Essa bateria de Harvard dura mais de uma década

Pesquisadores da Universidade Harvard, nos EUA, descobriram uma maneira de tornar a promissora bateria de fluxo muito mais prática. O novo dispositivo que eles criaram pode durar mais de uma década.

Incrível

Baterias de fluxo armazenam energia em tanques cheios de líquidos. No entanto, após vários ciclos de carga e descarga, elas sofrem uma degradação rápida na capacidade de armazenamento. Ou, pelo menos, era isso que acontecia até agora.

Para superar esse obstáculo da degradação, os pesquisadores da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas John A. Paulson, da Universidade Harvard, modificaram a estrutura das moléculas na bateria para torná-las solúveis em água.

Isto permitiu que os eletrólitos fossem dissolvidos em água neutra, criando uma bateria que só perde 1% de sua capacidade de armazenamento a cada 1.000 ciclos.

De acordo com o comunicado oficial de imprensa, a bateria é capaz de funcionar por dez anos, necessitando de uma quantidade mínima de manutenção.

Ao contrário de outras baterias de fluxo, a solução nesta bateria nova não é tóxica nem corrosiva. Derramá-la sobre a pele ou no chão não causa ferimentos ou danos à propriedade.

Energia renovável

Qualquer inovação no armazenamento de energia é um passo importante pata transformar as energias renováveis em fontes mais viáveis.

Segundo o Departamento de Energia dos EUA, a construção de uma bateria com a capacidade de armazenar energia por menos de US$ 100 por kWh igualaria a energia limpa, de fontes como o sol e o vento, com as tradicionais.

Baterias melhores são componentes-chave na realização do potencial das energias renováveis. A capacidade de armazenamento pode ajudar a aliviar a demanda em uma grade elétrica durante o pico de utilização.

Desenvolvimentos como este podem ser excelentes para o meio ambiente, já que devem levar a uma diminuição no uso de combustíveis fósseis. [Futurism]

Por: Natasha RomanzotiEm: 14.02.2017 | Em Principal, Tecnologia  | Tags: ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)
Curta no Facebook:

Deixe uma resposta