Eventos de extinção em massa: um mistério de 200 milhões de idade

Publicado em 13.10.2011

Cinco vezes na última metade de um bilhão de anos, extinções em escala global dizimaram uma fração significativa da vida na Terra – e cada uma dessas extinções apresenta um grande quebra cabeças.

A mais recente e mais familiar é a extinção que dizimou os dinossauros, entre os períodos Cretáceo e Terciário, cerca de 65 milhões de anos atrás.

Mas, antes disso, 205 milhões de anos atrás, foi o “Evento do Fim do Triássico”, que preparou o palco para o Período Jurássico, que viu a ascensão para a proeminência dos dinossauros.

Exatamente o que aconteceu que matou metade das espécies do planeta, no entanto, permanece um mistério.

Na costa de Somerset, no Reino Unido, pesquisadores americanos estão tentando desvendar esses mistérios.

Paul Olsen era uma das poucas pessoas que acreditava que um impacto gigante de um objeto a partir do espaço começou a extinção, bem como o impacto que muitas pessoas acreditam que causou a extinção dos dinossauros.

“Eu argumentava que tinha sido um impacto com base no padrão de extinção, que se parece muito com o do Período Cretáceo/Terciário, e porque eu descobri uma ‘anomalia de irídio’”, explicou Paul.

“Irídio é muito raro na crosta terrestre, mas relativamente abundante em materiais extraterrestres, então uma abundância desse elemento sugere que houve um impacto naquela época”, sugeriu.

Mas a ciência evoluiu. Outros pesquisadores descobriram que fluxos de lava enormes de uma onda de atividade vulcânica no Oceano Atlântico também ocorreram exatamente no mesmo tempo. E Paul encontrou outras anomalias de irídio em alturas diferentes, nas proximidades.

“Não foi tão simples explicar as extinções como o resultado de um impacto gigante, mas mais simples de explicar como resultado dos fluxos de lava gigante”, disse Paul.

Embora possa ter tido um efeito sobre a vida na Terra, o impacto não parece alinhar no tempo com a atividade vulcânica e a extinção. Mas, como é tão frequentemente o caso com o registro de eventos sobre a superfície da Terra, mais dados são necessários, e Paul está martelando pedaços dele, levando as amostras de volta para os EUA para análise.

Gareth Collins, especialista em impacto, diz que qualquer um que tentar desvendar os detalhes de eventos de extinção, “se forem honestos consigo mesmos, diriam que nunca vamos saber”. É tudo demasiado complicado para descobrir a partir de registro fóssil.

Em contraste com o princípio orientador da ciência, qualquer suposição não leva a predições testáveis.

“Acho que estamos ainda um pouco distantes de entender exatamente qual foi a causa da extinção em massa, e responder a questão mais geral de saber se as extinções em massa têm uma causa comum ou se cada uma é um evento que precisa ser considerado isoladamente”, disse ele.

A extinção entre Cretáceo e Terciário, por exemplo, mostra mais uma vez uma grande quantidade de atividade vulcânica, e prova irrefutável de um impacto gigante.

Pode ser que todas as “cinco grandes” extinções envolveram tanto um clima interrompido devido a emissões vulcânicas, como alguma coisa caindo na Terra? Esses mistérios perdurarão por algum tempo.

Porém, é importante estudá-los. Seria interessante entendermos eventos de extinção em massa, pois eles pontuam a evolução e são tão importantes, se não mais importantes, do que o tipo de mudanças incrementais que ocorrem entre essas extinções. Eles “limpam a lousa” e permitem que a próxima era comece e as espécies dominantes evoluam.[BBC]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

19 Comentários

  1. Concordo com as explicações da destruição em massa mais só tem um detalhe , a próxima que vira vai ser porque a destruição da natureza, ou superpopulação, ou pelos lixos , e produtos químicos que estão minando o planeta de cima ate embaixo ou o homem acha se não mudar as atitudes de vez de só ter teoria vai mudar , evitar o que pode acontecer a todos nós.

    Thumb up 0
  2. Quero conhecer Glauco.
    Leio muito, quero falar sobre o cometa halley 1909

    Thumb up 0
  3. A grande extinção dos dinossauros á cerca de 65 M.a, pode nao ter sido consequencia de um cometa, foram descobertas grandes quantidades de lava, cerca de 10.000 km/2 de lava na regiao do Decão, India que datam 65 M.a, calcula-se que para originar esta grande massa de lava,foi necessaria 1 M.a de grande actividade vulcânica!

    Com actividade vulcânica tao elevada, enormes quantidades de gases toxicos foram livertados para a atmosfera (Dióxido de carbono, dioxido de enxofre…) o que certamente diminuiu a capacidade de respiração dos animais, nao só grandes dinossauros, dos repteis, mas tb da vida marinha, pois as grandes quantidades de cinzas livertadas misturadas com a chuva iam parar ao oceano, formando uma especie de pasta, juntando a esta pasta, um aumento significativo da acidez da agua, provocado pelo aumento de dioxido de carbono existente na atmosfera, tornava dificil a vida no oceano!

    Thumb up 2
    • A questão é que a aproximação e a ligação gravitacional entre a Terra e grandes cometas provocam erupções vulcânicas ao redor do planeta inteiro, inclusive onde regiões onde anteriormente nem existiam vulcões.

      A Terra, por ter bilhões de anos de idade, já deveria ter passado por sua fase geológica (normalização) muito antes dos dinossauros. Se hoje em dia a Terra ainda sofre tantos abalos sísmicos, mesmo tão mais fracos quanto os do passado, é pq ainda está se adaptando a eventos sismológicos intensivíssimos no passado recente. A Terra não possui força suficiente prá fazer esse estrago todo sozinha: a fonte tem que ser externa.

      Thumb up 6
    • Bravo!

      Thumb up 19
    • Não leiam esse site. É uma mistura ridícula da Gnose de Samael com as profecias atuais da internet.

      Se querem saber sobre Samael, a Gnose e a visão dela a respeito de eventos cataclísmicos, vão fazer os cursos gratuítos que eles fornecem na maioria das cidades brasileiras. Evitem os sites da internet a todo custo.

      Thumb up 18
    • Péssimo. Isso não tem nada a ver com a Gnose do Samael.

      Se vc segue mesmo a Doutrina, deveria desfazer esse site imediatamente.

      Thumb up 22
  4. São cometas que trazem Eventos de Extinção em Massa, não só a 200 milhões de anos, mas repetidas vezes, sendo a última a não mais de 3700 anos atrás.

    Esses cometas gigantes (apenas os gigantes), quando se aproximam da Terra, trazem todo tipo de agentes destruidores com eles:

    Barragens de asteróides e meteoros que acompanham ora sua força gravitacional, ora seu Efeito Magnético Induzido;

    Descargas elétricas que induzem tempestades através de nossa atmosfera, sendo milhares de vezes mais terríveis do que as piores tempestades modernas;

    Marés gravitacionais que podem causar desde ondas no oceano e em terra e a criação de novas montanhas ou gigantescas vagas oceânicas que inundam a terra;

    Quantidades inimagináveis de detritos como rochas e diversos compostos químicos inflamáveis, tóxicos e todo tipo de hidrocarbonetos que fazem parte da cauda desses mesmos cometas, e que podem às vezes estarem apontadas para a Terra como ocorreu no passado;

    Possibilidade de Dilúvio Universal ou até total retirada de toda a nossa atmosfera, mares e matéria na superfície.

    Ou isso, ou cometas são bolas de gelo sujas que conseguem fazer o Sol explodir toda vez que se encontra com ele, como vcs podem ver pelas câmeras C2 e C3 da SOHO em 30/09/11 até 02/10/11.

    Thumb up 11
    • Você parece o pastor de uma igreja descrevendo o demônio, kkkk

      Thumb up 4
    • né =D ??

      Thumb up 2
    • Ah tá, 3700 anos atrás teve uma extinção em massa…hoje o fumo tava forte…

      Thumb up 6
    • Sim, teve uma extinção em massa nessa época, inclusive quase entramos nessa lista. O que restou dos mamutes na Sibéria e nas Américas pereceu nessa última extinção em massa, além de outros grandes mamíferos.

      Thumb up 2
    • kkkkk pera ai? oyve uma grande extiçao em massa a 3700 anos atras?? kkkkkkkk nao foi quando os profetas do apocalipse falaram que nibiru passou ? e mesmo assim sobrevivemos? sem a tecnologia ? kkk isso é mesmo uma piada …. se tal planeta estivese vindo ja teria vindo,só fazer as contas 3700-2011 o que sobra é o tempo q ele ainda vai chegar perto do sistema externo ou seja tal planeta nao existe é hipotético… vamos pensar um pouco… hoje ele esta a 1000 UA a tres teoria aceita sobre Hipotético Planeta X
      * Um PLaneta do Tipo Terra ou Marte A 1000 UA
      * Um planeta do Tipo Netuno a 2000 UA
      * (a mais bizarra que eu acho)Uma anã negra a 35000 ua
      Viu?
      1 uma é aproximadamente 150.000.000 Km

      Thumb up 4
    • Esse último evento não teve nada a ver com Nibiru. Eu estou confuso, mas o que entendi de meus autores (McCanney, Blavatsky, Velikovsky e um pouco da Bíblia), pode ter ocorrido entre 12000 e 24000 anos atrás. Mas desse não se sabe mais a história, talvez nunca mais volte.

      O evento de 3700 anos atrás foi causado por um cometa que não vai voltar nunca mais com toda certeza, pois o vemos quase todos os dias em nossos céus: é o planeta Vênus, que na cultura Maia é Quertzacoatl, a Serpente Emplumada, e seu calendário religioso e para agricultura segue a órbita desse planeta. Siga Mundos em Colisão para entender melhor o que se passou e pq os Maias tiveram que criar um calendário só para Vênus. Todo planeta e lua um dia foi um cometa.

      Num evento de extinção em massa, a única tecnologia de ponta que pode te salvar é uma nave espacial que te deixe bem longe dessa região do Sistema Solar. Como não possuímos isso, a única coisa que pode nos valer de tecnológico é comida de emergência, filtros de água, sementes para alimentação e cultivo e a técnica de como criar um calendário para plantar e colher essas sementes depois do evento todo tiver passado.

      Clado que você vai ter que ter sobrevivido à ele =P.

      Thumb up 1
  5. Existe uma teoria, Hipótese de Medeia, do paleontólogo Peter Ward, que contraria o senso comum de que a vida luta pela vida; de que a vida tende a se espalhar e aumentar por ela mesma. O que ocorreria na verdade, é que seres vivos ao lutarem pela vida, garantido sua sobrevivência, acabam por aniquilar os próprios meios abstratos que permitem a vida se desenvolver. Em miúdos, quanto mais vida, maior a extinção desses seres vivos.
    Daí porque ocorreram 5 extinções em massa na história da Terra.

    Aqui um resumo da ideia:
    veja.abril.com.br/270110/peter-ward-mae-natureza-cruel-p-017.shtml

    E aqui um vídeo no TED, mais completo:
    http://www.ted.com/talks/lang/por_br/peter_ward_on_mass_extinctions.html

    Vale a pena conhecer, como curiosidade…talvez alerta…quem sabe; a ideia tem seus méritos.

    Thumb up 4
    • Não faz o menor sentido. Esses eventos de Extinção em Massa são sempre acompanhados por mudanças climáticas e geológicas intensas. Como a simples busca por alimentos não é capaz dessas mudanças, essa Hipótese de Medeia desse paleontólogo não é válida nem em um milhão de anos.

      Não sei como um paleontólogo, mesmo conhecendo fósseis e as terríveis condições em que eles foram criados, pode considerar uma idéia absurda dessas!

      Thumb up 8
    • Excelente comentário e excelente contestação.
      Quero endossar que extinção em massa é diferente de extinção gradativa.

      Thumb up 4

Envie um comentário

Leia o post anterior:
brasil_populacao
Quantas pessoas o planeta suporta?

Uma vontade insaciáv...

Fechar