Sexo gay no mundo animal

Publicado em 7.04.2009

sexo gay

O comportamento homossexual não é exclusivo de seres humanos. Vários casos já foram documentados em que animais procuravam parceiros do mesmo sexo para acasalar. Foram observados casos explícitos de comportamento homossexual na natureza – não só o ato sexual – mas animais fazendo a corte a outros, andando sempre em pares e demonstrando afeição.

As motivações para esse comportamento, tanto nos bichos quanto nos seres humanos, ainda não foram inteiramente explicados pela ciência. O que se sabe é que a relação homossexual nos animais é diferente do que nos humanos.

Humanos buscam sexo por prazer e a maioria dos animais não, eles tem motivos estritamente reprodutivos. Os cachorros, por exemplo, só fazem sexo quando a cadela está no cio. Ela libera hormônios e ferômonios que sinalizam que está em um período fértil.

Mas então porque cachorros machos, frequentemente, foram observados copulando ou tentando copular?

De acordo com especialistas, eles são motivados por cheiros e hormônios que os fazem agir assim. Já foram feitas pesquisas com cadelas que, depois de receberem uma dose de hormônio masculino, procuraram outras cadelas, mesmo com nenhuma estando no cio.

Um dos casos mais conhecidos de homossexualidade em animais é o dos pingüins do Central Park Zôo, em Nova York. Roy e Silo, dois pingüins machos, copularam. Depois, foram presenteados pelo pessoal do zoológico com um ovo. Para que o ovo se tornasse um pequeno pingüim, eles precisavam chocá-lo e tomar conta dele. O que realmente aconteceu. O casal gay do zoológico tem seu filhote e cuida muito bem dele.

Isso, para os cientistas, foi mais uma prova de que o homossexualismo animal tem raízes diferentes do homossexualismo humano. Os pingüins receberam o ovo com naturalidade e não o rejeitaram porque, para eles, era natural que depois da cópula eles recebessem um ovo – era esse o propósito de copular.

Conheça outros animais que apresentaram comportamento homossexual:

  • Gaivotas – sabe-se que mais de 15% da população feminina de gaivotas é lésbica.
  • Cisnes negros – casais machos já foram observados roubando o ninho e os filhotes de outros cisnes. Também podem se associar a uma fêmea apenas para obter o ovo.
  • Boto cor-de-rosa – foram reportados casos de enormes “orgias”. Grandes grupos se “esfregavam” um nos outros, sem importar o sexo.
  • Bonobo – o bonobo é um primata cuja sociedade é matrifocal, focada na fêmea mais forte, e não no macho, como é comum entre espécies similares. Na sociedade do bonobo, o bissexualismo é comum e estes animais fazem, como os humanos, sexo por prazer.

Outros animais conhecidos por já terem apresentado comportamento homossexual são: elefantes, girafas, leões, hienas e ovelhas. A lista inclui até mesmo animais improváveis, como libélulas e moscas-da-fruta.

Confira a lista completa aqui. [Wikipédia]

E para descontrair um vídeo sobre sexo gay animal em inglês, de humor:

Autor: Alessandra Nogueira

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

5 Comentários

  1. Gaivotas lésbicas! O homossexualismo em animais é quase inexistente. É sabido que os animais copulam por estímulos. Mais importante, a maioria das espécies não têm sequer condições anatômicas para a prática homossexual. No entanto, certos comportamentos animais continuam sendo erroneamente interpretados como sexo/homossexualismo.

    Thumb up 10
  2. provavelmente homossexualismo tanto da raça humana e dos animais sao provocados pelos genes e nao opçao como a maioria falam.a natureza tem os seus designos ela sabe que esta fazendo.

    Thumb up 6
    • Acredito que tudo coopera para o desenvolvimento do comportamento. Desde fatores genéticos a fatores sociais, emocionais… Essa é uma questão supervalorizado, discutimos muito acerca duma bobagem, isso é tudo muito normal!

      Thumb up 1
  3. Para quem se interessa pelo assunto um dos trabalhos mais completos sobre a natureza homossexual é o livro de Bruce Bagemihl: Biological Exuberance – Animal Homosexuality and Natural Diversity (Exuberância Biológica – Homossexualidade Animal e Diversidade Natural), publicado em 1999 nos Estados Unidos. É uma revisão bibliográfica formidável, sobre os trabalhos “esquecidos” nas gavetas de Zoólogos de todo mundo. Bagemihl analisou 450 espécies, principalmente de mamíferos e aves, todas praticantes, em maior ou menor grau, de hábitos homossexuais.

    Thumb up 17

Envie um comentário

Leia o post anterior:
bebe-robo-grande
Criança robótica imita (assustadoramente) o comportamento humano

A relação do robô co...

Fechar