Teria o Triângulo das Bermudas algo a ver com o desaparecimento do voo MH370 da Malaysia Airlines?

Publicado em 14.03.2014

malaysia-airlines-boeing-777
Quase uma semana depois de seu desaparecimento, o destino do voo MH370, da companhia aérea Malaysia Airlines, permanece um mistério absoluto.

O avião viajava entre Kuala Lumpur e Pequim com 239 pessoas a bordo, a maioria (153) cidadãos chineses. Enquanto as autoridades de vários países e dezenas de aviões e barcos vasculham todos os cantos, incluindo o Mar da China, no Oceano Pacífico, a Baía de Bengala e outras regiões do Oceano Índico, algumas pessoas se perguntam se o Triângulo das Bermudas não poderia ter algo a ver com o acidente.

O avião desapareceu dos radares uma hora depois da decolagem, sábado passado, às 0h40 de Kuala Lumpur. As condições climáticas eram consideradas boas e nenhum sinal de alerta foi recebido. A aeronave é considerada uma das mais seguras do mundo. Até ontem (13), a área rastreada para procura do avião já cobria mais de 10 países e quase de 27.000 milhas náuticas, o que equivale a 90.000 quilômetros quadrados.

O desaparecimento do Boeing 777 provoca nada mais nada menos do que perplexidade entre especialistas e governos. Diversas hipóteses já foram formuladas, de uma explosão a bordo até um sequestro ou suicídio do piloto. Para coroar a confusão, parentes de passageiros garantem que telefonaram para seus entes queridos, e os celulares chamaram, mas não houve resposta.

Sendo assim, era inevitável que o desaparecimento evocasse comparações com a suposta parte infame do oceano em que navios e aviões “desaparecem sem deixar vestígios”. Alguns dias atrás, um político malaio escreveu no Twitter: “Novo Triângulo das Bermudas detectado em águas do Vietnã, dispositivos sofisticados bem equipados não servem a nenhum uso!”, como piada em referência à busca sem pistas realizada na área. O comentário indignou muitas pessoas, que o consideraram insensível, e mais tarde ele se desculpou.

O Triângulo das Bermudas e por que ele é falso

A expressão “Triângulo das Bermudas” foi cunhada em 1964, mas só se tornou conhecida em todo o mundo uma década depois, quando Charles Berlitz escreveu um livro sobre isso. Berlitz acreditava que o lendário subcontinente perdido da Atlântida era real e de alguma forma responsável pelos desaparecimentos misteriosos ao largo da costa da Flórida (EUA).

Desde então, muitas teorias foram apresentadas para explicar o mistério. Alguns escritores têm expandido as ideias de Berlitz sobre a Atlântida, sugerindo que a mítica cidade pode estar no fundo do mar e usar “energia de cristal” para afundar navios e aviões. Outras sugestões mais fantasiosas incluem portais de espaço-tempo e extraterrestres – incluindo rumores de bases alienígenas subaquáticas. Outros ainda acreditam que a explicação está em algum tipo de fenômeno geológico ou hidrológico extremamente raro da região.

A mais nova sugestão é de que o avião da Malaysia Airlines desapareceu sobre um pedaço de oceano que está na exata parte oposta do globo do Triângulo das Bermudas – não é uma coincidência bizarra?

Não. De fato parece muito misterioso e assustador, até que você consulta um mapa e observa que a área de pesquisa da aeronave não é mais ou menos no lado oposto do Triângulo das Bermudas (que é no Atlântico Norte), mas em vez disso no Mar do Caribe.

Geografia enviesada à parte, a verdade é que ninguém sabe onde o avião desapareceu. Poderia ter sido no Mar da China, ou ao largo da costa oeste da Malásia, ou em qualquer outro lugar. Alguns pesquisadores suspeitam que o avião nem sequer caiu no mar, mas em vez disso está nas selvas montanhosas do Vietnã, para onde equipes foram enviadas. Uma vez que o avião pode ter feito qualquer coisa nas horas após a sua última aparição no radar, a área de busca é muito grande.

Além do mais, o Triângulo das Bermudas não existe – simples assim. Ele foi desmascarado na década de 1970, quando o jornalista Larry Kusche pesquisou supostos estranhos desaparecimentos na área, reexaminando o que outros escreveram sobre o assunto, e descobriu que a história foi basicamente criada por erros e fraudes.

Em seu livro “The Bermuda Triangle Mystery – Solved” (em português, “O Mistério do Triângulo das Bermudas – Solucionado”, Prometheus Books, 1972), Kusche observou que poucos escritores se deram ao trabalho de fazer uma investigação de verdade – em sua maioria, só coletaram informações repetidas de outros escritores anteriores, que fizeram o mesmo. Em alguns casos, não há registro dos navios e aviões que eles dizem terem sido perdidos no cemitério triangular aquático, pois eles nunca existiram. Em outros casos, os navios e aviões eram reais, mas “desapareceram misteriosamente” durante fortes tempestades.

Também é importante notar que a área dentro do Triângulo das Bermudas é fortemente explorada por navios de cruzeiro e de carga; logicamente, mais navios deveriam afundar lá do que em áreas menos viajadas, como o Sul do Pacífico, mas o “triângulo infernal” não tem um número anormalmente elevado de desaparecimentos misteriosos.

Enquanto o desaparecimento do voo MH370 é um verdadeiro mistério, não significa que qualquer coisa inexplicável ou sobrenatural aconteceu com ele. Seu destino ainda é desconhecido, mas um esclarecimento poderia emergir a qualquer momento. [LiveScience, Estadao, EM]

Autor: Natasha Romanzoti

tem 25 anos, é jornalista, apaixonada por esportes, livros de suspense, séries de todos os tipos e doces de todos os gostos.

Quer copiar nosso texto? Siga estas simples instruções e evite transtornos.
Compartilhe este artigo

12 Comentários

  1. Esta história destas chamadas a celulares envolvidos neste episódio soa bem estranha . Aliás, todo este caso é muito estranho . O que mais lamento , no entanto , é o desaparecimento de quase 240 pessoas .

    Thumb up 12
    • Há operadoras aqui mesmo no Brasil que faziam o som de chamada, mesmo sem o aparelho haver sido encontrado pelas torres, coisa que pode levar vários segundos. Simplesmente porque deixar o aparelho mudo antes de encontrar o aparelho destino da chamada faz com que as pessoas tentem novamente e acabem sobrecarregando a rede de maneira desnecessária.

      Thumb up 12
  2. Rapaz, esse avião foi parar ou na ilha de Lost ou na Caverna do Dragão, só pode.
    Avião deste tamanho some do nada sem enviar sinal de socorro, sem ser rastreado, sem nada. Pode chamar o papa pq aí só pode ser satanás mesmo

    Thumb up 20
  3. 1. Se os celulares chamaram, acredito, pode-se fazer um rastreamento do aparelho por triangulação para pelo menos saber aonde eles estão (será que não havia nenhum celular com o OS Android a bordo? Nenhum passageiro com um iPhone ligado?) Como ninguém pensou nisso? Que mistério.

    2. Pelo que eu saiba, o Triângulo das Bermudas existe sim. Como diz o velho ditado, “O povo aumenta mas não inventa”.

    Thumb up 21
    • Celular chamando no meio do oceano é estranho já que as torres tem que estar a uma distância módica. No fundo do oceano é ainda mais complicado.

      Thumb up 17
    • Provavelmente esse avião saiu de sua rota e ficou voando perdido até o combustível se esgotar e caiu em algum ponto do oceano.

      Thumb up 10
    • Geograficamente o Triângulo das Bermudas existe sim. Mas fora isto, não há nada demais. Já foi provado que a quantidade de acidentes na região é proporcional a qualquer outra parte do planeta e a maioria dos acidentes relacionados a região sequer existiram. O cara escreve uma historinha sobre o lugar, o outro acredita, aumenta um pouco e coloca novas histórias, e assim foi indo.

      Thumb up 2
    • Quanto aos cells, ja foi esclarecido que, os cel. chamam por um tempo s, msm sem achar o celular dest., esse intervalo é o tempo em que as torres procuram pelo cell. E quanto ao t. das bermudas, na minha opnião, existe sim alguma força diferente, natural ou n, que atua sobre a area, afinal já foi provado que a area não é confiavel, apresenta rapidas mudanças radicais no clima, e tempestades mais frequentes que o normal. há tbm casos de a. que entraram em tempest. e apareceram em cidads a hrs

      Thumb up 2
    • João Matos, as forças que atuam no “Triângulo das Bermudas” são as mesmas que atuam em qualquer região sujeita a tempestades e furacões, são as forças meteorológicas.

      É importante notar que o livro “Triângulo da Bermudas”, do Charles Berlitz, tem exageros e fraudes. Ele colocou dentro do tal triângulo alguns naufrágios e desaparecimento que ocorreram bem longe dele…

      Thumb up 11

Envie um comentário

Leia o post anterior:
1
15 mulheres maravilhosas que conquistaram o mundo da ciência

Março é o mês do dia...

Fechar