Os 13 mais mortais naufrágios da história

Publicado em 17.04.2012

Nós estamos no centésimo aniversário do naufrágio do Titanic, provavelmente o mais famoso de todos, graças a Hollywood. Mas poucos sabem que esse não foi o pior de todos. Para “comemorar” a ocasião, aqui vão os 13 mais mortais naufrágios da história:

13 – MS Estonia

Data: 24 de setembro, 1994
Local: Mar Báltico
Número de mortos: 852

O MS Estonia estava cruzando águas agitadas quando os passageiros começaram a ouvir barulhos metálicos. Em poucos minutos, as portas de carga quebraram, fazendo com que o deck inferior fosse inundado, pouco antes dos quatro motores pararem completamente. Apenas os que estavam no deck superior conseguiram sobreviver.

12 – MV Bukoba

Data: 21 de maio, 1996
Local: Lago Vitória, Tanzânia
Número de mortos: 894

O MV Bukoba era uma balsa famosa pela regularidade. Não possuía coletes salva-vidas nem equipamentos contra incêndios. Mesmo assim a balsa sempre estava em movimento. Mas nesse dia, quando começou o trajeto, equipamentos grandes de cozinha, assim como pratos, talheres e panelas, começaram a cair e quebrar em um lado da balsa. O barulho assustou os passageiros, que correram para um lado do deck, fazendo o navio virar.

11 – HMT Royal Edward

Data: 13 de agosto, 1915
Local: Kandeliusa, Mar Egeu
Número de mortos: 935

O Royal Edward era um navio de passageiros, usado para transportar tropas britânicas durante a Primeira Guerra Mundial. Às 10 da manhã, ele foi atingido por dois torpedos alemães, e rapidamente enviou um sinal de SOS, antes de perder a energia. A popa afundou em apenas seis minutos. A maior parte dos homens estava nos decks inferiores, o que explica o grande número de mortos.

10 – SS Hong Moh

Data: 3 de março, 1921
Local: Sul do Mar Chinês
Número de mortos: 1000

Em 1921, o navio de passageiros SS Hong Moh bateu nas Rochas Brancas, na Ilha de Lamock. O navio quebrou em duas partes; quando o primeiro bote de resgate chegou, três dias depois, a maior parte dos passageiros e tripulação já havia morrido.

9 – RMS Empress of Ireland

Data: 29 de maior, 1914
Local: Pointe-au-Père, Quebec
Número de mortos: 1012

O navio canadense Empress of Ireland estava descendo o Rio Saint Lawrence sob forte neblina quando colidiu com outro navio. O Empress afundou rapidamente, ao contrário do outro, que não afundou. Esse foi por muito tempo o pior desastre marítimo da história canadense. A carcaça permanece a cerca de 40 metros de profundidade, o que permite que mergulhadores cheguem até ali – inclusive para roubar relíquias.

8 – MS al-Salam Boccaccio 98

Data: 3 de fevereiro, 2006
Local: Mar Vermelho
Número de mortos: 1018

O al-Salam Boccaccio já deixou o porto com condições ruins de tempo. Um incêndio começou na sala de motores e a equipe começou a usar baldes de água do mar para tentar extinguir o fogo. O incêndio parou por algum tempo, mas logo começou novamente. O capitão tentou voltar para o porto, mas como os sistemas de drenagem de água pararam de funcionar, o navio virou. Ventos fortes e condições do tempo dificultaram o resgate.

7 – SS General Slocum

Data: 15 de junho, 1904
Local: East River, Nova York
Número de mortos: 1021

A balsa SS General Slocum estava carregando membros da Igreja Luterana-Evangélica para um picnic, quando um incêndio começou, na sala de lâmpadas. As chamas cresceram rapidamente, alimentadas pelo óleo e gasolina. O equipamento de segurança não estava em dia. Os coletes salva vidas queimaram e os botes estavam inacessíveis. No fim, os passageiros tiveram que pular, e aqueles que não sabiam nadar acabaram se afogando com as pesadas roupas da época.

6 – RMS Lusitânia

Data: 7 de maio, 1915
Local: Irlanda
Número de mortos: 1198

O Lusitânia saiu de Nova York carregando uma carga escondida de munições e contrabando para a Inglaterra, assim como passageiros civis. O navio afundou em apenas 18 minutos, após um ataque de torpedos. O evento gerou uma discussão se um navio de passageiros poderia ser considerado um alvo militar, já que era na época da grande guerra.

5 – RMS Titanic

Data: 14 de abril, 1912
Local: Norte do Oceano Atlântico
Número de mortos: 1517

Quando saiu para sua viagem, o Titanic era o maior navio de todos. Como todos sabemos, ele bateu em um iceberg e afundou no meio do oceano, em rota para a Nova York. Foi sua primeira e única viagem.

4 – SS Sultana

Data: 27 de abril, 1865
Local: Rio Mississipi
Número de mortos: 1547

O SS Sultana era um navio que cruzava o rio Mississipi usando como fonte de energia pás d’água, presas em grandes rodas. Ele afundou após a explosão de três das quatro caldeiras. Apesar de ser considerado o maior desastre marítimo da história americana, o evento teve pouca atenção na época porque o assassinato do presidente Abraham Licoln por John Wilkes Booth e o fim da Guerra Civil Americana haviam acontecido poucos dias antes.

3 – MV Joola

Data: 26 de setembro, 2002
Local: Gâmbia
Número de mortos: 1863

O Joola, uma balsa governamental desenhada para carregar um máximo de 580 passageiros, tinha pelo menos dois mil a bordo quando partiu durante uma perigosa tempestade, em 2002. Ela afundou em apenas cinco minutos, matando quase todos.

2 – SS Kiangya

Data: 4 de dezembro, 1948
Local: Rio Huangpu, norte de Shanghai
Número de mortos: 2750–3920

O Kiangya, um navio de passageiros repleto de fugitivos da Guerra Civil Chinesa, explodiu e afundou após bater no que se acredita ser uma mina deixada pela Marinha Imperial Japonesa.

1 – MV Doña Paz

Data: 20 de dezembro, 1987
Local: Filipinas
Número de mortos: 1565

A maior parte dos passageiros do MV Doña Paz estava dormindo quando o navio colidiu com o MT Vector, um navio tanque que carregava 8.800 barris de gasolina e petróleo. A colisão gerou um incêndio no Vector que se espalhou para o Doña Paz, deixando os passageiros sem escolha a não ser pular nas águas infestadas de tubarões. As estimativas de mortos variam devido aos passageiros não identificados, podendo ser maior do que quatro mil, fazendo deste um dos mais mortais naufrágios da história. [GizModo]

Autor: Bernardo Staut

é estudante de jornalismo e interessado por povos, culturas e artes.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

19 Comentários

  1. WILHELM GUSTLOFF – Iate alemão. Evacuava da Prússia,civis alemães, entre mulheres, crianças e velhos, fugitivos dos russos. Torpedeado pelo submarino russo S13, comandado por A.I.Marinesko, no mar Báltico, na noite de 30 de janeiro de 1945. Mais de 8.000 mortos, sendo que 4.000, entre cianças e adolescentes.
    S.S. GENERAL von STEUBEN – Navio hospital alemão. Evacuava da Prússia militares alemães feridos e também civis, fugitivos da ofensiva russa. Torpedeado pelo submarino russo S13, comandado por A. I. Marinesko, no mar Báltico, na noite de 10 de fevereiro de 1945, dez dias depois do torpedeamento do W. Gusloff. Cerca de 4.300 mortos.
    GOYA. Navio hospital alemão. Evacuava militares feridos da Wehrmacht e civís, contando de 6.200 a 6.700 pessoas, todos fugitivos da ofensiva russa na Prússia. Torpedeado pelo submarino russo L3, comandado por Vladimir Konovalov, no mar Báltico, na noite de 16 de abril de 1945. Apenas 183 sobreviventes foram resgatados.

    Ou seja, em quatro meses, no ano de 1945, foram afundados no mar Báltico, três embarcações civis alemãs, por submarinos russos, totalizando DEZOITO MIL E OITOCENTOS MORTOS!!!

    Claro, sempre se pode perguntar: “Mas afinal, porque uma coisa destas nunca foi divulgada?”

    Thumb up 12
    • a alemanha naquela epoca bombardeava vários navios então alguns navios alemães tinham que afundar para a alemanha aprender

      Thumb up 0
  2. Todos os naufrágios me impressionaram, pois desconhecia, e fiquei mais impressionada ainda em saber que muitos deles aconteceram quando eu já era nascida, o de 2006 por exemplo é algo recente e nem ao menos ficamos sabendo por noticiarios aqui no Brasil!

    Thumb up 9
  3. Eles poderiam ter colocado quantas pessoas haviam no navio também e não só o número de mortos, muitos dos naufrágios não tem esses dados, mais os que tem eles deveriam ter colocado na materia!

    Thumb up 3
  4. O desespero da situação e violência da tragédia Nº 1 é inimaginável. Vinte e seis sobreviventes foram resgatados dos mares. Vinte e quatro deles eram passageiros do Doña Paz, enquanto os outros dois eram membros da tripulação do Vector. Nenhum dos tripulantes da Paz Doña sobreviveu. A maioria dos sobreviventes sofreu queimaduras por saltar para as águas flamejantes, segundo um deles, era uma noite clara mas o mar estava muito agitado, o que dificultou mais ainda se manter na superfície e respirar.

    Thumb up 11
    • Realmente, Jonatas. Que situação que foi. Que tristeza: fica e morre queimado, ou pula e vira comida de tubarão.
      Imagino o desespero. :/

      Thumb up 9
    • James Cameron tb…..

      Thumb up 21
  5. Minha avó materna vinha da Rússia em um navio, a viagem era muito longa e quando morria alguém, o navio era cercado por inúmeros seres indescritíveis, semelhantes a peixes, que só iam embora quando jogassem o corpo do falecido no mar. Para atravessar o Mar Vermelho, o navio era coberto, ela disse que era impressionante e algumas pessoas surtavam ao ver o ‘mar de sangue’.
    Impressionante mesmo foi ela sendo Russa, ter conhecido meu avô, Espanhol, na mesma viagem, se apaixonaram e constituiram família, mesmo um sem entender uma palavra do que o outro dizia! devia ser a ‘Linguagem Internacional do Amor’, extinta a muito tempo.

    Thumb up 68
    • Ai que linda a história de seus avós! *-*

      Thumb up 12
    • sentimentos não tem idioma.

      Thumb up 19
    • José, foi uma metáfora que o Alexandre usou no final do texto ok? Não critique –’

      Thumb up 9
  6. Cara, as vezes penso que o melhor para mim seria fazer o que tu fez, ee vida cruel kk

    Thumb up 10

Envie um comentário

Leia o post anterior:
original
Cetose: Como emagrecer sem passar fome

Você pagaria para an...

Fechar