10 coisas inesperadas que o tornam inteligente

Por , em 11.12.2012

A inteligência é uma qualidade difícil de definir, o tipo de coisa que “você sabe quando vê”. Mas o trabalho de tentar estudá-la está produzindo frutos, e alguns padrões relacionados à inteligência estão aparecendo. Não se trata de alguma coisa que se possa fazer para ficar inteligente, mas comportamentos e características que estão estatisticamente associados à maior inteligência. Confira aqui algumas coisas que parecem estar associadas com a inteligência, e veja se você faz parte de algum grupo com maior probabilidade de ser mais inteligente:

1 – Ser canhoto

O cérebro é dividido em dois hemisférios. Cada um deles faz basicamente a mesma coisa que o outro, embora existam diferenças. Entre os seres humanos e muitos outros mamíferos, um dos hemisférios é levemente dominante, e é por isto que você tem preferência a usar uma mão em vez da outra.

Alguns estudos mostram que o uso da mão esquerda está associado à inteligência. Canhotos tendem a apresentar mais pontuação em testes de QI, e também tendem a terminar estes testes mais rápido que os destros.

Outros estudos, entretanto, mostraram que os canhotos têm uma gama maior de QI, fazendo com que apareçam mais tanto no grupo de inteligentes quanto no grupo de “não tão inteligentes assim”.

2 – Homossexualidade

O psicólogo evolucionário Satoshi Kanazawa apresentou um estudo este ano que mostra uma ligação pequena, mas significante, entre homossexualidade e inteligência.

Não que a homossexualidade seja uma característica de inteligência; o estudo sugere que quem tem múltiplos parceiros homossexuais tem a probabilidade de ser o mais inteligente.

A pesquisa também sugere que a homossexualidade pode ser um reflexo da curiosidade, um precursor ou companheiro da inteligência. Uma outra explicação para esta ligação pode ser causada pela atitude da sociedade frente aos gays.

As crianças que sofrem bullying por causa de homossexualidade podem se voltar para buscas intelectuais, e sentir uma maior necessidade de ter sucesso em áreas em que sejam aceitos.

3 – Ordem de nascimento

Muitos estudos apontaram uma ligação entre o QI e a ordem em que você nasceu em uma família. Os primogênitos geralmente são mais inteligentes que seus irmãos, e quanto mais caçula a criança, pior o desempenho em testes de QI.

Não se sabe se o efeito é devido a alguma mudança em condições pré-natais das gravidezes posteriores, ou se é um efeito social. Alguns estudos recentes apontam que um dos fatores determinantes para o QI de uma criança é a maneira que a família a trata, e não a ordem do nascimento.

Em famílias em que a primeira criança falece, a segunda criança sobrevivente, em média, tem o mesmo incremento de QI que um primogênito normal.

4 – Ateísmo

A ligação entre QI e religiosidade tem sido estudada extensivamente, tanto em indivíduos quanto sociedades. Os valores médios de QI tendem a variar entre países, e países com taxas maiores de ateísmo também têm os maiores valores de QI.

Como os aspectos de sociedades podem ser alterados por outros fatores, o estudo de indivíduos também já foi feito. Em 2008, um estudo examinou a relação entre inteligência e crença religiosa. Quando classificados de acordo com a inteligência, os ateístas geralmente ficam no topo, seguidos dos agnósticos, crentes liberais e, por último, os fundamentalistas religiosos.

5 – Pelos corporais

O Dr. Aikarakudy Alias descobriu, em um estudo feito com homens, uma ligação entre pelos corporais e inteligência. Em vez de examinar o QI, ele estudou a relação entre pelos corporais e níveis de educação.

Contrário à crença popular, homens que eram estudantes e graduados tinham mais pelos corporais que os que tinham trabalhos mais rudes. Da mesma forma, estudantes que tinham melhor performance acadêmica também eram mais peludos que seus colegas.

O trabalho focou-se nos pelos toráxicos, mas ele também correlacionou os pelos das costas à inteligência nos homens. A pilosidade das mulheres inteligentes ainda não foi estudada sistematicamente.

6 – Felicidade

Ernest Hemingway certa vez disse “a felicidade nas pessoas inteligentes é a coisa mais rara que conheço”. Todos lembramos de pessoas inteligentes que parecem ter se tornado míseros por causa da inteligência (Hemingway cometeu suicídio), e parece que há uma ligação entre inteligência e humor.

No passado, acreditava-se que um QI elevado estava ligado à depressão e mau humor, mas um estudo recente feito na Inglaterra mostrou que pessoas com baixo QI tem maior probabilidade de serem infelizes que seus colegas mais inteligentes.

Mais uma vez, pode ser que as características associadas à inteligência, e não a inteligência em si, é que tendem a induzir o desespero.

7 – Excentricidade


A excentricidade é uma qualidade difícil de definir e de medir. Geralmente, ela é vista como um comportamento esquisito em relação às normas sociais, mas um comportamento que ao mesmo tempo não é necessariamente danoso ao indivíduo – diferente da insanidade.

Existem algumas evidências anedóticas (ou seja, casos isolados) de indivíduos criativos que tendem a ser excêntricos, mas a excentricidade é prevalente entre os acadêmicos.

Montaigne uma vez escreveu que “a obsessão é a fonte da genialidade e da loucura”, e talvez seja esta obsessão que cria um excêntrico, premiando-o com a inteligência correspondente.

8 – Bebida

Alguns estudos acompanharam crianças britânicas no seu crescimento, medindo várias características. Com isto, vários aspectos puderam ser correlacionados à inteligência. Um dos estudos examinou a ligação entre o consumo de álcool e a inteligência.

A conclusão foi de que é possível prever o nível de ingestão de álcool de uma pessoa baseado na sua inteligência. Crianças inteligentes surpreendentemente tem maior probabilidade de beber mais quando crescem. Resultados similares foram observados nos Estados Unidos.

9 – Transtorno bipolar

A loucura tem sido ligada à inteligência desde tempos antigos. Hoje, termos politicamente incorretos como loucura não são mais aceitos para descrever pessoas, mas a relação entre a doença mental e a inteligência permanece uma área de pesquisa interessante para neurocientistas e psicólogos.

Um estudo na Suécia comparou a relação entre a performance de estudantes e sua saúde mental mais tarde na sua vida, e concluiu que entre entre os estudantes com a maior performance, o transtorno bipolar era quatro vezes mais frequente.

10 – Consumo de chocolate


A correlação não implica necessariamente em causa, mas quando há uma ligação surpreendente entre dois fatores aparentemente não relacionados, pode ser que haja uma ligação entre eles.

Um estudo recente examinou o número de premiados com o Nobel por dez milhões de habitantes na população dos países, e o consumo total de chocolate do mesmo país. O gráfico resultante mostra uma correlação possitiva bastante forte e estatisticamente significativa.

Apesar de não garantir que você vá receber uma ligação de Estocolmo, onde são decididos os ganhadores do Nobel, parece que ter chocolate ou estar cercado de amigos que adoram chocolate não vai danificar o cérebro a longo prazo. [Listverse]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (10 votos, média: 4,20 de 5)

83 comentários

  • Patinho:

    De longe o maior problema da análise dos dados estatísticos é diferenciar o que é CAUSA de algum evento e o que simplesmente acontece SIMULTANEAMENTE. O que leve frequentemente erros do tipo: Verificou-se que as vítimas de estupro quase sempre vestem calcinha, logo o uso da calcinha leva ao estupro…

  • Wender Reis:

    ser inteligente de bla bla bla nao vale temos muitos problemas pra resolver acho que e hora de começar

  • Nãovou Dizermeunome:

    1, 2, 3, 4, 5, 7, 8 e 9 KkKk, é como eu sempre digo, na rua todo mundo me elogia, mas na escola todo mundo já me taxou de burro antisocial.

    • Cesar Grossmann:

      Ué, não viu o 6 e o 10?

  • Tina SG:

    Eu não fazia ideia de onde vinha a minha infelicidade 🙁

  • J. Axel:

    Sempre pensei que canhotos fossem menos inteligentes que os destros. kkk Algumas das pessoas “menos inteligentes” que conheci eram canhotas. Bem, eu sou destro e tenho QI de 150. Será que se eu fosse canhoto o meu QI seria mais alto? kkkkk

    • coss:

      eheheheheh… a história tem mostrado que os maiores cientistas do mundo foram canhotos.

    • George Orwell:

      Albert Einstein tinha um Qi de 165.Não acho que você tenha um Qi de 150,caso fosse deveria aprender a escrever direito.

    • Marco Gonçalves:

      150 hoje em dia eh quase burro…Se fosse canhoto, seu QI seria 200 ou mais.

  • Eduardo Araújo:

    Mais uma vez ESTÁ PROVADO com 100% de Certeza Estatística: A Estatística prova qualquer coisa !
    Veja bem: está estatísicamente provado que água mata pois 100% das pessoas que morreram beberam água alguma vez na vida. Até os natimortos o fizeram (água presente no líquido amniótico). Como contra-prova, nem todos que morreram beberam cachaça, fumaram um cigarro, comeram um belo e gorduroso naco de picanha mal passada.
    Vamos analisar as falácia estatitísticas destes prestigiados cientista ou, até antes, a maior de todas as falácias: a da Autoridade!
    Recentemente um grupo de cientistas tem se dedicado a expor os falsos trabalhos “científicos” que só existem na imaginação de seus autores ou cujos dados são “ajeitados” para provar o que for necessário para se conseguir a bolsa, a subvenção, o auxílio ou melhor, como diziam Os Trapalhões” (os verdadeiro, os palhaços da TV) conseguir “a bufunfa, o arame, o cascalho, o capilé nosso de cada dia”
    E, o pior, nenhum destes vermes vai parar na cadeia por fraude, em especial quando se tratam de recursos públicos já escassos para os verdadeiros cientistas e pesquisadores.
    Assim, o Sr. Dr. PHD Dr. Aikarakudy Alias, formado na magistral Universidade de Guadalaja Mirim, decobriu quem são os mais inteligentes mas sem medir a inteligência ! Gênio ! Caberia a investigação se o tal Dr. Dr. Aikarakudy Alias (quando eu penso neste nome quase consigo visualizar o cidadão) não seria uma destes “cabeludos” e seu estudo só estava puxando a “brasa para a sua sardinha”.
    Quanto a pesquisa dos gays eu prefiro ficar com a opinião do “Falcão” (é, o cantor brega): “se pra inteligente é preciso dar o furico, prefiro continuar burrico”

    Cansei!

    Antes de sairem acreditando em qualquer pesquisa, PENSEM.

    • Luis Guilherme Trancoso:

      Pro pessoal que esta revoltado achando que não há sentido!
      É o mesmo que dizer que pessoa mais inteligentes dormem tarde.
      Isso não significa que todos que dorme tarde são inteligentes! entenderam?
      é só estatística, não é nada 100%, exceto que água mata.rsrs

  • Danibyo:

    Em partes eu concordo…e em partes discordo…Sou o sétimo filho de uma família de 10 irmãos ! Detalhes, todos os meus irmãos tem um certo grau de genialidade. Uns são criativos e outros sabem vencer barreiras que a vida os impõe! Eu por exemplo…tive um nascimento conturbado,nasci com vãrias sequelas pelo corpo inteiro…coxo dos pés e pernas, pectus cavatum e scarinatum que é uma doença rara no torax deformando-o e o tornando cavo e fundo prejudicando o desenvolvimento de meus órgãos internos.Fui criado em hospitais e sou super bipolar por natureza…A natureza de minha demência se dá ao fato de ter passado por tanta dor e sofrimento. Hoje posso dizer que superei meus obstáculos, ando com minha próprias pernas, estudei o bastante e sou o único músico da família com um dom excepcional, tenho grande sensibilidade ao sofrimento alheio e procuro ajudar a qualquer custo. Aprendi que as vezes temos que superar os obstáculos sozinho com ajuda de Deus, e a cada luta vencida, existe o sabor da vitória.O fator inteligência existe dentro de cada um de nós, basta analisarmos
    como nos esforçamos para obtê-lo.A Inteligência pode ser aprendida e aperfeiçoada como um aluno no piano…a forma que nós encaramos a vida é que nos define como seres únicos…pensem nisso…

  • Marcus Trancoso:

    Um homossexual canhoto, peludo e primogênito que gosta de uns drinks pode ser excêntrico e provavelmente ateu, por que as religiões condenam o fato. Se come chocolate com certeza é feliz, quanto a bipolaridade isso não é loucura. Criatividade seria melhor

    • Luis Guilherme Trancoso:

      kkk boa

    • Nãovou Dizermeunome:

      Do jeito que falou me apareceu uma imagem ruim mas apenas o 10 e o 6 que não sou o resto é tudo isso e sou lindo. (Não sou convencido)

  • Gabriele Lustig:

    (6)As vezes penso que ser inteligente demais pode atrapalhar a felicidade. Não há como ser tão feliz compreendendo todos os problemas do mundo. Já, (de forma preconceituosa, admito)ter um QI normal ou abaixo da média leve as pessoas a viverem no piloto automático, acreditando em vida após a morte ou numa razão espiritual para a vida, de forma mais conformista, ou por não ter a capacidade ou interesse de questionar.

    • Gabriele Lustig:

      Nem sei se isso fez sentido.

    • Ricardo Côgo:

      Concordo com você, menos na parte em que você fala da vida após a morte. Procure algo sobre a teoria do Nietzsche: Eterno retono. Reflita e comente.

  • Sergio Neves:

    8,7,6,4.

  • Carla Rodrigues:

    Dessa lista aí só não sou canhota e nem bipolar.

  • Renan Souza:

    Sou burro ao extremo. rsrsrs.

  • Lucas Alves:

    6 de 10….hum…interessante…

  • Airmid:

    1. NÃO
    2. NÃO
    3. SIM E NÃO (filha do meio)
    4. SIM E NÃO (ainda não decidi)
    5. NÃO
    6. CREIO EU QUE SIM
    7. COMPLETAMENTE EXCÊNTRICA
    8. NUNCA
    9. CLARO
    10. COM CERTEZA, SIM.

    P.S.: o que ser canhoto tem à ver com suas habilidades cognitivas? qual a lógica disso?

    • Aline Cruz:

      Ser canhoto significa estimular mais o lado direito do cerebro. quem é destro tem o lado esquerdo mais desenvolvido; Sendo assim, vc estimula tambem outras habilidades ligada ao lado direito do cerebro…

  • Toni Rocha:

    1 NÃO;
    2 NÃO;
    3 SIM (primogênito de dois irmãos);
    4 +-SIM (sou agnóstico);
    5 NÃO (nunca tive tantos pelos);
    6 SIM (sou feliz);
    7 SIM (dizem que sou esquisito);
    8 NÃO (odeio álcool);
    9 NÃO;
    10 SIM (sou chocólatra extremo).

  • Caio Égon:

    foram 4 de 10 pra mim… VITORIA

  • Giovanna Gonçalves:

    Eu to me sentindo um Einstein, porque tirando o “canhoto e os pelos” sou eu. hahaha

  • Lobo Sagrado:

    Se este artigo estiver correto, talvez eu seja burro e não sabia. Tirando o fato de eu ser filho mais velho e gostar de chocolates (mas consumir relativamente pouco) e ser um pouco “excêntrico”, do resto é tudo o contrário.

  • Marcelo Taranto:

    Totalmente furada essa lista…

  • Vinicius Samuel:

    Legal é o tanto de gente aqui tentando parecer inteligente através de críticas fundamentadas na má interpretação de texto…

  • Venelouis Polar:

    o pior foi dizer que:

    “o estudo sugere que quem tem múltiplos parceiros homossexuais tem a probabilidade de ser o mais inteligente.”

    e no item 8 não fala de algo que nos deixa mais inteligentes, mas que nos torna estúpidos, que é a bebida alcoólica…

    “Crianças inteligentes surpreendentemente tem maior probabilidade de beber mais quando crescem.”

    probabilidade de serem bêbados quando crescerem e se devido as frustrações de um mundo decadente pelas injustiças humanas e falta de compreensão correta de Deus, na minha opinião.

    • Caio Égon:

      Mas depois de bebado todo mundo vira filosofo

    • Jonatan Lussolli:

      Não entendi porque a alegação em relação aos múltiplos parceiros foi a pior (sendo uma declaração verdadeira ou não). Ter múltiplos parceiros agora somente é feito por pessoas “não muito inteligentes”?

      “Beber mais” não significa necessariamente “encher a cara”, “ficar bêbado”, pode significar que elas bebem mais que os que “não são tão inteligentes”, entretanto fazem moderadamente. Sendo que consumir moderadamente bebidas alcoólicas faz bem para a saúde.

  • Costa:

    O artigo começa dizendo que inteligência é uma qualidade de difícil definição.
    No item 2 entretanto, diz que o psicólogo evolucionário Satoshi Kanazawa apresentou um estudo este ano que mostra uma ligação pequena, mas significante, entre homossexualidade e ‘inteligência’.
    Ora, então ele já sabe o que é inteligência e deve ter uma definição perfeita. Qual é?
    ‘Inteligência’ é realmente uma qualidade de difícil definição, até porque usa-se esse termo com conotações as mais diversas. Até ser mais ‘esperto’ e passar a perna no seu semelhante, virou sinal de ‘inteligência’. Ficar rico usando artifícios desleais e até burlando as leis, também já recebeu o nome de ‘inteligência’ e assim são várias as situações onde outras qualidades são rotuladas erroneamente de ‘inteligência.
    ‘Inteligência’ é a capacidade de se fazer o bem.

    • Ricardo Ribeiro:

      sou gay e tenho muito pelo…Já sei de onde a minha inteligência advem…

  • Angelo Silva:

    O último item já foi mostrado que é falácia. Utilizaram dados individuais para uma explicação ecologica.

  • Rayane:

    que estranho, eu nunca conheci alguém que eu considerasse inteligente e feliz ao mesmo tempo.

    • nosliml lem:

      Uma coisa que eu percebi em 50 anos de vida é que, pessoas inteligentes (a grande maioria) são impacientes, mau humoradas, arrogantes, egocentricas, e digo que se pode aprender a ser canhoto, eu era destro e aprendi a fazer muitas coisas com a mão esquerda.

  • Gian Chiarelli:

    Canhoto, Ateu, muitos pelos, chocolate srsrrs sei lá, eu percebo bastante diferença entre eu e pessoas da mesma idade que eu (18)… normalmente só falam e fazem merda rsrsrs.. conheço bastante coisa se comparado à minha idade (principalmente se relacionado à arte e trabalho manuais, ou projetos e planejamento)…

  • GoogleUser9:

    Essa matéria não tem fundamento nenhum, não há padrões entre pessoas com maior Q.I e esses fatores o quoeficiente de inteligência só pode ser relacionado com hereditariedade, genética ou o desenvolvimento do intelecto o que ja torna características físicas, emocionais e sociais bem variantes. Isso não passa de um achismo inutil.

  • Daniel Minahim:

    cesar, parabéns pelo texto. entendi que estas são indicações probabilísticas e não deterministas e certamente vulneráveis as fraquezas possíveis em estudos estatísticos. Trabalho com o tema em minha dissertação de mestrado. Vc pode compartilhar suas referências?
    obrigado

  • JHR:

    Posso enferir nesta estatística “n” variáveis que podem ter correlação forte com o QI alto, por exemplo a variável excesso de flatulências, cutucar o nariz enquanto dirije, etc.
    Mas pessoalmente acho que inteligência pode ser melhor percebida por aquilo que uma pessoa faz de exepcional e deixa de legado para a sociedade e seus semelhantes em todas as épocas.

  • Neto Alves:

    Sou canhoto, sou o mais velho, isso esplica muita coisa. kkkk

    • Guilherme Falcão de Freitas:

      Isso só”esplica” que a pesquisa está errada kkkkkkkk

  • Helder Mafra:

    deve ser pela variação da temperatura do corpo…que aciona certos campos do cérebro desenvolvendo mais o raciocínio conforme a pratica exercida..algo corrigível ainda…ter mais pelos ou não.

  • Lucas Noetzold:

    Agnosticismo e ateísmo não são conceitos divergentes, não devem ser colocados como duas categorias. Foi a própria pesquisa feita assim?

    • Marcelo Ribeiro:

      Nem crentes fundamentalista e liberais. Mas são categorias diferentes.

    • Lucas Noetzold:

      Mas crentes fundamentalistas e liberais são níveis de crença e descrença de um mesmo conceito, o agnosticismo e o ateísmo são a respeito de ideias não necessariamente relacionadas. Ainda assim tem muito ateu que se diz agnóstico por achar que este é um nível mais brando do ateísmo, creio que ainda da razão a pesquisa.

  • Kadaj Elric:

    “As crianças que sofrem bullying por causa de homossexualidade podem se voltar para buscas intelectuais, e sentir uma maior necessidade de ter sucesso em áreas em que sejam aceitos.” Isso eu posso te afirmar q é 100% verdade.

  • HFC:

    Bem, vejamos por outro lado a pesquisa, César :
    o sujeito é destro, participa da passeata hétero, caçula de 7 filhos, religioso fundamentalista, sem pelos, depressivo, caxias, abstêmio, monotônico, alérgico à chocolate por vontade própria. Esse sujeito é um P#@& mala sem alça e sem rodinha!!!

    • Cesar Grossmann:

      HFC, não é isto que o estudo diz. Em nenhum momento o estudo autoriza a fazer inferência sobre a inteligência de alguém baseado nas características dela.

      O que o estudo diz é: entre o pessoal que tem QI mais alto, estas são as características mais comuns. E só.

      Ele não diz “procure alguém com estas características e você vai encontrar alguém inteligente”. Também não diz “encontre alguém que não tem nenhuma destas características e você vai encontrar um burro”.

      Pode ser feita uma inferência mas do tipo probabilística. Por exemplo, poderíamos dizer “se você encontrar alguém com bastante QI, existe uma probabilidade de x% de que esta pessoa também goste de chocolate, por que esta é uma característica comum entre quem tem alto QI.”

      Percebe? Não dá para basear a tua afirmação no estudo.

    • HFC:

      César, não disse que a pesquisa tenha dito isso. Fiz um comentário irônico sobre as características “opostas” aos apresentados na matéria. Pessoas são inteligentes com ou sem tais características. Ser homossexual ou feliz não faz de pessoas mais inteligentes – o que a pesquisa mostra são estatísticas dos grupos onde se encontra pessoas com mais inteligência, o que é bem diferente.

    • HFC:

      Aliás, nem chamei nosso colega esteriotipado de burro – chamei de mala sem alça. Pode ser preconceito meu, mas se o sujeito apresentar todas essas características, tenho a impressão que será uma pessoa bastante insuportável.

    • Cesar Grossmann:

      Tenho certeza que ele deve encontrar alguém que o suporte.

    • HFC:

      I pray Jebus to don’t fulfill your wish!

    • Jean Kleber:

      Na minha opinião, tanto o sujeito que participa de passeata gay quanto o que participa de passeata hétero são estúpidos.

      Participar dessas passeatas é coisa de quem tem dúvidas sobre a própria sexualidade; e vai nesses lugares para se auto-afirmar homossexual ou heterossexual.

    • Gertrorentrix Celta:

      HFC

      Se existe passeata gay, qual o problema de passeata hétero?!Embora, eu, não participasse de nem uma das duas.
      Caxias, deixa eu adivinhar: és um politicamente incorreto?!Abomino gente indisciplinada e sem educação.
      Abstêmio, o álcool mais prejudica a mente do que ajuda. Não bebo e sou mais saudável por isso.
      Sem pelo, coitado dos indígenas. Sou descente de indígenas.
      Você também deve ser um sujeito insuportável.

    • HFC:

      O problema da passeata hétero é que uma criação do jênio chamado Carlos Apolinário. Isso diz muito sobre a inteligência do evento em questão.
      Sim, álcool é prejudicial, mas nem por isso vc vai deixar de ver que grande parte das pessoas geniais eram viciadas nessa droga lícita. A pesquisa só confirma uma verificação que poderia ser interpolada. Vc é abstêmio, legal para vc. Isso não faz de vc menos inteligente.
      Abomina gente indisciplinada e na sua definição “sem educação” ? Valeu champs! Prefiro avaliar as pessoas pela empatia, dedicação, sinceridade e habilidade de reconhecer seus erros. Mas, cada um é cada um …
      Vc é descendente de indígenas ? Gostaria que vc atentasse para uma série mexicana chamada Chaves : e o Quico ?
      Vc me acha insuportável? Quem sabe vc tenha sorte com outro sujeito que agrade o seu desejo. Boa sorte em sua procura!

  • Ricardo Carneiro:

    Verdade, concordo plenamente com essa matéria. Essas coisas têm a ver com a inteligência, sim!

  • Ricardo Carneiro:

    Verdade mesmo!

  • Raikar Salles:

    “(…)não tem como prever a inteligência de alguém baseado nestas características, mas estas características estão associadas a maior inteligência.”

    Pronto.

  • Marcelo Anjos:

    Eu li e algumas coisas faz sentido, tem como perceber sim o nível intelectual a base de sua personalidade…
    O que eu achei mais estranho é na parte da bebida, normalmente eu acho que seria ao contrário, quem bebe com mais frequência menos lógico seria….
    JLKLEIN – Tente saber mais sobre um assunto antes de debate-lo, sem preconceitos e sem querer usar argumentos não apresentados….

    • Edson Bruno Lopes:

      Crianças inteligentes surpreendentemente tem maior probabilidade de beber mais quando crescem. Marcelo anjo leia bem a matéria.

  • Flávio de Souza:

    EINSTEIN VAI TREMER NO TÚMULO AGORA;
    RECEITA INFALÍVEL PARA SE TORNAR UM GÊNIO:
    SEJA HOMOSEXUAL, EXCÊNTRICO E VICIADO EM CHOCOLATE.

    É uma pena que este tipo de matéria esteja se tornando tão frequente neste site. Se não tem mais o que publicar para encher linguiça, é melhor não publicar nada.

  • Washington Hendrix:

    Preconceito é um grave sinal de burrice u.u

  • Michael Klebe:

    Discordo. Inteligência não se mede; não se calcula. Na verdade o ser humano já nasce com ela. O que há é o seu desenvolvimento no indivíduo através de métodos e meios, quer sejam teóricos ; quer sejam práticos. Um bom exemplo para ilustrar o que digo é a aquisição da fala. Logo, o que se pode mensurar é o desenvolvimento da aprendizagem cognitiva do indivíduo. Isso sem dúvidas difere das características da pessoa humana. É isso.

  • Wallace Felix:

    Fiz 9 de 10. Como faz agora?

    • JHR:

      Saia do armário…

    • HFC:

      Existem cirurgias para implantar pelos corporais. Vai em frente, champs!

  • Henrique Sadao Kajino:

    Maior probabilidade de ser inteligente por ser umas dessas coisas ou ser uma dessas coisas por ser inteligente? A Lei da causalidade não pode ser usada livremente desse jeito. Algumas coisas citadas são consequências, outras podem ser causas.

    Sobre ateísmo, sinceramente a relação é ridícula (e olha que sou ateu). Isso só reforça a crença que não acreditar em Deus pode tornar você inteligente, a análise do estudo foi feita sobre populações, retirando todos os outros fatores da relação (educação, riqueza e saúde da população analisada, fatores que considero muito mais relevantes para serem considerados). A única coisa que acredito que o ateísmo pode ajudar é que algumas religiões possuem dogmas que podem limitar o pensamento de demais possibilidades de e o desejo de novo conhecimento, o que não significa necessariamente maior inteligência da pessoa.

  • Rafael Ferreira:

    Inteligência é um termo bem abrangente e eu concordo que não é possível mensurá-la se a tratarmos de forma holística. Entretanto acredito que é possível medir algumas formas pontuais de inteligência (emocional, espacial, etc).
    Quanto ao comentário de uma pessoa canhota gay peluda ter genialidade, me deu a impressão de que seria relevante expor aqui algumas informações sobre estatísticas, então vamos lá:

    – Dados estatísticos demonstram CHANCE e não fatores determinantes. Isso significa, por exemplo, que pessoas mais peludas (conforme o item 5) tem mais chances de serem bastante inteligentes, e não que todos os peludos são mais inteligentes que os não peludos.

    – Interposição de dados estatísticos não significa, necessariamente, aumento da característica estudada, podendo ser apenas aumento das chances de ela ocorrer. Isso significa que o canhoto gay peludo teria apenas mais chances de se tornar muito inteligente do que, por exemplo, um destro hétero peludo (podendo não implicar na inteligência total).

    – Já adiantando um possível “então algo com 50% mais outro algo com 50% vai dar 100%” lembro que por não serem características excludentes, o cálculo de 2 chances não é feita assim. Seria a segunda % aplicada ao que sobrou da primeira, então 30% com 50% não vai dar 80%, seria 30% mais [50% dos 70% restantes, que resulta em 35%] , o que daria 65%.

  • Falcone Big:

    5 – PELOS CORPORAIS…
    – Analisando a atuação de alguns atores como lobisomens depilados em uma trilogia teen sem sentido, observamos que existe sim uma proporção direta de pelos com inteligência.

  • gycocb:

    Das besteiras que já ouvi e li em toda minha vida, esta foi uma das piores….sem mais comentarios

  • Lucas Ponce:

    É claro que o consumo de chocolate nos países dos ganhadores do prémio Nobel é bem mais alto que a média: Os países nordicos consomem muito chocolate e estão entre os que mais têm premiados… porque o Nobel é da Suécia e eles costumam premiar seus conterrâneos.

  • Augusto Valmini:

    É muito ‘achismo’ para uma matéria só: “Estudos apontam”, “pesquisa também sugere”, “Não se sabe se”.

    No final ainda é apontado uma defesa a falta de embasamento “A correlação não implica necessariamente em causa, mas quando há uma ligação surpreendente entre dois fatores aparentemente não relacionados, pode ser que haja uma ligação entre eles.” Porém, a própria defesa inclui um “pode ser que”. E no final apesar de ter um texto bem escrito ele fica vazio. Lê-se diversas coisas aparentemente interessantes mas sem garantias da veracidade delas. Sei que não havia a pretensão de ser um texto técnico, mas referenciar o que se diz é sempre bom, afinal sempre tem um cara chato que gostaria de conferir os dados.

  • Fernanda Torres:

    Faço parte de 5 categorias dos 10 😀

Deixe seu comentário!