Propaganda de software da Microsoft é propositalmente cafona (?)

Eu estava aqui conversando com uns amigos blogueiros profissionais sobre se o comercial acima do novo software da Microsoft chamado Songsmith — um aplicativo que permite que qualquer desafinado cantor de chuveiro cria uma música que soe profissional — é propositalmente cafona… Peraí, acho que não me expressei bem: CAAAAA-FOOOOOO-NAAAAA!

Nós chegamos à conclusão que a breguice, que parece filha de uma cruza do Wando com o Fagner, só pode ser intencional. Tem que ser proposital! É impossível que qualquer pessoa faça uma propaganda com o dinheiro que a Microsoft tem tão cafona sem que isso fosse intencional. E você, o que acha?

Por: Miguel KramerEm: 10.01.2009 | Em Uncategorized  |
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6 votos, média: 4,00 de 5)
Curta no Facebook:

26 respostas para “Propaganda de software da Microsoft é propositalmente cafona (?)”

  1. karaoke ja era pensei que fosse algo inedito ou então
    uma coisa que a gente pudesse fazer o arranjo
    o que vejo ali é musica pronta vc ve se tem musica que vc conheça e canta karaoke

  2. Não é só a propaganda que é cafona. O próprio SongSmith é muito anos 80. Alguém teve a brilhante idéia de usar o songsmith com músicas consagradas. Experimentem no youtube songsmith x queen. É hilário.
    O programa cria uns arranjos musicais muito semelhantes àqueles dos famigerados cantores de churrascaria que usam tecladinhos sem grandes recursos.

  3. nossa realmente é terrivel.. apesar deles terem mostrado tdo o programa eua chei muito apelativo, principalmente a parte onde o casal canta q a casa eles é muito mais feliz e bla bla bla gracas ao programa.. ¬¬
    mto tosco

  4. Agora, toda propaganda ruim que aparece se diz que é Marketing Reverso, ou que é propositadamente ruim para tornar-se viral. Na maior parte das vezes uma propaganda ruim é apenas uma propaganda ruim.

    Por exemplo, quando a Microsoft lançou aquela propaganda com o Jerry Seinfeld e o Bill Gates, muita gente disse essas mesmas coisas. Pouco tempo depois os anúncios pararam de ser veiculados e a empresa passou para a “fase dois” de sua campanha.

    Aliás, um dos problemas de imagem que a Microsoft quer resolver com a atual campanha comissionada à Crispin Porter & Bogusky, é exatamente a percepção de que a companhia não é tão “cool” quanto a Apple. Não acho que um vídeo como esse sirva aos interesses da empresa. E considerando que esse programa certamente terá como público principal teens, eu também não acho que seja a forma mais adequada de se apresentar o produto.

    Além disso, essa história de que se não fosse cafona não estaríamos comentando o vídeo, não cola. A Apple consegue criar um buzz muito maior com produtos que nem sempre são tão interessantes como o Songsmith.

  5. Nossa senhora, como a Microsoft produziu um comercial tão ridículo como este !Até que a idéia que eles tiveram em relação ao software é legal, mas com uma propaganda dessas …. sei não

  6. O que se pode observar é que a propaganda girou o mundo justamente por ser cafona. Tem dois jeitos de chamar a atenção, fazendo algo absolutamente inédito e muito bem feito ou fazendo uma bobagem como essa aí.
    O “problema” e´que a bobagem costuma fazer mais sucesso e durar mais na mente das pessoas do que algo inédito e fantástico.
    Tente lembrar a letra de musicas lindas de propagandas… não vai conseguir e se lembrar é capaz de não lembrar do que era, apenas que a música era boa. Mas ouça algo do tipo 269-6969 inesquecivel… e saberá no ato do que se trata.
    Essa propaganda me lembra o Bill Gates com sua “pane” durante a apresentação do Windows (95? 98?) a “pane” correu mundo, em todos os telejornais… de graça.
    O cara sempre foi um gênio e deve ter ensinado seus marketeiros.

  7. Bem, proposital foi.
    Só que não foi nenhuma brincadeira. Foi proposital da mesma forma que as propagandas do 1406… e tão ruim quanto elas.
    “And Also Thanks to Songsmith
    Now We’re singing all the time
    What a happy home we’ll have
    With every word in rhyme”

  8. Sim, tenho certeza de que é proposital. A idéia central da peça publicitária é deixar claro, de forma muito popular, que qualquer um pode executar o programa e se divertir com algo mais criativo que um karaokê! Já viram algo mais cafona e divertido que um karaokê? Mesmo quem não gosta da brincadeira fica no canto da festa com aquele olhar crítico, um sorriso amarelo e, de repente, resolve, com algumas doses de bebida, se aventurar! Pronto, já se contaminou! é isso que a peça pretende dizer: “isso aqui é PARA QUALQUER UM!”. Esse produto é o “karaokê da composição”. Além disso, concordo com o comentário anterior: o marketing reverso funciona. Eu mesmo conheci o produto assim: um blog que descia o pau e copiava o link do youtube: fiquei curioso e fui conhecer. Já baixei o test drive.

  9. Eu penso um pouco diferente. Sim, tudo é cafoníssimo nessa propaganda. Mas os americanos gostam de séries ou filmes como “High School Music” e “Hanna Montana”, películas musicais que procuram principalmente arrebatar adolescentes de todas as classes. Ora, pois! Quem é da geração anos 70 deve lembrar-se do filme GREASE (com John Travolta e Olívia N. John), não? Aquilo não é cafona também? E fez um tremendo sucesso! Essa atitude “simplista” de colocar meros mortais em seus lares ou ambientes de trabalho cantando, é uma tentativa de aproximar o software (também) de todas as classes. As roupas são bregas, o ambiente comum, nada muito profissional (afinal de contas, eles querem que você preste atenção no áudio principalmente e não no visual – o programa tem esse objetivo).
    A Microsoft “nunca dá ponto sem nó”. Se o objetivo dela era incitar comentários, então está conseguindo. Todo mundo vai acabar curioso e verá esse vídeo mais cedo ou mais tarde. Estratégia de marketing num mercado que é novo para a empresa (recursos musicais). No mais, cafonice é também cultura, e americano curte isso, não são eles que chegam aqui com aquelas camisas floridas, chapéu de palha na cabeça e máquina fotográfica pendurada no pescoço? O que é mais cafona que isso?

  10. realmente.. genial… um lixo, porem genial rsrs

    e deixaram ate a parte do ‘oh yeah” e todos olhando para o note..

    isto gera curiosidade.. e mts irao divulgar com modificações e legendas diferentes.. gerando marketing free…

  11. A propaganda é propositalmente “CAFONA”, provavelmente com a intenção de transmitir ao público que qualquer pessoa pode criar uma música, para que grande parte do público que se acha cafona fazendo tal coisa, não se sinta sozinho.

  12. É lógico que é proposital.

    Vai gerar ódio em alguns, e estes mesmos odiosos, irão querer querer escarnecer e publicar o vídeo tirando onda e sarro dele nos mais diversos sites para lazer. Milhares farão isto.

    E essa propaganda e divulgação gratuita irá atingir maior número ainda de potenciais compradores que não acharão graça no escárnio, e muito pelo contrário, gostarão (e ficarão conhecendo) o produto para poder compra-lo.

    Marketing reverso. Genial.

  13. A idéia é interessante. De um software, q permite q pessoas desafinaadas possam cantar melhor. Ms como será q funciona?! erá q modifica a voz da pessoa?! pq tem pessoas q msm q cante “afinada”, a voz nunca será agradavel. 🙂
    Mas sobre o comercial…Q droga , hein?! rsrsrs É tão horrível, q só pode ser de brincadeira. Me fez pensar q todos americanos são idiotas.
    Mas se vc pensar por um lado. Foram eles q criaram, os: Teletubes, aquele dinossauro roxo, bananas de pijama…e continua.

Deixe uma resposta