Menstruação: mulheres podem engravidar durante esse período?

Publicado em 20.06.2012

menstruação e gravidez

Tradicionalmente a mulher tem sido negligenciada pela ciência médica – até mesmo na pesquisa de medicamentos para doenças que afetam igualmente os dois sexos, a mulher aparece como minoria nos grupos de teste. Além das desculpas que ocultam o sexismo, como a relutância de pesquisadores de expor mulheres em idade fértil a medicamentos experimentais, existe também o problema dos hormônios femininos que tornam complicados e podem até confundir as descobertas básicas.

Isto tem mudado ultimamente, mas mesmo assim vários mitos persistem no imaginário popular. Vejamos aqui cinco deles:

Mito: Um médico pode dizer se uma mulher é virgem.

Mesmo usando uma lente de aumento que amplia 10 vezes, os médicos não são sempre capazes de separar as virgens das sexualmente ativas, descobriu uma pesquisa. O problema é que não se trata de procurar um buraco no hímen, por que sempre tem um buraco no hímen.

Algumas pessoas pensam que o hímen sela completamente a vagina, o que não é verdade. Nos casos raros onde o hímen é selado, chamado de “hímen não perfurado”, as secreções da vagina e a menstruação se acumulam, podendo causar sérios problemas de saúde.

Mito: Antibióticos tiram a eficácia de anticoncepcionais.

Até mesmo médicos acreditam neste mito. O fato é que as pílulas falham em 1% das vezes, e esta taxa de falhas não muda quando a pílula é tomada com uma gama ampla de antibióticos.

Uma possível exceção é a rifampicina, um antibiótico prescrito para a tuberculose. A rifampicina diminui o nível dos hormônios que protegem da gravidez, mas não é claro se o efeito é o suficiente para alterar a taxa de falha da pílula.

Mito: Homem e mulher tem a mesma necessidade de sono.

Agitação na cama não causa apenas estresse psicológico. Uma pesquisa descobriu que também aumenta a insulina e os fatores inflamatórios – fatores de risco que comprometem a saúde.

Outro estudo descobriu que mulheres que dormem cinco ou menos horas por noite tinham o dobro de probabilidade de apresentar hipertensão que as que dormiam sete horas ou mais. Entre os homens, não há esta relação. É melhor deixar a Bela Adormecida acordar na hora que o relógio dela despertar.

Mito: A menopausa diminui o interesse sexual.

A mudança não é algo que necessariamente acontece na cama. Uma pesquisa sobre os hábitos sexuais, completada em 1994, apontou que cerca de metade das mulheres que estão nos seus cinquenta anos faz sexo várias vezes por mês.

Apesar dos “calorões” e outros desconfortos poderem deixar a mulher sem vontade para o sexo, não há uma ligação direta entre a menopausa e o desejo sexual. Se você está entrando na fase da menopausa, não significa que tem que dar adeus ao sexo.

Mito: A mulher não pode engravidar durante a menstruação.

Enquanto é bastante improvável que uma mulher conceba durante a menstruação, nada é impossível quando se trata de gravidez.

Uma vez no corpo da mulher, o espermatozóide pode ficar de tocaia aguardando um óvulo por até uma semana. Uma ovulação pode acontecer logo depois, ou até mesmo durante a fase do sangramento da menstruação, dando aos espermatozóides mais pacientes uma oportunidade de terem sorte. O método da tabelinha não funciona muito bem, e é por isto que os casais que o praticam são frequentemente chamados de “pais e mães”. [LiveScience, Foto]

Autor: Cesar Grossmann

Sou formado em Engenharia Elétrica, mas trabalho no setor público, gosto de xadrez e fotografia.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

Envie um comentário