Nem a morte separou: esqueletos da Idade Média são encontrados de mãos dadas

Enquanto escavavam um cemitério na cidade de Cluj-Napoca (Romênia), um grupo de arqueólogos encontrou algo inusitado: dois esqueletos, um de homem e outro de mulher, enterrados de mãos dadas, uma possível transgressão da clássica sentença “até que a morte os separe”.

“É um caso estranho, uma espécie de ‘Romeu e Julieta'”, compara Adrian Rusu, líder da equipe. Ao contrário dos personagens de Shakespeare, contudo, o casal romeno aparentemente não cometeu suicídio. “O homem parece ter morrido acidentalmente, já que o [osso] esterno foi quebrado por um objeto contundente [não afiado]”.

Eles ainda não encontraram uma explicação física para a morte da mulher, o que leva a crer que ela morreu de derrame ou de ataque cardíaco – ou, se quisermos manter o romantismo, de “tristeza”.

De acordo com informações veiculadas pelo jornal romeno Adevarul, o casal teria vivido entre 1450 e 1550. No começo desse período, o cemitério fazia parte de um monastério dominicano (e, se o casal tivesse cometido suicídio, algo considerado um pecado, não teria sido enterrado lá) e, mais tarde, foi “secularizado” e passou a integrar uma escola de música.

Próximo ao local, também foi encontrado o esqueleto de uma criança, mas ainda não se sabe se há alguma relação com o casal.[Huffington Post, Daily Mail UK]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars
Curta no Facebook:

Uma resposta para “Nem a morte separou: esqueletos da Idade Média são encontrados de mãos dadas”

Deixe uma resposta