Novo mapa de superaglomerado galáctico mostra a casa celestial da Via Láctea

Esta simulação de computador retrata o superaglomerado gigante, com a localização da Via Láctea mostrada como um ponto vermelho

A nossa galáxia, Via Láctea, fica dentro de um superaglomerado gigante. Agora, um novo mapa cósmico criado por pesquisadores da Universidade do Havaí em Honolulu nos oferece um olhar sem precedentes sobre os limites dessa nossa casa celestial.

Os cientistas nomearam o grupo galáctico colossal de Superaglomerado de Laniakea, havaiano para “céu imensurável”.

Matriosca espacial

“Vivemos em algo chamado de ‘teia cósmica’, onde galáxias estão conectadas em tentáculos separados por vazios gigantes”, disse o autor principal do estudo, Brent Tully, astrônomo da Universidade do Havaí.

As galáxias não se espalham aleatoriamente pelo universo. Em vez disso, agrupam-se em aglomerados, como o que a Terra se encontra, chamado de Grupo Local, que contém dezenas de galáxias.

Por sua vez, esses grupos são parte de superaglomerados maciços formados por centenas de galáxias, todos interligados em uma teia de filamentos nos quais as galáxias estão “amarradas” como pérolas em um colar.

As estruturas colossais conhecidas como superaglomerados formam-se nas interseções desses filamentos.

O recém-descoberto superaglomerado de galáxias pode inclusive fazer parte de uma estrutura ainda maior, que não foi definida completamente.

Cosmicflows-2

As estruturas gigantes que compõem o universo muitas vezes têm limites pouco claros.

Para melhor definir essas composições, os astrônomos examinaram Cosmicflows-2, o maior catálogo de movimentos das galáxias, argumentando que cada galáxia pertence à estrutura cuja gravidade está fazendo com que ela flua em direção.

“Temos uma nova maneira de definir estruturas de grande escala a partir das velocidades das galáxias, em vez de apenas olhar para a sua distribuição no céu”, afirmou Tully.

O novo mapa 3D mostrou que a Via Láctea reside nos arredores de Laniakea, um superaglomerado com cerca de 520 milhões de anos-luz de largura. Ele é composto por cerca de 100.000 galáxias com uma massa total de aproximadamente 100 milhões de bilhões de vezes a do sol.

Grande Atrator

Este superaglomerado também inclui o aglomerado de Virgem e de Norma-Hydra-Centaurus, também conhecido como o Grande Atrator.

Essas novas descobertas ajudam a esclarecer o papel do Grande Atrator, uma anomalia gravitacional que intriga os astrônomos há 30 anos.

Dentro do Superaglomerado de Laniakea, os movimentos das galáxias são direcionados para dentro, como a água fluindo em caminhos descendentes por um vale. O Grande Atrator atua como um vale gravitacional de fundo plano com uma esfera de atração que se estende ao superaglomerado.

Mais dados

O próximo passo é tentar descobrir se Laniakea pertence a uma estrutura ainda maior.

“Nós provavelmente precisamos medir a um outro fator maior para explicar nosso movimento local. Podemos ter de criar outro nome para algo maior do qual somos parte”, sugeriu Tully.

Os cientistas detalharam suas descobertas na edição de 4 de setembro da revista Nature. [Space]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 4,90 de 5)
Curta no Facebook:

4 respostas para “Novo mapa de superaglomerado galáctico mostra a casa celestial da Via Láctea”

Deixe uma resposta