Explosão mais energética já vista no universo é detectada por astrônomos

Publicado em 8.05.2013

746305main_Swift_XRT

Astrônomos do mundo todo ficaram impressionados com a explosão recorde de raios gama detectada no último dia 27 de abril pelo Telescópio Espacial Fermi, da NASA. O mais provável é que seja resultado de uma supernova massiva, que produziu a luz de maior energia já detectada pelos cientistas.

A erupção, designada GRB 130427A, chamou a atenção por diversas razões. Além de bastante poderosa – o Fermi’s Large Area Telescope (LAT) registrou um raio gama com uma energia de pelo menos 94 bilhões de giga elétron-volts (GeV)– a explosão teve uma longa duração, fato que surpreendeu os astrônomos.

“Nós esperamos muito tempo por uma explosão de raios gama”, disse Julie McEnery, cientista do projeto para LAD. “A GRB durou tanto tempo que um número recorde de telescópios no solo foi capaz de pegá-la enquanto observações espaciais ainda estavam em andamento”.

A GRB130427A produziu 35 bilhões de vezes a energia de luz visível, e é cerca de três vezes mais potente que o recorde de erupção anterior.

A explosão, posteriormente, foi detectada em comprimentos de onda ópticos, infravermelho e rádio por observatórios terrestres, o que permitiu aos astrônomos determinar a distância, que neste caso foi de aproximadamente 3,6 bilhões de anos-luz, considerada relativamente perto para estes eventos – ela cai entre as 5% das explosões mais próximas já registradas.

De acordo com as explicações dos astrônomos, estas explosões celestes são extremamente raras, ocorrendo apenas uma vez a cada milhão de anos, mais ou menos, por galáxia. No entanto, também são as mais brilhantes do universo, e bastante difíceis de serem detectadas. [NASA]

746291main2_Fermi_LAT_GRB_673

Autor: Ana Claudia Cichon

é jornalista e curitibana, que agora tenta a vida em São Paulo. Apaixonada, doente e viciada por futebol, do tipo que troca o aniversário da mãe ou do namorado para ir ao estádio.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

11 Comentários

  1. A estrela CANOPUS ou Alfa Carinae deve ser uma das pxmas. à colorir os céus numa grande explosão da sua massa; mais de 100X a do nosso sol. A sua instabilidade faz com que esta estrela queime àtomos suficientes para produzir a luz de 80.000X mais que o nosso imponente astro rei. Tal situação pode levá-la aos extremos de uma implosão ou explosão.

    Thumb up 0
  2. Se a distância determinada é de 3,6 bilhões de anos-luz, então esse evento ocorreu também a cerca de 3,6 bilhões de anos atrás. Certo?
    Seria interessante nesses artigos que falam sobre astronomia, deixar claro não só a distância como também o tempo, pois para um leitor desavisado dá a impressão que o evento é recente, quando na verdade tem bilhões de anos.

    Thumb up 4
    • Você pode observar a olho nú alguns planetas, com binóculos e telescopios amadores é possível ver planetas, aglomerados, nebulosas, quasares e até Galáxias, mas super-novas sao eventos raros e duram pouco. Você teria que saber aproximadamente quando surgiria uma supernova e ficar observando o céu naquela região.
      O exemplo acima é um pois a liberação de raios gamas podem significar a iminencia de explosao de uma estrela (super-nova).

      Thumb up 3
    • Parceiro. Se eu te disser que é mais imprevisto descobrir a explosão de uma estrela, quanto ao que vai acontecer tal segundo, tal dia daki centenas de anos numa rua bem movimentada qualquer.

      Thumb up 1
    • Procure fotos da Supernova da Nebulosa Tarantula – Grande Nuvem de Magalhåes, ela formou dois anéis e é muito bonita.

      Thumb up 1

Envie um comentário