A aterradora morte do universo

A ciência já nos mostrou algumas vezes que nosso universo, um dia, em um futuro muito, muito distante, vai acabar. Mas como isso vai acontecer? No vídeo abaixo, o físico teórico Robbert Dijkgraaf, professor do Instituto de Estudos Avançados em Princeton, explica como o universo vai encontrar a sua morte.

O universo chegará ao fim mais cedo do que se pensava

Basicamente, o que ele diz é que os buracos negros vão destruir tudo. “Eu acho que a maior descoberta da teoria de Einstein é que o universo está se expandindo. Mas aprendemos algo ainda mais dramático nos últimos anos. Aprendemos que ele não está apenas se expandindo, mas há uma força dentro do espaço vazio que o ajuda a se afastar. Isso na verdade está acelerando a expansão dele, e essa expansão terá consequências realmente dramáticas. Significará que a parte distante do universo começará a se afastar tão rápido em um ponto, que será mais rápida do que a velocidade da luz”, explica.

Fim de tudo: Uma “bolha de vácuo” de rápida propagação poderá engolir nosso universo

Essa aceleração trará consequências para a nossa via láctea. Todas as nossas galáxias vizinhas vão desaparecer lentamente, e nós seremos deixados somente com nossa galáxia e talvez algumas outras.

“Nós vamos estar vivendo em um universo insular. Assim, quando a galáxia for deixada sozinha neste universo vazio, as estrelas vão apagar uma por uma, porque elas vão queimar seu combustível. E quando todas as estrelas queimarem seu combustível, a única força que restará é a força da gravidade, e a gravidade vai puxá-las lentamente, e os buracos negros devorarão tudo mais que existe, e será isso”, diz Dijkgraaf.

10 fatos SURPREENDENTES sobre buracos negros

Ele acredita que, por esse ser um cenário muito desolador, muitos físicos hesitam em acreditar que isto é realmente o que vai acontecer. “Mas os experimentos estão todos apontando nessa direção”, finaliza. [Business Insider]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (15 votos, média: 4,87 de 5)
Curta no Facebook:

2 respostas para “A aterradora morte do universo”

Deixe uma resposta