Canoa de 600 anos de idade é descoberta na Nova Zelândia

Por , em 13.10.2014

A colonização das ilhas da Polinésia Oriental foi um episódio marcante na história da migração humana e marítima.

Na antiguidade, os polinésios eram um povo com habilidades de navegação altamente desenvolvidas. Eles alcançaram ilhas anteriormente desconhecidas fazendo viagens de canoa – há evidências de que por volta de 1280 dC eles já haviam passeado por todo o vasto triângulo polinésio, com seu canto oriental na Ilha de Páscoa, canto norte no Havaí e canto sul na Nova Zelândia.

Até agora, as reconstruções das canoas utilizadas pelos polinésios tinham sido baseadas principalmente em observações posteriores de exploradores europeus. Porém, em 2012, Dilys Johns, arqueólogo da Universidade de Auckland (Nova Zelândia) e seus colegas descobriram um “pedaço” de 6 metros de uma canoa antiga na extremidade noroeste da remota ilha sul da Nova Zelândia, a uma curta distância do estuário Anaweka.

De acordo com um novo estudo publicado na revista “Proceedings”, a canoa – apelidada de canoa Anaweka – foi construída de madeira na Nova Zelândia e fez sua última viagem por volta de 1400 dC.

Ela tem cerca de 20 metros de comprimento e a madeira foi identificada como pinho preto (Prumnopitys taxifolia). A canoa Anaweka tem uma tartaruga esculpida em seu casco que faz conexões simbólicas com a cultura polinésia ancestral e sua arte.

Reconstrução

Reconstrução

“A crista levantada atrás da tartaruga poderia representar o seu rastro enquanto se movia através da água, ou poderia ser um sugestivo de uma cauda estendida”, escrevem os cientistas. “Desenhos de tartaruga são raros na escultura Maori pré-europeia. No entanto, elas são conhecidas nas águas da Nova Zelândia. É provável que o tema de tartaruga relacione-se com a idade precoce da canoa e suas associações culturais com a Polinésia tropical”.

De acordo com os pesquisadores, a canoa Anaweka fornece novas informações sobre a tecnologia ancestral da canoa maori e insights sobre a tecnologia marítima primitiva na Polinésia Oriental. [Sci-News]

Vote: 1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars

Deixe seu comentário!