Pentágono é acusado de desenvolver vírus para atacar Irã

Publicado em 29.09.2010

Pesquisadores descobriram que o stuxnet, um vírus de computador considerado por alguns especialistas como o mais avançado do mundo, parece estar concentrando seus ataques contra instalações nucleares iranianas.

Agora, o Pentágono e a inteligência alemã estão sendo acusados de terem criado esse vírus para derrubar instalações atômicas iranianas.

É sabido que a comunidade internacional considera as ambições atômicas do Irã um risco para a paz mundial. Como o Pentágono é amigável ao serviço secreto alemão, e os alemães poderiam ter fornecido dados sobre os computadores da Siemens usados pelos iranianos, eles também se tornaram suspeitos.

No entanto, o porta-voz do Pentágono disse que o Departamento de Defesa não pode nem confirmar nem negar que lançou esse ataque.

Segundo os pesquisadores, o vírus parece ter sido desenhado com foco em sistemas muito específicos, diferenciando computadores industriais sem assistência humana. Eles disseram que o stuxnet é a chave para um bloqueio bem específico. O ataque desse vírus não está centrado em roubar dados, mas em manipular um processo industrial específico em um momento específico no tempo – trata-se de destruir esse processo.

As agências de notícias iranianas confirmaram que o ataque está acontecendo. Entretanto, disseram que o ataque do vírus está na verdade transferindo dados sobre as linhas de produção de plantas industriais locais para fora do país.

Eles também alegaram que estão tendo sucesso em combater o ciberataque, que poderia enfraquecer a planta nuclear de Bushehr. Esta planta, que é de fabricação russa, mas tem sistemas de computadores da Siemens, é alegadamente usada para enriquecer urânio para o programa iraniano de armas nucleares. [Gizmodo]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 24 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

11 Comentários

  1. Eu acho que isso ta acontecendo mesmo,pra sacanear o irã.
    E eu acho tambem que a 3ª guerra mundial vai ser cibernetica,com os países mais desenvolvidos tendo super-centros de vírus,anti-vírus,e arquivos super protegidos…é oque eu acho :S

    Thumb up 0
  2. Queria o que ? Que a OTAN deixasse o irã construir bombas atômicas pra poder jogar em Israel ? Ou na Europa ?

    Me poupe, uma coisa é armas nucleares nas mãos das “superpotências”, que tem muito a perder e nada a ganhar numa guerra nuclear, outra é o Irã, um país lotado de terroristas, comandado por um fanático que quer fazer de tudo pra derrotar os infiéis, até se matar, ou seja, não tem nada a perder.

    Thumb up 2
  3. Interessante e provavel. Como disse o marcos, é pouco provavel que paises como EUA e Alemanha deixei o Irã “se criar”, nao é nada conveniente para o G8 ter um “mosquito” enchendo o saco

    Thumb up 2
  4. Olá a todos !
    Acho extremamente provável que isto esteja acontecendo. Duvido muito que as ditas “potências nucleares” ficariam de braços cruzados vendo o Irã – logo ele ! – chegar ao clube sem ser convidado.
    Cabeças e dinheiro para isso não faltam, portanto, na minha opinião, está realmente acontecendo.
    Abraços

    Thumb up 3
  5. Daki a pouco aparecem os fanáticos dizendo q isso está escrito na bíblia: “Eu avisei!… o fim está proximo!”…. e coisas desse tipo….

    Thumb up 3
  6. Por muito menos eles condenaram o hacker ingles a prisão e a inglaterra quase o entregou.
    Ele queria saber sobre o segredo em torno do ovnis.

    Thumb up 2
  7. Existe megabyte e existe megabit. Normalmente Megabit é usado em transmissão de arquivos, algumas taxas de transmissão são apresentadas em megabits ou kilobits, por exemplo.

    Thumb up 3

Envie um comentário

Leia o post anterior:
oceano
Onda de frio no oceano interrompeu o aquecimento global em 1970

Durante 1968 e 1972,...

Fechar