Órgãos sexuais animados estrelam campanha contra assédio

No último dia 8 de março, data em que se celebra o Dia Mundial da Mulher, o jornal Estado de São Paulo divulgou estatísticas alarmantes da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). Segundo a reportagem, nos dez primeiros meses de 2015, o Brasil registrou 63.090 denúncias de violência contra a mulher – o equivalente a um relato a cada 7 minutos.

E este é só um dos números que assustam quando o assunto é violência e discriminação de gênero. No ano passado, a hashtag #MeuPrimeiroAssédio, lançada pelo portal Think Olga (o mesmo que promoveu a campanha “Chega de Fiu Fiu”), recolheu milhares de relatos assustadores no Twitter depois de comentários pedófilos serem dirigidos à Valentina, de 12 anos, participante do reality show Masterchef Júnior.

Tendo este tipo de cenário em vista, que se repete de maneira quase que sistemática ao redor do mundo, o Project Consent (Projeto Consentimento, em tradução literal) lançou uma campanha divertida e bem clara para alertar sobre assédio sexual. Nos vídeos, animações produzidas pela agência Topix, são nossos órgãos que aparecem “interpretando” situações em que não existe o consentimento, caracterizando o assédio.

Confira os vídeos:

Tradução

Seio: “Oh!”
Mão: “Desculpe, eu só pensei…”
Seio: “É, não”
“Consentimento é simples. Quando não é sim, é não”

Tradução

Vagina: “Ei!”
Pênis: “Foi mal!”
“Consentimento é simples. Quando não é sim, é não”

Tradução

“Consentimento é simples. Quando não é sim, é não”

Cultura do estupro

O Project Consent é uma campanha sem fins lucrativos, baseada em trabalho voluntário que visa combater e desconstruir cultura do estupro sensibilizando para a forma prejudicial em que ela existe na sociedade. A meta é educar o público sobre a disparidade de discussão de agressão sexual, e promover o diálogo positivo sobre a importância do consentimento.

“Nossa missão é defender um futuro em que o abuso sexual não é banalizado pelo mundo que nos rodeia. Através do nosso trabalho, esperamos inspirar nossos seguidores a participar de nosso movimento, na esperança de acabar com a cultura do estupro de uma vez por todas”, afirma o site do projeto.

Quem tiver interesse em aprender mais (ou compartilhar e ensinar outras pessoas), pode conferir o vídeo abaixo da YouTuber e educadora sexual Laci Green, que tem legendas em português. Para ativar as legendas, basta clicar na pequena engrenagem no canto inferior direito e escolher a língua de sua preferência. Alerta: O vídeo fala trata de estupro. [Project Consent, Boing Boing, Laci Green, O Estado de São Paulo]

4 respostas para “Órgãos sexuais animados estrelam campanha contra assédio”

    • Pensa por um lado, tem gente tosca o suficiente para achar que quando a mulher diz “não” está na verdade querendo dizer “sim”. Gente assim tosca só pode ser educada deste jeito. Se é que pode.

Deixe uma resposta