Casamento gay é mais feliz e tem menos conflito

Por , em 7.07.2013

Durante um de seus programas, o famoso apresentador de talk show nos Estados Unidos, David Letterman, fez uma série de perguntas sobre o casamento homossexual para sua plateia – e não nos surpreenderia se você, leitor, alguma vez já tivesse feito esses mesmos questionamentos.

“Quem desce as escadas no meio da noite para identificar de onde vem aquele barulho estranho? Quem esquece o aniversário de casamento? Quem se recusa a parar e pedir por informações? E qual pessoa demora uma eternidade para ficar pronto?”, foram algumas delas.

A piada gerou os risos esperados do público, mas foi também um exemplo revelador do esforço que a sociedade em si tem para definir o casamento do mesmo sexo, que eventualmente se torna uma comparação com o casamento heterossexual.

Embora existam muitas semelhanças entre os casamentos gays e héteros, uma década de pesquisas científicas mostra que casais do mesmo sexo também adaptaram a instituição de várias maneiras. E o resultados desses estudos são no mínimo surpreendentes e polêmicos.

O que não causa espanto é a primeira conclusão: de que relacionamentos gays tendem a ser mais igualitários. Isso ocorre justamente porque os casais do mesmo sexo não dividem tarefas domésticas nem se comportam socialmente seguindo um padrão tradicional de gênero.

Pesquisadores também relataram que casais homossexuais possuem menos conflito e mais felicidade em seus relacionamentos. E porque os casais gays muitas vezes não têm o apoio de membros da família, eles tendem a receber mais apoio de uma grande e participativa rede de amigos.

Esses dados vêm logo após decisões do Supremo Tribunal dos Estados Unidos a favor do matrimônio homoafetivo. Por lá, o apoio ao casamento gay é recorde. Segundo dados do jornal “USA Today”, 55% dos estadunidenses são favoráveis às uniões homossexuais, ante 40% contra.

No Brasil, o reconhecimento do casamento entre pessoas do mesmo sexo ocorre desde 2011, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que casais gays têm o direito legal às uniões e estabeleceu base jurídica para uma futura legislação sobre os direitos matrimoniais das uniões de mesmo sexo. Em maio deste ano, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou a resolução que obriga todos os cartórios do país a celebrar casamentos entre pessoas do mesmo sexo. Em todo o mundo, já são 15 os países que realizam casamentos homossexuais.

Com o assunto tão em voga, uma nova e bem mais extensa pesquisa começa a ser desenvolvida. Recentemente, o Instituto Nacional de Saúde dos EUA aprovou um estudo de 1 milhão de dólares (mais de 2 milhões de reais) a ser feito com casais gays e héteros que foram acompanhados durante 10 anos por pesquisadores da Universidade Estadual de San Diego, na Califórnia.

Um dos maiores estudos de seu tipo, uma investigação começou depois que o estado americano de Vermont legalizou as uniões civis do mesmo sexo, no ano de 2000. O estudo pioneiro teve como foco cerca de mil casais, incluindo casais do mesmo sexo e seus irmãos heterossexuais casados. A inclusão de irmãos permitiu aos pesquisadores comparar semelhanças e diferenças entre os casais homo e heterossexuais da mesma faixa etária, família e origens religiosas.

“Há tanta coisa para aprender com esses casais que tiveram a união civil oficializada em Vermont na década passada”, diz uma das autoras da pesquisa e professora de estudos femininos na Universidade de San Diego, Esther Rothblum. “Para a maioria das perguntas que as pessoas me fazem sobre o casamento do mesmo sexo, a minha resposta é: ‘Nós não sabemos ainda'”.

Uma das descobertas mais notáveis dos casais de Vermont ​​foi que, em quase todos os quesitos, os casais do mesmo sexo relataram níveis mais elevados de felicidade em seus relacionamentos do que casais heterossexuais. Casais gay relataram muito menos conflitos e maiores níveis de intimidade em comparação com os héteros. Casais homossexuais se mostraram mais propensos a sentir que podiam confiar em seus parceiros, a se deixar experimentar altos níveis de afeto e ser mais feliz com suas vidas sexuais.

Uma razão, segundo os pesquisadores, para casais do mesmo sexo apresentarem mais satisfação e menos conflito é que os seus relacionamentos tendem a ser menos definidos por papéis tradicionais.

O homem, homo ou heterossexual, sente mais facilidade em se comunicar e se entender com outros homens. Para a mulher, da mesma forma, geralmente é mais fácil a comunicação com outras mulheres. “O que eu gostaria de dizer é que, se os homens são de Marte e as mulheres são de Vênus, então é mais fácil que dois marcianos resolvam um conflito”, exemplifica Rothblum.

Mesmo que casais gays relatem mais felicidade geral em seus relacionamentos, eles também tem mais probabilidade de romperem. Após três anos de acompanhamento, a taxa de separação entre casais gays do estudo, que não estavam em união civil, foi de 9,3%. Casais homossexuais em união civil apresentaram um índice de 3,8%, enquanto apenas 2,7% dos casais heterossexuais se separaram.

Embora isso possa parecer uma contradição, a descoberta sugere que os fatores externos – como a pressão da família, filhos e compromissos financeiros, como uma hipoteca – podem desempenhar um papel maior do que a simples felicidade conjugal na duração dos casamentos heterossexuais. Casais gays normalmente possuem menos relações familiares próximas e naturalmente são menos propensos a ter filhos, o que em tese “facilitaria” uma separação.

Os dados também indicam que o reconhecimento legal, quer se trate de uma união civil ou de um casamento, é uma espécie de cola que pode ajudar os casais, de mesmo sexo ou de gêneros opostos, a manter um relacionamento de longo prazo.

“Quando as coisas não estão indo bem, os casais do mesmo sexo podem achar que é mais fácil simplesmente terminar”, conta Rothblum. “Mas agora, com as leis de casamento cada vez mais igualitárias, casais gays também terão que passar pelo processo legal de separação”.

Outra lição importante do estudo, observa a pesquisadora, é que a duração do relacionamento não é um bom termômetro da felicidade conjugal. “Provavelmente existem muitas pessoas ainda casadas que são extremamente infelizes e outros que são mais rápidos para querer a separação. Só porque casais heterossexuais permanecem juntos por mais tempo não significa que eles estão sempre felizes. Pode ser apenas que eles tenham que lidar com mais razões externas e pressões sociais para ficarem juntos do que os casais do mesmo sexo enfrentam”, conclui. [The New York Times]

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (4 votos, média: 4,00 de 5)

18 comentários

  • Anderson:

    Eu conheço vários casais gays e que estão casados há muitos anos. Um mês já estão juntos há 35 anos e eles tem os seus problemas como qualquer pessoa que convive com outra pessoa, seja ela homossexual ou heterossexual, pois além de sexualidade existe também a questão ser humano.
    É muito chato quando alguém usa sua religiosidade para disfarçar o seu preconceito. Devemos respeitar as diferenças de cada ser humano e deixar a religião como algo pessoal e intransferível.
    Cada um com a sua verdade!

    • Anderson:

      Corrigindo: Em vez de mês. Eu quis dizer: eu mesmo conheço…

  • Wander Garcia:

    Incrivel como exite cada vez mais pessoas sofrendo de Alzheimer. Um bom exemplo aqui é o Hercules Lima. Ele sempre se esquece que todos aqui já leram um ou outro de seus comentários religiosos e preconceituosos quanto a muitos temas. Parece que ele não se cansa de expor sua falta de informação educativa.
    O triste deste dipo de Alzheimer é ver o cidadão fazendo papel de ridículo ao escrever tanta tolice e bobagem religiosa sem argumento científico algum. Coitado do Hercules! É para ter pena mesmo.

  • Jordan Paixão:

    Quero experimentar casar também! heehehe Deve ser top! *-*

  • Hercules Lima:

    Teologiacmente falando, Deus condena tudo isso. Veja o que diz a Bíblia:

    “Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens,cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. Os quais, conhecendo a justiça de Deus … não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.” Romanos capítulo 1 versículos 24 a 27; 32

    • Fagno Silva:

      aqui é uma página científica , acho que vc ta no lugar errado.

    • Jonatas Almeida da Silva:

      Quanta idiotice. Animais praticam o homossexualismo, assim como existem outras formas de sexualidade na natureza, logo mais um erro da bíblia, ao dizer que isso não está na natureza.

    • André de Sá:

      Já que os evangélicos insistem tanto em termos que nos Salvar, me digam então Qual o sentido de continuarmos procriando e colocando mais crianças inocentes nesse mundo infeliz no qual futuramente elas crescerão e passarão por tantas coisas ao ponto de sofrer tanto com as desilusões da vida e ter que acabar também querendo se salvar ? E se salvar do que ? E pra quê ? – Não Faz Sentido Nenhum! Não Faz… Então paremos de fazer filhos, evitando assim que eles cresçam e tornem-se por exemplo Gays e corram o risco de ir pro inferno, já que a maioria pensa que Deus os odeia. Qual o sentido disso ? Se salvar ? É Ridículo! Então Deus faz o seguinte já que é assim, joga um asteroide gigante nessa terra IGNORANTE e acaba com tudo logo… fica menos ridículo do que um PROCESSO que não tem fim. Bota Filho no Mundo pra depois que ele crescer e ter que ficar querendo ou precisando se salvar aff… Patético isso !!! Vocês podem citar qualquer parte da Bíblia para condenar os gays, mas nunca vão conseguir enfiar JESUS CRISTO nessa conversa porque ele jamais condenou os gays. É só procurar na Bíblia e veras que não há nada sobre JESUS falando dos gays, portanto…

    • Rubens:

      Hércules, NÃO ESQUEÇA DE QUE A BÍBLIA FOI ESCRITA POR HUMANOS, E QUE O HOMOSSEXUALISMO JÁ ERA MUITO EM VOGA NOS EXÉRCITOS ROMANOS, E OUTROS POR AI Á FORA, SPARTACUS ERA HOMO SEXUAL, ALEXANDRE O GRANDE IDEM, E ASSIM VAI, EU SOU A FAVOR DA UNIÃO DE HOMOSSEXUAIS.

    • Wander Garcia:

      “…E o homem criou deus segundo a sua imagem e semelhança…”

      A bíblia também explica de onde deus surgiu? Porque ele tem um filho, porem não tem mulher? Porque ele não tem uma filha? Porque se usa um artigo definido masculino para se falar de “deus”. Porque não se fala deusa e sim deus? Curioso tudo isso. Ou você nunca se perguntou todas essas coisas por medo, por que se diz que não se deve questionar ou porque realmente não sabe pensar por si só?
      Aceitar de graça tudo o que os outros falam sobre bíblia é um grave sinal de falta de informação. Ler outros livros além de bíblia abre a mente do ser humano.

  • Lorenna:

    Eu e minha namorada ao mesmo tempo que nos damos bem, entramos em conflito. Porque apesar de sermos mulheres somos de personalidades diferentes, e ainda tem a famosa TPM.
    Mas é maravilhoso, há muita conversa e sempre resolvemos o conflito no mesmo dia, nunca deixamos para depois e isso faz muita diferença. Nos respeitamos e amamos muito.

    • Marcelo Ribeiro:

      Bacana seu comentário.

      Mas no caso de vocês a TPM leva a DUAS semanas tensas. 🙂 Quando o ciclo coincide, a coisa deve ficar nuclear.

  • Fagno Silva:

    De uma coisa não tenho dúvida! se o cara escolhe um homem pra casar é pq se sente mais feliz com um homem ! caso contrário escolheria uma mulher! isso vale no caso mulher x mulher também!

  • Marcelo Ribeiro:

    Como é possível? Imagina só as brigas geradas pelo fato das mesmas roupas poderem ser usadas pelos dois!

  • Islan Victor Oliveira:

    Podem ser mais felizes devido ao fato de conhecerem mais facilmente os problemas dos parceiros devido a serem do mesmo sexo.

    • digiomni:

      Se fosse por isso casais de médicos héteros também seriam mais felizes afinal quem melhor do que um médico para entender bem e completamente como o outro se sente,o que pela matéria não é verdade…

    • Marcelo de Andrade:

      @digiomni
      Casal de médicos ou videntes?

    • Samuel Zanetti:

      digiomni,
      acredito que o Islan não se referiu ao conhecimento racional, aquele o médico desenvolve na faculdade e na experiência da profissão, mas sim, ao conhecimento emocional que é distinto entre homem e mulher.

Deixe seu comentário!