IBM cria HD atômico

Enquanto a pressa para acompanhar o ritmo da Lei de Moore está se tornando caótica, pesquisadores da IBM anunciaram nesta quarta-feira (8) que eles conseguiram reduzir drasticamente o espaço necessário para armazenar um bit de informação, ocupando apenas um único átomo.

Esse avanço na tecnologia de armazenamento é muito importante. Os hard drives modernos precisam de cerca de 100 mil átomos para armazenar um único bit, então essa tecnologia significaria que os meios de armazenagem diminuiriam uma ordem de magnitude em tamanho.

A IBM diz que será possível armazenar o catálogo do iTunes inteiro (35 milhões de músicas) em um disco do tamanho de um cartão de crédito por meio desta nova tecnologia.

Este sistema usa átomos de hólmio em cima de uma superfície de óxido de magnésio, o que mantém os pólos magnéticos dos átomos estáveis – mesmo na presença de outros ímãs. A orientação desses pólos determina se o átomo constitui um 1 ou um 0.

Para gravar neste sistema de armazenagem, uma agulha microscópica induz a corrente a mudar a orientação do átomo. Já para ler a informação é mais simples, basta medir a corrente magnética que passa por cada átomo, que varia se os pólos estiverem para cima ou para baixo.

Infelizmente, esta tecnologia não deve chegar ao mercado nos próximos meses. Por enquanto, para funcionar, é necessário um microscópio eletrônico resfriado com hidrogênio líquido operando no vácuo. O estudo foi publicado na revista Nature. [Engadget]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (11 votos, média: 4,91 de 5)
Curta no Facebook:

Uma resposta para “IBM cria HD atômico”

Deixe uma resposta