Novo método coleta DNA de golfinhos pela respiração

Publicado em 26.08.2010

Biólogos desenvolveram recentemente uma nova forma de coleta de DNA que não causa danos os golfinhos. Ela é coletada a partir de seus “repuxos” (a forma como respiram).

Compreender a genética do golfinho é fundamental para a conservação das populações selvagens, e os métodos atuais para coletar DNA desses animais usam um procedimento que pode ser prejudicial a eles.

A forma mais comumente usada para coletar DNA, tanto em golfinhos quanto em baleias, é por “biópsia por dardo”. Trata-se de disparar um dardo com uma pequena farpa no flanco do animal, e depois extrair uma pequena porção de tecido. Para as baleias este procedimento é menos invasivo do que para os golfinhos menores. Houve um caso documentado de morte de um golfinho a partir de uma biópsia de dardo.

Encontrar uma nova técnica tornou-se uma prioridade internacional, particularmente para as espécies protegidas de golfinhos. Os cientistas esperam que essa nova técnica, utilizada com sucesso para extrair DNA de golfinhos de aquário, também possa ser usada nos golfinhos na natureza.

Os golfinhos são mamíferos, assim eles respiram oxigênio do ar. Eles respiram através do “espiráculo”, que é um orifício localizado no topo de suas cabeças. O “golpe de ar” ou “repuxo” é exalado em grande força a uma velocidade de 70 litros por segundo. Devido a isso, as células da superfície de seus pulmões podem ser encontradas em seus repuxos e assim o DNA pode ser extraído.

Ao comparar o DNA de amostras de sangue com o DNA extraído do repuxo, os pesquisadores foram capazes de provar que o DNA pode ser extraído com sucesso utilizando esta técnica.

Ser capaz de obter boas informações genéticas de populações de baleias e golfinhos é fundamental para sua conservação. Olhando para o DNA, pode-se dizer muita coisa dessas populações selvagens.

Como os golfinhos costumam respirar perto de barcos de qualquer maneira, os investigadores podem tirar o líquido sem forçá-los.

No futuro, a técnica também poderia ser usada para medir os hormônios dos golfinhos. Os pesquisadores têm curiosidade em analisar os hormônios do estresse ou hormônios reprodutivos dos animais. Para eles, ser capaz de fazer um teste de gravidez de um golfinho seria fantástico.

Além disso, os ácidos encontrados poderiam dizer que tipo de peixe o golfinho está comendo, porque cada espécie de peixe tem uma assinatura de ácidos graxos. Assim, eles poderiam avaliar também a sua dieta. [BBC]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

2 Comentários

  1. Os ambientalistas e defensores dos bichos agradecem. É difícil avaliar os benefícios que todos esses procedimentos e pesquisas científicas vão trazer para os seres humanos. E para os próprios bichos…

    Thumb up 0

Envie um comentário

Leia o post anterior:
sapinho
Pesquisadores descobrem um sapo do tamanho de uma ervilha

Os machos da espécie...

Fechar