Campanha internacional espera salvar tribo brasileira

Por , em 26.04.2012

A tribo indígena brasileira dos Awa foi considerada pela Survival Internacional (Sobrevivência Internacional) a tribo mais ameaçada do mundo. Com base no Maranhão, os índios estão sofrendo com infrações às suas terras protegidas, por parte de fazendeiros e especuladores de terra.

“Quando a floresta é destruída, eles têm que sair ou simplesmente morrer. Eles reclamam que estão sofrendo de fome agora”, afirma a diretora da organização, Fiona Watson, que entrevistou muitos dos 360 sobreviventes da tribo que fazem contatos sociais.

A Survival estima que existam mais de 100 indíos Awa que ainda não fizeram contato com os meios sociais fora da tribo. O problema é que a terra demarcada para eles é rica em ferro e outros recursos naturais, o que atrai os exploradores.

Fotos de satélite revelam que os direitos de terra, concedidos pelo governo aos índios em 2005, não estão sendo respeitados, em grande parte pelo desflorestamento.

Em 2009, um juiz federal declarou que as pessoas que estavam ali ilegalmente tinham 180 dias para sair. Mas um dos maiores criadores de gado da região conseguiu impedir isso. Em dezembro do ano passado, um segundo juiz decidiu que o prazo seria dezembro de 2012. Mas sabemos como funcionam as coisas no Brasil, e talvez as ordens não sejam cumpridas – e então, talvez, seja tarde para os Awa.

E há, claro, a violência. Casos não faltam de exemplos de “coronelismo” nas regiões mais remotas do Brasil. E, às vezes, não apenas de fazendeiros. Em agosto de 2011, a FUNAI recebeu um aviso de que havia conflitos entre traficantes de drogas e tribos “intocadas”, que sumiram ainda mais após a violência.

A ideia da Survival é que a nova campanha coloque pressão nas autoridades brasileiras, para que os Awa “reconquistem” o direito às suas áreas protegidas.

O que você acha sobre a demarcação dos territórios indígenas? E você acredite que a campanha da organização vai ter resultado? [MSN]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

9 comentários

  • Francisco Roberto Cavalheiro:

    Na verdade são bichos humanos que se está tentando preservar, ao invés de se pensar em torná-los gente, iguais a nós e dar-lhes a oportunidade de ter todos os direitos que os nossos. Lá eles não são nada mais que meras curiosidades zoológicas sem direito algum, sem propriedade alguma. Acredito que seus filhos não tenham nem mesmo o direito de escolha, salvo se algum branco for lá e conseguir traze-lo para conhecer o mundo. Esse tipo de exposição do ser é lamentável em nossos dias.

  • jose ajosilaudo:

    persefone, tu tem que estudar historia, e conhecer a verdadeira historia indigena, isso tudo é deles manó.

  • Sandra Regina Tieppo:

    Quem sabe se os norteamericanos comessem menos carne, não teriamos tanto problemas ccom desmatamentos?????
    Afinal, como vcs mesmo viram são criadores de gado que desmatam…. não só os que querem ferro ou outros minerais.

    • jose ajosilaudo:

      qualquer campanha é valida, para pressionar as autoridades a tomarem posições, seja contra ou a favor, o importante é sairem da toca e mostrarem a cara, para vermos quais seus compromissos, com a ordem á lei do pais, ou ao exterminio indigena, o brasil colonial ja passou gente.

    • jose ajosilaudo:

      concordo com você sandra, gente vamos mudar nossos habitos alimentares,carne faz mal. temos carnes brancas cheias de proteinas, como peixes, frangos etc…

  • Glauco Ramalho:

    Sei, uma campanha internacional, patrocinada por empresas multinacionais. As mesmas que estão fornecendo armamento pesado para os índios no Nordeste, que agora atacam usando fuzis e metralhadoras. O que eles querem é gerar um clima de instabilidade civil no Brasil para então controlarem eles mesmos essas regiões de demarcação com suas fórmulas mágicas, e não ajudar os pobres silvícolas. Abram o olho!!

    • Persefone:

      É isso mesmo Glauco, falou bem, e a Hipecience deveria pesquisar melhor para não colocar matérias tão tendenciosas no ar.

    • jose ajosilaudo:

      glauco com todo respeto a sua opinião mas acho, que os indigenas tem direito de se defender, seja com ajuda americana ou não, eles sempre levaram sua vida pacificamente nas suas aldeias, ai chega alguem de fora e os expulsa para se apossar de suas propriiedades, na nossa cultura chamamos isso de banditismo.

    • Glauco Ramalho:

      Na minha cultura eu chamo de ingerência externa e uso de silvícolas inocentes como mercenários contratados. Você não entende as implicações que isso pode levar? Isso não vai resolver, vai piorar a situação ainda mais. Nenhuma situação é resolvida se uma única bala for disparada.

      Eu não disse que foram americanos, mas se eles fossem tão bons em assuntos indígenas não teriam dizimado quase todas as tribos de seu país.

Deixe seu comentário!