Por que existem homens gays?

Publicado em 18.06.2012

O termo “opção sexual” parece cada vez mais afastado da realidade – muitas pessoas defendem há anos a utilização de “orientação sexual”, ou termos semelhantes. Isso porque ser hetero ou homossexual parece não ser uma escolha ou opção. Novas pesquisas indicam que já nascemos gays, ou não, por causa da genética.

Se a homossexualidade é realmente genética e hereditária a pergunta mais correta seria: Porque homens gays não foram extintos? Já que há uma grande desvantagem reprodutiva em ser um homossexual masculino: eles não podem se reproduzir naturalmente. A resposta pode estar nas suas mães e tias.

Pesquisadores da Universidade de Pádua, na Itália, descobriram que existe um “gene gay masculino”. As mães portadoras desse gene têm mais chances de ter filhos homossexuais. Já as meninas que nascem com o “gene gay” têm maior probabilidade de ter uma elevada fecundidade, além de serem menos expostas a problemas de saúde ginecológicos e de serem mais extrovertidas, felizes e relaxadas, com menos problemas familiares ou anseios sociais – perfeito, não é, mulheres?

As mulheres com esse gene não são exatamente mais atraídas por homens – mas mais atraentes para o sexo oposto, e com maior probabilidade de ter muitos filhos. Por essa razão, mães e tias de homens homossexuais tendem a ter mais filhos do que mães de filhos heterossexuais.

Ainda não se sabe qual é, exatamente, o “gene gay masculino”. Pesquisas italianas indicam que ele parece estar localizado no cromossomo X. Os homens herdam apenas um desses cromossomos de sua mãe, e se ela tiver o gene que aumenta as chances de homossexualidade nos homens e da fertilidade em mulheres, é mais provável que o filho seja gay. Se uma mulher herdar o gene, não significa que ela será lésbica, mas que será susceptível a ter muitos filhos e que poderá transmitir o gene a eles.

Essa pesquisa não exclui o fato de que homens podem ser homossexuais por fatores e influências à que são expostos na infância e adolescência. Os pesquisadores ressaltam que alguns hormônios no útero também podem ter um papel fundamental na sexualidade masculina. Mas o “gene gay masculino” pode ser determinante na sexualidade tanto de homens quanto de mulheres.

As evidências de que a homossexualidade é genética podem acabar com alguns dogmas pregados por homofóbicos, como por exemplo, a ideia de que ser gay é uma escolha e de que é possível transformar gays em heterossexuais. [Life's Little Mysteries/JN/Portal Educação]

Autor: Stephanie D’Ornelas

É estudante de jornalismo, adora um café e um bom livro. Curte ciência, arte, culturas e escrever, mesmo que sejam poesias para guardar na gaveta.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

74 Comentários

  1. eu sou gay e sempre soube que o era, ja quando era pequeno sabia que o era . e nao nao é uma escolha como 99,9% das pessoas pensam. simplesmente fui feito assim. se eu fosse com uma mulher nunca seria feliz…. por isso tanto faz …. acho que cada um deve viver a sua vida ah sua maneira e tal como é do que viver uma farsa…. enfie… enquanto as pessoas homofobicas … nao vao muito longe… sao pessoas limitadas de pensamento … e nao sao felizes…

    Thumb up 1
  2. Senhores Alexandre Heydrich e Jalzeiro Figueira, me desculpem pelo que vou expressar, creio que ambos deveriam ser investigados pela policia competente, pois suspeito que pelos argumentos impostos, vocês sejam capazes de manipular, confundir e induzir pessoas saudáveis a cometerem um crime como homicidio doloso e suicidio, particularmente eu não confiaria minha vida a vocês, vocês procuram pequenas aberturas por mais minusculas que sejam para caracterizar o homossexual com um ser desprezivel e isso é faisca perto de um caminhão de gasolina se homofóbicos lerem seus comentários, quem sabe essa seja a intenção de vocês, e com certeza vão procurar alguma frase em meu texto como base para distorcer minha opinião e se tornarem convincentes, acho que vocês são perigosos, me desculpem pelas minhas suspeitas, são apenas suspeitas.

    Thumb up 0
  3. sendo assim é um meio que a evolução encontrou para que a vida humana podesse se prolifarar eficazmente, sem sobressaltos. herdamos alguns caracteres dos peixes no fator biológico-reprodutivo, pois a vida começou na água e os peixes podem trocar a sua sexualidade para poder acasalar, isso na falta do sexo oposto…….o que está em jogo é a reprodução. creio, uma pesquisa com um outro grupo de mamíferos, se obterá resultados semelhantes…….

    Thumb up 3
    • Minha opinião é muito prática e objetiva. Independente de ser opção ou condição sexual, o importante é que cada um cuide da sua vida e procure evoluir a cada dia e fazer bem ao mundo. Não entendo para que tanta discussão sobre algo que é naturalmente característico da nossa espécie desde sempre.

      Thumb up 7
  4. não acho que homens nasçam gays, eles podem se tornar gays por puro impulso e vontade de fazerem sexo anal, quanto ao meio evolutivo, não acho que o anus deles evolua a ponto de se reproduzirem, é mais facil o homem desenvolver um corpo artificial feminino para que eles coloquem o cerebro deles nesse corpo

    Thumb up 4
    • Curto muito todos os comentários, porque se pode ver boiando neles a falsidade e a enorme força da expressão popular: “Faça o que eu digo, não o que eu faço.”. Quem curte o homem é o gay. A mulher também pode curtir um homem, porém, se ele tiver um amontoado de porcarias materiais que se esvaem pelos dedos das mãos de um dia para o outro, e aí acaba na mesma velocidade a “grande paixão” que até então existia. Mulher também pode “apaixonar perdidamente” por alguém influente na sociedade, seja homem ou outra mulher, não faz mal algum, desde que, dessa relação, possa ter um lucro. A mídia está aí, escancarando as relações, como todos se excitam ao saber e passar adiante com “aquele tempero pessoal do mal”. Concordo que ser hétero, gay, lésbica, bissexual não pode ser uma opção sexual, mas sim consequências de uma orientação vinda desde a infância. A mulher que usa roupas mais masculinas não quer dizer que é lésbica. O homem que se traveste diante do espelho, intimamente, não quer dizer que sai por aí à procura de pênis pra se satisfazer. Mas essas pessoas serviram de bonecos para primas, tias etc, e gratificam-se travestidos porque tiveram essa orientação na infância. Por isso que há homens de bigode e barba, cara de machão, que se derrete nos braços de outro homem, e há mulheres super-femininas que curtem ficar se esfregando com outra mulher, não necessariamente para sexo. Nas suas infâncias rolava essas coisas que se pareciam muito naturais, tendo sido gravadas nas suas memórias como sendo atitudes que lhe agradam. A maioria das pessoas não tem qualquer orientação espiritual, não exercem a meditação e, portanto, não conhecem a si mesmas, não sabem por que estão aqui, porque vieram e para onde irão, são totalmente desnorteadas e para piorar (muito) acham-se autodidatas, phd’s em tudo, inclusive, na atitude íntima das outras. Essas são as piores de serem aturadas, porque foram orientadas desde a infância numa nascente de ignorantes. Assim, sobra todo o tempo de suas vidas para dedicarem-se a cuidar da vida de outrem, a julgar e apenar as outras pessoas. E esses assuntos da intimidade alheia é um prato cheio para esse tipo de gente que está circulando sem um rumo, dia e noite, sem um plano íntimo particular. São os poderosos QUEBRADORES DE CARA, SOBREVIVENDO DO ASSUNTO ALHEIO, ESPÍRITOS TOTALMENTE DESNORTEADOS. São dignos de dó.

      Thumb up 4
    • ai voce se engana…eu sou gay e não tenho necessidade fazer sexo anal…pois não é uma condição direta para ser gay

      Thumb up 5
    • Porque se os gays desaparecessem, homens vazios como você, não teriam nenhuma chance com mulheres.

      Thumb up 14
    • talvez porque somos presença obrigatória na natureza.

      Cuidado…há estudo que sugerem que homofobicos são gays disfarçados…

      Thumb up 8
  5. Boa noite sr. joel da costa,toda vez que eu acesso este site maravilhoso,não entendo o porque da foto do senhor junto ao meu login,quero dizer que não fiz copia da vossa foto e depois disto não consigo ver os meus comentarios;grato,edinilton (mad-max)

    Thumb up 0
  6. Achei muito sensatas as colocações de Jonatas. A s pessoas precisam ser respeitadas sejam quais forem suas posições diante da vida. Acredito muito que quando independente de fanatismo e religiosidade, encararmos a espiritualidade como uma realidade, comprovada científicamente, muita coisa poderá ser entendida, inclusive o que genéticamente é programado para a vivência de algumas pessoas. Afinal; como disse um dos meninos, quem quer ser execrado gratuitamente? mais respeito, inclusive por parte dos próprios gays, seria uma forma de reavaliar conceitos, preconceitos das pessoas de mente e coração fechados.

    Thumb up 30
  7. Vivemos a “era da ciência” e assim tudo se explica por ela. A questão é que o repudio a outras opções de conduta não se resolvem por esta via. A mesma ciência, ao longo da nossa história, tem servido para reforçar preconceitos e combater aquilo que se julga moralmente incorreto em uma determinada época e em conformidade com certos valores. Opção, gene, história de vida ou o que for, que seja respeitado. É lastimável que sejamos testemunhas de abusos, humilhações e exclusão por mera repetição de valores impostos!

    Thumb up 22
  8. Então gays… doem seus espermatozoides para um banco de esperma. A população heterossexual masculina ficará muito satisfeita com vossa prole!
    Visto que vocês doarão apenas o X precioso que contém o “gene gay” que proporcionará a mulher perfeita!

    Thumb up 10
  9. Salvar ? não falei em salvar nada, Jonatas. falei em direito de escolha. Saber ou não saber o que faz para uma criança de 7 anos é precoce, vc sabe ! Gato sobe e desce de árvores, mas ser gay costuma ser caminho sem volta. MAS apresento JESUS que muda o destino e propõe um caminho de volta caso a pessoa se ache no direito de escolher denovo o que deva ser. Se acalme, aceite, existem formas de vida diferentes da sua. Na maioria das vezes mais fortes e inteligentes.

    Thumb up 10
    • Você está sendo muito preconceituoso, fala como se ser gay fosse um caminho errado, quando na verdade é normal, este é teu erro. Eu sou hétero, também não gosto da exposição pública que alguns homossexuais praticam abusando da liberdade, mas ser gay não é mal algum, não faz mal algum e é assumir a felicidade do seu jeito, um direito universal.
      Não me venha com esse papo de apresentar Jesus porque meu destino sou eu que mudo e não preciso de seres imaginários. Quer saber o que penso? esse homem fez uma grande bem em seu tempo, deixou boas lições, mas está morto há milênios. Preservem seu legado, mas assumam a vida do jeito que é, não do jeito que querem que seja, esperando por volta e intervenção divina toda hora. A realidade a sua volta foi construída por você para você, não para os outros. Assuma você, formas de vida diferentes da sua.
      Existem inúmeras pessoas mais inteligentes e mais fortes, e pessoas menos inteligentes e fortes, a diferença entre eu e você é que não fico me comparado a personagens e pessoas que se foram, o único com quem me comparo constantemente sou eu mesmo, ser melhor a cada dia consiste em competir consigo mesmo, se superar, e não superar os outros.
      Te falta a humildade de reconhecer que sempre há algo a se aprender com o mais humilde e analfabeto caipira, e algo a ensinar ao mais graduado PHD. Eu poderia vencer Jesus numa partida de Xadrez, mas não seria capaz de marcar o mundo através de 20 séculos após minha morte.
      Por isso tudo nunca segui essas religiões nem ouvi pessoas como você, não sabem o significado da palavra “humildade”, só o que fazem é julgar os outros.

      Thumb up 102
    • Jonatas disse :”Te falta a humildade de reconhecer que sempre há algo a se aprender com o mais humilde e analfabeto caipira” VC Já me julgou e me acusa de julgar, eu não julgo nada… perdoado com abraços de amigo !

      “Você está sendo muito preconceituoso, fala como se ser gay fosse um caminho errado” Amigo, não faz isto não. não ponha palavra alguma em minhas citações… a palavra “errada” está ausente em minha citação; me julgou 2 vezes em um post só.
      Te perdôo denovo , vai… menos um pouco, vamos ficar serenos.

      Vamos pegar leve, este site é show pra cima pra frente científico, de pessoas afinadas com o desconhecido. Gostei do seu comentário sobre humildade de qualquer forma, aprender com quem quer que seja é śabio. “INSTRUI O SÁBIO E ELE SE TORNARÁ MAIS SÁBIO.”

      Muitas coisas para cada um de nós são desconhecidas inclusive a tese da existência e interatividade com o mundo espiritual, nasci mergulhado nele, em um lar espírita umbandista, depois conheci o espiritismo cardecista, ou seja imerso, mais do que muitos que conheço. Posso nomear dezenas de personagens que invadiam a minha cada e vida dos meus, se apossando dos corpos deles em horas mais inusitadas, apresentando personalidade e trejeitos distintos; até que conheci o poder de Deus e NÓS assumimos as rédeas da situação, eu tomei as rédeas nas mãos e aprendi empiricamente e depois na Bíblia e vice versa, o nome do espírito que governa todo o universo. JESUS . Até hoje em dia, os indesejáveis personagens(e outros que nunca vi) de quando em vez se aproximam, as vezes até aparecem para mim(credo!). No começo eu os mandava sair da minha casa meio assustado.(Já tentei dar tapa na fuça deles, mas a mão os transpassa, não funciona…) Agora estou até mais resignado e os mando sair da minha casa com mais serenidade.Eles saem. e eu durmo em paz. Em paz me deito e me levanto.

      O mundo espiritual está pelo menos uma dimensão acima da nossa, eles não não estão fora do cronos(tempo), mas “vazam” entre um universo em outro, veja estevão em atos dos apóstolos é científico, ele passou a ver outra dimensão na hora do apedrejamento porque Deus o permitiu ultrapassar uma dimensão com os próprios olhos (ele ia passar desta para outra mesmo…), veja os relatos de todos que tiveram experiência de morte e ressurreição. Não tem nada de imaginário no mundo espiritual. Mal comparando é como MATRIX, estamos uma dimensão abaixo pelo menos.

      Esta lista é super. Da diversidade de crenças e pensamentos manifestando-se livremente expondo seus pontos de vista, virá crescimento individual e coletivo, coibir qualquer manifestação de pensamento baseado neste ou naquele ponto de vista, é tão preconceituoso quanto qualquer preconceito a respeito de qualquer liberdade de pensamento ou comportamento humano. Estamos aqui para crescer nos divertindo , não estamos ? Parabéns denovo Danilo por sua autenticidade e transparência o qual nos permitiu, com todo respeito e carinho, expressar as mais diversas e controversas opiniões a respeito deste assunto tão importante nos dias atuais. Abraços com carinho a todos. Abraços Jonatas, Danilo a quem respeito muito e também os demais colega de Lista. Com carinho do amigo – Jalzerio

      Thumb up 8
    • Desculpe entrar no debate, mas queria saber qual tua religião, Jalzerio. É que tu falaste em umbanda, depois em espiritismo kardecista e me bateu a curiosidade.

      Thumb up 2
    • Te julguei em resposta a ter me julgado, ter querido me diminuir dizendo que não aceito outras formas de vida muitas vezes mais inteligentes e fortes que eu, não vem te fazer de vítima não, tu é co-autor nesse desentendimento. Não há nada a ser perdoado, o que eu disse está dito e não retiro nem tu não retira nada. Aceito o acordo de paz.

      Thumb up 21
    • Jonatas me perdoe pelo comentáro fui arrogante e ofensivo: “vc está rejeitando outras formas de vida” Esta fere e ofende grandemente quem acredita em vida extra terrestre que vc, e eu, como homem da ciência deve acreditar, tive uma inspiração ruim e te ofendi, ME PERDOE. MAS chamar Jesus de personagem imaginário foi péssimo, foi tipo rejeitar a existência dele. Ele é um ser ESPIRITUAL, INTERDIMENSIONAL ( pois vai ao mundo físico e espiritual ) que é, é citado na Bíblia de GENESIS a APOCALIPSE, durante os 2500 anos em que a Bíblia foi escrita, JESUS é citado . E a Bíblia atribui a JESUS a criação do UNIVERSO.. sem ele nada do que foi feito se fez… diz que o nome dele está acima de todo o nome, QUE ELE É INTERTEMPORAL: Ele já estava sacrificado na cruz antes da criação do mundo, (não é esquisito? Ele de alguma forma transpassou o cronos) E que tem autoridade total no mundo espiritual, e diz que Ele é DEUS, e que ele é o início e o fim e o perdoador de pecados, e o que muda o destino, o que passeia entre os lírios, o que anda por cima da água, o que anda no meio do fogo, e por fim que diante dele todo o joelho e dobrará , inclusive o meu e o seu. Ame-o, ele é Senhor sobre o budismo. VC vai gostar dele, Budismo é transcedental, busque-o de todo o seu coração e vc o encontrará.
      JESUS é citado como alimento?!? é esquisito mas está escrito: quem dele se alimenta vive por ele… e bebida, quem bebe o sangue dele tem parte com ele… isto é mais esquisito ainda… é como se vampirizássemos de forma espiritual sugando de Jesus sangue para vivermos, é esquisitissimo, mas está escrito… JESUS é como rio: POis ele dá uma tal de água viva… que mata a sede para sempre… tudo sobre ELE é tremendamente esquisito …
      Se ele falar: “eu sou” costuma derrubar todo mundo pelo chão.. . Jesus é tão estranho que não dá muito para entender não;…. vai mais para aceitar do que para entender,,,, Teve um profeta que andou com Deus (interagiu com JEsus no antigo testamento) Quando seus ossos estavam secos, jogaram um cadáver sobre os ossos do profeta e o cadáver ressuscitou, JESUS É A RESSURREIÇÃO E A VIDA.. tudo é esquisito demais para entender. Ele apareceu a Saulo de Tarso ( um homem da ciência assim como nós ) e disse SAULO SAULO por que me persegues ? … Tudo sobre Jesus é tremendamente esquisito . e por fim que ELE obedece ao PAI e que o ESPÍRITO DELE , está no mundo agora. a maioria conhece este espírito como ESPÍRITO SANTO .

      Abraços com carinho.

      Thumb up 5
    • Jalzerio, tu disseste no teu comentário mais recente que a Bíblia foi escrita durante 2500 anos. Mas aí eu te pergunto: a Bíblia não começou a ser escrita depois do nascimento de Cristo? E se assim o foi (e leve-se em conta que o tempo – me refiro aos anos – é dividido em antes e depois de Cristo), e nós estamos em 2012 (logicamente são 2012 anos do nascimento dEle) então a Bíblia começou a ser escrita 2012 anos atrás e não 2500…certo?

      Thumb up 1
    • Moisés pelo q se sabe foi o primeiro escritor. 2500 ac . Só q a bíblia tem gematria , não se pode retirar uma só letra que ela perde a gematria… é como um código CRC se trocar uma letra do lugar dá erro . Como dados corrompidos em um Hard disk. Só se pode fazer isto com computador. Só que Moises; Josué; os Juizes(foi uma penca de gente começando um livro e outro continuando 40 anos depois no capítulo seguinte; Rute, Samuel, etc etc e boiadeiros iletrados, e agricultores, escreveram sem errar um único verso… ISTO NÃO É DESTE MUNDO… A BÍBLIA NÃO FOI ESCRITA , ELA FOI TRANSCRITA… Desde o primeiro verso em Genesis, até o último em Malaquias, a multiplicidade de 7 , se mantém. De 70 em 70 letras tem coisas escritas, o número 37 e 73 estão entrelaçados nos versos; Pi aparece em Genesis e logarítmo neperiano em João no Novo testamento… tudo é esquisito demais para ter sido feito sem computador.

      Thumb up 4
    • Nem li e nem lerei.

      Mas achei que estavam proibidas as discussões religiosas no site…

      Quando for postar, tente se basear em livros com valor cientifico/acadêmico. Se for se basear “racionalmente” na bíblia, alcorão, livros dos mórmons e afins… Guarde sua opinião para outro fórum ou site de noticias.

      Sugiro o R7.

      Thumb up 47
    • HOMOSSEXUALIDADE NA VISÃO ESPÍRITA

      Deus criou espíritos e estes não tem sexo.
      Então, tanto podemos encarnar em um corpo masculino como feminino.
      Quando estamos desencarnados, no plano espiritual, geralmente, conservamos a aparência da última encarnação. Muitos optam pela aparência da encarnação que foi mais marcante.
      Quando estamos encarnados, interpretamos papéis, como artistas num filme ou novela.
      Um homem, por exemplo, não É homem, ele ESTÁ interpretando o papel de homem, porque veste um corpo masculino.
      Assim ocorre em relação à mulher.
      Na próxima encarnação não sabemos em que sexo reencarnaremos.
      Todos nós, trazemos gravado na memória espiritual, o que fizemos ou fomos em encarnação anterior ou em encarnações anteriores. Como nós passamos por muitas encarnações, ora em corpo feminino, ora em condições de masculinidade, todos temos um pouco de bissexualidade. Há homens heterossexuais sensíveis e delicados assim como há mulheres heterossexuais truculentas.
      Exemplo: Conta-se que Chopin em seu primeiro encontro com a escritora George Sand, o amor de sua vida, não poderia ter sido pior. Escreveu ele: “Como é antipática essa Sand! Será mesmo uma mulher? Estou começando a duvidar.” Afinal, sua nova amiga comportava-se como um rapaz: vestia-se com roupas masculinas e fumava charutos. Certa vez, num dia de chuva, apareceu uma goteira na cabana onde eles estavam. Chopin inspirou-se com a goteira e compôs a música Gota d’água. Assim que terminou sua esposa subiu no telhado para acabar com a goteira.
      Mas, a doutrina espírita, explica que a homossexualidade, pode ter várias origens. Entre elas: EXPIAÇÃO que resulta no travesti; OPÇÃO que é resultado de viciação; ESTÍMULO DOS PAIS e MISSÃO. Vamos explicá-las segundo a visão espírita de Richard Simonetti e Divaldo Franco:
      1º) No caso de EXPIAÇÃO, são espíritos que abusaram do sexo oposto, geralmente para saciar seus instintos sexuais, levando-os ao suicídio, por exemplo, e que agora reencarnaram (obrigatoriamente) num corpo oposto da encarnação anterior, para sentir na pele as humilhações, os abusos que uma mulher sofre por parte de alguns homens e vive-versa, para aprender a não cometer o mesmo erro numa próxima encarnação. Então, estes usam um corpo feminino, mas seu desejo é masculino, ou seja, eles olham para uma mulher e sentem atração física. O mesmo acontece com o homossexual masculino. Estes também, por vários motivos, abusaram dos sentimentos de pessoas do sexo oposto. Agora se encontram (obrigatoriamente) em corpos masculino sentindo atração por pessoas do mesmo sexo. Neste caso, também surge O TRAVESTI – o homem que simula ser mulher e vice-versa. Geralmente eles se vinculam a atividades artísticas, vestindo-se do sexo que pretendem ser. O travesti só se enquadra na homossexualidade, na medida em que dê vazão aos seus impulsos sexuais orientados pela psicologia invertida. Os mais imaturos acabam envolvendo-se com a prostituição, atendendo pessoas desajustadas que buscam aventuras sexuais.
      2º) Há a OPÇÃO que resulta de viciação. Assim como há indivíduos que se viciam no fumo, no álcool, nas drogas, há viciados do sexo que, à procura de sensações, acabam desenvolvendo práticas homossexuais. Neste caso encontramos também os bissexuais. A homossexualidade pode desenvolver-se na adolescência, como curiosidade juvenil, muitas vezes motivada pelo modismo determinado pela mídia televisiva; por crianças que são abusadas por adultos; ou em prisões, como alternativa para necessidades sexuais; por prostituição, para ganhar dinheiro . . . Estes não tem o conflito da mente com o corpo. Por isso há homossexuais masculinos muito viris, assim como há lésbicas, que são extremamente femininas.
      Exemplo: há muitos jovens e adultos sendo levado pela “moda” pela “curiosidade”. Meu marido tem alunos(as) que se classificam “bissexual”. Há quem diga querer “experimentar”. Há quem diga ter se decepcionado com o namorado e começou a ficar com a amiga. Enfim, vemos que a “moda” existe sim.
      3º) Há também, indivíduos que tornaram-se homossexuais por “ESTÍMULO DOS PAIS.” Pais frustrados que estimulam comportamentos equivocados na conduta sexual dos seus filhos. A mãe que esperava uma menina e veio um menino; ela começa a vestir o menino de menininha, e transferir seus conflitos e irrealizações para o filho, ou o pai que desejava um filho varão para preservar o nome, e veio uma filha; ele passa a tratá-la com dureza, porque no inconsciente, está marcando esse espírito profundamente e submetendo-o a uma conduta de comportamento sexual que não harmonizará sua psicologia com sua anatomia.
      4º) E para finalizar, a homossexualidade pode também ocorrer como uma opção do Espírito quando, em MISSÃO, pretenda dedicar-se a determinadas tarefas, optando por esta “anomalia” que inibirá seus impulsos de acasalamento. Geralmente são espíritos que tiveram várias encarnações num corpo masculino, por exemplo, e quando pedem para vir num corpo feminino sentem-se estranhos. Com uma psicologia (pensamento) que não se ajusta à morfologia (corpo), tenderá (em alguns casos) a sentir atração por indivíduos do mesmo sexo. Como sua consciência não lhe permitirá um envolvimento desse tipo, que sente ser contrário à Natureza, optará pela solidão afetiva, com o que passará a dedicar-se inteiramente às tarefas a que se propôs, desdobrando sacrificial existência. Encontramos, na História, inúmeras personalidades de destaque nos domínios da Cultura, da Arte, da Filosofia, da Ciência, da Religião, que viveram essa contingência. Passaram incompreendidos, ridicularizados e caluniados por seus contemporâneos quanto à sua posição em relação ao sexo, mas, mantendo SEVERAS DISCIPLINAS DE CASTIDADE, canalizaram suas forças genésicas para gloriosas realizações em favor da Humanidade.

      O SEXO É PECAMINOSO?
      Como disse Emmanuel, “sexo é um atributo não apenas respeitável mas profundamente santo da Natureza, exigindo educação e controle.” Então, pecaminoso é a maneira que fazem uso do sexo, seja por um hetero ou um homo.
      QUAL A FINALIDADE DO SEXO?
      O sexo foi feito para a vida, para dar oportunidade para Espíritos encarnarem para ressarcir débitos ou para realizar provas, e não a vida foi feito para o sexo, como estão dando a entender hoje. Observemos que, quando nosso corpo envelhece e não pode mais reproduzir, a mulher não lubrifica mais como na mocidade e o homem tem dificuldade de ereção. Portanto, quando o sexo for feito com intenção de ter ou não filho, que seja com respeito, sem promiscuidade, sem troca constante de parceiro (prostituição), seja homo ou hetero. Muitos de nós ainda necessita desta troca de energia.
      SE A FINALIDADE DO SEXO É DAR OPORTUNIDADE PARA ESPÍRITOS REENCARNAREM, POR QUE INVENTARAM O ANTICONCEPCIONAL?
      O anticonceptivo existe para controlar a quantidade de filhos que um casal quer ou pode ter. Ele não foi inventado para as pessoas fazerem uso do sexo de maneira abusiva, promíscua e sem responsabilidade.
      Diz Emmanuel no livro Vida e Sexo: “Em torno do sexo, será justo resumirmos as normas seguintes:
      Não proibição, mas educação.
      Não abstinência imposta, mas emprego digno, com o devido respeito aos outros e a si mesmo.
      Não indisciplina, mas controle.
      Não impulso livre, mas responsabilidade.
      Fora disso, é teorizar simplesmente, para depois aprender e recomeçar a obra da sublimãção pessoal, tantas vezes quantas se fizerem precisas, pelos mecanismos da reencarnação, porque a aplicação do sexo, ante a luz do amor e da vida, é assunto pertinente à consciência de cada um.”

      O Espiritismo não é contra a homossexualidade?

      Resposta de Divaldo Franco: “O Espiritismo, de forma alguma, é contra a estrutura homossexual do indivíduo, não estando de acordo, porém com a pederastia, ou seja, a entrega do homossexual aos hábitos e práticas perturbadoras, o que é muito diferente.”(…) “O que a doutrina diz é que, o homossexual deve procurar respeitar a si mesmo; não se permitir descer a situações promíscuas; deve respeitar seu parceiro(a); deve respeitar o grupo social, não pretendendo impor a sua orientação sexual como sendo a que todos devem seguir. Porque todos temos, invariavelmente, um certo tipo de comportamento e o consideramos normal. Desejamos consciente e inconcientemente que o mundo mude para estar do nosso lado, quando os outros também tem seus comportamentos e suas orientações sexuais.”

      OBSERVAÇÃO: ENTÃO, PODEMOS DIZER QUE, O HOMOSSEXUAL NÃO DEVE IMPOR SUA CONDIÇÃO SEXUAL AO HETEROSSEXUAL E VICE-VERSA. ASSIM COMO HÁ HOMOSSEXUAL E HETEROSSEXUAL COM COMPORTAMENTO PROMÍSCUO, AGRESSIVO À SOCIEDADE, HÁ TAMBÉM HOMOSSEXUAL E HETEROSSEXUAL DISCRETO, QUE RESPEITA E SE RESPEITA. A MUDANÇA DE COMPORTAMENTO VIRÁ COM O AMADURECIMENTO DO ESPÍRITO E NÃO COM A IMPOSIÇÃO DE OUTROS ESPÍRITOS TAMBÉM FALHOS. QUEM QUER TER LIVRE ARBÍTRIO DEVE CONCEDER O MESMO AOS OUTROS. SÓ ASSIM VIVEREMOS HARMONIOSAMENTE, ATÉ QUE A HUMANIDADE AMADUREÇA E APRENDA A RESPEITAR A PRÓPRIA SEXUALIDADE, DISPONDO-SE A FAZER DA ATIVIDADE SEXUAL NÃO MERA FONTE DE PRAZER ANIMAL, MAS, FUNDAMENTALMENTE, UM COMPLEMENTO DA COMUNHÃO AFETIVA, SOB INSPIRAÇÃO DO AMOR QUE UNE O HOMEM E A MULHER PARA AS EXPERIÊNCIAS SAGRADAS DA VIDA FAMÍLIAR.

      Thumb up 3
  10. ainda bem que é genético porque eu já estava começando a achar que era culpa dos meus pais

    Thumb up 17
    • É sim, Antonio C. Eu, pelo menos, nunca paguei nada. Aproveite o site, pois tem muito a oferecer. Bem-vindo ao Hype!

      Thumb up 0
    • obrigado flor de lis, eu já estava ficando preocupado.

      Thumb up 0
    • Por nada, Antonio C.

      Thumb up 2
  11. Escrevi sobre homofobia e a procura dos homossexuais por seu espaço legítimo na sociedade para o trabalho de conclusão de curso da universidade; em razão disto entrevistei vários homossexuais (homens e mulheres) e todos discordaram do termo opção sexual, justamente pelo fato de que (como já foi dito) dá idéia de escolha. Um deles resumiu a contrariedade à isso dizendo simplesmente: nasci assim! Espero que um dia haja o consenso de que todos (independente de qualquer aspecto) somos dignos de respeito.

    Thumb up 43
  12. essa idéias pra mim são abstrata como pode saber se um gene é homossexual isso faz com q nós homens perdemos nossos valores e respeito pelo jeito dos pesquisadores a humanidade vai ser toda homossexual. q absurdo!!!!!

    Thumb up 8
    • Concordo com o Claudemir, e é importante ressaltar que essa não é a única linha de pesquisa nesse assunto. varias outras pesquisas apontam o meio externo,as relaçoes construidas com a familia e toda a sociedade na infancia e adoslescencia, como o fator mais determinante para opção sexual. A única coisa que tenho certeza é que isso parece ser algo bem mais complexo do que essa pesquisa apontou, um conjunto de fatores, e que ainda pode ter particularidades de individuo para individuos.

      Thumb up 1
  13. Este fato só poderar ser entendido através do estudo da vida espiritual porque isto não pertence a matéria.
    Todos nós trazemos de vidas passadas algo que deveremos superar.
    Esse sentimento que sai de dentro de uma forma natural são reflexos de vidas passadas que poderar ser compreendido através do esclarecimento espiritual e terapia regressiva onde compreenderár tomar a verdadeira posição de um ser humano.
    É preciso adotar esta foma de estudo porque quando um espírito assume um corpo ele esquece de tudo que foi na vida anterior, e isso é uma Lei. Agora não pense que o espírito está encanado no corpo errado, porque antes reencanar o mesmo escole ser homem ou mulher, a família e o local onde deseja morar.
    Se desejar saber mais sobre isto de uma forma confortante sem que ter que ferir o Eu como faz a maioria que estuda a bliblia que é o demonio o qual o indivíduo deverar se libertar a custa da renucia do seu velho Eu com muita oração.
    Visite uma casa Racionalista Cristã, lá você verar que o esclarecimento vale mais doque muitas orações para se desvencilhar de algo que vem de dentro naturalmente.
    Olha, vocês não tem nada a perder visitando esta doutrina, ela não te cobrarar consunta ou dísimo, é 100% gratis. Todos serão envolvidos no calor humano, porque o objetivo de estarmos neste mundo é a evolução espiritual que é um direito de todos sem exceções.

    Thumb up 10
  14. Que conclusão absurda! Porque alguém não é aparentemente “gay” e contra eles, é “gay”.

    Se eu estender essa falácia, quem não é a favor de pedófilos, é pedófilo reprimido. Quem não é a favor de coprofagia (parafilia em que se sente prazer em defecar no parceiro sexual) ou da necrofilia (prazer em intercursos sexuais com cadáveres) é porque os tem reprimido? Que loucura!

    Precisamos, em definitivo, de distinguir duas coisas: boa parte das pessoas mostra-se contra o casamento gay, a adoção de crianças pelos gays e toda a parafernália propagandística concernente etc. porque é contra o movimento político gay, e não contra a homossexualidade em si e por si.

    É certo, contudo, que existem indivíduos que se sentem mal quando ouvem falar de homossexuais e alguns têm tamanha rejeição a isso que, como esquiva, agem violentamente contra aqueles. Neste caso, sim, pode-se falar de um “homossexualismo reprimido”, uma vez que, em alguns casos de indivíduos reprimidos, o uso da violência torna-se um meio eficaz de evitar determinados pensamentos ou sentimentos. Entretanto, só para melhor esclarecer, há indivíduos reprimidos que não agem com violência, buscando outras vias. Isso vai depender da personalidade de cada um e da presença de comorbidades.

    O problema, como já observei, é que as pessoas (não sei se por interesses escusos ou mesmo se por simples ignorância) acabam se resumindo à simplória dicotomia de “ou se ama ou se odeia”. Não se lembram de que o ser homossexual (um fator de ordem genética – como o aponta a pesquisa – hormonal e psicológica) não é o mesmo de ser adepto de um movimento político de esquerda, como o é o movimento gay. Há que se fazer essa distinção, pois, para aquele movimento, ser contra eles é ser homofóbico, isto é, averso a homossexuais – o que se trata de uma falácia bem mesquinha e não condiz à realidade.

    Thumb up 15
  15. Ouvi na rádio, alguns anos atráz, que os homosexuais seriam mais femininos do que as mulheres, seria por causa de hormonios. Sempre penso nisso, tenho um amigo gay, ele é incrível, super inteligente um ótimo profissional no ramo da cultura e casado. Ele sempre foi gay, desde a infãncia, ninguem o estimulou, ele simplesmente era ele mesmo! Concordo que não deva ser estimulado rotular a criança (ela é gay), mas simplesmente, quem tem um homosexual na família sabe que, na infância ela já tem preferencias diferentes. E por ser mais sensível é um crime maltrata-la com o preconceito.

    Thumb up 42
  16. “hummmm, eu to com um pouco de tédio, sem nada pra fazer…
    Acho que vou querer sofrer preconceito, ser espancado, excluído e maltratado por pessoas ignorantes, afinal, eu não gosto delas mesmo!
    Já sei!!! De agora em diante eu vou ser gay!”

    É isso que vocês imaginam que acontece?

    Thumb up 107
  17. Pessoal, cuidem as regras do português. “Porque”, quando se trata de pergunta, é separado. “Por que existem homens gays?” Não gosto de ser chato com os outros por causa de português, mas com grande frequência tenho visto esse erro no site. E, se ninguém diz nada, as coisas continuam erradas. Abraços.

    Thumb up 42
    • Obrigado pela dica.

      Thumb up 6
  18. Tudo, repito, tudo e natural!

    Todos os elementos, no universo foram forjados em Estrelas supernovas, e agropados pela gravidade. Meu ponto e que, tudo nao passa de uma transformacao de energia.

    O Argumento ”Nao e natural, entao, nao e bom” , E simplesmente ridiculo, Sabe o que e natural ? PLUTONIO ! BURACOS NEGROS, urânio, Lobos, Escorpioes, toxinas, acidos, Lava, Terremotos, tsunamis, tempestades, Etc ( Isso tudo e natural, Mas vai te matar)

    Thumb up 34
  19. É ilusão pensar que os homofóbicos irão deixar de o ser em frente as novas pesquisas, que já vêm sendo realizadas há tempos. Não é assim com os dogmas das religiões, mesmo diante da abundância das evidências científicas. Fatos não são suficientes para todos. O problema aí passa a ser sociológico/educacional.

    Thumb up 43
  20. Existem porque homossexualismo nada mais é que uma ocorrência totalmente natural, genética, humana, talvez até espiritual – isso estaria mais pra um estudioso desse ramo explicar.
    Desde já respondo as indagações homofóbicas que devem aparecer:
    – > Uma escolha? ainda não se pode ter total certeza porque os estudos estão em desenvolvimento, mas é quase certo de que é realmente genético, ou seja, natural, não social. A única escolha está em assumir ou não assumir, eis a questão.
    – > Uma aberração, acidente ou imperfeição genética? não, é apenas uma condição genética, prova de que se nasce homossexual. Uma imperfeição genética é a pessoa nascer deformada, ou com algum problema de saúde grave, a tendência a obesidade também é uma ocorrência genética que ameaça a saúde. Tem sido visto que até a psicopatia é uma ocorrência cerebral, talvez também seja genética. Mas ser gay não impede ninguém de ser normal e saudável, a única ameaça a saúde está na intolerância e preconceito dessa sociedade em que vai viver, essa é a verdadeira aberração, a homofobia, assim como todo o tipo de discriminação.
    – > Uma contrariedade à ordem de Deus (posição religiosa que já deve estar a espera na moderação)? não, a única contrariedade é em relação aos dogmas religiosos, a fonte de seus preconceitos. Um criador cósmico, dono duma inteligência que teria que ser descomunal, jamais se importaria com algo tão simples como uma ocorrência natural, que está dentro das execuções e resultados de seu programa. Esse ser superinteligente teria programado uma realidade para ser auto-executável, sem que precisasse intervir a todo instante, como tantos acreditam, o tal plano divino teria que ser assim para funcionar, para quem fizesse o mal, por exemplo, o recebesse de volta, lei ação-reação, assim como carma e darma. Esse entendimento salienta-se nas doutrinas orientais e tem sido visto no ocidente pela gnose e pelo espiritismo.

    Thumb up 62
    • O budismo e o hinduismo, não condenam a casamento gay, desde que esteja em uma união estável e se assuma a ter uma vida feliz, procurando elevar o seu espírito. Depois da morte não importa o que vc foi, vc será um espírito. Os católicos acolhem também com muito amor todo ser humano. Nào entendo algumas “religiões” que semeiam o preconceito.

      Thumb up 28
    • Jonatas, eu concordo que possa ser tambem comportamental.
      Gostaria saber de você segundo o estudo da sua doutrina o lado que você diz: “talvez até espiritual”
      Eu lí a seu comentário, ele está voltado para o lado material, só no final em duas linhas que você tenta entrar no epiritual dizendo: “Esse entendimento salienta-se nas doutrinas orientais e tem sido visto no ocidente pela gnose e pelo espiritismo”.
      Olha, a verdade sobre a vida espiritual conforta, as vezes quando passamos pela dor é porque não a compriendemos e damos muito valor ao nosso Ego.
      Estudar o lado espirital não é ruim, a renuncia só se fará quando chegamos a compreenção dos fatos, ou seja, a renuncia é automática e não imposta onde o induvíduo luta contra o seu Eu arduamente. Isso está dentro da Lei Causa e Efeito.

      Thumb up 0
    • Na doutrina que pratico, o Budismo, não sou ainda um grande entendedor nesses aspectos, no que tange a sexualidade de um ponto de vista espiritual. Por isso fiz minha ponderação mais baseado em Ciência do que em Budismo. Explicar espiritualmente a sexualidade e homossexualidade seria pra alguém mais instruído que eu nesse aspecto, mas sei que existe relação, como em praticamente tudo, pois um plano reflete o outro, e todos refletem a existência. :)

      Thumb up 8
    • homossexualismo não! isso é como erroneamente era chamado pelo fato de acharem que era uma doença; é Homossexualidade ou homo afetividade.

      Thumb up 14
    • Muito válida e importante essa correção, obrigado.

      Thumb up 16
  21. Até a década de 70, considerava-se a homossexualidade um desvio de conduta, que acarretava um sofrimento psíquico agudo em seus portadores. Devido a pressões do movimento gay – um movimento político -, esse termo foi abolido.

    Até ano passado, considerava-se a transsexualidade um desvio de conduta grave, o qual, também, acometia seu portador de intenso sofrimento mental. Contudo, devido ao movimento gay, tal termo foi extraído dos livros de Medicina Psiquiátrica (vide DSM-IV e DSM-V.).

    Agora, segundo essa pesquisa, sugere-se que existe um gene para a homossexualidade. O que muda com isso? Nada. Mas deveria. Homossexuais e seus congêneres continuam a negar o fato de que o que eles têm carece de um tratamento psiquiátrico e psicológico. Que, quer eles gostem ou não, o sofrimento que sentem não emana da sociedade (vê-se aí a corrente de pensamento determinista, ao abrigo dos movimentos de esquerda), mas sim de sua psiquê, de seu Eu. O sofrimento de se olhar no espelho e não se sentir bem com sua Sexualidade produz inquietação (ansiedade) e significativo sofrimento (depressão, por exemplo), portanto, ao indivíduo. Há que se tratar isso, então.

    Eu sei que o que digo soa “preconceituoso”. Mas, se pensarem bem, não existem provas científicas de que a homossexualidade seja somente uma “opção sexual”, algo que você muda como troca de roupa. A pesquisa supracitada corrobora o que afirmo aqui. Ademais, não se pode compelir a ciência a mudar seus “termos” porque determinado grupo político o deseja, à força. Isso não faz sentido nenhum e se parece muito com o que havia na Idade Média, em que cientistas viam-se obrigados a negarem seus estudos e conclusões para não irem à fogueira, devido ao que diziam não “agradar”.

    Sei que, ao dizer isso, muito certamente me vão querer na fogueira. Contudo, a verdade seja dita, doa a quem doer.

    Thumb up 13
    • Vários anos atrás um amigo meu de adolescência tinha um problema cardíaco. Hoje seus resultados de exames são os mesmos, mas segundo novas métricas da medicina ele não tem mais problema no coração. Agora seu coração entrou, depois de muitos anos de estudo, em uma faixa “normal”, mesmo sem ter ficado mais saudável.

      Talvez movimentos políticos possam causar mudanças na medicina, mas só porque alguém tem desejo pelo mesmo sexo deve ser classificado como tendo algum distúrbio? Hoje sabemos que não.

      Estudos também mostram que casais gays podem ser melhores pais do que casais heterossexuais. Talvez os heteros precisem de tratamento psiquiátrico? Possivelmente não.

      Cada vez mais a ciência vem separar mito de realidade e tentar ajudar pessoas como você e eu a vencermos nossos preconceitos.

      Thumb up 31
    • Senhor Marcelo Ribeiro,

      Reconheço que o que digo aqui aparece aos olhos de muitos preconceituoso. Porém, não vejo absolutamente nenhum mal em alguém querer ser homossexual, em optar por seguir com esse distúrbio. A Medicina Psiquiátrica não pode compelir ninguém (se este estiver consciente ou em não havendo o consentimento da família) a procurar tratamento para algo.

      A Medicina, no que respeita ao homossexualismo, já não desenvolve nenhum estudo sobre o assunto, uma vez que não faz sentido estudar algo que se tornou “normal” ou minimamente – no caso a que nos referimos – neurotípico. Assim, torna-se muito difícil falar em termos de tratamentos adequados, porquanto, por pressão dos movimentos de esquerda (nomeadamente, o movimento gay), há uma ojeriza muito forte àqueles que pensam em contrário. Poder-se-ia dizer o mesmo para a legalização da maconha para usos medicinais. Se não houvesse tantos meandros políticos e interesseiros em volta do assunto, já haveria hoje muitas pesquisas médicas sérias.

      No caso do seu amigo. Que bom para ele, já não precisa se preocupar.

      A Medicina, assim como para muitas áreas da vida, evoluciona e, logo, o que antes se tinha como algo doentio e até perigoso se transmuta em algo mais leve ou mesmo deixa de existir como morbidade (porém, não na maioria dos casos). Entretanto, para isso deve haver estudos e mais estudos sérios (entenda “sério” como livre de qualquer doutrinação), o que não é o caso da Homossexualidade.

      Infelizmente, os movimentos políticos e toda a doutrinação que eles impõem criam irredutíveis obstáculos ao estudo, à Ciência. Isso eu vejo com muita tristeza, porque, quem sabe, já não se teria uma cura para isso que transtorna tantas pessoas, ou, melhor, se já soubesse que não é mesmo uma doença ou algo que o assemelhe.

      Esses movimentos políticos só atrapalham, e é contra eles que dirijo minha insatisfação. Não aos homossexuais. Será que me fiz entender?

      Bom, quanto aos duvidosos estudos de que duplas homossexuais podem ser melhores “pais” do que os casais heterossexuais, eu só lhe tenho a dizer uma coisa: o que pode ser… não é, assim como o que parece ser… não é. Isso é óbvio. Sobre essa pesquisa a que você alude, honestamente vi um forte peso político sobre ela, o que a torna absolutamente questionável.

      Thumb up 3
    • “Sei que, ao dizer isso, muito certamente me vão querer na fogueira. Contudo, a verdade seja dita, doa a quem doer.”
      Olha, desculpa abalar essa sua compreensão absoluta sobre a verdade e sobre o assunto mas, fogueiras a parte, espero você consiga ver que suas conclusões não tem base em fatos reconhecidos e disseminados, abrindo espaço, assim, para especulações preconceituosas. Alem disso, acabou passando uma impressão meio arrogante, ao não admitir a possibilidade de opiniões diferentes.

      “Homossexuais e seus congêneres continuam a negar o fato de que o que eles têm carece de um tratamento psiquiátrico e psicológico.”
      Teimosos esses homossexuais! Vivendo suas vidas felizes, não querem nem saber de admitir sua doença! E nem mesmo os mais influentes psiquiatras e psicólogos ao redor do mundo!

      “Ademais, não se pode compelir a ciência a mudar seus “termos” porque determinado grupo político o deseja, à força.”
      Tem mesmo como obrigar todos os médicos e psicólogos do mundo inteiro a abandonar os conceitos da ciência e trabalhar com mentiras? Talvez, quando houver um ditador mundial comunista…

      “cientistas viam-se obrigados a negarem seus estudos e conclusões para não irem à fogueira”
      Então, os cientistas tinham estudos, essa teoria revolucionária tem estudo? Se não, então não há fogueira com que se preocupar.

      “Que, quer eles gostem ou não, o sofrimento que sentem não emana da sociedade (…), mas sim de sua psiquê, de seu Eu.”
      Quando um ou dois gays caminham no centro da cidade e são surpreendido por agressões de um grupo homofóbico, “o sofrimento que sentem” emana de onde? Da sua psiquê? Isso caracterizaria uma alucinação grave, caso tais fatos não ocorram, de fato, na realidade. Mas quem tem acompanhado jornais nos últimos anos, está ciente dos fatos. E não, acredito que eles não “gostem” disso nem de qualquer forma de discriminação ou bullying .

      Thumb up 18
    • Não se trata de compreensão absoluta de verdade. Assim como em muitos outros cursos superiores, na universidade aprende-se uma determinada corrente de pensamento. Em Medicina, não poderia ser diferente. Para mim, que já estive muitos anos de minha vida na faculdade (e ainda, infelizmente, estou, pois não me arrisco a ser autodidata), você é levado a pensar segundo determinados padrões – estes fundados em alguns princípios políticos (sobretudo se for politicamente correto).

      Que é verdade que a Medicina foi compelida a ceder à pressão do Movimento Gay, nos anos 70, disso qualquer um pode saber (a internet existe para isso). Que não foram feitas pesquisas, estudos etc. para se avaliar a possibilidade de não mais ver um distúrbio grave de personalidade como tal, registra-se na história.

      Então, não é que eu queira ser o paladino da verdade. Apenas estou descrevendo os fatos. Você pode ter acesso a eles também. Pesquise. Seja curioso.

      Homossexuais vivendo suas vidas felizes… Bom, ou o senhor conhece uma gama enorme de pessoas assim (a tal ponto de estimar, objetivamente, tal afirmação), ou então fez pesquisas que o comprovem cientificamente.

      Deve-se entender isto: a realidade de uma morbidade não se altera porque nós achamos que seria melhor assim ou porque não gostamos de como ela é. Para fazê-lo, existe tratamento, terapia, fármacos (na maioria dos casos, felizmente) etc. Ou seja, porque o Movimento Gay disse que homossexualidade não é um problema psíquico, isso não o exclui de ser um problema – a não ser que eles tivessem algum poder divino ou sobrenatural.

      O que acontece de fato é que existe um agudo sofrimento de essas mesmas pessoas não conseguirem lidar com sua sexualidade saudavelmente, precisando de recorrer ou ao abuso de drogas ou mesmo a ideologias – como eu diria – salvacionistas, uma vez que negar um fato não o faz apagar. Objetivamente falando, é claro.

      Eu sei que, para o senso comum, esse “não aceitar sua própria sexualidade” é algo desprezível, porquanto, correntemente, se pensa que sexualidade é algo que se escolhe, como se se trocasse de meias. Mas não é tão fácil assim. A sexualidade faz parte de nosso ser, de nosso Eu (para falar em termos psicanalíticos). Algum problema nessa área traz sofrimento considerável ao indivíduo. De fato, em contrapartida, existe todo um aparato social que intensifica, prejudicialmente, a auto-estima negativa concernente a essas pessoas; entretanto, com ou sem isso, existe o sofrimento – e ele deve ser considerado e tratado. Se lhe interessa saber, já vi muitos casos em que pessoas pediam a médicos ou psicólogos para deixarem de ser homossexuais, e algumas das quais nem sequer aparentavam sê-lo (o que as eximia do estigma social).

      Hoje, em Psiquiatria, fala-se em “sair do armário”. Antes de o termo ser abolido, havia toda uma literatura, fundamentada em estudos, a respeito do tema. E esse “sair do armário” – por incrível que nos possa parecer – é o único desígnio que se dá à Homossexualidade hodiernamente. Mas, o termo não foi expurgado tendo-se como pressuposto estudos científicos. É muito triste ver que a Ciência se vergou a uma ideologia: apenas desapareceu. O mesmo se dá novamente: até ano passado tinha-se o Transsexualismo como uma distúrbio comportamental grave. Neste ano, o termo simplesmente desapareceu! E já se fala em “sair do armário” de novo! Observando-se que não houve nenhum estudo para tal desclassificação! Como? Pergunte ao Movimento Gay – um movimento político de esquerda forte.

      Quão científico é isso, não?

      Thumb up 2
    • Caro Alexandre, sou muito curioso com o que me intriga, mas não tenho dúvidas sobre esta questão.

      Quanto a homossexuais serem felizes, como qualquer um, a partir do momento que você está particularizando a realidade de uma porção da população, eu questiono você, sobre porque não seria verdade e onde estariam as pesquisas científicas que o levaram a fazer esta distinção. Eles simplesmente começam a vida com um problema a mais, não é uma “maldição”.

      Lamento que você tenha uma visão tão negativa sobre a questão, pois se pensar assim, vai entender como uma doença, com certeza. Se você estudou ou pesquisou somente as dificuldades enfrentadas pelos homossexuais, então é provável que só considere o lado negativo. E se há um lado negativo, é com certeza a potencial hostilidade da família e de grande parte da sociedade. E sim, eu acredito que há pessoas desesperadas para acabar com esse sofrimento. Ora, é muito óbvio responder essa pergunta, deveria ser mais ainda para um médico: qual a grande causa do sofrimento dessa pessoa?

      Ainda assim, se há uma intensão tão persistente em enxergar uma doença nisso tudo, pode existir mesmo uma doença: sem dúvida corre um bom risco de adoecer aquele que é forçado ou se força a abandonar aquilo que é, pensa e sente para se submeter a certos padrões conservadores da sociedade – em todos os níveis – que ainda tem dificuldade para aceitar o que é diferente e o que existe em minoria.

      Uma pessoa forçada a abrir mão de questões tão básicas como um parceiro para a vida, vai ter princípios e valores sólidos em que, depois disso? Se ela já abandonou sua vontade própria, seus direitos a respeito de si mesma, e o controle sobre a própria vida: me parece um grande pacote de coisas não saudáveis, a se engolir, só para passar para uma posição menos “mal vista” pelas pessoas.

      E eu não falei em nenhum momento e nem estou falando agora sobre o tal “movimento gay”, estou falando de seres humanos. E se você diz que o movimento é político, é só mais uma razão para entender que ele não representa a opinião da população, como praticamente nada que é político o faz com fidelidade.

      Não faz sentido ver homossexuais tendo uma vida normal, em sociedade, e insistir na questão da doença. Se fosse assim, precisaria rever alguns conceitos: O que é doença? E, mais curioso, o que significa ser ou estar saudável???

      Obs.: só um último ponto a dizer sobre:
      “Homossexuais vivendo suas vidas felizes… Bom, ou o senhor conhece uma gama enorme de pessoas assim (a tal ponto de estimar, objetivamente, tal afirmação)”
      É irônico, mas moro numa cidade que tem parada gay e a proporção de homossexuais é bem maior do que em outras cidades. É impossível não perceber, para todos os lados, no centro da cidade, lojas, bares, empresas, escolas, faculdades, etc. Devo conhecer na mesma proporção homossexuais/heterossexuais, sem contar aqueles que a gente ainda não sabe…

      Thumb up 11
    • Senhor Andhros,

      Infelizmente, devo dizer-lhe que, por sua cidade contar um número maior de homossexuais, e você os ver em muitos lugares, isso não o habilita a afirmar sobre o grau de satisfação daquelas pessoas, no que concerne ao modo como elas lidam com sua sexualidade. Portanto, não podemos nos fundamentar no seu empirismo para chegarmos a conclusões mais elucidativas. Devemos tratar aqui do que é evidente, daquilo que pode ser provado. A vida aparente de alguém diz muito pouco do que ela de fato é, sobretudo se o observador (no seu caso) não tiver um olhar clínico (um analista, um psiquiatra, um psicólogo etc.); e mesmo que o tivesse, apenas o empirismo não é condição sine qua non para o emprego de uma análise categórica acerca de alguém ou de uma morbidade que esta provavelmente tenha.
      O senhor falou de conceitos. Tratemos, então, deles. Porém, primeiro, uma pequena história: até o DSM-IV, tinham-se a transsexualidade e a homossexualidade, por exemplo, como “Transtornos da Identidade de Gênero caracterizam-se por uma forte identificação sexual com o gênero oposto, acompanhada por desconforto persistente com o próprio sexo atribuído”; estando incluída no quadro de parafilias. Agora, primeiramente, o conceito de transtorno mental: “Um transtorno mental é uma síndrome ou um padrão psicológico de significação clínica, que costuma estar associada a um mal-estar ou a uma incapacidade”; destarte, sinto-me obrigado a conceituar síndrome, a saber: “Uma síndrome é o conjunto de sintomas que caracterizam uma doença ou o conjunto de fenômenos característicos de uma situação”; por fim, conceituo parafilia – “Trata-se de um comportamento onde a fonte do prazer não se encontra na copulação em si, mas em situações mais bizarras e/ou fora do comum”. Ressalto que parafilia, num sentido mais estrito, é algo que é paralelo (“para” de paralelo mais “filia” de amor) àquilo que é convencional, ou seja, não-heterossexual, não-coital, não-monogâmico (momentaneamente), sem finalidade prazerosa ou procriadora (depois esclareço melhor esta parte). Enfim, parafilia se define em Transtornos de Sexualidade.
      Não pretendo, aqui, criar um texto técnico, por isso, vou limitar os termos peculiares, na medida do possível. No que toca ao advento do DSM-V, a transsexualidade e a homossexualidade foram retiradas daquilo que se entende por parafilias. O único que ainda continua a ser considerado como tal, a despeito do que é defendido por movimentos políticos, é o travestismo. Mas creio que não o será por muito tempo, se nos reportarmos a como tem se dado a “lógica” na Medicina Psiquiátrica há algum tempo. Digo isso porque essa Ciência, infelizmente, é de igual modo movida por interesses escusos, cujos profissionais que a integram, não raro, são inescrupulosos, dirimindo o caráter científico e enaltecendo a politicagem ou o ganho financeiro.
      Bom, conversas à parte. Vamos ao que interessa: pelo que pudemos observar, figura-se a homossexualidade por determinadas características clínicas, nomeadamente as de natureza neurótica (entenda-se “neurótico” não pelo termo pejorativo de loucura, mas como percepção de si exagerada, patológica – isto é, que conduz ao sofrimento), as quais condicionam o indivíduo a um agudo sofrimento de teor sexual, ou seja, encontra-se sua sexualidade mal resolvida (para usar termos não-técnicos), carecendo assim o paciente de “se encontrar” e de rejeitar o seu atual Eu (o que não é saudável). Por essa via, acaba o indivíduo pondo a responsabilidade de seus problemas na sociedade ou na família, porém se nega ele a ver que o início da “questão” tem lugar em como o mesmo se observa, ou em como se avalia, em não aceitar seu sexo biológico, o que dá lugar a significativo sofrimento. Isso basta para enquadrar a homossexualidade e a transsexualidade nas palavras “transtorno” e “síndrome” e, portanto, considerá-las parafilias.
      Devo enfatizar que o que disse acima não abarca todos os indivíduos que se possam considerar homossexuais, ou quiçá nenhum. Obviamente. Isto porque devemos ter em vista os graus (desde imaginação fantasiosa à compulsão) e mesmo a comorbidade (possibilidade de a parafilia estar associada a um outro transtorno – por exemplo, o travestismo e a disforia quanto ao gênero, ou o lesbianismo e o Transtorno Limítrofe, ou a sociopatia e o sadismo etc.). Além de tudo isso, deve-se investigar a vida do paciente, a fim de saber o que motiva seu comportamento, se é algo mal resolvido com os pais, por exemplo, ou um abuso infantil, sua genealogia… São tantas considerações a se fazer! Acho que você já deve ter-me entendido.
      Em sua última resposta, você se referiu a algo interessante: acusou-me de ter uma visão demasiado negativa sobre o tema. Bom, não se trata disso, exatamente. Devo ressaltar que sou contra qualquer forma de restrição da liberdade do indivíduo, contanto esta não fira a de outrem ou represente um mal à vida daquele. Para mim, liberdade é aquilo que o faz livrar-se de seus vícios ou do que o prende, isto é, que o faz progredir enquanto ser humano. Acredito que se um homossexual sente-se melhor consigo mesmo e, assim, pode se livrar de seus vícios (sabe-se, por exemplo, que a incidência ao abuso de drogas dentre os homossexuais é maior do que no resto da população), não vejo nenhum empecilho de que ele assim o faça. O que importa, ao fim, é a qualidade de vida.
      Em contrapartida, sou inexoravelmente contra qualquer ligação política que possa promover o homossexualismo, numa tentativa de mudar, à força, os valores que constituem a sociedade,de os perverter. Cabe aqui o velho conselho: “aquilo que é feito dentro de 4 paredes não diz respeito a ninguém”. Isto é, o que pertence ao foto íntimo não deve ser elevado à pauta do dia. Assim dito, sou contra a efeminação da sociedade, bem como da adoção de crianças e adolescentes por homossexuais, por entender as afecções que podem decorrer disso, e também contra o casamento gay (chamo atenção para o fato de que o argumento-mor relativo à união matrimonial reconhecida pelo Estado é simploriamente o de natureza econômica e legal).
      Sei que esse assunto gera muito furor, até muita animosidade, porque as pessoas pensam que, para se viver bem, se deve “deixar de lado” o que nos faz sofrer, e não, exatamente, dar cabo à sua solução. Devo lembrar que não há sequer um estudo científico que comprove ou justifique a retirada da homossexualidade e da transsexualidade do quadro de parafilias, havendo-o feito simplesmente devido a pressões políticas. Quero deixar claro, ainda mais, que não sou contra essas pessoas, já que considero errado o pré-julgamento, mas contra à forma de agir e a ideologia que circunscreve esse público, algo forjado desde a década de 1960, com a chegada do Marxismo Cultural e do Movimento Hippie.
      Para mim, oferecer – e não obrigar – a essas pessoas um tratamento sério é uma autêntica ação de amor, e não de ódio ou receio, como muitos pensam. Porém, para esse tratamento existir, dever-se-ia deixa a Ciência trabalhar e, assim, não intimidar os médicos e psicólogos que ousassem entender, de fato, como funciona tal transtorno e o meio mais eficaz de o corrigir.
      Por fim, no que respeita à parafilia e à sexualidade normal, entenda isto: a sexualidade é conceituada como normal quando sendo saudável; a parafilia não é, por definição, uma doença, uma vez que dependerá tanto de quanto afete a vida do paciente (grau) e de que, especificamente, parafilia estejamos falando – há parafilias que não revestem o indivíduo de absolutamente nenhum sofrimento (senão para terceiros, como é o caso do sadismo) e outras que causam um prejuízo tal a seu portador, que se deve proceder a um tratamento urgente (como é o caso da coprofagia). Creio que, pelos meus estudos e observações, esteja a homossexualidade num meio-termo; porém, a transsexualidade já se mostre potencialmente mais ameaçadora à integridade do sujeito.

      Thumb up 3
  22. Eu imagino que as pessoas não escolhem msm. Tenho alguns amigos gays e eles são unânimes em dizer que desde crianças sabiam ser gays, mas não aceitavam a si msm.Não sei se a dinâmica genética conta, mas achei tendencioso pesquisadores pensarem que “meninas que nascem com o “gene gay” têm maior probabilidade de ter uma elevada fecundidade, além de serem menos expostas a problemas de saúde ginecológicos e de serem mais extrovertidas, felizes e relaxadas, com menos problemas familiares ou anseios sociais” .Ora, se vc é mais extrovertida, feliz, relaxada, com menos problemas familiares e anseios sociais, naturalmente vc atrai mais homens e a chance de ter uma familia e filhos é maior. Além disso, uma mãe “legal assim”, se tiver um filho gay, terá mais liberdade de tratar o assunto com o filho, sem repreendê-lo, então a chance de um filho gay se assumir é maior. Já mães conservadoras podem ter filhos gays e passar a vida sem saber. Não seria o provável a acontecer?

    Thumb up 12
  23. Tanto estudo p\ nada, eu ñ quero e nem preciso saber nada a respeito, houve um tempo q fumar era bonito, legal, charmoso e moda , o tempo passou e hoje vemos q todos q ñ fumam ou q já fumaram e deixaram ñ medem esforços p\ provarem q cigarro faz mal a saúde. No futuro veremos o resultado dessas práticas. Agora de nada adianta ir contra ou a favor…A atriz Gretchm era a favor de muitas praticas q hoje pouco tempo depois ,ela se diz arrependida e reconhece q estava errada,q ñ é como ela pensava q as consequencias vem ,nada melhor q o tempo p\ mostrar a verdade dos fatos

    Thumb up 9
    • Também acredito que não seja escolha, mas eu sou hetero.

      Thumb up 11
    • Pois é. A escolha é viver autenticamente, de acordo com a sua natureza, ou se adaptar submissamente aos padrões correntes da sociedade, que caminham atrás, a alguns passos, dos pensamentos mais inovadores ou desafiadores, que por várias vezes levaram a mudanças históricas.

      Thumb up 7
    • O que parece mais submisso é não exercer o direito de escolha quando se tem a chance. Observe o comentario de DANILO MOÇO, tão claro e honesto. Ele disse se achar sabendo o que era aos 7 anos e se submeteu ao que ele achou que era. Parabenizo pela sinceridade, Danilo;
      O que acho ruim é o “tem que ser” … “tem que ser isto”, “tem que ser aquilo”. A PESSOA TEM DIREITO DE ESCOLHA. Por isto mesmo aprecio os que se associam ao Espírito Poderoso que tem nome de Jesus e decidem JUNTO COM ELE o que eles devem ser. Mas deixar uma força qualquer empurrar alguém em alguma direção é deixar de exercer o direito de escolha. Conheci um serial killer, ele matou um monte de gente antes de ser descoberto e suicidar. Conheço outro que se associou ao Espírito Poderoso Jesus e teve a mente remoldada… exercer o poder de escolha. Ser autêntico seria ruim para ele e para a sociedade. Que tal uma segunda opinião médica antes de uma operação ?
      Que tal uma opinião de um Espírito que tem apelido de ancião de dias para te dar uma segunda opinião ? É mais ou menos por aí …

      Thumb up 2
    • Ser autêntico seria ruim para ele e para a sociedade
      Do modo como eu interpreto hoje, não seria bem assim.

      Por definição, autêntico é aquele que se mostra verdadeiro e fiel ao que realmente é.
      Ser autêntico é bom, porque mostra sua confiança e/ou maturidade de agir de acordo com o que você pensa e é. A pessoa autêntica age de acordo com seu caráter.

      Assim, se uma pessoa almeja conquistar uma mudança profunda em si mesma, esta seria uma mudança no caráter. Caso tenha sucesso, suas ações consequentemente mudarão.

      Por outro lado, se a pessoa não alcançou essa mudança, mas passa a exibir um comportamento diferente, então ela está, na verdade, representando (como um ator).
      Até acontece, as vezes, de fazermos isso para não machucar outras pessoas… — ou quando queremos ser falsos, hipócritas e desleais (hipoteticamente falando, é claro).

      Isso tem relação com questões de psicologia e, até mais diretamente, com o livro Os sete hábitos das pessoas altamente eficazes. As definições são fáceis de verificar.

      Thumb up 1
    • Ele exerceu o direito de escolha: escolheu aceitar-se como é. Não é submissão, é auto-aceitação.

      Thumb up 14
    • Concordo. Mas assim no formato “não é… é”, costuma ser uma correção. Seria em relação a primeira frase que eu disse? Se for, deixa eu ser mais claro, lembrando que lá o assunto era somente sobre a homossexualidade.

      Se uma pessoa conclui que sua orientação é homossexual, então sua escolha, a partir disso, é:
      1) viver autenticamente, de acordo com a sua natureza (seguindo sua orientação sexual);

      2)ou se adaptar submissamente aos padrões correntes da sociedade (se adaptar pode até ser por escolha, mas reprimir sua verdadeira natureza afim de se enquadrar em modelos que não aprova, é ser submisso)
      Essa palavra deixa mesmo uma impressão negativa quando falamos, mas também estamos sendo submissos, positivamente, quando somos bem educados, seguimos regras, normas e leis, pedimos permissão, desculpas, etc.

      Thumb up 3
    • a cada dia que passa admiro mais sua inteligia e sua forma de argumentar!!!

      Thumb up 3
    • a cada dia que passa admiro mais sua inteligência e sua forma de argumentar,parabéns,continue assim!!!!!!

      Thumb up 1
    • Nem tudo em nossas vidas são questões de escolha,por exemplo tenho os cabelos negros,mesmo que eu os pinte não vai mudar a verdadeira essência dele,você falou de serial killer um outro cara aí que era um depravado,bandido eu não sei,mas eram pessoas que causavam mau a sociedade realmente eram nocivos ao ambiente em que viviam,agora que mal eu faço por ser gay?Quer dizer que me tornaria uma pessoa melhor só por ser hétero?Acho que a verdadeira escolha que fazemos é decidir se queremos fazer o bem ou o mau.Sou católico com orgulho,se tem uma coisa uma coisa que eu aprendi sendo gay e católico é ser mais tolerante.E quanto a o que a ciência eu acredito em quase tudo o que vem nos revelando ao longo do tempo,acho que as pessoa não precisam se um“papagaio de pastor´´eu tenho minhas próprias conclusões!!!

      Thumb up 10
    • Nem melhor nem pior Danilo, para este mundo faz-se o que se quer. Homossexualismo é amplamente aceito no mundo e está sendo aceito e será cada vez mais, não é isto que está acontecendo ? Mas o mundo passará por uma mudança de fase que demorará de 3,5 anos a 7 anos. Depois disto tudo mudará , os conceitos mudarão tudo mudará. Isto de ser gay ou não depois da mudança de fase sera visto de outra forma completamente diferente. Não seguirá a tendência atual. A tônica do que disse é: Quer ser gay? Seja ! até a última gota. Quer escolher ser hetero, macho, ter uma esposa e filhos ? O Espírito chamado Jesus , com grande esforço teu, te remoldará de modo que não fica nem traço para contar. Gente se abre, falei com tanto carinho para todos. Se vc tivesse 2 vidas poderia se dividir em 2 e ver qual vai ser mais feliz: Um de vc seria bem gay e outro de vc seria remoldado por Jesus, no fim de tudo vc compararia e decidiria qual ser. Mas não é assim, então fazer o que, né? A única ressalva é que a Bíblia fala que na nova Jerusalém não entra. O que a Bíblia fala ou deixa de falar não é da minha conta. da minha conta é cuidar de mim porque quero entrar. Abraços com carinho , Felicidade eterna a todos.

      Thumb up 3
    • Realmente é um pensamento INOVADOR e DESAFIADOR servir de mulher improvisada para que um outro macho lhe enfie o … Que mundanças históricas esse pensamentos e comportamentos inovadores causaram no mundo!?
      Se inovação é andar pra trás em busca de algo que os penetre, prefiro se da idade média, neste sentido.

      Thumb up 1
    • Concordo!

      O que mudou dos dias atuais é que muita da descriminação existente foi encaixotada, e a pessoa pode exercer sua liberalidade e escolher a opção sexual que a sua natureza lhe impõe.

      Obviamente que isso não é regra em nenhum dos dois pontos citados, existe ainda muita descriminação o que força muitas pessoas a viverem sufocadas, sexualmente falando.

      Abraços.

      Thumb up 4

Envie um comentário

Leia o post anterior:
original
A maior colisão que você nunca verá em toda sua vida [foto]

Confira a incrível i...

Fechar