Robozinho adorálvel reacende esperança na raça humana


O Tweenbot é um robo com corpo de papelão e rosto alegre que é equipado com uma bandeira com o seu endereço de destino. Como ele apenas se move para frente depende da gentileza de estranhos para guiá-lo e remover obstáculos do seu caminho.

Kacie Kinzer, estudante da Escola de Artes de Tisch, criou o tweenbot como um experimento de arte.

“Eu pensei: Pode um objeto humanizado atravessar calçadas e ruas conosco, e fanzendo-o, criar uma narrativa sobre nossa relação com o espaço e nossa vontade de interagir com o que encontramos nele? Mais importante, como nossas ações seriam vistas em um contexto maior de conexão humana que emerge da complexidade da própria cidade? Para responder estas questões eu construí estes robôs.”

Em Nova York você pode esperar que o pequenino Tweenbot seja esfaqueado, esmagado, assaltado ou pichado, mas todas as pessoas que o viam eram compelidos a ajudá-lo sem hesitar. Pedestres paravam e ajudavam o pequeno quando ele estava encalhado , quando ia em direção ao tráfego de veículos ou colocando-o na direção certa.

tweenbot

Este é o tipo de projeto que mostra mais sobre o estado da humanidade do que as péssimas notícias de barbáries diversas que ocorrem todos os dias. As notícias são guiadas pela audiência. Um assassinato dá muito mais IBOPE do que reportar fatos positivos. Mas ao martelarem coisas negativas na nossa mente todos os dias, nos tornados mais desconfiados de tudo e de todos. É por isso que eu não vejo noticiários.

Esse pequeno autômato ajuda a reforçar a lembrança de que as pessoas ruins são uma minoria, um percentual irrisório e que as pessoas são, basicamente, boas. [Teenbots]

Por: Eduardo MartinsEm: 13.04.2009 | Em Comportamento, Outras  | Tags: ,  
1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,25 de 5)
Curta no Facebook:

5 respostas para “Robozinho adorálvel reacende esperança na raça humana”

  1. Um assassinato dá muito mais IBOPE do que reportar fatos positivos. Mas ao martelarem coisas negativas na nossa mente todos os dias, nos tornados mais desconfiados de tudo e de todos. É por isso que eu não vejo noticiários (2)

    Faço minhas palavras….

  2. Uma porcaria de robozinho todos ajudam, mas uma criança de verdade, mal-alimentada, mal-vestida, maltratada, ninguém ajuda.

    Definitivamente tem algo muito podre na humanidade.

    • Cesar, “ninguém ajuda” inclui você? Eu ajudo, quando penso que estou fazendo realmente um bem. Infelizmente a esmola é uma indústria e dar dinheiro não é caridade. O robô não pedia nada demais, não enganou ninguém, é genuíno e inocente. As pessoas que perambulam pelas ruas não são assim, pois se fossem, todos ajudariam. São, na maioria, egoístas; tão egoístas que se recusam a mudar.

  3. Com coisas simples também se fazem grandes obras.
    Para este simples robot, em minha opinião, faltava a
    a inscrição de uma frase também simples como por exemplo: “somos todos irmãos e o mundo é da responsabilidade de todos nós”

Deixe uma resposta