Artefatos arqueológicos questionam diáspora da humanidade pelo planeta

Por , em 3.01.2012

Existe quase um consenso, entre os arqueólogos, de que o Homo sapiens surgiu na África, entre 200 mil e 100 mil anos atrás. A maioria dos cientistas aceita que o início da diáspora foi pela costa do continente, local por onde chegariam até a península arábica. Mas uma série de descobertas arqueológicas pode redefinir essa visão.

Pesquisadores da Universidade de Birmingham (Inglaterra) descobriram artefatos de pedra em mais de cem sítios arqueológicos no Omã, país localizado a sudeste da Arábia Saudita. Estes objetos, segundo estimativas, datam de pelo menos 100 mil anos atrás, período no qual não deveria haver (segundo as teorias que prevalecem hoje) nenhum agrupamento humano fixo longe do litoral.

Essa descoberta muda a ideia de como os primitivos africanos teriam saído do continente pela primeira vez. Com essa descoberta, admite-se que talvez eles tenham migrado pelas quentes e áridas regiões do interior do norte africano e da península arábica, e não pelas áreas mais amenas da costa. Eles explicam que essa teoria sempre foi mais aceita por ser mais lógica, mas não há reais evidências arqueológicas disso.

Os artefatos teriam pertencido aos núbios, povo que originalmente habitava regiões próximas ao rio Nilo, no Egito. A partir de uma técnica que envolve radiação, conhecida como Luminescência Ótica Estimulada (OSL, na sigla em inglês), os artefatos foram datados com cerca de 106 mil anos de idade. A descoberta levanta um mistério sobre a trajetória dos humanos através do continente. [LiveScience]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (2 votos, média: 5,00 de 5)

17 comentários

  • Dayse Carvalho:

    Essa indústria lítica é denominada Acheulense, caracteriza-se por ferramentas em forma de gota, surgiu a cerca de 1,4 milhões de anos, e é geralmente não é associada aos homo sapiens, mas sim aos homo ergaster. Além de dizer que a datação por LOE não é feita na ferramenta, mas no sedimento do entorno, essa ferramenta pode ter uma antiguidade maior e sofrido algum tipo de deslocamento natural.

  • Roberto:

    Até hoje, nem mesmo com a ajuda da análise de DNAs não se chegou a uma conclusão definitiva sobre os diversos grupos e raças humanos. Nem mesmo se admite o chimpanzé como humano, talvez o orgulho não nos permita ver o óbvio e assim nos envaidecemos por nos considerar os únicos seres “racionais” criados e afiliados de Deus. Será mesmo? Esse paradigma já não deu o que tinha que dar? Bem, pelo menos voce tem a opção de estudar, ou de continuar rezando.

  • Marman:

    Não existem ”raças” humanas.
    E ”provam que os humanos também se subdividiram em ESPÉCIES e RAÇAS…” está equivocado. Não confunda o gênero Homo com a espécie Homo sapiens.

  • D’Contra:

    Por que tanta dúvida em relação ao homem “primitivo” ter colonizado partes áridas do continente africano á mais de 100.000 anos. Quem garante que o clima nessa época não era mais favorável á vida podendo o homem ter sustentabilidade mesmo que periódica, mesmo sendo nômade.
    Gostei do post. É informativo e nos remete aos primórdios da civilização nos fazendo perguntar á nós mesmo: “de onde viemos, para onde vamos, será que realmente evoluímos á partir dos símios, se assim fosse (como afirma fortemente a nossa ciência), não teriam os símios já sido extintos por causa da evolução??????
    Há muitas perguntas a serem respondidas. Com certeza não saberemos as respostas tão cedo nem pela ciência atual.
    Abraços fraternos.

  • SILVIO MIGUEL GOMES:

    O tal do povão, mencionado pelo Sr. Lisandro Hubis, não impõe bloqueio mental nenhum. Ele simplesmente não sabe destas teorias e está cgd e andando para tudo isso. Eu já conversei com pessoas simples e simplorias sobre tais fatos e recebem normalmente.

  • Fist of God:

    Caro Leandro, sou Católico convicto e praticante, porém, apaixonado pela ciência. Todo Cristão esclarecido sabe que nem tudo deve ser levado ao pé da letra na Bíblia, principalmente no Velho Testamento, onde muitas coisas são alegorias para um povo e uma época onde não se poderia falar em teoria da evolução, teoria do big bag, etc. Hoje sabemos como as coisas funcionam, ou pelo menos há teorias bem aceitas, porém, do meu ponto de vista, estes conhecimentos não excluem a existência de um ser superior. Inclusive, não acho que “exista um acordo mundial de “acobertamento” das informações relativas aos conhecimentos que poderiam fazer a realidade destruir a mitologia de que, fomos criados do barro, já adulto, num jardim particular de Deus”, ou não haveriam em revistas, na web ou mesmo na TV, matérias como esta na qual estamos comentando. Paz!

  • SENAM:

    Comentários de alto nível é sempre bem vindo ao meio pois é isso que enriquece os comentários e a postagem.

  • Asdrubal:

    Fala que 9% da população mundial exceptuando a de África tem genes de neaderthal, no entanto o homem moderno não é descendente dessa espécie humana, então esses ditos 9% são o quê? Alguma espécie antiquada?

    • Tiago Moah Weimer:

      Não classifique como sendo antiquada.
      Diga “alternativa”.
      Hehhehee

    • Cesar:

      Não são uma espécie antiquada, nem são outra espécia, são uma fração da humanidade que é descendente de uma pessoa que teve como ancestral tanto humanos quanto neandertais. Só isto.

  • José Calasans:

    Essa teoria que o homo sapiens se originou na Africa,nunca me convenceu.

    • João:

      Leia direito a reportagem. O que está sendo contestada é a teoria da diáspora (migração), e não a teoria da especiação.

    • EltonPaes:

      E mesmo que fosse, tu estaria errado novamente…
      kkk

    • Cesar:

      Não sei se dá para chamar de contestação, já que continua havendo uma hipótese da diáspora, só que agora ela está modificada, existem evidências que a diáspora se deu não pela praia, mas pelo interior.

    • ira:

      Correto João.(migração).
      Mas,esse mas sempre traz algo mais,como sempre.
      A ciência acadêmica,aquela do corporativismo que não deixa que ninguem acrescente algo de novo em seus conceitos pre-estabelecidos é uma pedra no sapato da humanidade ou civilização atual.
      Correndo por fora dos grupos corporativistas existe muita coisa que está trancada a sete chaves,tanto por governos,credos religiosos como humanos que não desejam olhar alem de seus umbigos pois mudar uma verdade ja pre-estabelecida como única e exata,é o mesmo que dizer que Deus ou divindade ou algo que foge ao nosso alcance sempre existiu e que simplesmente temos mente pequena para compreender,o que nesse caso talvez ate fosse provavel voltar a época medieval(queimar os hereges)pois não pensam ou são conduzidos pela ordem estabelecida.

      Este sim é o grande crime que se produz,deixar a humanidade cega e sem vontade,COISAS PRÓPRIAS DE GOVERNOS E RELIGIOSIDADES EXCESSIVAS OU (FANATISMO
      EXACERBADO).
      Chega a parecer que o planeta poderá explodir a qualquer hora pois a bomba do fanatismo está queimando o final do pavio.

    • Igor:

      Pois eh, muitos n admitem ser descendentes de africanos, mais a verdade eh q vc eh só um africano desbotado

    • Angelina:

      Porque a maioria das pessoas não adimite questionar? Parece que estão tão confortadas nas teorias já estabelecidas como certas, que não se abrem as novas? Vamos sair desse comodismo, vamos pensar, questionar, tentar entender.. buscar respostas ! Conhecimento nunca é demais…

Deixe seu comentário!