Fotos da Batalha de Bulge foram encontradas em uma câmera perdida

Quem diria que, 70 anos depois, acordaríamos com a notícia de que fotos da Batalha de Bulge foram encontradas. E como se não bastasse essa notícia inusitada, especialmente pelo fato de a fotografia ser uma tecnologia pouco popular naquela época, o lugar em que elas foram encontradas deixa o fato ainda mais fascinante: as fotos foram descobertas na câmera de um soldado, que estava perdida em uma das trincheiras usadas durante o embate.

A Batalha de Bulge

Essa batalha aconteceu durante a Segunda Guerra Mundial, e ficou conhecida como uma das batalhas mais mortíferas e influentes do confronto. O ataque foi uma surpresa proporcionada pelos alemães capturados pelas forças aliadas, e causou enormes baixas, especialmente nas tropas norte-americanas.

Entre as 89.000 vítimas, estava um soldado chamado Louis J. Archambeau, nativo de Chicago (Estados Unidos), que foi quem deixou para a câmera recentemente encontrada. Ele fazia parte da Companhia C, 1º Batalhão, 317º Regimento de Infantaria, e era um atirador – um dos responsáveis por dar cobertura a seus companheiros das forças aliadas. E foi em um dos dias que o regimento finalmente resolveu fazer uma pausa para tentar descansar um pouco que o soldado Archambeau tirou as fotos que você verá a seguir. Ele não sabia, obviamente, mas estava documentando seus momentos finais.

A última vez que alguém ouviu falar de Archambeau foi em 26 de dezembro de 1944. Sua última posição relatada foi em uma trincheira, com vários de seus companheiros. Contudo, seu corpo só foi encontrado em 23 de fevereiro de 1945, quando foi oficialmente dado como morto. Na época, as circunstâncias que levaram à sua morte foram envoltas em mistério, e até hoje não haviam sido completamente esclarecidas.

70 anos depois

Fazendo uma pequena viagem no tempo para 70 anos depois desses acontecimentos, o Capitão da Marinha dos Estados Unidos, Mark Anderson, e seu amigo historiador, Jean Muller, estavam vasculhando a região ao redor de Luxemburgo com detectores de metal, exatamente onde os tiroteios mais acalorados aconteceram durante a Batalha de Bulge.

Ao viajar através da floresta montanhosa que uma vez serviu como um campo de batalha brutal, a dupla se deparou com uma trincheira vazia, e dentro dessa trincheira eles encontraram os pertences pessoais do soldado americano Archambeau, que por uma ironia do destino permaneceram intocados por quase três quartos de século. É quase como se essas coisas quisessem ser encontradas, mas estavam esperando a hora certa para saltar aos olhos de alguém.

Entre esses bens, estava a câmera fotográfica de que falamos, com um rolo parcialmente exposto à luz e outra parte do filme ainda dentro.

Quando desenrolaram o filme e revelaram as fotos que haviam restado, Anderson e Muller perceberam que tinham tropeçado em uma pequena coleção de imagens obtidas por Archambeau durante seus últimos dias, uma memória fotográfica de sua própria composição. E eles não param por aí.

Na esperança de descobrir mais, a dupla fez parcerias para identificar a família de Archambeau. O objetivo era mostrar-lhes o que tinham encontrado e conseguir um pouco de informações sobre o mistério do que aconteceu com seu ancestral em seus momentos finais.

Depois de juntarem esforços, um membro da família do soldado fotógrafo for finalmente encontrado e assumiu a custódia desses itens que são verdadeiros patrimônios históricos. Entre os bens herdados, estão fotos da Batalha de Bunge surpreendentemente intactas e reveladas 70 anos depois de terem sido fotografadas.

Fotos da Batalha de Bulge

Agora chega de mistério! Vamos finalmente ver um dos episódios mais marcantes da história mundial sob a ótica de um soldado que a viveu, em carne e osso. Essas fotos estão obviamente digitalizadas, mas mesmo que lhes falte um pouco de qualidade, seu poder reside em descrever com precisão a vida fria e dura de um soldado de infantaria durante uma das batalhas mais terríveis da Segunda Guerra Mundial. [PetaPixel]

Atualização

Para tristeza geral de todas as nações, essa história não passou de uma pegadinha contada para tornar o Dia da Independência dos Estados Unidos (comemorado em 4 de julho) mais, digamos assim, emocionante. A única coisa que não podemos julgar é que de fato eles escolheram uma boa história.

Ela tinha todas as características de um conto dramático e heróico guerra. Mas os detetives internet acabaram revelando a verdade, ao reconhecer algumas dessas  fotos, supostamente nunca antes vistos, em Arquivos dos Estados Unidos, e que também já haviam sido publicadas no livro Images of War: Battle of the Bulge por Andrew Rawson.

Então, onde a verdadeira história sai dos trilhos e se transformar em uma farsa? Ninguém está realmente certo. O sobrinho-neto de Louis afirma que Mark Anderson de fato descobriu uma câmera abandonado, e que de fato, ela continha filmes não revelados. Mas Anderson não estava presente na câmara escura quando o filme foi revelado, e ele se quer viu negativos ou impressões. Em algum momento do telefone sem fio, as versões distorcidas dessa história acabaram sendo distorcidas e, mesmo que as fotos já tivessem ido a público, acabou sendo viralizada com o melhor que tinha: o mistério (mentiroso). [Gizmodo]

 

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

4 respostas para “Fotos da Batalha de Bulge foram encontradas em uma câmera perdida”

    • Acho que você não entendeu o que está acontecendo. Em primeiro, não se trata de um repórter fotográfico, mas de um soldado com uma câmera, registrando o dia-a-dia dele. Durante a batalha mesmo ele estava lutando (e morrendo).

      Em segundo, não são fotos desfocadas. Elas estão super granuladas, e isto pelo simples fato do filme estar uns 68 anos vencido (é um milagre que ainda existam imagens latentes depois de tanto tempo). As fotos mais nítidas a gente percebe que estão no foco.

    • Creio que você é que não entendeu meu comentário: não questionei a importância da descoberta, sim o fato de que as imagens muito pouco noticiam do episódio que retratam. São admiráveis por terem sobrevivido tanto tempo (seria boa propaganda para o fabricante do filme), mas do evento em si quase nada ilustram.

Deixe uma resposta