Nem sempre os bonzinhos são passados para trás

Publicado em 14.05.2009

mulher sorrindo

Contrariando a música “Nice guys finish last” (Bons rapazes chegam por último, em tradução livre), da banda estadunidense Green Day, cientistas afirmam que bons moços são sim atrativos às mulheres. Estudos mostram que homens agressivos não conquistam mais mulheres do que os mais pacíficos.

O estudo foi feito pela universidade do estado da Pennsylvania, liderado pelo professor Stephen Beckerman, com base na comunidade Waorani no Equador. Esta é uma das comunidades mais agressivas no mundo. Por esse motivo, o resultado esperado era que os homens de boas maneiras fossem passados para trás.

Mas o resultado foi contrário, mesmo dentro desta comunidade conhecida por ser tão agressiva com as pessoas de fora – tanto homens como mulheres – como os de dentro. Os homens menos agressivos possuíam mais esposas e uma linhagem mais duradoura.

Porém estudos anteriores sobre os Ianomâmis, que habitam a Venezuela e o Brasil, possuem resultados que conflitam com os de Beckerman. Os Ianomâmis fazem parte de uma tribo indígena que reside na Amazonia cuja cultura, se acredita, ser a mais primitiva no mundo. Foi observado que nesta tribo os homens que matam mais, possuem mais esposas. [Telegraph]

Autor: Alessandra Nogueira

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. Sei de um estudo com uma população de chimpanzés em que um jovem macho, muito agressivo, impaciente com os filhotes e explosivo diante da menor contrariedade, acabou sendo gravemente ferido pelo grupo inteiro, que não aguentou sua ditadura. Casualmente, assisti outro programa que mostrava um grupo de macacos da montanha onde aconteceu o mesmo. Um macho jovem e muito agressivo assumiu a dominância e maltratava as fêmeas e os filhotes. Um dia amanheceu coberto de dentadas. Parece que nem entre os símios a violência interna, dentro do grupo, é um atrativo. As fêmeas não gostam. Elas gostam e necessitam da proteção e do apoio do macho, mas não de violência gratuita. Entre os símios, a fêmea faz escolhas, sim, prefere um macho a outro, mas essas escolhas parecem ser limitadas a um jogo de poder, pois o macho mais forte assume a liderança, embora possa ser destituído dessa liderança se não cumprir seu papel protetor a contento. Seres humanos são diferentes dos macacos, mas sabemos que há semelhanças inegáveis entre as espécies. Resumindo, eu acho que os “bonzinhos” são atraentes, mas desde que ofereçam à fêmea a segurança de que precisa. Isso pode parecer bobagem, as hoje o que é que traz segurança? Dinheiro, estabilidade emocional, afetividade na relação, diálogo, compreensão. E isso, junto com atração física, é tudo que a mulher gosta na hora em que deseja construir uma família. Na adolescência ela pode andar fazendo “loucuras” por aí, mas na hora de “casar” ela vai preferir um bonzinho, que seja confiável e cuide bem dos filhotes. É a lei da natureza adaptada para a civilização. Mas lembrem que nem na selva a brutalidade gratuita agrada.

    Thumb up 3
  2. PUTZ!!! O teste foi feito com uma tribo de Ianomames!! O que este estudo(?) tem a ver com a realidade que presenciamos na CIDADE, que é onde moram a maioria das pessoas (não diga) e onde não se usa tacapes para se conquistar uma mulher (que pena). Meio deslocado esta materia.

    Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
emagrecer-g
Dicas: Como manter a motivação para emagrecer

Cada vez mais surgem...

Fechar