Sexo em casa aumenta a produtividade no trabalho

Que o sexo influencia várias partes da vida humana, todo mundo sabe. Mas e a performance no trabalho? Um novo estudo de psicologia mostra que quem faz mais sexo em casa é mais produtivo no trabalho. O estudo foi publicado na revista Journal of Management.

Este trabalho foi conduzido por pesquisadores da Universidade do Estado de Oregon (EUA), e envolveu 159 casais casados. Eles tinham que responder a perguntas duas vezes por dia por duas semanas sobre a satisfação com o emprego, estresse no trabalho e satisfação no casamento.

A maioria dos participantes relatou um “efeito positivo” no dia seguinte de trabalho depois de uma noite romântica. Esses efeitos duraram pelo menos 24 horas, e foi igualmente forte para homens e mulheres. Houve uma relação entre o sexo noturno e o aumento da satisfação tanto no trabalho quanto em casa, e os níveis de estresse caíram.

“Este é um lembrete de que sexo tem benefícios sociais, emocionais e psicológicos, e que é importante torná-lo uma prioridade”, diz Keith Leavitt, o pesquisador principal e professor da universidade.

“Ache tempo para isso”, adverte ele. Este é um conselho muito bom para os casais que vivem uma rotina corrida e que chegam em casa cansados, com disposição apenas para tomar banho e dormir.

O estudo também mostrou que trazer estresse do trabalho para casa também impacta negativamente a vida sexual do casal. Em uma era em que todos estão conectados aos smartphones e computadores, é difícil separar os momentos profissionais dos pessoais. Quando o trabalho ultrapassa os limites do lar, ao ponto do trabalhador sacrificar coisas como o sexo, sua produtividade no trabalho também cai.

A correlação entre sexo e felicidade já foi observada há décadas. O primeiro estudo que ligou sexo com baixos níveis de ansiedade é de 1958, e incontáveis estudos sobre o tema aconteceram de lá para cá. Os níveis de hormônios da felicidade, como dopamina e oxitocina aumentam no cérebro. Grandes estudos também mostram que sexo torna os casamentos mais felizes e possivelmente aumenta a expectativa de vida. [Oregon State University, Gizmodo]

Deixe uma resposta