Os 7 maiores mistérios do corpo humano

Publicado em 31.07.2012

Gosta de curiosidades?

Basta olhar no espelho e você verá diversas características que, à primeira vista, não fazem muito sentido.

Confira a seguir 7 das mais intrigantes:

7 – Somos fracotes

Mesmo aqueles caras que gastam horas na academia e viram “montanhas de músculos” correriam o risco de passar vexame em uma briga com chimpanzés: esses animais, embora tenham uma musculatura muito similar à nossa, são normalmente duas a três vezes mais fortes do que os humanos de mesmo tamanho, explica Kevin Hunt, diretor do Laboratório de Origem Humana e Evolução de Primatas da Universidade de Indiana (EUA).

O próprio Hunt foi superado em uma disputa de força com uma chimpanzé de míseros 36 quilos, durante uma excursão em uma floresta africana: com apenas três dedos, ela conseguiu quebrar um galho de árvore resistente, enquanto Hunt teve de usar as duas mãos e toda a sua força para repetir a façanha.

6 – Destros e canhotos

Nove em cada dez pessoas são destras. Mais curioso do que essa diferença é o fato de sermos mais habilidosos com uma mão, para começo de conversa (há pessoas ambidestras, mas são muito raras). Uma das teorias mais comuns é a de que o centro da fala, localizado no lado esquerdo do cérebro (que exerce maior controle sobre o lado direito do corpo), exige mais conexões nervosas e, como consequência, faz com que a mão direita predomine na maioria das pessoas. O problema com essa teoria é o fato de que nem todos os destros possuem o centro da fala no hemisfério esquerdo, enquanto metade dos canhotos possui.

5 – Seios em evidência

Nos estágios finais da gravidez e logo após o nascimento do filho, os seios das mulheres acumulam leite para alimentar a criança. Até aqui, nada de anormal. O curioso é que, mesmo após o período de amamentação, os seios continuam em evidência – além disso, mulheres que nunca tiveram filhos também podem ter seios grandes. No mundo científico, não há consenso sobre o motivo por trás dos “seios permanentemente em evidência” – a hipótese de que são uma vantagem evolutiva para atrair um possível companheiro não é infalível, já que há muitas culturas em que seios grandes não são considerados atraentes.

4 – Pelos

Há milênios os seres humanos não dependem de seus pelos corporais para se manter aquecidos, e ainda assim esse traço fisiológico sobrevive. Alguns cientistas acreditam que os pelos são um sinal de maturidade sexual e podem ajudar no jogo da conquista. Para outros, seriam uma forma de proteger as “partes baixas”. Seja qual for a explicação, muita gente gostaria de se ver livre deles.

3 – Colônias ambulantes

Curiosamente, boa parte do seu corpo não é formada por, digamos, você: para cada uma de suas células, há dez micróbios em seu organismo – juntos, eles constituem de 1 a 3% do seu peso corporal. Existem bactérias que combatem micro-organismos nocivos, ou ajudam na digestão, enquanto muitas outras contribuem de modo desconhecido para o funcionamento do nosso organismo. Por sinal, quando ficamos doentes e tomamos antibióticos, corremos o risco de atacar não apenas as bactérias nocivas, mas as nossas “bactérias amigas” também.

2 – O apêndice

Ao lado dos sisos e do dedo mindinho, o apêndice figura naquela lista de partes do corpo cuja utilidade real permanece desconhecida. Há pesquisadores, porém, que consideram isso uma injustiça, e buscam descobrir para que serve esse órgão subestimado. Alguns sugerem que ele pode contribuir para o desenvolvimento do sistema imunológico durante a fase fetal. Outros apontam que o apêndice armazena bactérias importantes para o processo digestivo, uma espécie de reserva para o caso de alguma doença atacar a flora intestinal.

1 – Você

No fim das contas, talvez o fato de um amontoado de partículas ter se juntado para formar uma criatura pensante seja o maior mistério do corpo humano – e um dos maiores já analisados pela humanidade. Há bilhões de anos, estas mesmas partículas que constituem seu cérebro formavam estrelas, vagavam pelo espaço durante incontáveis milênios e hoje estão aqui, reunidas, enquanto você lê esta matéria. Poético, não? [Life's Little Mysteries]

Autor: Guilherme de Souza

É jornalista empenhado e ilustrador em treinamento. Curte ciência, cultura japonesa, literatura, seriados, jogos de videogame e outras nerdices. Tem alergia a música sertaneja e acha uma pena que a Disco Music tenha caído no esquecimento.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

16 Comentários

  1. Qaundo criança cheguei a apanhar de palmatoria para aprender a ser destro pois canhoto é “descentede do diabo”,hj continuo canhoto e meu irmão que escrevia com as duas maos hj é destro.nós usamso apenas 10% do nosso intecto e o planeta sofre com isso,fica a duvida,se usarmos além dos dez seremos comparados a que/quem?

    Thumb up 6
    • Eu não cheguei a apanhar mas desde pequeno minha mãe brigava comigo e me obrigava a usar a mão direita.Fui educado para ser destro.Tive problemas quando pequeno para diferenciar a esquerda da direita e acho que minha caligrafia ruim pode ser por isso também.A desculpa da minha mãe é que tudo é mais difícil para os canhotos e ela quis me ajudar..As vezes imagino se é possível voltar a ser canhoto depois de tantos anos como destro.

      Thumb up 4
    • Isto é mito. As teorias modernas atuais consideram que o ser humano utiliza 100 % de sua capacidade. Este negócio dos 10% é besteira…

      Thumb up 21
  2. E o que dizer das pessoas que nascem canhotas mas são “educadas” pelos pais a se tornarem destras?Quanto a sermos fracotes,se a gente passasse o dia se balançando em galhos de árvores também teria super-força.Sobre o dente do siso,ele servia em uma época em que desgatávamos nossos dentes comuns e precisávamos de substitutos.

    Thumb up 4
  3. Sem dúvida, a número 1!

    Repetindo um comentário meu, que vem a calhar com o artigo:

    Para mim, um dos maiores mistérios, além da origem do universo e da origem da vida, é a origem da consciência, dos sentidos e dos sentimentos.

    Que arranjo de neurônios há no cérebro ou que elemento químico há dentro dele que nos faz não só interpretar e processar sinais eletroquímicos; mas ver, ouvir e sentir dor de verdade, sentir alegria e tristeza, amor e raiva, etc?

    Quado olhamos para um objeto ou uma luz, não apenas
    interpretamos sinais luminosos, nós realmente os sentimos! Quando levamos um beliscão, não somente interpretamos os sinais eletroquímicos vindos dos nervos sensitivos, nós realmente sentimos dor de verdade!

    E isso foge de qualquer explicação pelas leis da física e da computação. Estamos tão acostumados com a consciência da visão e dos outros sentidos, que nem sequer percebemos o quanto isso é algo realmente ESPANTOSO!

    O famoso físico matemático Sir Roger Penrose, em seu excelente livro: “A MENTE NOVA DO REI”, especula sobre a origem da consciência; sendo que parece que ele acredita que a consciência emerge das interações quânticas entre as células cerebrais; mas isso também não passa de pura especulação.

    Eu já penso que os sentimentos não são coisa deste mundo físico, lógico e matemático em que vivemos. Se existe realmente a alma, os sentimentos devem ser parte de seus atributos e não do nosso corpo físico. A alma, talvez, seria o nosso verdadeiro eu e o nosso cérebro e corpo seria apenas uma interface entre o mundo espiritual e este mundo físico, lógico e matemático em que vivemos (quem sabe até sendo executado num tipo de “computador divino” tipo MATRIX)!

    Talvez isso seja apenas especulação minha, sem sentido ou fundamento científico nenhum. Mas chego até a duvidar (até prova em contrário) de que algum dia um robô será capaz de ter sentimentos reais, em vez de apenas processar informações!
    Acredito que é mais fácil fazer um robô ou programa de computador pensar do que sentir algo de verdade (se é que isso será algum dia possível). Para mim, essa é a grande diferença entre um ser humano e uma máquina; entre ser vivo ou não!

    O que será que é mais sensato dizer:

    “PENSO, LOGO EXISTO” ou “SINTO, LOGO EXISTO”?

    Thumb up 23
  4. Cultura é conhecimento e conhecimento pode não ser agradável para alguns, mas nunca é inútil porque algum dia podemos precisar dele. A única coisa que levamos dessa vida é o conhecimento.
    Quanto ao cérebro, eu acho que o de um verme é superior ao mais sofisticado computador, estou errado?

    Thumb up 4
  5. eu sou canhoto e sou muuuuuuuuuito calado(tnt q soh comecei falar depois q completei 4 anos) deve ser que o meu centro da fala fica no lado esquerdo do meu cérebro(o lado q tm menos conexões). Se alguém que estudou neurologia ler isto por favor me diga se estou certo ou errado.

    ps: e como pianista discordo completamente da frase q diz que não se sabe a utilidade do dedo mínimo, pois além de tocar instrumentos musicais, como que nós conseguiríamos coçar nossos ouvidos.

    Thumb up 9
  6. O número 1 é poesia pura!
    O número 3, das bactérias, é muito interessando sobre o ponto de vista de prejudicarmos esses organismos com o uso de antibióticos. Parece que quando tomamos eles ficamos mais fracos. Imagina um uso prolongado?

    Thumb up 10

Envie um comentário

Leia o post anterior:
sleeping baby yawning
Parto agendado pode prejudicar o bebê

Estudo mostrou que "...

Fechar