Forte odor corporal? A culpa pode ser de uma desordem genética

Publicado em 16.09.2011

Algumas pessoas podem cheirar mal, mas não por falta de banho ou de higiene. Problemas com o odor corporal, a princípio inexplicáveis, podem ser resultado de uma desordem genética rara, conhecida como “síndrome do cheiro de peixe”.

A doença, conhecida clinicamente como trimetilaminuria, é causada pela emissão de quantidades excessivas do composto trimetilamina (TMA). O TMA é produzido com a digestão dos alimentos ricos em uma substância chamada colina – incluindo peixes de água salgada, ovos, fígado e alguns legumes, como soja e feijão.

Os indivíduos com esse distúrbio produzem maus odores esporadicamente, apesar da boa higiene. Por isso, o impacto psicossocial que a trimetilaminuria causa pode ser grande, podendo gerar problemas psicológicos aos pacientes.

O diagnóstico da doença é difícil sem exames especializados, e é ainda mais complexo pelo desconhecimento do distúrbio por muitos médicos. O TMA em si tem um forte cheiro de peixe, mas apenas cerca de 10% a 15% dos pacientes com a trimetilaminuria tem um mau cheiro específico, o que também pode dificultar o diagnóstico.

A trimetilaminuria é causada por defeitos no gene FMO3, que dificulta a capacidade do organismo de metabolizar TMA e transformá-la em compostos sem odor.

Uma pessoa tem a doença deve herdar uma cópia defeituosa do FMO3 de ambos os pais, sendo que eles mesmos podem não ser afetados pelo distúrbio, mesmo sendo portadores.

Estudos no Reino Unido estimam que até 1% das pessoas brancas carregam uma cópia defeituosa do FMO3, sendo que alguns grupos étnicos do Equador e da Nova Guiné apresentam uma taxa mais elevada.

Poucos laboratórios realizam testes para essa doença, mas uma maneira prática de avaliar por sua própria conta se você tem ou não a síndrome do cheiro de peixe é evitando alimentos ricos em colina.

Se reduzir esses alimentos diminuir o problema, isso é um forte indício de que você é portador da doença, cujos sintomas podem ser diminuídos principalmente por meio da alimentação. [Reuters]

Autor: Stephanie D’Ornelas

É estudante de jornalismo, adora um café e um bom livro. Curte ciência, arte, culturas e escrever, mesmo que sejam poesias para guardar na gaveta.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

9 Comentários

  1. Achei muito interessante a pesquisa. Quantas pessoas são às vezes discriminadas por isso, não é mesmo? No entanto a solução não é tão difícil, basta mudar o regime alimentar. Com os verdadeiros vegetarianos não acontece, podem até comer feijão e soja, mas sem inclusão de nenhum produtos animal, tudo bem.

    Thumb up 3
  2. Com certeza sofro desse mal. Diminuí a ingestão de carnes vermelhas, feijão ovo e cerveja e o odor praticamente sumiu. Uso bons perfumes maqueia a situação, é complicado isso pq todo dia é uma batalha.

    Thumb up 8
    • boa noite… estamos juntos nessa! Infelizmente! É horrível mesmo, cada dia uma guerra!!!

      Thumb up 6
  3. muito interessante a materia,achei q sofria de hiperidrose mas lendo a materia pode ser q seja isso tambem,realmente o impacto social e psicologico é muito grande mesmo a gente passa por muitos contrangimentos,descobri um desodorante muito bom e que tem me ajudado muito é o driclor é um produto importado por isso nao é vendido em farmacias so consegui encontra-lo na internet, a materia poderia ter passado algumas formas de tratamento.

    Thumb up 5
  4. O negocio é estar de olho no sol, Ele gera energia solar, temos que mudar os habitos, e uma nova alternativa enrgia limpa se Liga Brasil

    Thumb up 0
  5. Gostei, achei interessante o assunto. Li uma pesquisa falando sobre o excesso de suor, um dos grandes causadores do odor nas axilas. Agora vejo que pode ser, também, uma causa genética. Vou pesquisar mais sobre isso, acho que tenho esse problema. (português – brasileiro)

    Thumb up 2

Envie um comentário

Leia o post anterior:
nasafogu
NASA anuncia novo foguete que poderá fazer viagens tripuladas a Marte

A NASA anunciou seu ...

Fechar