Mulheres espiritualizadas fazem sexo com mais freqüência

Por , em 26.10.2009

Uma nova pesquisa realizada nos Estados Unidos mostra que a espiritualidade tem uma grande influência sobre a vida sexual de jovens adultos, principalmente mulheres. O fator se mostrou mais importante que a religiosidade, a impulsividade e o álcool.

O estudo, realizado na Universidade de Kentucky, foi feito através de um questionário com 353 alunos – sendo que 215 eram mulheres. O questionário perguntava sobre os hábitos dos alunos quanto ao uso de álcool, a impulsividade, a religiosidade e espiritualidade e práticas sexuais.

13 Divertidíssimas propagandas sobre sexo seguro

Os resultados mostram que as mulheres com maiores níveis de espiritualidade fazem sexo com mais freqüência, mas a espiritualidade não tem o mesmo efeito sobre os homens. De acordo com Jessica Burris, co-autora do estudo, os homens mais espirituais podem fazer menos sexo porque é comum que eles não vejam o sexo como uma porta para a intimidade emocional.

Já para as mulheres, a espiritualidade foi a razão mais comum para um maior número de parceiros sexuais, freqüência de relações e a tendência de fazer sexo sem proteção. Segundo os autores, a espiritualidade pode ser vista quase como um fator de risco para as mulheres jovens.

Segundo Burris, as qualidades da espiritualidade que afetam a sexualidade são a conectividade com outras pessoas, a universalidade e a realização de preces. Porém, é a conectividade que tem o papel mais importante sobre a sexualidade feminina: “A crença de que existe uma relação íntima com outros humanos e que essa conexão e harmonia são indispensáveis podem levar a mulher a acreditar que a intimidade sexual possui algum tipo de qualidade transcendental”.

Pesquisa revela por que as mulheres fazem sexo

Porém, é mesmo a espiritualidade que torna as mulheres mais sexuais ou ela simplesmente implica em uma mentalidade mais aberta, que se manifesta através do sexo? A pesquisadora acredita que é a primeira opção: “Embora a espiritualidade possa estar relacionada com outras variáveis que mostram relacionamentos semelhantes com a sexualidade e práticas sexuais, o que observamos não pode, na minha opinião, ser explicado por outras variáveis”, diz. [Live Science]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

7 comentários

  • claudiohagra:

    A reportagem é pura verdade, minha esposa é espírita e toda vez que ela volta do centro parece que vem com a “pomba gira” no corpo e as vezes fico até com medo!
    Obs. a palavra “Reponder” está digitada errada, não preciso dizer o certo, não é?

  • Bertris:

    Sexualidade é um assunto polêmico e íntimo, pois depende do conhecimento aprofundado de cada um. Só quem teve um ato sexual em sua plenitude sabe o prazer que se sente, sendo inefável. Deve-se ter cuidado ao falar sobre isso para não se tornar uma vulgaridade.

    • jodeja:

      Oi Bertris, concordo plenamente, é isso mesmo!

  • Sam Fisher:

    “O estudo, realizado na Universidade de Kentucky, foi feito através de um questionário com 353 alunos – sendo que 215 eram mulheres. O questionário perguntava sobre os hábitos dos alunos quanto ao uso de álcool, a impulsividade, –a religiosidade e espiritualidade– e práticas sexuais.”

    Acho que nesse trecho deixa bem claro de que tipo de espiritualidade se quer mostrar

    “Já para as mulheres, a espiritualidade foi a razão mais comum para um maior número de parceiros sexuais, freqüência de relações e a tendência de fazer sexo sem proteção. Segundo os autores, a espiritualidade pode ser vista quase como um fator de risco para as mulheres jovens.”

    Muitas religiões não permitem o uso de preservativos no ato do sexo, outro trecho q esclarece.

  • wilsonr:

    fico na dúvida se mulher espirutalizada, é aquela que vai em centros espíritas(sem gozação) ou que acreditam na espirutalidade, ou aquelas que são espiritualizadas, ou seja, que tem bom humor, são abertas a conversa, sem ser vulgar, ou com segundas intenções, mas como elas fazem mais sexo, esta regra não vale,
    afinal, de qual tipo estamos falando. o que se entende como uma mulher espiritualizada?

  • Mansuetto Salvadori:

    Rsrsrsrsrrs, é, de fato ficou mal delineado o que seria “espiritualizada”. Vai que se refere àquelas em que baixou a “pombagira”

  • Diego Willrich:

    Pelo resultado, acho que a pesquisa considera espiritualizadas todas aquelas mulheres que costumam gritar “oh god, Oh God, OH GOD, OOHH GOOD!!!” com muita frequência…

Deixe seu comentário!