A verdade sobre o sexo e os jovens na geração atual

Por , em 13.07.2011

Não é preciso ser nenhum gênio para saber que a geração de hoje é muito mais avançada do que a passada – incluindo no sexo.

Então, se eles já não estão contentes com mais nada, e querem sempre mais, o que será do sexo daqui para frente? Tem que quebrar tabus, avançar a linha, para ser excitante? E agora que quase todos os tabus já foram quebrados, as pessoas com menos de 40 anos vão perder o interesse no sexo?

Erica Jong, que escreve sobre sexo, diz que em toda parte há sinais de que o ato tenha perdido seu “frisson” de liberdade. O sexo é menos picante quando não é proibido? O sexo em si pode não ter morrido, é claro, mas parece que a paixão sexual está quase.

É exagero dizer que a sociedade já não tem mais como avançar em matéria de sexo e perdeu o “frisson” por ele? O texto de
Erica possui alguns críticos, como a escritora Erin Gloria Ryan, que acusa Erica de focar no pessoal de meia-idade, não nos jovens reais, e ignorar a descoberta de uma geração totalmente nova e fascinada pelo sexo.

Também, a escritora Tracy Clark-Flory chama o texto de Jong de apenas o mais recente em uma longa história de argumentos sobre como o sexo está sendo corrompido ou destruído.

Porém, há algo que Erica fala que deve ser levado em consideração. Ela não é a primeira a notar que casais – e mesmo solteiros – de todas as gerações encontram-se em uma espécie de “estagnação sexual”, perseguindo uma nova emoção, porque a última tinha se tornado entediante.

Agora que a grande nuvem digital proporciona todas as possíveis combinações eróticas, qual o próximo tabu que alguém deve quebrar, além de um tipo de rejeição desafiadora da exploração sexual?

As preocupações de Erica Jong podem ser corretas, mas ela está errada em algo: não há nenhuma “reação contra o sexo”, pelo menos não geral. Mulheres jovens não estão virando as costas para o sexo, mas se estão tendo prazer é outra história – será que estão encontrando a emoção estremecedora que costumavam ter ou querem ter?

Enquanto o pornô não está tão em alta, a erótica digital e gratuita (muitas vezes retratando os próprios usuários) tornou-se um passatempo padrão. Vendas de brinquedos sexuais continuam a subir e muitos desses compradores têm menos de 40 anos.

Ou seja, não há indicação de que mulheres mais jovens estão fazendo sexo com menos frequência. Mas também é verdade que há nostalgia de um povo com menos de 40 anos de uma época que eles nem viveram.

As pessoas cultuam ídolos que não eram de seu tempo, como Audrey Hepburn e Marlena Dietrich. Meninas de 18 anos dedicam tempo a ver fotos glamourosas de modelos do início dos anos 1960. A stripper retro Dita von Tease é um ícone de estilo mais de uma década depois de ter feito sucesso.

Mulheres jovens não estão rejeitando o sexo; estão desejando o glamour que costumava cercá-lo. Sexo agora está em todos os lugares e “não representa” mais nada. Já se foi a época em que o sexo era grande coisa…

Encontros sexuais sem remorso ou culpa ainda existem, mas as pessoas mais jovens parecem divididas. Elas gostam da liberdade, mas querem as melhores partes de épocas passadas, também. Elas querem que a sedução, a incerteza, a busca, não necessariamente a monogamia missionária; mas luvas brancas, pérolas e flerte com um uísque em um bar interessante não parece muito mais envolvente do que shots de Red Bull e vodka e uma rapidinha no estacionamento?

Há ainda outra coisa a considerar: uma certa quantidade de desilusão com o sexo não é tendência, é biologia. Nossos cérebros são projetados para procurar novidades. A quantidade de novidade que cada um de nós procura depende da nossa própria química. Quando não obtemos novidade o suficiente, ficamos entediados.

A geração sexual de hoje torna possível para todos nós obter qualquer forma de novidade sexual que desejar, a qualquer momento que quiser. Se você trabalhasse em uma sorveteria, e pudesse tomar todo o sorvete que quisesse, o que aconteceria logo no segundo dia de trabalho? Sim, você ia enjoar de sorvete.[MSN]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1 votos, média: 5,00 de 5)

41 comentários

  • Esquadros:

    Gente, não sei porque esse alarde todo com crianças que fazem sexo. Isso não é de hoje, e nunca vai ser. Na verdade já é bem velho, ahm, desde o início dos tempos? Estupros, pedofilias, e tudo mais. As coisas só foram bem escondidas né, agora está tudo a público. Sexo sempre foi muito praticado, sempre, e sempre será. Até porque é natural do ser humano. Estou deveras cansada de ler pessoas falando que é um absurdo hoje em dia as meninas fazerem sexo com quem quiser. E eu também acho um absurdo, porque creio que tudo tem seu tempo, e nessa idade não se entende muita coisa, muito menos as consequências, até porque ainda existe o TABU de os pais falarem amplamente sobre o sexo, sem dizer para o filho que ele pode gerar outros filhos, mas como ele pode se prevenir disso. Se vocês pegarem dados do senso, sempre teve crianças grávidas e tudo mais. Mas eu digo uma coisa, eu prefiro uma menina de 13 anos escolhendo com quem faz sexo, do que ser estuprada por parentes ou conhecidos da família e ter que ficar calada diante disso. Entre as duas alternativas a primeira é melhor, mas existem coisas muito mais viáveis que isso, como conscientizar as crianças, nesta idade elas estão sedentas por informação, e se não tem em casa, elas buscam fora, de uma forma boa, ou a mais utilizável, a RUIM!

  • Rafael Nolasco:

    Olá oi. Bom dia. Curiosa e interessante matéria. Obrigado. Acho que faltou falar de mais detalhes sobre este assunto, como: conspiração/maldade contra uma determinada pessoa no mundo(vocês sabem muito bem quem é) e falar de algum animal da natureza. Porque não contam/revelam o segredo pra ele? Se eu esiver errado, por favor me desculpem, aconteceu que estou com a cabeça muito cheia de idéias e isso pode ter provocado o meu engano do meu comentário. Isto é tudo, fico por aqui, desejo tudo de bom pra todos, tiau.

  • Michele:

    É um absurdo as pessoas achar certo crianças de 13, 14 fazer sexo,então quem sabe vamos liberar a pedofilia?Pois qual a diferença entre transar com pessoas da mesma idade ou com pessoas mais velhas?

    • Masaharu Kurt:

      A diferença é que vai estragar pros mais novos. kkkkkkkkkkkkkkkk…

  • Shun de Andromeda:

    Odeio sexo. Prefiro jogar Tíbia.

  • Mario:

    13 anos eu acho que já pode, ja estou casado a dose anos com minha esposa que quando comecei namora-la a mesma tinha 13 anos. será que isso é pdofilia?obs. na época eu estava com 25.

    • Evangelico:

      Se teve sexo, foi sim.
      A idade de consenso é a partir de 14.

      Tá amarrado.

  • Andreya:

    Toda essa discussão só é válida para o sexo banal que existe hoje, sem amor.
    Os casais que se amam e são apaixonados se desejam intensamente e são capazes de realizar qualquer fantasia, desde que agrade os dois. Nao é questão de mulher esconder o corpo para não perder a graça. A questão é se apaixonar e levar o sexo mais a sério. Mulher que se dá ao respeito é respeitada, pode ser uma atriz pornô, não importa, tem que saber diferenciar onde começa o respeito, o amor e onde isso vai terminar.

  • Janes:

    Que matéria tosca…sem pé nem cabeça.
    Sexo é instinto, biologia.

    Transou hoje, amanhã vai ter vontade de transar de novo.
    Assim como comer, beber e dormir.

    Não gostei da matéria.

    • @AtomicBlue:

      Concordo, e já dei minha opinião abaixo…

  • Jairo Wilson Muller:

    Taí gente… agora cheguei a ler a verdade que eu sempre “prego” para todos… no meu tempo, ver os joelhos de uma mulher, dava motivos para uma semana ou mais de masturbação… perdi minha virgindade aos 18 e no final, choramos muito eu e ela… apesar de ela não ser mais virgem… eu recordo que tinha embaixo do colchão, um recorte de jornal com uma moça de maiô, daqueles com sainha… usei-o para masturbação por muito tempo…em uma ocasião, eu estava em uma procissão católica e entre a multidão, encostei o braço no seio de uma mulher… gorda por sinal… e gozei ali mesmo em pé…aquele contato foi o máximo… enfim, o sexo era algo incrível …desejado ao máximo… e hoje? A novidade acabou… a pornografia gratuita da net… o oferecimento de sexo nas ruas… nos filmes… as bundas manjadas… os corpos nus… o ato sexual executado ao vivo e em cores, em DVDs pornos…as mulheres do povo, barrigudas e cheias de filhos… com uma cria de cada lado… peitos caídos de fora, amamentando em publico… top less… praias de nudismo… tudo sem graça…
    ACHO BOM AS MULHERES COMESSAREM A ESCONDER O CORPO MEIO LOGO, ANTES QUE OS HOMENS COMESSEM A PENSAR QUE A TÉCNICA SEXUAL DOS TRAVESTIS, É SUPERIOR E MAIS PRAZEIROSA DO QUE O ATO SEXUAL COM UMA MULHER.

    • Evangelico:

      Tá amarrado.

    • Jonas:

      Antigamente sexo era bom mais não era praticado,
      e essa coisa de “esta geração” não está bem definida, pois se estudarmos um pouquinho de Historia e pesquisarmos sobre a grecia antiga veremos a mesma coisa ou até mais liberal que hoje,
      e quanto a esconder seus corpos, por que as tribos indigenas ainda fazem sexo? se já acostumaram a ver tudo?

  • Bakuzen:

    geraçao atual, o que é isso? nos anos 70 com certeza era tudo mais louco do que hoje!
    o tabu do sexo foi quebrado em tempos ja antigos..
    a internet esta deixando os adolecentes atuais presos em um novo tipo de tabu
    esse novo tipo de tabu é ………

  • Jorge Vieira Ramos:

    Esse pessoal fala com um ar de que tem muito a dizer, mas nada de bom a acrescentar ! sinceramente estou farto dessa visão de mundo em que tudo esta perdendo o valor e o sentido ! so a busca do prazer agora ! eu pelo menos não vivo dessa maneira e tenho inumeros motivos para justificar isso !

    • Jorge Vieira Ramos:

      PS: notem no título “A Verdade” devia colocar “meu ponto de vista.” ¬¬

  • Marcelo, PR:

    lembro quando era jovem, nao pegava ninguém, como diziam “nem gripe”, entao tentava as mulheres mais velhas…rss tbm nao conseguia me diziam “vc é muito jovem”…então ficava na masturbação.
    Com 17 anos consegui a 1° mulhe (casada), safada, delícia…tudo aquilo que eu sonhava.
    hoje, com 35 anos, tenho o privilégio de escolher e até dizer nao a algumas mulheres… e ainda posso escolher a idade…e elas que me procuram, poxa, como pode isso? meninas de 18 quererem homens mais velhos?
    Bom, hj, aproveito, mas gostaria ter aproveitado a muitos anos anteriores…se bem que minha posição social tbm melhorou mto graças ao estudo e trabalho atual. (Policial Militar e Professor de Educação Física)

    • Michele:

      Mas com 35 anos vc é jovem ainda,já fizeram várias pesquisas q apontaram as pessoas com mais de 40 jovens, e vc vem com esse papo de q quando era jovem?AFFFFFFFFFFF!!!

  • natália:

    acho que tudo vai mudando, se transformando.
    obvio que eu vou achar errado uma criança de 12 ou 13 anos ter uma vida sexual, se na época que fui criada nao era assim. Mas isso nao quer dizer que estou certa. Quem disse que eh certo só transar depois de casar, como faziam os antigos? ou só após os 16/18 anos? cada um faz o que lhe convém. e é assim que o mundo vai mudando e se transformando..

    • Jorge Vieira Ramos:

      sem a gente saber ao certo as conseguencias dessa mudança, é isso que acontece quando se vive unicamente o hoje, como faz essa geração atual !

    • Jorge Vieira Ramos:

      é uma geração que geralmente não planeja ter filhos ou constituir familia, por que pensaria no amanha !? lamentável … ahh e se vc acha errado uma criança ter vida sexual, sinto lhe informar que isso ja esta acontecendo, cada vez mais cedo se inicia a vida sexual, se comparado com antigamente, justamente por essa geração hyper-sexualizada ! intão por favor vamos ser mais criticos com isso que está ai minha gente, não é coisinha fora de moda ou somente de religioso questionar o comportamento atual dessa geração !

  • @AtomicBlue:

    “a escritora Erin Gloria Ryan, que acusa Erica de focar no pessoal de meia-idade, não nos jovens reais, e ignorar a descoberta de uma geração totalmente nova e fascinada pelo sexo.”

    A escritora tirou as palavras da minha boca…

  • Haha:

    Falta do que fazer é triste..

  • Anônimo:

    A Natasha sempre encontra os melhores temas… Sempre que eu vejo algum texto interessante aqui, consigo imaginar que foi enviado pela Natasha. Não digo que os outros posters são ruins, mas acredito que ela tenha os mesmos gostos que eu! Tirando o fato do time dela, que por ser corinthiana demonstra que fez uma escolha errada hahaha.

    Sobre o texto, realmente isso acontece. O sexo não está só perdendo o seu mistério como está começando mais cedo. Não é mais surpresa encontrar jovens de 13/14 anos (e alguns até de 12) muito interessados pela sexualidade. Digo isso pois sou jovem, tenho 20 anos, e me lembro de ter esse desejo sexual muito maior do que hoje aos meus 12 anos.

    Não sei dizer se isso é bom ou ruim, mas fato é que eu considero uma criança de 12 anos muito nova para esses assuntos, que ao meu ver deveriam aparecer a partir dos 16 anos pelo menos.

    Continue com os ótimos textos, estarei aqui diariamente!

    • @AtomicBlue:

      Também acho os temas da Natasha interessantes, e nesse post em especial, estou com a crítica da escritora Erin Gloria Ryan.

      O que me chamou atenção no seu comentário foi a idade propensa ao interesse no sexo. Eu queria dizer isso porque é um assunto que me toma, porque fez parte da minha vida. Sexólogos (me lembro da sexóloga que mais gostei, que ía no programa “Altas Horas” da Globo) ajudam muito as pessoas a abrirem a cabeça.
      Vou sintetizar o meu pensamento, bem solidificado hoje.

      Qual é a idade mais propensa a se interessar por sexo?

      A idade em que o interesse natural, em que a vontada natural, surge em cada um. Sexo é uma necessidade do corpo, como comer e respirar. Desde criança, há um interesse por algumas descobertas; ele é normal, saudável, e deve ser permitido. Me lembro dessa sexóloga dizer “deve-se deixar sim cada um se descobrir. Mas cada um na sua praia: Criança com criança, adolescente com a dolescente, e adulto com adulto.”
      Você deve ouvir uma criança perguntar sobre sexo, e responder suas perguntas de maneira mais clara e educada – e não de maneira fantasiosa. Um pênis dentro de uma vagina deixa de ser uma revelação horrenda e bombástica quando você desmstifica e deixa de demonizar o sexo. (Me lembro do texto do ENEM 2010 sobre como o Brasil “Demonizou” o sexo, históricamente. Nossa cultura judaico cristã ocidental faz isso).

      O que estou tentando te dizer, em linhas curtas, é: Se todos os animais precisam, se existe essa necessidade fisiológica, por que o sexo é um assunto que, sim, ainda é visto (mesmo que inconscientemente) como um assunto meio vergonhoso, meio secreto (proibido para menores!!!), meio que tendo que ser tratado à portas fechadas, sussurrado pelos cantos?

      Um adolescente passa por grandes variações hormonais, e isso NOS FEZ, aos 12 anos, pensar loucamente em sexo. Eu tive a sorte de ter aulas sobre sexo desde os 10 anos – fizeram isso nas escolas públicas a fim de diminuir a transmissão de DSTs, AIDS e a gravidez indesejada. Adivinha por que fornecer esse tipo de conhecimento à pré adolescentes? Porque eles já se interessam por sexo. Porque, desde sempre, é notório e sabido que nessa idade, todos querem e muitos fazem sexo – de maneira inadequada e desprotegida, muitas vezes por falta de conhecimento.

      Então, de uma vez por todas, qual é a idade de se permitir falar e fazer sexo? A idade que seu corpo está gritando, e pedindo por isso.

      Afinal de contas, por quê calar essa voz? Por que impedir que adolescentes façam sexo (com devida proteção)? Seria por que nossa cultura judaico cristã ocidental nos ensinou que sexo é uma vergonha, que deveria se fazer à luz apagada, que não se falaria sobre isso, que se negaria o desejo evidente e inerente à todos, independente de gênero ou raça, só para manter imagens ilusórias de uma mulher pura e virgem (porque, afinal, principalmente as mulheres foram proibidas de explorarem o sexo, em detrimento de nós, homens, podermos fazer quando quisermos e não sermos exatamente mal vistos por isso)?

    • carlos:

      concordo com tudo!! e digo mais .. eu já tinha interesse pr sexo aos cinco anos de idade!! ficava excitado de olhar os seios de uma mulher .. as nadegas.. e adorava isso!!

  • Pensador®:

    Eu positivei. Mas positivei o comentário do Raphael.

  • Jairo Wilson Muller:

    Gente: chegou o momento da verdade…. os homens sempre foram os “conquistadores”… os homens sempre caçaram e as mulheres cozinhavam a carne… “(quase acabou)”.
    a primeira vez que senti nas minhas mãos a maciez de uma perna feminina, eu tinha 18 anos de idade e ejaculei incontrolavelmente no mesmo instante.
    procurem imaginar então, a minha atuação sexual completa, dois meses depois, quando eu “vi” a genitália dessa mulher.
    fui nas nuvens completamente e confesso que ao final, eu e ela choramos abraçados incontrolavelmente.
    meu neto de 12 anos, estava ontem se masturbando no computador, vendo…. “DESENHOS ERÓTICOS”.
    AS MULHERES DE HOJE, JÁ MOSTRARAM TANTO, QUE, NÃO TEM MAIS SEGREDOS. tinha-mos ditados eróticos, que eram considerados pornográficos, como: AONDE TERMINA TUA MINISSAIA, COMESSA A MINHA IMAGINAÇÃO.
    Bem minha gente: ou as mulheres escondem tudo depressa, a fim de dar apetite novamente no homem, pela imaginação, ou então, o final dessa história será bem triste.

    • @AtomicBlue:

      Não vai ser triste, não. Liberdade nunca é motivo de tristeza.
      Usar o pífio argumento de que “precisa-se de mais mistério pra aguçar a curiosidade” para maldizer a liberdade que temos hoje em relação à sexo é desmerecer uma luta de muitos séculos que travaram no passado, para que pudessemos ser livres. Para que o sexo deixasse de ser demonizado; para que nós, jovens, pudéssemos hoje falar e fazer sexo sem vergonha do nosso desejo, e sem medo de sermos punidos por Deus. Não, a liberdade e o conhecimento nunca fazem mal.

  • Guilherme Euripedes:

    Se aproveitar o que tem de bom em cada coisa além de não ser pecado não é desaconselhável, é paradoxal vocês dizerem que toda geração será contra a geração anterior.

    As pessoas são contra o que elas não são a favor, não porque seus pais ou seus avós tinham opiniões diferentes.

  • Eddy:

    Ainda que a moda da galera agora nos USA é ficarem virgens e isso também fortalece o argumento do movimento pendular entre cada geração, a sexualidade deve encontrar sublimação dos sentidos e aterrissar na poesia.

    O movimento pendular é parte da busca de uma identidade, e parece já notável que essa busca não vai resultar porque o parâmetro da busca sempre vai ser o mesmo… Ou seja, se você se coloca contra seus pais, o parâmetro são eles. Se você se coloca a favor de seus pais o parâmetro continuará sendo eles.
    Enquanto as decisões forem tomadas pelo parâmetro externo, estaremos dentro da mesma ilusão.
    Aproveitar o que tem de bom de cada coisa não é nem pecado nem desaconselhável.

    • @AtomicBlue:

      “Enquanto as decisões forem tomadas pelo parâmetro externo, estaremos dentro da mesma ilusão.” Thumbs Up!

  • Marcelo:

    Será que a sociedade caminha realmente de forma pendular? E se caminhar, o faz determinando os novos rumos das coisas, ou sendo manipulada por conceitos considerados “em alta” em suas épocas? Quantos realmente agem com independência, e não por que leram algo numa revista, ou viram/sentiram em filmes/novelas/letras de músicas, algo que não querem saber se vai ser benéfico ou prejudicial, mas apenas para serem vistos como diferentes? Qual o real prazer da busca por parceiros diferentes, independente da frequência da busca? De uma vodka acompanhada de uma música romântica e de alguém que você quer por, no máximo, alguns dias (meses talvez seja exagerar)?
    Acho que estamos acostumados a fugir de termos como monogamia, casamento, religiosidade, tabus, etc, não necessariamente por sermos mais evoluídos que outras gerações, mas por que no fundo achamos mais cômodo deixar o instinto, o desejo de aceitação por algum grupo, o acompanhar os pensamentos dos formadores de opinião, falarem mais alto. Mas esta é, por enquanto, apenas uma opinião sem informações científicas relevantes, como vemos em muitos livros e outras formas de comunicação que enriquecem seus criadores sem realmente informar adequadamente. A opinião de especialistas continua sendo opinião, e isso pode fazer diferença ao refletir sobre o que eles dizem. Um abraço.

  • Mochileiro:

    Mas vamos ao que interessa…

    Como já foi dito anteriormente, uma geração sempre vai se opor aos valores da geração que sucedeu, podemos citar como exemplos um fenemomeno que esta acontecendo no Japão (como se já não bastasse as Tsunamis…):

    O conceito de masculinidade está mudando la na terra do sol nascente. Até há pouco tempo, o estereótipo de macho era aquele que corria atrás de mulheres, bebia com colegas de trabalho, comprava bons carros e assistia a jogos esportivos na televisão. Hoje, é cada vez mais comum o tipo de homem, na faixa dos 20 e poucos anos, que gosta de passar tempo com a família e está menos preocupado com dinheiro, sexo e bens materiais ostensivos.

    Essa nova geração de homens passivos, que ganhou a acunha de “herbivoros”, rebelou-se contra a geração da década de 80, período de prosperidade econômica no arquipélago. Os valores ligados aos bens materiais foram substituídos pelo desejo de ter uma vida menos competitiva e com menos pressão (motivo pelo qual o Japão é um dos paises com maior índice de suicidios do mundo).

    Os homens herbívoros não aceitam viver de acordo com as expectativas de outras pessoas. Eles tendem a passar mais tempo com a família ou sozinhos, preferem comprar itens para decorar a casa a adquirir um carro novo e, apesar de serem heterossexuais, não estão muito preocupados em conquistar mulheres. Muitos passam tanto tempo jogando videogame que preferem garotas virtuais ao contato físico real.

    Acredito que este exemplo explica com perfeição as palavras do @rodolfo e ajuda entender um pouco o que a Natasha quer dizer com “… mas luvas brancas, pérolas e flerte com um uísque em um bar interessante não parece muito mais envolvente do que shots de Red Bull e vodka e uma rapidinha no estacionamento?”

    • SITUOUTIS:

      Aew mochileiro, esse homem que vc tá falando aí ñ é novidade ñ; A Psiquiatria já chama isso transtorno de personalidade esquizóide há um tempão.

  • Mochileiro:

    Não entendi o porquê dessa “perseguição” aos artigos publicado pela Natasha: não vi nenhum “ataque de mulherzice-poética pseudo-jornalistica” de que fala o comentário @Raphael no texto acima.

    Alias dos comentários que vi o único com algum conteúdo até agora foi o do @rodolfo.

  • VY Canis Majoris:

    O sexo deixará de existir para a humanidade, quando a mesma evoluir de uma forma inimaginável.

  • José Ricardo:

    Subi a porta e fechei a escada.
    Tirei minhas orações e recitei meus sapatos.
    Desliguei a cama e deitei-me na luz.
    Tudo por que
    Ela me deu um beijo de boa noite…
    (Autor anônimo)

  • rodolfo:

    A moda é pendular. Uma geração vai sempre se opor aos valores da geração anterior e assim até o final dos tempos. Então o que vem depois desses dias de sexualismo? uma nova onda de puritanismo. E depois? uma nova onda de sexualismo. A humanidade sempre esteve borboletando entre o sagrado e o profano.

  • JFSM:

    Essa mulher aparece em todo artigo do Hypescience
    Se ela está procurando alguma coisa postando e-mail nesse site q destina-se a apenas proporcionar conhecimento a seus diversos leitores, ela está desesperada!
    Mulheres bonitas como da Foto do Login dela(Se realmente for ela) naum procuram “alguma coisa” em um site desses(no máximo em um Orkut ou MSN)

  • Eddy:

    Um tema que precisa exatamente dessa visão e perguntas que você deixa no ar Natasha.
    Felicidades pela coragem de não ser “cool”.
    Lamentável é a embrutecida visão machista, simplista e insaciável (e não consoladora) dos machos machucados que deveriam cada dia mais se aproximar da visão feminina. Obviamente não todas mulheres possuem essa maturidade e nem todos homens a idiotice.

Deixe seu comentário!