Estudo apresenta detalhes dos terromotos de Seattle

Publicado em 2.10.2011

A profunda bacia que se encontra abaixo de Seattle, EUA, é uma fonte de preocupação por causa da forma e do material da formação, que, quando se ampliam, o chão treme. Os sísmicos esperam que as novas pesquisas sobre a natureza dessa bacia possam ajudar a prever os riscos que essa área enfrenta.

A bacia de Seattle detém complexas camadas de sedimentos dentro de uma tigela de pedra. Essas bacias podem prender e concentrar a energia sísmica dentro delas, devido à forma como diferentes materiais conduzem as ondas – elas se movem mais lentamente nas camadas de sedimentos e mais rapidamente nas de rocha sólida.

Esta diferença na velocidade das ondas sísmicas faz com que elas se fracionem, assim como as lentes de um óculos desviam a luz, e às vezes tornam-se focadas em uma determinada área. Além disso, as ondas quando entram na bacia podem ficar presas refletindo nas paredes durante bastante tempo.

Simulações de computador existem para prever os movimentos do solo, mas não para as camadas sedimentares mais complexas de Seattle. Agora, os pesquisadores desenvolveram um novo modelo para verificar até 3,5 quilômetros de sedimentos abaixo da cidade.

Com as novas simulações, dados revelaram mais detalhes sobre a estrutura interna da bacia.

As descobertas sugerem que existe uma zona a norte da Falha de Seattle onde as ondas sísmicas viajam lentamente, consistente com a ideia de que ela mantém comprimidas rochas sedimentares. O modelo também sugeriu uma diversidade de características geológicas debaixo da cidade, incluindo diversas sub-bacias hidrográficas ou bolsões de sedimentos.

As sub-bacias podem afetar como as ondas sísmicas se propagam através do subsolo. Imagine ter uma lente de óculos de forma bastante irregular – a luz refletiria em diversas direções.

Ao todo, essas descobertas podem ajudar a prever os níveis dos tremores com maior precisão do que os mapas de risco atuais. Estudos futuros com mais sismógrafos poderiam revelar ainda mais detalhes sobre as pequenas características geológicas e evitar de fato o perigo. [LiveScience]

Autor: Patricia Herman

é aspirante a jornalista, tem 21 anos e adora ler, principalmente poemas e a filosofia alemã do século XIX. Tem um único grande vício: música.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

Envie um comentário

Leia o post anterior:
coala
Segredo da “voz” do coala é revelado

Pesquisadores descob...

Fechar