Segundo cientistas, ainda estamos evoluindo

Publicado em 6.10.2011

Quando estudamos biologia na escola, muitas vezes temos a impressão de que os humanos chegaram ao ponto máximo da evolução. Mas não é bem assim. Os seres humanos, como todos os outros organismos da Terra, ainda estão sujeitos às pressões da evolução. Uma nova pesquisa sugere que mesmo em sociedades relativamente modernas, os homens ainda estão mudando e evoluindo em resposta ao ambiente.

Ao estudar uma ilha em Quebec, pesquisadores descobriram um empurrão da genética para diminuir a idade da primeira reprodução em grandes famílias. Esta é a primeira evidência direta da seleção natural em ação em uma população humana relativamente moderna.

Os pesquisadores analisaram dados de mulheres de 30 famílias que se casaram entre 1799 e 1940 comparando suas relações, diferenças sociais, culturais e econômicas, e a idade com que tiveram o primeiro filho. Os pesquisadores descobriram que durante um período de 140 anos, a idade média da primeira reprodução caiu de 26 para 22 anos.

Essa variação de 30% a 50% pode ser explicada pela variação genética na população, e não por outros fatores, como mudanças culturais ou atitudes sociais. Pode parecer estranho, já que estamos acostumados a observar essa mudança de comportamento como uma atitude cultural, mas os pesquisadores analisaram o fato do ponto de vista genético e não genético, e os fatores genéticos se sobressaíram.

Os pesquisadores não observaram quais genes podem ter mudado ao longo do tempo, mas sugerem razões pela mudança de idade de reprodução: diferenças na fertilidade, o quão cedo uma mulher atinge a puberdade e até mesmo traços hereditários de personalidade que empurrariam a mulher a procriar mais cedo.

Esses fatores genéticos estariam mudando em resposta à seleção natural para o nascimento do maior número de crianças. Isso não seria desvantajoso para a população analisada, já que estavam em um local recém-fundado que necessitava de grandes famílias. A nova população teria recursos para satisfazer famílias grandes, e mais crianças significaria maior probabilidade de que os genes sobrevivessem no futuro.

Por causa da falta de controle de natalidade, as famílias dessa população acabaram sendo muito grandes, e uma vez que a fertilidade não foi alterada por influências externas cada casal pode atingir sua fertilidade máxima.

Estudos anteriores já haviam sugerido que a nossa espécie continua evoluindo, com pesquisas mostrando alterações de centenas de genes do genoma humano nos últimos 10 mil anos. Além disso, medidas do crânio sugerem que nossos cérebros foram diminuindo ao longo dos últimos cinco mil anos. [LiveScience]

Autor: Stephanie D’Ornelas

É estudante de jornalismo, adora um café e um bom livro. Curte ciência, arte, culturas e escrever, mesmo que sejam poesias para guardar na gaveta.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

52 Comentários

  1. As vezes me confundo com este site, ele é muito contraditório, em artigos ele aposta na evolução, em outros no início divino.

    Thumb up 5
    • Meu caro, é muito óbvio que o site não tem uma “posição oficial”. A própria ciência não tem.

      Thumb up 12
  2. Segundo as Religião Orientais (Budismo, Hinduísmo, etc) não apenas nós estamos evoluindo, mas tudo está em constante evolução.

    Thumb up 3
  3. brilhante descoberta. evoluimos tanto cientificamente q hoje em dia é dificil encontrar alguém saudável. os cientistas são tão rapidos que só recentemente descobriram que a galinha veio primeiro que o ovo.

    Thumb up 8
  4. A cultura e os processos civilizatórios acabaram com o processo da seleção natural entre seres humanos.

    A seleção agora é social, morre mais jovens fortes nas periferias por conta da violência do que fracos em camadas mais abastadas da sociedade.

    Thumb up 5
  5. Acho particularmente que o ser humano está evoluindo de forma extraordinária, pois com a ciência e a tecnologia de hoje, e que está em constante crescimento, estamos vivendo mais, estamos mais imunizados a diversas doenças q antigamente eram uma “peste”, hoje em dia naum passa de um “simples mau-estar” que se cura com um xarope ou coisa do tipo, e também estudos constatam que a imunidade adquirida com várias vacinas de hoje em dia estão sendo passadas hereditariamente. Outra coisa é que estamos vendo atletas que estão batendo recordes cada vez mais mirabolantes, como na natação ou em uma corrida de 100 metros, substâncias “de crescimento” que estão deixando pessoas cada dia mais altas ou até mais fortes, pessoas extremamente inteligentes e que conseguem resolver coisas que envolvem um alto nível de raciocínio, e que estão acontecendo com pessoas cada vez mais jovens, inclusive crianças, entre muitos outros que eu naum conseguiria mencionar nesse comentário.

    Thumb up 3
  6. De fato estamos evoluindo sim, é perceptível a cada nova geração que as crianças são mais espertas.

    Porém, está faltando educação e conscientização. Este é o ponto chave.

    Thumb up 3
  7. Na verdade, nós estamos involuindo… Tem um documentário da BBC com renomados cientistas que advogam esta hipótese. No século XIX, de cada 3 crianças nascidas, apenas uma chegava aos 20 anos de idade. Apenas os mais aptos sobreviviam, mas atualmente com nosso estilo de vida e com a ajuda de antibióticos, estamos perpetuando genes que teriam sido extirpados da linhagem humana através da seleção natural. No entanto, as bactérias e vírus continuam evoluindo, e, segundo estes cientistas, nossos genes não acompanham esta evolução.
    Sendo assim, no futuro será cada vez mais comum doenças incuráveis, como a AIDS, e ficaremos na dependência de algum remédio milagroso para sobrevivermos…

    Thumb up 12
  8. Um balanço da “evolução”:Bilhões passam fome enquanto trilhões de dolares são gastos em guerras perpetradas pelo país mais civilizado da Terra e o trafico de drogas e consumo de alcool movimenta bilhoes de dolares.Milhões morrem em guerras onde são utilizadas armas como DIME ( dense inert metal explosive),munição revestida com uranio, armas desconhecidas como aquela utilizada no Líbano que enegrece a pele e a descola do corpo,etc, levando a morte destroçando e humilhando milhões de famílias.Infanticídio e aborto seletivo de meninas ou, pior, mudança forçada de sexo em meninas para que elas e seus pais tenham melhores posições econômica na sociedade.Sodomia em escala global (antes que me chamem de opus dei como em outro post que critiquei esta prática digo:cada qual que faça de si o que julgar melhor).Na vida mais corriqueira temos filmes e novelas que ensinam e estimulam o adultério, a fraude , a perversidade, a pedofilia, o assassinato, a degeneração sexual,a inveja e a cobiça que resultam no consumismo que exaure a Terra, etc.Intelectualismos impiedosos onde o ser humano é um numero, é descartável.Poedemos ter a ídéias que quisermos, mas esta é a realidade que o mero passar do tempo e a ciencia sem Deus nos trouxe.Enjoy. :(

    Thumb up 22
  9. Segundo os cientistas nós estamos brecando nossa propria evolução devido a maneira como manejamos a natureza, vejamos que eles alertam:

    Começamos a dimunir a velocidade da evolução a partir do momento em que dominamos e tentamos dominar as doenças (adquiridas e congênitas), pois estas doenças era e é a forma em que a Natureza excluia os fracos e “defeituosos”, evitando assim que estes procriassem.

    Como a ciência ajuda estes humanos a sobreviverem, perpeturam o gene defeituoso nós humanos estamos diminuindo nossa capacide evolutivo.

    Se for assim Hitler tinha razão?

    Thumb up 4

Envie um comentário

Leia o post anterior:
799px-Carnaroli
Comer plantas pode mudar nossas células

Para além de ajudar ...

Fechar