Os 10 problemas mais comuns do pensamento humano

Você com certeza já ouviu falar de psicologia reversa e de efeito placebo. Mas você sabia que essas técnicas muito usadas no mundo da ciência têm como base falhas do pensamento humano? E não pense que está imune delas: esses problemas acontecem com todos, independentemente de idade, sexo ou nível educacional. Confira a lista abaixo e veja quais dos 10 problemas mais comuns do pensamento já aconteceram com você.

10. A ilusão do apostador

Quando você joga “cara ou coroa” várias vezes e tira apenas “cara” seguidamente é mais provável que você tire “coroa” na próxima vez que jogar a moeda, certo? Errado. A chance de sair “cara” ou “coroa” é sempre a mesma, de 50% para cada opção (isso se a moeda não estiver alterada, obviamente). Você pensa que tirar “coroa” é mais provável por causa da chamada “ilusão do apostador”. O cérebro humano tem uma tendência a achar que eventos do passado podem alterar a probabilidade de eventos futuros, apesar de as chances serem sempre as mesmas. Pode parecer meio óbvio quando explicado dessa forma, mas vários apostadores já perderam dinheiro na roleta, no pôker e em outros jogos de azar por causa dessa falha do pensamento.

9. Reatividade

Você está jogando paciência tranquilamente no escritório quando sente uma presença perturbadora. Seu chefe entrou na sala. Você subitamente fecha a janela do jogo, endireita as costas e tenta parecer atento àquele relatório. O exemplo pode parecer exagerado, mas é comprovado que os humanos tentam parecer mais eficientes e atentos quando sabem que estão sendo observados, sendo pelo chefe ou não. Um estudo feito nos anos 20, por exemplo, tentou provar que a eficiência dos empregados de uma fábrica aumentava com mudanças na luz. E, durante a pesquisa, a eficiência do pessoal realmente aumentou. No entanto, depois que a luz da fábrica foi ajustada para uma maior eficiência e os pesquisadores foram embora, os níveis de produtividade voltaram ao normal. Os funcionários da fábrica estavam trabalhando mais na época da pesquisa não por causa da luz, mas sim porque sabiam que estavam sendo observados por cientistas. A reatividade é um problema sério em pesquisas científicas, por isso, muitas vezes, grupos de referência são formados  – se uma empresa farmacêutica resolve testar um novo remédio de dor de cabeça, é provável que administre um placebo, uma pílula de trigo, em um grupo de voluntários e o produto normal em outro, para definir se os efeitos são mesmo por causa do remédio ou produto da mente humana.

8. Pareidolia

O nome parece complicado, mas essa falha é realmente comum. Lembra quando, há alguns anos, o mundo todo parou porque uma imagem da Virgem Maria apareceu em uma janela, como uma mancha? E quando você olha para o céu e pode jurar que uma nuvem se parece exatamente com um coelho? Tudo isso é fruto da pareidolia. Essa falha prega que o significado das coisas está no observador e não no que está sendo observado. Então quando você acha estranho que a vida de Michael Jackson, assim como sua morte, esteja povoada de coincidências que levam ao número 7, pode ser porque você está procurando por coincidências e não porque elas realmente influam em alguma coisa. Um fato interessante é que a pareidolia foi usada como base para aquele teste das manchas usado na psicologia. As imagens são ambíguas e a resposta de quem está sendo “entrevistado” mostraria seus pensamentos ocultos.

7. A profecia que se auto-completa

Essas “profecias” apenas confirmam atitudes que estão presentes em nós. Elas acabam causando constatações que provocam o resultado previsto. Quer um exemplo? Quando você pensa “eu odeio Física e vou levar bomba na prova” você é automaticamente desestimulado a estudar por seus pensamentos e as chances de levar bomba aumentam consideravelmente. Essa é uma técnica muito usada pelos chamados videntes. Você vai à cartomante e ela diz que há uma inimiga loira em seu caminho – logo você começa a ficar mais atento e receoso com qualquer pessoa loira que conhece e seu comportamento alterado pode até levá-lo a fazer um novo inimigo.

6. O efeito do halo

Um dia você chega no trabalho e encontra seu colega cochilando. No outro dia ele está fazendo a mesma coisa, assim como nos dias seguintes. Logo você começa a considerá-lo um preguiçoso. Temos depois ele não só é preguiçoso como não é confiável, é incompetente e, com certeza, um mau trabalhador. Podem haver outras razões pelas quais ele está cochilando naqueles dias, talvez tenha trabalhado até de madrugada a semana inteira, mas logo uma atitude faz com que reconsideremos toda a personalidade do sujeito de forma negativa.

5. Mentalidade de gado

É a tendência que temos de adotar as opiniões e os comportamentos da maioria para evitar o conflito. Alguns especialistas dizem que o caso de Geisy, da Uniban, foi causado exatamente pela mentalidade de gado. Essa falha explica porque certas modas pegam logo – o que é necessário é que um grupo ache um tipo de pulseira muito legal e logo o costume se espalha.

4. Relutância

A relutância é o contrário da mentalidade de gado. Para mostrar que você tem liberdade de escolha, você faz tudo ao contrário do que é esperado. Isso explica o comportamento de muitos adolescentes. Muitas vezes o jovem nem quer sair naquela noite, mas o fato de que seus pais o proibiram faz com que ele fique ansioso e saia, só para mostrar que ele pode. A psicologia reversa é, na verdade, um uso controlado da relutância. Diga para alguém fazer aquilo que você, na verdade, não quer que ele faça e ele, eventualmente, fará o que você quer – essa técnica é muito usada com crianças e com os adolescentes.

3. O desconto hiperbólico

Você prefere receber 100 reais hoje ou 120 no mês que vem? O desconto hiperbólico é a tendência que as pessoas têm de escolher a primeira opção. Na mente humana é preferível ter um ganho menor, mas imediato, do que esperar por mais dinheiro. O atraso do dinheiro realmente influencia na escolha do indivíduo. Pode até ser que o real valha mais hoje do que estará valendo no mês que vem, mas normalmente a variação seria pequena e você ainda estaria ganhando mais dinheiro se escolhesse a segunda opção.

2. Escalada de compromissos

Quantas vezes você já esteve em um relacionamento que sabia que não ia dar certo e, da mesma forma, tentou lutar por ele? Isso pode não ser fruto de mero romantismo e sim uma falha em seu pensamento! Digamos que você esteja namorando alguém há um ano. Então você começa a perceber que a pessoa tem alguns defeitos que você não suporta. O lógico seria terminar o namoro naquela hora. Mas você já investiu um ano nesse relacionamento, então terminar seria desperdiçar seu tempo e você se compromete com a “causa” namoro, não com a pessoa, e investe mais meio ano em algo que não vai dar certo, esperando consertar tudo. Isso pode ser aplicado em outras áreas, como em investimentos econômicos ou em um emprego, por exemplo.

1. Efeito placebo

Talvez a falha no pensamento humano mais famosa. Normalmente o placebo é uma substância neutra (como uma pílula de farinha de trigo) que acaba tendo o efeito desejado. Por exemplo, um remédio que diz ser emagrecedor e, pelo sujeito tomar aquilo todos os dias, sua mente aceita que ele está emagrecendo e todas as suas atitudes passam a condizer com isso. Ele faz mais exercícios, come mais salada e logo emagrece. Mas certos efeitos placebo ainda são um mistério – por exemplo, alguns testes mostraram que há certos sintomas de doenças que são realmente reduzidos apenas com o placebo. Logo, isso provaria o poder da sugestão da mente humana sobre o corpo? [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 4,00 de 5)
Curta no Facebook:

43 respostas para “Os 10 problemas mais comuns do pensamento humano”

    • Se fosse baseada apenas na percepção dos pesquisadores, até poderia ser, mas existem ferramentas estatísticas que permitem a gente filtrar o que é pareidolia do que é correlação factual. Além disso existem outras ferramentas usadas pelos cientistas, no kit chamado “método científico”, para evitar cair em armadilhas da percepção humana.

      Diferente dos criacionistas e “cdesign proponentsists”, que não tem nenhuma ferramenta de crítica da própria percepção, ou de teste de suas próprias “teorias”.

  1. Não concordo muito com o dois, pois, isso ja leva mais pra area da filosofia, sociologia, porque, ja me deparei com uma situação dessas, mas, ao invez de um ano foram dois, e eu não desisti da pessoa por causa do tempo “perdido'(pra mim, o que ganhei do lado daquela pessoa, não foi nenhuma perca), mas sim porque eu gostava muito dela, claro, você nunca vai encontrar alguem perfeito, só resta você aceitar e lidar com aquilo, nada como uma boa conversa amigavel, cada um tenta “aliviar” as coisas, sempre dá certo.

  2. Tenho muito do 8 (pareidolia), mas não sofro nada, pois sei que é apenas uma ilusão do meu cérebro (sem exceções), costumo sofrer muito com o 2,4 e a ausência do 9.

    Acho que a pareidolia nada mais é do que excesso de imaginação.

    O 6 é na verdade efeito “Horn”, seu oposto é que é efeito Halo.

  3. Tem essa tmb : ” Mae não vou na escola hoje, tou com dor de cabeça” 30 min dps estou realmente com dor de cabeça! , e tmb quando finjo que o café amargo tá com ” dipirona ” e msm nao tendo o remedio me curo dakela dor incomodante ! =P efeito placebo é foda

  4. Reatividade.
    Isso depende da atitude do observador. Se você tiver um chefe “pentelho” a sua produção pode ser diferente do que ter um “chefe”:lider, motivador, democrático.
    A escolha normalmente é da empresa. Ter um chefe no comando ou ter um lider que motive a equipe. Reatividade a meu ver tem haver muito com o talento do observador.
    E outra, particularmente não gosto de nenhuma pressão. A pessoa precisa me convencer de que meu trabalho é necessário. E mais outra ainda. Eu mesmo tenho que ter certeza de que meu trabalho é necessário. Então no meu caso, penso que não é preciso ter chefe.
    O Chefe sou eu mesmo. Liberal,livre para agir.
    E Há um ditado que diz: obedece quem tem juizo e precisa do trabalho. E quando não tiver satisfeito, que procure outro trabalho.
    E quando a observação for temporária, de pesquisa procure saber para que servirá a tal pesquisa. Há muitos “pesquisadores” por ai que ganham uma fortuna para fazê-la e acaba por não dar em nada.
    Interessante o artigo pois trata do pensamento humano. Indico a vocês, o livro A arte da Prudência, de Baltasar Gracián, Editora Martin Claret. Abraços

  5. 6 – Halo
    Já reparou que a percepção que a pessoa tem, no fim do processo, é sempre negativa?

    5 – Mentalidade de Gado
    Acontece muito frequentemente, depois de assistir ao JN… 😀

    3 – Desconto Hiperbólico
    É um teste do nível de ganância e imediatismo da parte da pessoa que está sendo observada.

    10 – Ilusão do Apostador
    Ah, então foi por isso que eu não ganhei a Mega Sena… 😀

    1 – Efeito Placebo
    Pode sugerir, mas não chega a comprovar o poder da mente sobre o corpo.

  6. Escalada de Compromissos:

    No livro “Você Pode Negociar Qualquer Coisa”, de Herb Cohen, há uma sugestão de negociação que consiste em visitar uma loja diariamente, pedir sempre ao mesmo vendedor que exiba o produto e pedir um desconto. Segundo o autor, depois de algum tempo, o vendedor passa a achar que já investiu tanto tempo nessa venda que acaba conseguindo um desconto só para fechá-la. Seria uma escalada de compromissos?

    Desconto Hiperbólico

    O livro “O Motorista e o Milionário”, de Joachim de Posada e Ellen Singer, descreve um teste que teria sido aplicado em crianças, às quais foi oferecido um marshmellow (bombom, na tradução brasileira) com a seguinte condição: quem não comer o doce em 15 minutos ganhará mais um. As poucas crianças que resistiram à tentação do “Desconto Hiperbólico” demonstraram mais sucesso na vida do que as que não resistiram.

  7. @Profeta

    Se o senhor é um porco execrável, homicida, estuprador, explorador de indefesos, charlatão, golpista, ladrão desgraçado, então acho que o senhor precisa mesmo de “Reatividade”.

    Reatividade é o tipo de efeito que um senhor-de-engenho espera de seus escrávos…

  8. A mente humana é muito mais do que simples ignorância.
    Há uma essência da qual todos compartilhamos, e a qual estamos interligados.
    Acredito que os “problemas” citados fazem parte sim, deste nosso lado.
    Mas que alguns poderão apenas ser considerados realmente problemas em ocasiões específicas.
    Em outras podem acabar sendo benéficos.

    • Neste caso depende o valor do salário da pessoa. As vezes com 1% de aumento a pessoa consiga juntar 500 reais em 02 anos. Acredito que o desconto hiperbolico tem suas excessões… Acredtio que a realização de cálculos e uma ótima solução para isto, mas muitas vezes o difícil e confiar na matématica 🙂

  9. Ignorância, falha de caráter e preconceito não podem ser também falhas no pensamento?

    Douglas Miranda, não acho que fase de adaptação se enquadre na escalada de compromissos. Pelo que eu entendi, esse problema se configura quando você já conhece a situação de verdade. Por exemplo, no trabalho novo, quando você começa ainda não conhece direito como funciona o trabalho, ou tem muitas dificuldades porque não domina bem o que está fazendo. Após a fase de adaptação você tem como saber se aquilo vai te levar a algum lugar, se você simplesmente não vai suportar continuar no emprego ou se é o emprego da sua vida. Com relacionamentos amorosos, no começo a empolgação pode te fazer suportar uma mania que no futuro vai te encher muito o saco, por exemplo. Só depois da fase de adaptação você vai conseguir ver que aquilo incomoda e talvez fique com a pessoa mais tempo tentando se convencer que o resto faz valer a pena, mas uma hora vai incomodar tanto que vai terminar.

  10. A Reatividade é uma das poucas coisas que faz com que a crença na religião seja uma coisa boa, na minha opinião. Se uma pessoa pensar que está sendo observada o tempo inteiro por um deus todo-poderoso e bom, ela fará coisas boas e tentará ser uma pessoa melhor. (tirando os caras do Talibã e outros fanáticos)

  11. Tocante ao placebo: o mundo vive da sugestão… que pode ser dado consciente ou mesmo subconscientemente . Aliás, hoje é muito usado pela mídia de forma intensa direta e indiretamente, como às mensagens subliminares.
    Na verdade o ato de convencer dominar o mundo… Pois há muitos seguidores… comendo , tomando ,dando , ganhando e quase 6 bilhões seguindo cegamente .
    Há pessoas que são capazes de vender até capim pegando fogo!
    Valer um antigo ditado: ‘’Com fé não acostuma falhar!’’

  12. Não considero o efeito placebo uma falha, é na verdade uma habilidade “A mente sobre o corpo” algo assim, pouco explorada e que pode muito bem ser usada a nosso favor.
    Se “A pílula de emagrecer” de farinha funciona, oras, pra que que a gente vai comprar remédios caros e cheios de efeitos colaterais que vem de “brinde no pacote”?

  13. Na verdade, se as pessoas prestassem atenção a estes aspectos do funcionamento do pensamento humano, conheceriam melhor a si mesmas. Muitas coisas que as pessoas fazem, pensando que é de caso pensado, é, na verdade, guiado por alguma ilusão de percepção ou uma idéia errada sobre como funciona o mundo.

    Para quem quer entrar neste mundo, eu sugiro duas leituras:

    1. O Analfabetismo Matemático e Suas Consequências, que está fora de edição, mas deve estar disponível em sebos;

    2. O Andar do Bêbado. Este pode ser encontrado até em supermercados.

    Existem outros livros, mas estes dois são excelentes para começar, eles desfazem um pouco a ilusão que as pessoas tem sobre sua própria capacidade de avaliar quantidades e probabilidades. Um exemplo simples é que as pessas tem mais medo de subir em um avião do que de pegar a estrada com um automóvel…

    • Verdade… estatisticamente falando o avião é bem mais seguro !

      É o caso da falsa ideia de segurança de se estar no comando : a gente se esquece dos barbeiros, bêbados, irresponsáveis e outros tipos de transgressores guiando perto de vc !

  14. É CONCORDO COM GENIVALDO, COM O GUSTAVO, COM O TBEM, E COM O EU . TÓ FORA DESSE NEGOCIO DE PSICOLOGIA REVERSA E EFEITO PLACEBO.
    ISSO É PRA CONFUNDIR MAIS AINDA O QUE JÁ É CONFUSO.
    É BEM MELHOR DIZER QUE É UMA TEORIA PRA ENGANAR OS BOBOS RSRSRSR.
    BRIGADÃO .

  15. Ho. Gente.. eu quase morri de rir aqui ….foi do EU…. ai em cima..Muita gente,, na realidade sao parecidas com o EU…dai a MENTALIDADE DE GADO. e mais facil nao PENSAR (pq exige exercicios reflexivos)..e ir pelo que a maioria acha..INFELISMENTE por isso estamos carentes de PENSADORES no mundo e o WORD ..esta indo buraco abaixo.SOU FORMADO EM QUIMICA..e percebia claramente meus colegas de sala fugindo da materia…em funcao de exigir um pouco masis de pensamento..TRISTE NAO !!! ABRACOS…..[email protected]

  16. ‘São simplesmente ignorância, falha de caráter ou preconceito em função da educação recebida ou do meio em que vivem.”

    É simplismo da sua parte achar isto. Veja a ilusão do jogador. Eu já vi isto em grupos de apostadores da mega-sena. Em um jogo saiu o número 10, e, por acharem que este número não sairia mais, retiraram ele do bolão que faziam. E o número 10 saiu várias vezes nas próximas semanas… Eles tirarm o 10 por ignorãncia? Não. Foi uma falha de caráter? Também não. Foi o resultado da educação recebida ou do meio em que vivem? É muita coisa para analisar, mas eu acho que não, ninguém é educado a retirar o 10 de um grupo de números por que ele já saiu e o meio não parece pressionar ninguém a fazer isto. Simplesmente foi a ilusão do jogador: o 10 saiu, e, como a probabilidade de cada número sair é muito pequena, acharam que o 10 não se repetiria.

    Eu estou sem tempo agora para analisar os outros pontos, mas continuo achando que os outros problemas apontados no artigo são realmente defeitos na maneira com que as pessoas pensam, e não “ignorância, falha de caráter ou preconceito em função da educação recebida ou do meio em que vivem.”

  17. Bovidino usou uma falha minha e leu meus pensamentos.

    2- Escalada de compromissos
    – Concordo, diversas vezes é óbvio a insistência em tapar o sol com a peneira. No entanto, por experiência própria, quantas vezes já insisti em algo que nem eu mesmo acreditava que daria certo e no final deu.
    No meu atual emprego, passei as duas primeiras semanas à beira de desistir e achando muito ruim. Hoje isso nem passa pela minha cabeça.
    Quando comecei a lutar Kickboxing, pensei que iria morrer com o ritmo dos exercícios… minha canela ficou toda roxa… ninguém (nem eu mesmo) acreditava que aquilo ali era pra mim. Continuei o resto do mês, visto que já tinha pago a mensalidade… foi o tempo necessário pra eu me adaptar e hoje, 6 anos depois, ainda luto e não largo por nada no mundo. Tenho troféus, um corpo mais forte, saúde e muitas outras virórias.

    Enfim, pode parecer conto de fadas dizer isso, mas a grande maioria das coisas boas não são fáceis de se conseguir. Caso contrário todos alcançariam o resultado. Seja insistente naquilo que você considera bom pra você, no início você pode até penar, mas depois que passa a fase difícil, tudo vira brincadeira de criança.

  18. Antes de taxar como “falhas” essas peculiaridades da mente humana, devemos lembrar que ha dez mil anos viviamos quase como os animais e essas “falhas” poderiam ser a diferença entre viver ou ser comido. e que dez mil anos, do ponto de vista evolutivo é um mero piscar de olhos, nossos genes continuam nos programando como se vivêssemos em uma era menos civilizada.

  19. EFEITO PLACEBO,tlvez funcione assim.
    A essência comanda o cérebro e este comanda o corpo total.
    Ou, o cérebro é o receptor e retransmissor da energia(essência).
    Em épocas antiquíssimas os sábios detinham o conhecimento de que algo maior(transcendente)a tudo comanda.

  20. Com excessão do efeito placebo, nenhum dos outros casos são falhas do pensamento.
    São simplesmente ignorância, falha de caráter ou preconceito em função da educação recebida ou do meio em que vivem.

Deixe uma resposta