Água pode ser menos importante para a vida do que se pensava

Por , em 12.08.2012

Com um pouco de sorte (incluindo questões genéticas e massa corporal), uma pessoa pode sobreviver por mais de uma semana sem comida. Porém, quando fica sem água, dificilmente aguenta mais de três dias. Quem duvidaria da importância desse líquido?

Para testar até que ponto a água é essencial à vida, um grupo de pesquisadores do Instituto de Biologia Estrutural em Grenoble (França) pegou moléculas de mioglobina (proteína responsável por levar oxigênio até os músculos) e substituiu a água por um polímero sintético. Como resultado, a amostra ganhou um aspecto viscoso, como o de um xarope.

Ao contrário do que se imaginava, porém, a troca não teve qualquer efeito negativo: a “mioglobina híbrida” continuou flexível, funcional e capaz de cumprir seu papel de transportar oxigênio.

Os resultados contrariam a ideia de que, sem água, é absolutamente impossível sobreviver. É claro que há algumas limitações envolvidas: o polímero substituto, por exemplo, não ocorre na natureza, o que pode dificultar seu uso na prática. Seja como for, a ideia de “vida seca” não soa tão absurda agora.[Gizmodo] [New Scientist]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

17 comentários

  • Rony Leite:

    Falar em suporte a vida é complicado pois somos contaminados pelo conhecimento restrito que temos, a pouco tempo afirmávamos que a terra é o centro do universo, depois afirmaram de pés juntos que a vida era impossível sem oxigênio, que o átomo era indivisível, afinal depois de tantas afirmações que tornaram-se obsoletas é primitivo acreditar que todas as formas de vida devem seguir um padrão ainda mais que aqui na terra não há um padrão por excelencia, água é importante para nós terráqueos porém em outro lugar ela pode ser um veneno. Temos por base de vida nosso planeta e não serve como padrão universal. Podem existir indivíduos em outros mundos que se alimentam de plasma ou ainda seres que só sobrevivam em temperaturas extremamente gélidas. Água é importante, sim, para nós agora para a vida do universo aí já é outra história.

    • Patricia Freitas Costa:

      Sempre achei isso. Essa história de procurar água para saber se pode haver vida em outros planetas, acho pouco válido. Dificilmente a vida em outro planeta será semelhante a vida aqui na Terra.

  • Jonatas:

    Na superfície de estrelas a vida é muito difícil pois a pesar da abundância de energia *e como!!!* a presença de diversidade química é precária. Mas já que pra imaginar se é livre, vamos tentar:
    O ser tem que evitar ser desintegrado pela intensa atividade energética, e o único jeito é usar como blocos construtores o que se têm a disposição no ambiente. Esqueçamos a química orgânica e os modelos clássicos da vida obter energia… fotossíntese, fermentação, etc… Vamos pegar uma estrela menos explosiva, uma anã vermelha, um astro modesto. O alien tem que ser parecido com uma água-viva, cujo corpo chega a ser 99% água, mas na verdade será uma plasma-viva. Plasma é o quarto estado da matéria, todas as estrelas são feitas de plasma e até o espaço entre as estrelas é preenchido com plasma, embora muito esparso, e o alien seria essencialmente essa matéria num estado hiper-fluído altamente energético, ionizado e quente: seria luminoso.
    Preciso citar onde ele obteria energia? não. 🙂 Vamos seguir então com as funções vitais do Plasmalien.
    Em vez de se preocupar com obtenção de energia, o organismo estelar teria que preocupar-se com o equilíbrio, senão explodiria. Assim, seria um ser poroso: os gases entrariam e sairiam constantemente, o que também seria um modo de transporte, como foles de uma sanfona.
    Bom, acho que existindo tais seres fantásticos, devem ser mais ou menos assim. A verdade é que nem que uma sonda solar colidisse de cara com um deles, não saberíamos dizer se é uma forma de vida ou só uma proeminência da fotosfera…

    • Jonatas:

      Legal como uma coisa leva a outra… 🙂 eu já conhecia o animal salamandra e ele é comum e totalmente diferente do ser que descrevi, mas aí fui procurar a origem do nome e encontrei a salamandra mitológica, que realmente lembra muito a criatura que imaginei até em aspectos físicos. Curiosamente, outro ser de descrição muito parecida já serpenteou pelos pampas nas mitologias indígenas brasileiras, o Boi-tatá, a cobra de fogo.

    • Khajiit:

      Legal, na sua idéia faltou apenas como esse animal se originaria em uma estrela. Tudo bem, ela seria quase 100% plasma, mas ela ainda assim precisaria de vários elementos para poder ter funções vitais, ja que hidrogênio não seria suficiente para ela poder se reproduzir.

      Por exemplo, vírus. Ele tem a capacidade de se “reproduzir”, (hospedando uma célula) se “alimentar”. Mas mesmo sendo uma forma de… “vida” (não encontrei a palavra xDD) existem as condições para ele ter a “chance” de existir.

      Por isso que esse “plasmalien” é improvavel de existir. (É impossível ser impossível, não conheço cada “canto” do universo u.u)

    • Jonatas:

      Muito bem, improvável, mas não impossível. A origem do ser seria a parte mais difícil. Já alimentação não, pois a finalidade da alimentação é obter energia e massa, e isso ele poderia fazer em sua estrutura citada e interação com a estrela. O complicado mesmo seria as questões genéticas e evolutivas, teria que imaginar todo o processo desde a origem, e isso já é difícil fazer aqui na Terra tendo acesso a organismos reais e conhecidos, imagina num imaginário? Nesse momento, estou criando o Crônus, mas mais adiante pensarei nos detalhes da criação do plasmalien. 🙂

  • Jonatas:

    O que acontece quando cruzamos paixão por astronomia e hipóteses de vida extraterrestre com computação gráfica e imaginação fértil?
    Eis um video-ensaio 3D para meu ET personalizado imaginado para viver num mundo como Titã, à sombra dos anéis de Saturno…
    http://dominiosdosol.blogspot.com.br/2012/08/extraterrestre-cronus-versao-20.html

  • Khajiit:

    Desculpa, mas eu não consigo imaginar a vida em estrelas.
    1º Elas não tem superficie
    2º Qualqueer corpo se “desintegra” nela
    3º A força graviracional em estrelas são muuuito fortes

    E isso independentemente se a estrela é uma anã marrom ou ou uma super-gigante vermelha.

    (perdoe meus erros de ortografia, estou fora do Brasil)

  • jodeja:

    Pode ser, mas não concordo muito não. Peixe não pode viver sem água.

  • crys:

    Agora,quando a nossa massa perde agua vai secando,como fazer para reidratar nosso corpo sem agua?Então a agua é inevitavel a vida,ou outra substância liquida como solvente.

    • Khajiit:

      Exatamente, nosso corpo seca, nossas glândulas suoriparas param, perdemos saliva e lágrimas, não teria como fazermos insigestão… coisas básicas pro corpo… xD

  • aguiarubra:

    Humm…

    Talvez a vida no Universo não seja tão rara como se pensava…

    • Adler Santos:

      aguiarubra / 12.08.2012
      Humm…
      Talvez a vida no Universo não seja tão rara como se pensava…
      Gostei deste comentário ou não: 4

      Véi na boa, se na Terra já sobrevivem seres nas condições mais diversas de hostilidade, então não é tão difícil achar num vasto universo.

    • Jonatas:

      Mesmo que for uma exclusividade da água e das reações orgânicas, a vida ainda assim seria abundante no cosmos, pois esses elementos não são uma raridade, muito pelo contrário, são comuns. Aliás, chega a ser substancial em alguns Planetas, como Netuno, por exemplo, muito mais do que na Terra.
      No advento de outras formas de vida e obtenção de energia, aí a vida seria mais que abundante, seria uma explosão de biodiversidades planetárias cosmos a dentro.

  • José Marcello Vertemati Pinto:

    É claro que vida seca ainda soa um absurdo. Como as coisas vão se mover no seco? É necessário um solvente, que pode ser a água, escolha mais lógica por ser abundante no Universo, ou outro solvente qualquer. O que estes fulanos precisam fazer é usar de solvente algum líquido abundante no espaço.

    • Victor B. Iturriet:

      “mais abundante no universo” Interessante essa informação, me diga, quantas galáxias visitou para descobrir isso?

    • José Marcello Vertemati Pinto:

      Amigo, como sabem que o sol é feito de hidrogênio? Alguém foi lá visitar? Já ouviu falar em espectroscopia? Pra qualquer lugar que apontemos nossos espectrógrafos, o que vemos é (em ordem): Hidrogênio (74%), Hélio (24%), Oxigênio (1,5%) e Carbono (0,5%). O resto são vestígios. Água é H2O, dois átomos do elementos mais abundante do universo, e um do terceiro. É bem razoável supor que o Universo esteja cheio de água. Tem água na Terra, nos cometas, nos anéis de saturno, nas luas de Júpiter e Saturno, muito provavelmente em Marte… por que seria diferente nas outras galáxias? As leis da física são diferentes por lá?

Deixe seu comentário!