Enorme tempestade solar de junho de 2015 causou rachadura no campo magnético da Terra

O telescópio GRAPES-3, o mais sensível a raios cósmicos do mundo, registrou um grande aumento de raios que podem indicar uma rachadura no campo magnético da Terra.

Esta falha temporária apareceu quando uma enorme nuvem de plasma foi ejetada da coroa solar e atingiu a Terra no dia 22 de junho de 2015, causando uma compressão na magnetosfera que resultou em uma grande tempestade geomagnética. Tempestades solares costumam interferir no fornecimento de energia de grandes áreas, atrapalham o funcionamento de GPS,  de outras operações por satélite e das comunicações.

A nuvem de plasma atingiu a Terra a uma velocidade de 2,5 milhões km/h, e os efeitos observados naquele momento foram uma aurora boreal mais intensa que o comum e falhas na comunicação via rádio nos países de altas latitudes.

A magnetosfera da Terra se estende por um raio de milhões de quilômetros, e age como a primeira linha de defesa, nos protegendo contra o fluxo contínuo de raios cósmicos do Sol e do resto da galáxia. Com a rachadura, radiação de baixa energia passou a atingir o planeta, sem ser refletida pelo campo magnético da Terra, como normalmente aconteceria.

GRAPES-3
GRAPES-3

Os dados do evento de 22 de junho de 2015 foram analisados e interpretados com extensas simulações, e a conclusão do trabalho foi publicado recentemente na revista Physical Review Letters. [Phys.org]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,33 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta