atômico) para formar as moléculas e assim continua infinitamente até além de galaxias, formando o universo ou multiverso como queiram.
    Onde estão as dimensões do universo?
    1)Largura, 2)altura e 3)profundidade,surgem quando as partículas (que são apenas pontos sem tamanho), em sintonia, vibram nestas três direções formando objetos de uma, duas ou três dimensões.
    4)temperatura, é uma nova forma de vibração para objetos mais complexos.
    5)densidade, é o grau de concentração de partículas, que produz novas formas de vibrações.
    6)pressão ou força de ajuntamento.
    7)expansão ou força de afastamento.
    7)tempo, bastante falado e conhecido(usado para localizar).
    8)etc
    Quando os objetos vão se tornando mais complexos, novas formas de vibrações vão surgindo. Serão todas elas dimensões? Isto acontece infinitamente.
    Será que as dimensões do universo também, como tudo no universo, são infinitas????
    Que hipótese!!!!!!

    • dimensoes largura, altura e profundidade são muito simplistas…nada pode ser feito usando apenas essas “dimensoes”. vou ser mais simples: porque não existe apenas altura? tudo não depende apenas da referência? use apenas a altura e mude sua referência constantemente e terá suas tres bizarras e absurdas dimensoes.

    • o universo não é feito de dimensoes. ele é o que é. tudo é unico. não existe nada maior que 1. o infinito, as coisas maiores que 1 foram inventadas por nós numa tentativa de facilitar a compreensão do que “vemos” e “sentimos”…. se visemos tudo como único, evoluiríamos mais rápido. e teríamos menos “ignorantes” entre nós.

    • o universo não é feito de dimensoes. ele é o que é. tudo é unico. não existe nada maior que 1. o infinito, as coisas maiores que 1 foram inventadas por nós numa tentativa de facilitar a compreensão do que “vemos” e “sentimos”…. deveríamos ver tudo como único, se conseguíssemos!

    • ou seja, o desafio não é “entender o universo”, e sim “nos entendermos”….

    • Acho mais provável que dentro de 10 anos a física da relatividade, cordas e quântica, muito baseadas nos desvaneios, sofra um colapso.
      Física é a de Galileu, de Newton, que viram fenômenos e os equacionaram, sendo comprovadas suas veracidades.
      Não concorda? Bom, já demonstraram que partículas podem viajar alem da velocidade da luz entre Itália e Suíça.
      O problema é que a matemática funciona sempre, mesmo que se tome princípios diferentes.
      O planeta já teve civilizações adiantadas como a Egípcia, Maia, etc., e os donos do mundo simplesmente a saquearam e destruíram. Há poucas décadas tivemos a Alemanha da 2ª guerra, com grandes conhecimentos de fusão do átomo, genética com a qual queriam fazer as pessoas perfeitas consertando os genes defeituosos e impedindo a proliferação de doenças genéticas e incuráveis. Foram destruídos e seus conhecimentos roubados, mas não postos em prática a serviço do bem. Com eles se limitaram a construir os aviões à jato, foguetes com objetivo de guerra nas estrelas e só agora re-anunciam a descoberta do DNA, mas em nível rudimentar e para fins benéficos apenas para quem pode pagar.

    • Os alunos atuais nao sabem nem quanto que é Sqrt(9!)-9/9, se enrolam em regra de sinais, nao sabem resolver equações do primeiro grau…. vc acha realmente que vamos chegar a isso?… esta mais pra acreditar que a Terra é plana e que adão e eva sao os geradores da humanidade…

    • Caramba… fiz um comentário, e respondi pra mim, pra me corrigir… e aprovaram a resposta mas o comentário ainda não!!! Assim não dá!!! kkkkkkk

    • Só para corrigir o amigo e assim evitar duvias por parte de pessoas que leiam o comentario, sobre ultrapassar a velocidade da luz de forma a violar a Relatividade, o experimentos que neutrinos ( se não me engano, foram elesm esmo) ultrapassaram a velocidade da luz foi anulado, tendo em vista que os aparatos usados para fazer a medição da velocidade dos mesmo tirou dados erronios, sendo assim, os neutrinos fiajaram na velocidade da luz ou bem proximo a ela, mas não superior.

  6. Alguém faça as cálculos e me dê a resposta, por favor.

    Se uma estrela localizada a dez anos luz de distância explodisse agora iríamos demorar dez anos para ver a luz da explosão.

    Quanto tempo demora para alguém que viaja assentado em um fóton produzido na explosão para chegar até nós????

    Quero saber o tempo do ponto de vista do viajante.

  7. No caso do entrelaçamento quantico eu tenho outra suposta explicação. Como não se sabe a velocidade da ação da gravidade, que segundo “Donoghue” pode ser maior que a velocidade da luz, eu suponho que deva ser “instantanea”. Ate dou um exemplo de dois corpos presos por uma corda e girando um ao redor do outro, matendo a corda esticada pela força centrífuga caso a corda fosse cortada ou se partisse, os dois corpos seriam enviados para o espaço instantaneamente. Seria como se faltasse a gravidade. O entrelaçamento deve ser regido pela força da gravidade, ainda pouco conhecida pela ciencia.

    • Quada? caramba… fundiu tanto minha mente que errei! kkk é Cada!!

Deixe uma resposta